No dia 29 de junho farão exatos 10 anos que o iPhone começou a ser vendido. Sem dúvida um período de sucessos, que mudou completamente a telefonia mundial e nossos hábitos diários. Afinal, quem hoje consegue sair de casa sem o celular e o mundo que se encontra dentro dele?

Para comemorar a data, alguns acontecimentos relembrarão um pouco mais de histórias de bastidores que envolveram a criação do revolucionário celular.

Um deles acontecerá na terça, dia 20, no Computer History Museum. Em um grande evento, quatro membros da equipe de desenvolvimento do primeiro iPhone darão uma entrevista para o jornalista John Markoff, ex-New York Times. Um dos membros será nada menos que Scott Forstall, o chefe da equipe que desenvolveu o iOS.

Scott era uma pessoa de confiança de Steve Jobs e conseguiu com sua equipe concretizar coisas que na época muitos afirmavam ser impossível de fazer. Ele, assim como Jobs, sempre foi determinado e persistente, não desanimando em buscar um objetivo mesmo se ele parecesse difícil demais de alcançá-lo. Porém, este jeito “meio Jobs” de ser acabou fazendo com que ele criasse inimizades dentro da Apple, inclusive com Jony Ive. Quando Jobs se foi, ele passou a não se enquadrar na filosofia mais “calma e solidária” de Tim Cook, e acabou sendo responsabilizado pelo fiasco do lançamento dos Mapas da Apple, que na época foi feito às pressas para tirar o Google do iOS.

Polêmicas à parte, Scott Forstall sempre foi considerado um dos pais do iOS e sem dúvida ele tem incorporado muito mais o velho estilo inovador e corajoso da Apple (e de Jobs) do que Tim Cook. Por isso, ouvi-lo depois de anos de silêncio deverá ser bastante interessante. Todos os ingressos para a conferência já estão esgotados, mas esperamos que façam algum registro em vídeo.

O segundo evento que acontecerá na mesma terça-feira será o lançamento de um livro chamado “The One Device“, que conta histórias secretas do desenvolvimento do primeiro iPhone. O autor do livro, Brian Merchant, é editor do site Motherboard e reuniu pesquisas e relatos sobre o nascimento do dispositivo. O site The Verge até liberou um pedacinho do livro com exclusividade.

Porém, ele já será lançado com polêmica. Phil Schiller, que sempre foi o chefão do marketing na Apple, contestou veemente uma informação publicada no livro que afirma que ele era contra um teclado virtual no iPhone, defendendo que o aparelho deveria ter um teclado físico no estilo BlackBerry. Ele inclusive disse que a mentira é tão grande que o autor deveria corrigir esta informação antes do livro ser lançado.

Brian Merchant diz que essa história foi contada por Tony Fadell, o “pai do iPod“, que estava envolvido também na criação do novo aparelho. E a lambança se formou quando Fadell retrucou, dizendo que “não foi bem assim a história que ele contou para o jornalista“. O que talvez ele não esperasse é que Brian afirma que a conversa dos dois foi gravada em áudio, em que se pode comprovar todas as palavras ditas na entrevista e publicadas no livro. Ficou chato para o Fadell.

Mesmo com informações duvidosas, será um livro interessante de ler.

No começo do ano, nós contamos um pouco aqui no blog alguns causos da criação do iPhone, que no início tinha a ideia de ser um iPod que realizava ligações. Vale a pena dar uma relida como aperitivo das histórias que serão contadas na semana que vem.