AppleNotícias

Apple muda planos e pagará artistas mesmo durante os 3 meses gratuitos do Apple Music

Eddy Cue

O último final de semana foi marcado pela grande polêmica entre artistas do meio musical, que protestaram contra uma cláusula no contrato do novo serviço de streaming Apple Music. A empresa de Cupertino não pretendia pagar nada aos artistas durante o período de três meses de testes. Mas esta postura irá mudar, para a alegria de todos.

Tudo começou na semana passada, quando vários artistas independentes protestaram contra o fato da Apple decidir não pagar nenhum direito autoral durante o período de três meses de testes que os consumidores terão direito no Apple Music. No modelo de streaming, os artistas são pagos cada vez que sua musica é ouvida por alguém.

A lógica da Apple era que, se ela não recebe nada, não repassaria nada. Afinal, os três meses de testes são bons para todos, pois atraem mais clientes e aumentam potencialmente o número de usuários pagantes.

Mas os indies (como os independentes são chamados) não gostaram e alguns artistas mais famosos foram em defesa deles. A pop star Taylor Swift anunciou na semana passada que participaria do Apple Music, mas deixaria seu álbum mais popular, o 1989, de fora. Não bastasse isso, no domingo ela postou em seu blog uma carta aberta explicando sua decisão. Ela não estava fazendo isso por ela, que ganha bastante dinheiro com shows e álbuns, mas pelos novos artistas, que não possuem ainda a mesma estrutura e ficariam 3 meses tendo seu trabalho sendo usado, mas não recebendo nada por isso. O título da carta é “Para a Apple, com amor, Taylor“.

Nela, Taylor explica que adora a Apple e aprecia a sua tentativa de criar novas alternativas para que os artistas divulguem seus trabalhos. Diz que a empresa é uma grande parceira comercial e que graças às suas inovações, ela consegue ficar mais próxima de seus fãs. Mas a política de não pagar os artistas durante os três primeiros meses é algo que pode prejudicar a muitos.

Nós nunca pedimos iPhones de graça. Por favor, não nos peça para lhe fornecer nossa música sem nenhuma compensação.

A carta aberta surtiu efeito.

Eddy Cue, responsável pelos serviços de internet da Apple, mostrou em seu Twitter que a Apple deu ouvidos aos pedidos de Swift (a cantora, não a linguagem de programação).

A Apple sempre se certificará que os artistas serão pagos. O Apple Music irá pagar os artistas pelo streaming, mesmo durante o período de testes dos consumidores. Nós ouvimos você, Taylor Swift e os artistas independentes. Com amor, Apple.

A resposta de Taylor foi imediata, também pelas redes sociais:

Estou muito feliz e aliviada. Obrigada a todos pelas palavras de apoio. Eles nos ouviram.

Eddy Cue depois explicou com mais detalhes o que aconteceu:

Quando acordei esta manhã e vi o que Taylor tinha escrito, seus argumentos mostraram que precisávamos fazer uma mudança.

Com isso, o novo serviço deve ganhar a adoção de ainda mais artistas, se transformando em uma nova alternativa de ganhos para eles. Muitos independentes que antes tinham dificuldade em conseguir vender seus discos, agora poderão receber pelas suas músicas, que estarão disponíveis no mundo inteiro para quem quiser ouvir, aumentando ainda mais as chances de serem conhecidos.

A empresa não divulgou quanto cada artista ganhará por streaming e se o valor será igual no período de testes. No Brasil, a comissão dos artistas será menor, porque o valor da assinatura paga será mais barata, para se adaptar ao mercado local.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • A cantora, não a linguagem de programação™

    • Lucas Ramos

      Linguagem de Programação > Cantora

      • Não desmereça a cantora. Ela tem uma personalidade forte e até o momento tem tomado atitudes sensatas que são de apoio para todos em geral. Claro, ela também tem seus interesses em mente.

        PS: Eu não gosto de seu estilo pop music.

        • Hades666

          E eu….nem conhecia antes dessa história com a Apple, nem vou me lembrar quando acabar 😛

          • Ela não precisa saber quem é você, uma vez que ela é uma das cantoras mais influente no mundo pop nos Estados Unidos e atualmente está na lista de recordistas de vendas de discos da história do país segundo o ranking da RIAA.

  • Jefferson Soares

    Nem faço questão desta artista no  Music.

    • Alexandra

      Somos 2.
      Não conheço uma música. E se conheço, não sei que é dela!

      • To na mesma tbm! Rsrsrs…

      • Lu Lu

        Lembrando que a Teylor Swift disse que prefere que tem um certo ceticismo quanto streaming e prefere que a música seja ouvida de forma tradicional como álbuns. Agora ela já diz isso? Lembrando que ela também recusou uma vez colocar suas musicas no spotify,só não lembro o porque. Mas deve ser dinheiro. Na boa que garota metida essa hein! Ainda bem que não conheço e nunca ouvi nem gosto de nenhuma música dela.

