Notícias

Jogo do rato contra o rato: a proteção anti-pirataria que não vem da Apple

Kali APComo já dissemos inúmeras vezes aqui, jailbreak não é sinônimo de pirataria. Para reforçar ainda mais o argumento, agora o RipDev (grupo que criou o histórico Installer, marco do jailbreak) acaba de lançar uma coisa que a Apple ainda nem se mexeu: um método de proteção anti-pirataria de aplicativos da App Store.

É difícil de imaginar como é que eles fizeram isso. Mas segundo eles, o Kali Anti-Piracy é o resultado de profundos estudos na arquitetura do MacOS e do iPhoneOS. E o mais impressionante é que o serviço é completamente compatível com o SDK oficial, inclusive havendo casos de programas testados que obtiveram plena aprovação na App Store.

O Kali AP é um serviço que adiciona uma camada extra de proteção que promete dificultar muito o trabalho dos crackers e que faz o aplicativo não funcionar caso seja pirateado. Mas se isso é possível, por que a Apple não fez antes?

Mas o RipDev não faz isso por benevolência: o serviço não é gratuito. Além de uma taxa por título (100$ para apps que custam até 9.99$, 300$ para os demais), ainda eles pedem um percentual por cada aplicativo vendido, que varia de 1 a 5%.

Realmente é impressionante tudo isso, até pelo fato de ser um grupo independente agindo diretamente nos negócios da gigante. Uma das consequências disso seria a própria Apple se animar e adotar um processo similar, bloqueando de vez o cracking de aplicativos, coisa aliás que já teria a obrigação de ter feito.

Porque convenhamos, ter que pagar 100$ por um serviço anti-pirataria, além dos 99$ já pagos à Apple para ser desenvolvedor, não tem muito cabimento, não acham?

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Vicente

    E viva o jailbreak “legal”..hehhee
    Eu vou ficar calado à respeito.

    Mas é até bom que eles tenham feito isso, bem feito pra Apple, mostra mais uma vez, que além da preocupação inesistentes quanto às tratuções de seu site para outros paises, como o nosso, por exemplo, inexiste a preocupação com os desenvolvedores.

    Quem sabe depois disso, ela bola um método também, e cobra pelo serviço, disputando com a equipe do DEV…

  • Vicente

    INEXISTENTE*

  • Bruno

    Se for verdade, não desacredito q a apple registre e faça uso disso na careta mesmo.

  • Nathan

    Imagina não ter cabimento, pagar 100$ ou mais por uma proteção anti-pirataria, só uma curiosidade iLex, tem como ver se há registros de pessoas que já instalaram essa proteção anti-pirataria? Valeu pessoal.

  • Marcelo Baltar

    Isso é praticamente uma extorsão… Me pague senão a gente quebra e libera. Tá bom…

  • Gabriel

    A Apple adora falar que não têm virus, porém temos que pagar por uma proteção como se fosse o Norton?
    Ta aí um possível ‘virus’ pra eles =]

  • Iron Junior

    Estou de acordo com o Vicente!

    Que saia um aplicativo tão bom quanto, juntamente com um suporte maior ao nosso país.

    Esculhambação seria fechar o cerco e ainda continuar com a “invejável” loja brasileira e o “excelente” português usado atualmente.

  • Ceceu Veron

    @iLex

    Saca só esse video iLex:

    http://www.collegehumor.com/video:1899978

    PS:O video esta em ingles galera 😉

  • sister

    palhacada viu

  • henriqueG

    iLex vc tem alguma noticia do desbloqueio do bluetooth do iphone?

  • vi

    they’re overeacting

  • Domenico
  • Paulo

    A mim isto parece-me demasiado estranho .. parece um daqueles “jogos” em que uma companhia lança um vírus, para depois lançar um anti-virus que remove o vírus criado por eles mesmos.

    Quem sabe não foi a dev-team que esteve na criação do “crackulous”, para agora dar uma de bonzinhos e lançar esta aplicação anti-pirataria e ganhar uns trocos com isso.

  • Djefferson

    A Questão é dinheiro e credibilidade
    O RipDev tem credibilidade no mercado, pois sabem o caminho das pedras. Fizeram tudo oque fizeram mas não devem ter contabilizado lucros significativos com tudo isso. Agora chegou a hora deles usarem toda a credibilidade que conseguiram, revertendo isso em lucros.

    Os caras estão cobrando pela proteção US$100,00 por Aplicativo que serão vendidos até U$9.99, e US$300,00 por aplicativos com valor acima de US$9,99, mais participação percentual nas vendas. É como dizer ao desenvolvedor:

    Ou você me paga, ou será assaltado!!!!!!

    Lembraram-se da Mafia e dos traficantes que cobram por proteção os comerciantes????????

    A Questão é simplesmente uma:

    – Irá a Apple deixar este dinheiro ser ganho por outros e não por ela?
    – Os desenvolvedores não irão precionar a Apple por não implantar uma alternativa sem custos extras?

    Resumindo tudo isso, eu acho que as coisas se tornarão muito mais difíceis em muito pouco tempo no que diz respeito a crackear aplicativos.