Notícias

Quais as vantagens e desvantagens de não termos mais o suporte a apps de 32 bits no iPhone

A Apple está deixando bem claro que, a partir do iOS 11, aplicativos compilados na velha arquitetura de 32 bits deixarão de funcionar. Mas por que ela está fazendo isso? Será que é para forçar a todos a comprar novos iPhones?

Abaixo, discutiremos alguns pontos que mostram as razões de uma empresa querer evoluir na tecnologia.

O problema da retrocompatibilidade

Manter a retrocompatibilidade de sistemas e dispositivos é algo que todos os usuários querem, mas sempre deu dor de cabeça para as fabricantes. É claro que quem possui um dispositivo mais antigo quer que ele seja atualizado e funcionando o máximo de tempo possível. Afinal, ninguém gosta de ser forçado a comprar um dispositivo novo só porque o que tem já deu tudo o que tinha que dar.

E isso acontece há anos: o sistema MS Windows foi um que manteve a retrocompatibilidade o máximo que conseguiu, o que fez com que a Microsoft ficasse presa durante muito tempo ao passado, sem poder adotar tecnologias bem mais modernas. A solução que ela encontrou com o Windows 10 foi criar uma espécie de emulador que rode programas antigos, nos mesmos moldes que a Apple fez com o Rosetta, quando mudou da arquitetura PowerPC para Intel em seus computadores. Foi uma solução temporária, assim como será no Windows.

Porém, no mundo mobile as coisas são bem mais complicadas. Não é tão fácil criar um emulador dentro do iOS que rode aplicativos antigos, pois é preciso se preocupar com consumo de bateria, utilização da memória RAM, pouco espaço de armazenamento, entre diversas outras coisas. Este tipo de solução só prejudicaria a performance geral do sistema, não apresentando reais benefícios para ninguém. Por isso, para dar um passo para o futuro e adotar o melhor que as novas tecnologias têm a nos oferecer, precisamos em algum ponto nos livrar do passado.

Aviso prévio

Já que não pode criar um emulador no iOS que sirva temporariamente para acostumar os usuários a abandonar velhas tecnologias, a maçã adotou a política de preparar psicologicamente todo mundo, com antecedência.

A Apple está sendo bastante clara: em breve, aplicativos em 32 bits não funcionarão mais no sistema do iPhone e do iPad. No iOS 10.3, quando você abre um aplicativo compilado na velha arquitetura, um aviso é explícito, dizendo que ele não terá mais suporte em versões futuras do iOS.

E isso pode acontecer mais rápido do que se poderia supor. O próximo iOS 10.3.2 não está disponibilizando durante a fase beta as versões para os iPhones 5, 5c e iPad 4, que são os únicos dispositivos da arquitetura antiga que receberam o iOS 10. Não sabemos ainda se isso será definitivo ou se até a versão final estas versões serão disponibilizadas, mas a conclusão óbvia é que na próxima grande atualização, o iOS 11, eles definitivamente não serão mais aceitos. [ATUALIZAÇÃO: horas após a publicação deste artigo, a Apple liberou versões do beta do iOS 10.3.2 para os iPhones 5, 5c e iPad 4].

Mas o que isso significa? Meu iPhone 5 deixará de funcionar do dia para a noite?
Calma, não é tão catastrófico assim. Após a atualização, os dispositivos que não puderem atualizar o sistema continuarão a funcionar normalmente com os aplicativos já instalados. O que mudará é que novas atualizações dos aplicativos passarão a não mais serem retrocompatíveis com 32 bits, como são hoje, e por isso, aparelhos antigos não poderão mais atualizar os apps. Os desenvolvedores provavelmente tentarão dar suporte o máximo que conseguirem, mas chegará um ponto que este suporte poderá não ser mais possível.

Por exemplo, vamos citar o WhatsApp. Ele continuará funcionando normalmente no iOS 10 para quem não atualizar para o 11. Mas se no futuro os desenvolvedores precisarem mexer na estrutura do serviço que necessite obrigatoriamente uma atualização do aplicativo para que continue funcionando, quem tiver o aplicativo antigo deixará de ter acesso ao servidor. Claro que isso pode levar um bom tempo e este ano tivemos um exemplo claro disso: somente agora, em 2017, que o serviço deixou de suportar versões do sistema anteriores ao iOS 7. Ou seja, até então, quem tinha um iPhone 3GS ainda estava usando o WhatsApp, claro, sem várias atualizações como criptografia, novos Emoji, etc.

No início de junho teremos a WWDC, em que conheceremos mais do futuro iOS 11. Lá, poderemos avaliar quais as mudanças que os desenvolvedores terão que adotar e no que isso influenciará velhas versões dos apps.

As vantagens da nova tecnologia

Mas por que razão a Apple irá abandonar a retrocompatibilidade com 32 bits, se até agora ela fez isso sem problemas?

Os atuais processadores de 64 bits da Apple (A7, A8, A9 e A10 Fusion) aceitam ambas as arquiteturas. É por isso que ainda conseguimos rodar aplicativos antigos, mesmo com o atual aviso do sistema. Porém, permitir que ambas as arquiteturas funcionem paralelamente tem seu preço, que já citamos antes neste texto: espaço no processador, maior consumo de energia e mais tarefas a serem realizadas.

A conclusão lógica (e que algumas fontes confirmam) é que o próximo processador A11 será exclusivamente em 64 bits, o que significa que os novos iPhones não suportarão definitivamente nenhum aplicativo de 32 bits. Por isso o aviso atual insistindo enfaticamente para os desenvolvedores atualizarem seus aplicativos.

Não é uma questão apenas de sistema, e sim de hardware futuro.

Mas o que podemos ganhar com isso?
Liberando-se do passado, o sistema permitirá progressos diretos para os usuários. Primeiro, o sistema tende a ser mais dinâmico e fluido, sem precisar perder tempo com códigos extras para arquiteturas antigas. Depois, os aplicativos tendem a ser de menor tamanho, ocupando assim menos espaço de armazenamento, pois não precisarão ser retrocompatíveis.

Além disso, a Apple poderá adotar finalmente processadores de 10 nanometros, que são de menor tamanho e consomem menos energia, o que reflete diretamente na duração da bateria. O atual A10 Fusion é de 16 nm.

Ou seja, para poder implementar reais melhorias em seus produtos, a Apple precisa se livrar das amarras do passado. Esta é a evolução da tecnologia e funciona assim há anos. Querer que um iPhone 5 (que vai completar 5 anos agora em 2017) continue a ser atualizado, é tentar impedir que todos os outros usuários possam aproveitar do que os avanços tecnológicos têm a oferecer.


Saberemos de mais detalhes sobre estas mudanças no início de junho, durante a cobertura da WWDC que o Blog do iPhone irá fazer, trazendo para vocês todas as novidades. Fiquem ligados!

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Carlos

    Início de abril?
    Não seria início de junho?

  • Lucas Silveira

    iPhone 5 já tem quase 5 anos. O tempo passa rápido..

  • Eu concordo com essa decisão da Apple. Ficar preso ao passado na maiorias das vezes não traz tantos benefícios assim. Se limitar à um sistema de 32 bits é rejeitar as melhores experiências com o 64 bits. E os usuários do iOS que tem iPhone 5/5c acredito eu, já curtiram e muito seus aparelhos por esses longos anos de atualizações. Evoluir é bom e necessário. 😉

  • Lu Lu

    Incrível como o iPhone 5 ainda funciona bem 5 anos depois… Apple é a melhor marca de celular sem mais! Mesmo que eu ache caro e ache o sistema sem avanços com relação ao Android ele simplesmente funciona. iPhone é igual moto da Honda,dura a vida inteira.

  • cesar 1989

    galera do 5/5c vao pro SE, maravilhoso smartphone, bateria dura mais que o meu 7 (maldição) a tela tem cores mais vibrantes apesar da apple nao falar…
    e agora tem a versao de 32gb que ta um preço legal.

    • Amilcar do Amaral

      Eu uso um 7 plus e estou aguardando estoque do SE no meu plano corporativo para comprar um e usar como meu 2o aparelho. Adoro a tela do plus, mas sinto falta de um aparelho pequeno e o SE é tudo que eu preciso…

    • Daniel De Paula

      Eu ia trocar o 5S por um SE, mas peguei o 7. Pensa numa pessoa arrependida… uma pena a Apple abandonar esse tamanho, é o melhor na minha opinião!

      • cesar 1989

        vende o 7

        • Daniel De Paula

          Pior que podia vender, mas fica aquele peso na consciência de consumismo!! Enfim, estou acostumando aos poucos, mas ainda acho o outro modelo perfeito em design e tamanho

  • Duxiaoan

    Excelente matéria! Parabéns ao BDI e toda a equipe!

  • Flaviano Dias

    “é que o próximo processador A11 será exclusivamente em 64 bits, o que significa que os novos iPhones não suportarão definitivamente nenhum aplicativo de 32 bits.”

    Na minha época de faculdade o x86 ou x64 era o tamanho da palavra do processador logo se o processador é de 64bits ele obrigatoriamente lê palavras de 32bits.

    • Foi assim que eu aprendi também.

    • Luiz Claudio Eudes Corrêa

      Você esta pensando no x86-64 (64bits criado pela AMD que é o padrão atual com compatibilidade com o 32bits) mas deveria lembrar do Intel Itanium que era 64bits mas não possui compatibilidade com o x86 de 32bits (só foi usado em servidores).

