Notícias

Conheça as soluções alternativas para tentar fazer parte do Programa de Capas da Apple

Apesar de todos os esforços, a Apple não cedeu à pressão popular de oferecer aos brasileiros um direito que outros países possuem: o de entregar capas gratuitas para o iPhone 4 no Brasil. Nosso objetivo, porém, foi atingido: a intenção não era simplesmente ganhar capas de graça, mas mostrar à Maçã que ela precisa olhar com mais carinho para o nosso país, pois o número de consumidores dela cresce cada vez mais.

Com isso, a única maneira de talvez obter o benefício é tentar algumas soluções alternativas, que apesar de não serem garantidas, podem funcionar para quem vive no Brasil. Abaixo citamos algumas delas, de acordo com o depoimento de nossos leitores.

A primeira coisa a se fazer é instalar o aplicativo especial iPhone 4 Case Program. Ele é a única maneira de realizar o pedido. Só funciona no iPhone 4 e apenas uma vez; após a conclusão do processo, ele bloqueia aquele dispositivo para outros pedidos. Para baixá-lo, siga este link, conectado em uma conta americana (o app não está disponível no Brasil). Para saber mais sobre como ele funciona, não deixe de ler nosso artigo anterior.

Tudo deve ser feito até o dia 30 de setembro, mesmo que, em teoria, possa-se fazer o pedido depois se o aparelho foi comprado dentro deste prazo. Além disso, só participam do programa aparelhos comprados há menos de 30 dias; se o seu é estrangeiro, deve respeitar esta regra.

Claro que, se você não tem nenhum problema de antena e não quer a capinha de graça, não precisa fazer nada disso. Afinal, elas seriam para os que reclamam de má recepção no sinal.

Solução #1: Enviar para algum conhecido no exterior

A solução mais simples é contar com alguém conhecido que more no exterior. Afinal a Apple na verdade não nega a participação de aparelhos vendidos no Brasil, apenas não realiza a entrega em nosso território. Por isso, se você tem algum parente ou amigo de confiança em um dos 24 países que fazem parte do Programa (Alemanha, Austrália, Austria, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos , Finlândia , França, Holanda, Hong Kong, Inglaterra , Irlanda, Itália, Japão, Luxemburgo, México, Nova Zelândia, Noruega, Portugal, Suíça, Singapura e Suécia), pode pedir tranquilamente seu Bumper gratuito, que ela não deixará de entregar em um endereço válido.

Solução #2: Fazer o pedido com endereço brasileiro em Portugal

Quem conseguiu sucesso neste método foi nosso leitor Caio Lemos (leia “Brasileiro consegue receber em casa uma capa gratuita da Apple para o iPhone 4“). Ele usou o aplicativo oficial, colocando seu endereço de Natal/RN, mas escolhendo Portugal na opção de entrega. O sistema aceitou e enviou para o país lusitano; os correios de lá, ao perceberem que o endereço era na verdade no Brasil, reenviaram ao destino correto.

Este método não é garantido e deve ser feito somente se o usuário não possui nenhum conhecido em outro país. A gentileza de enviar para o Brasil é feita, na verdade, pelos Correios Portugueses (CTT); outros países provavelmente apenas retornam o pacote para a Apple ao perceberem que o endereço não confere.

Solução #3: Usar serviços de intermediação nos EUA

Há habitantes nos EUA que trabalham como intermediadores de mercadorias: você compra um produto, pede para enviar para a casa deles e eles mandam para você no Brasil, cobrando uma taxa de serviço e de envio. A questão é que você precisa encontrar alguém de muita confiança para fazer isso, pois não há nenhuma garantia no serviço.

Alguns leitores recomendaram um fórum brasileiro de jogos que fala sobre redirecionamento de encomendas: o HardMOB. Lá é possível encontrar alguns destes intermediários, com seus preços e condições. É importante salientar que ninguém do Blog do iPhone testou este tipo de método e por isso não temos como garantí-lo, devendo servir apenas em último caso, se o leitor não gostou das 2 outras opções iniciais.

 

Estas são as soluções possíveis para brasileiros que queiram seu Bumper de direito. Claro que o ideal seria a Apple enviar para o Brasil, mas já que ela não faz, tenta-se solucionar de outras maneiras.

O ideal é que todos os interessados façam isso até esta quinta, dia 30, prazo dado pela Apple para o fim do programa.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados