Apple

Apple está investindo mais em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos

Os resultados fiscais dessa semana podem não ter sido muito animadores, mas um dado informado nos relatórios pode ser um bom sinal. O investimento em Pesquisa e Desenvolvimento aumentou em 31% em relação ao ano anterior.

Junto com os resultados fiscais, a Apple também divulgou alguns números com investimentos realizados no trimestre, respeitando sua política de transparência com os acionistas. Neste material, é possível constatar que o investimento em desenvolvimento de novos produtos aumentou este ano, indicando que a Apple está se esforçando para lançar coisas novas no futuro que façam a diferença.

Pesquisa e Desenvolvimento

Foram 2,5 milhões de dólares em pesquisa e desenvolvimento neste trimestre, significando um aumento de 31,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Um terço a mais de investimento, em busca de novas tecnologias e produtos inovadores.

Se ela realmente vai conseguir lançar produtos que nos surpreendam, já é outra história, mas a receita do sucesso está sendo seguida à risca. Investir em pesquisa própria é a única maneira de conseguir desenvolver produtos que sejam diferentes e realmente tragam novidades úteis para todos nós. Muitas fabricantes, hoje, só se preocupam em correr atrás da Apple e tentar igualar o iPhone. O resultado disso é o que vemos no mercado hoje: muitos smartphones similares, com mais ou menos o mesmo poder de processamento e funções parecidas. Não há mais uma marca que se destaque e que traga real inovação, nem mesmo a Apple. O problema é que não há também nenhuma outra marca que queira se arriscar em lançar coisas novas, preferindo o caminho fácil de esperar pela maçã para saber que rumo tomar (Samsung que o diga).

Já que ninguém mais inova, o jeito é confiar que a Apple apresente algo que nos surpreenda. E seu investimento em pesquisa e desenvolvimento é uma boa notícia em direção a isso.

Imagem: iFixIt

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.
  • Lampião

    Não é que a Apple esteja sempre na vanguarda das inovações. Ela muitas vezes só faz aperfeiçoar uma ideia já utilizada por outra empresa. A samsung deu um passo importante ao lançar o Gear VR. Acho que o futuro é por aí.

    • Cloud_edge

      Não conheço ninguém que tenha o Gear VR…
      Não conheço muita gente que tenha interesse em realidade virtual…
      É igual aquela era que a Intel tentou empurrar os Ultrabook não vingou
      O 3D na Televisão da Sala não pegou também

      • Rafael Aldreen

        Concordo.. Adianta de nada lançar algo novo que a minoria si entreterás

      • Eu tenho um Gear VR, é bem bacana, mas ainda tem que evoluir, principalmente na questão da qualidade de imagem e em outras barreiras. Usar o Gear VR foi deslumbrar o futuro, é algo que realmente provoca a imersão do usuário em outro mundo. O produto é fantástico, mas pra mim foi aquele tipo de novidade que enjoou após usá-lo algumas vezes. Sem comentar o cansaço que provoca na minha vista.

      • KB

        Não conheço o Gear VR na prática… Qual a diferença com o Google Cardboard? Além de não ser de cartolina? Em termos de conceito?

  • Jeff

    3d e realidade virtual não funciona para pessoas como eu (usam óculos).
    Quando alguém resolver este problema (abolir óculos 3d) ai sim será interessante

    • bruno

      lentes de contato!

    • Magno Sales

      Tecnologia não é interessante só pqe não funciona pra você ? rsrs (pensamento ignorante, ñ?)

      • Rafael Lima

        Ela não é interessante pq não é prática

  • Alan Freitas

    O desafio da Apple, como o das empresas de tecnologia, é manter o nível ascendente das inovações em paralelo às vendas. E quando as vendas não representam a expectativa dos acionistas começam a surgir boatos, previsões negativas e questionamentos. Mas esse “momento especulativo” em nada tem a ver com o que a empresa é, e aquilo que ela pretende realizar. O que importa é de que forma a empresa está trabalhando os investimentos e a visão de futuro dela; como ela pretende se manter na posição que conquistou. E essa resposta não pode ser dada de forma definitiva com base em um relatório trimestral, semestral, etc. Sabemos que estar no mercado de ações é estar sujeito às flutuações de humor, das expectativas, das especulações… Não deve ser mais fácil, ainda,para quem construiu um papel de destaque e vanguarda nos últimos anos. Eles certamente devem saber o papel intrínseco que a constante inovação tecnológica tem no sucesso, sem cujos investimentos não é possível. Não deve ser também fácil promover saltos tecnológicos em tão pouco tempo, como nos acostumamos a exigir anualmente que ela e todas as concorrentes promovam. Então, aliada a nossa exigência às irracionalidades existentes no mercado de ações, que promovem ou derrubam ações por vezes sem critérios, baseados no humor e nas meras especulações, ficamos vidrados nesses resultados parciais, criamos insatisfações e desapontamentos por esta ou aquela empresa que já inovou e que seguem pesquisando para encontrar novas tecnologias e soluções para problemas que podemos nem sequer termos dado conta da existência, e cujas descobertas podem se antecipar às nossas próprias expectativas. E isto vem acontecendo… Como disse Jobs, as pessoas não sabem o que querem, até que mostremos a elas.

  • Vinicius Alves

    Então, estou com uma pequena impressão que agora é exatamente a hora de comprar ações da Apple.