  • Rodolfo Rezende Nascimento

    Trabalho a 2 anos numa operadora de telefonia aqui nos EUA chama Cricket wireless pertence a AT&T, antes eu trabalhava em outra MetroPCS pertence a Tmobile,vejo uma coisa aqui nos EUA têm muito iPhone 4 ainda muito 5 e inclusive vendemos o 5s por 150 dólares mês passado está por 100 dólares pessoal aqui não troca de celular igual aí no Brasil não mesmo sendo muito mais em conta que aí no Brasil pois pagar 769 dólares num iPhone não é fácil! Minha opinião realmente a Apple tem que atualizar mas tem que dá suporte aos seus produtos mais velhos sim pq nem todo mundo tem condições de trocar todo lançamento,eu mesmo tenho um 6s plus 128gb que me atende muito bem não pretendo trocá-lo tão cedo!
    Outro detalhe o atendimento nas lojas Apple não são uma maravilha igual povo aí do brasil endeusa não,tenho um iPad mini 3 tive problema no conector pois ele carregava quando queria fui na Apple fizeram o teste falaram que não tinha defeito aí mostrei pro rapaz o conector com o cabo Lightning conectado tava parecendo dente de criança balançando ele teve a coragem de falar que era normal aí fui embora revoltado pra casa,uma semana depois e ele continuou a mesma coisa aí voltei lá tive que brigar pra trocarem aí trocaram meu iPad por um novo está perfeito.
    Tenho muito cuidado com minhas coisas pois sei tanto que foi difícil pra comprá-las

    • “Minha opinião realmente a Apple tem que atualizar mas tem que dá suporte aos seus produtos mais velhos sim pq nem todo mundo tem condições de trocar todo lançamento”

      Essa é a questão, ninguém precisa trocar de iPhone todo lançamento, o iPhone 5 (por exemplo) já tem 5 anos de vida, ou seja, acho que está em uma boa época pra trocar né? E mesmo assim, caso a pessoa não queira trocar, deve se contentar com o que vai funcionar.

      Eu mesmo tenho amigos que não ligam pra tecnologia, com certeza vão continuar usando seus modelos 5 por um bom tempo ainda, até realmente precisar trocar!!!

      Edit: Outro detalhe que acabei me esquecendo de comentar, caso a pessoa queira mais novidades, basta migrar para um iPhone 6 ou até mesmo o 5s, já são 64bits e vão aguentar por mais tempo que o 5, devido a arquitetura, fora que já saem mais em conta que a modelo de lançamento.

  • Fabiam Fagner

    Parabéns pela profundidade e clareza da matéria. 👏🏻👏🏻👏🏻

  • Christian Tavares

    Dos 145 apps que tenho no meu iPhone, cerca de 20 estão na “listra negra” de apps defasados. Alguns deles nem estão mais na App Store, ou seja, foram completamente abandonados pelos desenvolvedores. E o pior é que muitos deles eu uso com frequência e são excelentes. O que eu fiz, ao menos para garantir um backup para meus gadgets mais antigos, foi fazer uma cópia de todos os apps que já baixei (os que me interessam, óbvio) pelo iTunes e coloquei em HD externo. Deu em torno de 100 GB. Também usei apps para Mac para extrair esses aplicativos de dispositivos iOS e poder reinstalar em meus velhos iPhones, iPods Touch e iPads caso precise restaurar por algum motivo.

    • Marcelo Carvalho

      Que apps são esses?

      • Christian Tavares

        Não entendi a sua pergunta. Quais apps estão na tal “lista negra” ou os apps de Mac que uso pra extrair do iPhone?

        • Jef

          Quais apps para Mac você utilizou para fazer os backups e demais procedimentos?

          • Christian Tavares

            AnyTrans, i-Fun Box, iExplorer e iMazing.

            • Jef

              Show, muito obrigado 😀

            • Walter Martinelli

              Sdds iExplorer na finada época de JailBreak

    • 199X KID

      mas a melhor solução seria vc procurar outros apps com as mesmas funções na app store e não ficar fazendo gambiarra

      • Christian Tavares

        Primeiro que isso não é gambiarra. É apenas uma opção para usar apps que eu gosto e que não encontrei funcionalidades semelhantes na App Store. E em segundo lugar, é uma solução para continuar a usar esses mesmos apps em dispositivos que aceitam até o iOS 10.3.1.

  • Ventura

    Aguardando um possível 7 SE… (e que pelo amor de Deus, venha com uma boa câmera frontal)

  • Lucas Modonesi

    Eu acho legal até a decisão, mas a apple deveria cobrar iniciativa dos desenvolvedores de atualizarem os APPs. Injusto quando pagamos caro por um app que agora vai ser inutilizado devido a atualização e mais injusto a empresa que não responde ao contato do consumidor quando solicitamos uma posição em relação a futuras atualizações… deveriam ser punidos tais desenvolvedores uma vez que não teremos o app e nem o reembolso…

  • Deivid Cavalcante da Silva

    A questão é a seguinte: se a Apple quisesse daria sim para suportar 32 bits, mas ela não quer pq prefere vender. A mesma coisa funciona com macbook. Eu tenho um macbook mais velho que não recebeu o Sierra, então usei um hack e instalei ainda assim. O bicho funciona como deveria mesmo sendo um hack. Isso me faz pensar que a Apple poderia sim ter dado o suporte, ela só não quis.