  • Anderson Camões

    Acho que a maior inovação da Apple é transformar um produto em objeto de desejo, ou seja, reinventar o produto.
    Veja bem, ela não inventou o tablet, não inventou o note, nem inventou o iPhone.
    Até mesmo o smartwatch não foi ela que inventou.
    Porém transformou estes produtos de tal maneira que passou a ser seguida, ser referencia em cada um deles.

  • Joaquim Sargaço

    Não seriam 2,5 Bilhões?

    • ditom

      Acho que sim. O texto está enganado, me parece…

  • DanielCasteloBranco

    Discordo. Não acho que a Apple é uma ilha de inovação. Na última Mobile World Congress tivemos um aparelho com potencial revolucionário: o HP Elite X3. Ele pretende derrubar a última fronteira entre celular e computador. Quem se permite ampliar os horizontes, percebe que tem mais gente se esforçando.

    • Oi Daniel. O texto não afirma que a Apple é uma ilha de inovação. Inclusive ele destaca que nem mais a Apple está conseguindo inovar. Sugiro reler o texto, para melhor compreendê-lo.

      Acho que você não discorda que a Apple recriou todo o mercado de celulares com o iPhone. Esse tal de HP Elite X3 ainda vai ter que provar que realmente veio para mudar algo, caso contrário, será como vários outros que vieram depois do iPhone e acabaram sumindo depois (o Pre, por exemplo).

  • Fabio Correa

    Samsung muito feliz com esta notícia

  • Fabio Correa

    Tem que acabar com o botão home, aumentar muito a bateria. A tela tem que captar e utilizar energia solar. A carcaça tem de ser toda de vidro de altíssima resistência contra quedas, e o scanner de digitai deve ser em toda a tela.
    O Apple Watch tem que medir também, pressão e dar diagnósticos mais realistas sobre o desempenho do atleta e ter uma bateria que dure pelo menos uma semana em uso intenso e por ultimo, ser totalmente independente do iPhone.

  • Patrik Barbosa De Oliveira

    Matéria puxa saco da apple a Samsung inova muito mais que a apple vide o número de dispositivos controle para jogar , óculos, TVS, Etc etc etc

  • No que tange smartphones, a Samsung sem a Apple é uma mera fabricante de componentes, ela é totalmente dependente do que a Maçã faz para poder se “inspirar”.

    • Alexander

      Faltou fazer algum trocadilho com o nome “Samsung” pra completar a linha de raciocínio

  • Rafa Morley

    7 anos do mesmo formato e modelo. Até os entusiastas enjoam. Chegou a hora de mostrar diferenças. A história da Nokia já nos mostrou o que acontece quem dorme em berço esplêndido.

  • Hideki

    Tudo bem que o Blog é do iPhone, seus editores gostam claro, da Apple, assim como eu gosto do meu mas textos como esse beiram idolatria à marca. Não concordo que “fabricantes só se preocupam em correr atrás da Apple e igualar o iPhone”. Algumas fazem aparelhos fantásticos (Samsung que lhe corrija), como o S7 Edge com “real inovação” com aquela tela curva belíssima, uma das melhores do mundo. Pode até ter sido no passado mas hoje a Samsung não espera pela maçã para saber que rumo tomar não. Se o iphone “inovar” e vier com uma tela assim, fará muito sucesso.

    • Nossa! Que honra conhecer alguém capaz de abrir nossos olhos fechados e nos libertar de nossa total alienação! Muito obrigado, Hideki! Agora temos um novo mestre em quem acreditar! Nós, acéfalos adoradores de maçã, precisamos de alguém que nos mostre a verdade!

      Como é possível não termos percebido que as curvas do Samsung S7 é uma “real invação”? Isso mudou todo o mercado de celulares! No futuro, o mercado será conhecido como ANTES e DEPOIS da tela curva do S7, pois a inovação é fantástica! Muda completamente o modo como mexemos no celular!

      E eu me pergunto, como não percebemos essa verdade antes? Graças a você, Hideki, agora estamos livres!

    • Acho que meu comentário irônico serviu para entender como acontece quando se decide iniciar uma discussão menosprezando o que o outro diz.

      Debates e discussões de ideias são sempre bem-vindas, desde que aconteçam de maneira sadia. Uma discussão madura e construtiva funciona quando se escuta os argumentos de um e se coloca os seus contra-argumentos, respeitando o outro. Porém, quando se começa tentando menosprezar o que o outro disse, já classificando pejorativamente o texto para tentar fortalecer seu próprio argumento, é uma técnica de discussão pobre, que acaba não levando a discussão a lugar nenhum. Chamar o texto de “idolatria à marca”, sem considerar o que foi dito e nem analisar o que foi apresentado, apenas porque não concorda, é desistir de qualquer discussão, tentando apenas impor a sua própria opinião.

  • Luiz H. Soares

    2,5 bilhões e um cabo que não presta!
    Tenho que fazer gambiarras com molinhas de caneta para que eles durem algum tempo, já vi cabos “made in china” que durem mais. Pago bem caro em cabos originais para evitar estragar o aparelho, mas não acho que eles durem 116,10 reais a vista. 😂
    Talvez alguns bilhõeszinhos investidos em novos cabos não seria um mal negócio! 👍🏼

  • Geraldo

    A Apple investiu 2,5 milhões de dólares no primeiro trimestre com pesquisa e inovação? Mas isso é uma mixaria para uma empresa desse porte, isso não é nada em termos de investimentos em pesquisa.

    • Inclusive, em porcentagem em relação ao faturamento, é menos que várias outras empresas.
      Mas a notícia se focou no fato de que o investimento aumentou em relação ao ano passado, sem analisar se o valor é muito ou pouco, pois isso é bem subjetivo.