        • Cesar Renato

          “nunca ouvi e nem gosto de nenhuma musica dela”

          buguei, esses haters estao cada vez piores

        • Anderson Camões

          Ela retirou os albuns completos do spotify, deixando somente algumas musicas, exatamente pelo fato que existe o streaming gratuito, o que ela não concorda, visto que os artistas tb não eram remunerados.
          Outra grande reclamação dos artistas é que, apesar do spotify dizer que paga 70% do que arrecada em direitos autorais, os contratos foram fechados diretamente com as gravadoras e não diretamente.

    • Jayme Prado

      Pois é, mas é muito ruim não ter um álbum que vc adore ou, pior, um artista. Vou assinar o Apple Music mas sei que não vou poder ouvir Tool por ele :/

    • André Silva

      A questão não era ela estar presente. Seu ato foi que chamou atenção ao fato de artistas menores, lançando seu primeiro single, sem grana para nada, ficarem 3 meses sem receber justamente quando mais precisam de grana. Sua carta e seu ato foram para chamar a atenção para todos estes artistas, produtores, etc. que dependem dessa grana.

      • Lu Lu

        Mas teria chance de deixar suas musicas populares em uma das maiores se não a maior e mais milionária marca e empresa do mundo. Isso já ia abrir portas para eles.

        • Igor Silva Barros

          mesmo que abrisse portas, uma porta não se abre da noite para o dia, e você, ficaria 3 meses trabalhando para ser conhecida?
          Nem relógio trabalhar de graça..

        • Junior Ferreira

          Concordo contigo, a ideia de distribuir as músicas de graça é muito interessante para conseguir um público e posteriormente vender. Hoje eu trabalho e posso comprar álbuns dos artistas que eu curto, mas a um tempo atrás não tinha como, e mesmo assim, se não conheço o artista, primeiro ouço as múcicas, se gostar compro.

        • Diego Azevedo

          Porta aberta não coloca pão na mesa. O cara já trabalhou antes, criando as faixas, investiu no estúdio para gravar, passou sabe-se lá quantos meses nisso, e ainda vai ficar mais 3 meses sem um tostão no bolso? Para quem tem grana para se manter (os grandes artistas), pode até valer a pena esse período de portas abertas. Mas para quem não tem, é um absurdo ficar esse tempo todo sem receber nada.

    • Cesar Renato

      nossa ate aqui tem haters dela… pelo amor de Deus

  • Pablo Rangel

    Muito bom! Se continuar assim cancelo spotify!

  • Murilo Herrmann

    Honestamente eu não achava a Apple totalmente errada pela postura. Mas melhor assim, empresas e artistas ganhando dinheiro e a gente “ganhando” um acervo mais completo no Music

  • Fábio

    Nao acredito que ela tenha feito essa carta por puro altruísmo para os artistas indies… Podiam pagar só os artistas indies e excluírem ela (Taylor) que já ganha bastante dinheiro com seus albuns e shows durante esses 3 meses. Queria ver se a satisfação dela ia ser a mesma.

    • Alexandra

      Penso a mesma coisa. Como esse dinheiro certamente não fará nenhuma diferença para ela, ela fez por pura ganância mesmo, ou pra chamar atenção.
      (Acho que a segunda opção combina mais com ela! hehehe)

      • João Lucas

        Galera, por favor, não vamos ser cegos, a Apple estava claramente errada.
        Não tenho nenhuma música da Taylor Swift, mas reconheço que ela é um nome de peso na música pop atual.
        Não tem como discordar dela. A Apple na hora de vender iPhones, não distribui nada de graça. Agora os artistas têm que compor suas músicas e dar seu trabalho para distribuição gratuita, simplesmente porque a Apple não quer gastar seu precioso dinheirinho?

        • Bruno

          Como a Apple estava ‘claramente errada’? O modelo de streaming não é justamente o de compartilhamento de riscos e resultados? Se a divisão é 70% para artistas e 30% Apple (como vi em algum lugar), o que é bom para um, é bom para o outro, e o que é ruim para um, é ruim para o outro. O período de testes para fidelizar o consumidor claramente é benéfico para os dois.
          Eddy Cue não “acordou esta manhã e foi convencido pelos argumentos da Taylor”. O pau deve ter quebrado nos bastidores, desde ontem. Se fosse ‘convencimento por argumento’, a Taylor já teria argumentado antes, e provavelmente o fez, justamente quando retirou seu álbum do serviço.
          Esse tweet do Eddy foi o departamento de Marketing da Apple falando mais alto. Ao fazer uma carta aberta, pública, a Taylor não estava querendo ‘convencer’ a Apple. A jogada foi política, estava é jogando grande parte da opinião pública (e, aparentemente, funcionou com você) contra a Apple, fazendo pressão. A Apple simplesmente teve que pesar os ‘prós’ e ‘contras’, e acabou assumindo, de forma desequilibrada considerando o modelo, 100% da conta nos três primeiros meses. O prejuízo acabou sendo menor assim do que ‘peitar’ a artista. E por fim, tentam passar a imagem de ‘sensíveis aos argumentos’, para tentar capitalizar algo em cima disso.

          • Lucas Ramos

            Concordo 100% com você. Mas a solução que ninguém pensou era a de colocar uns anúncios durante o período grátis.
            Todos que já utilizam esses serviços estão acostumados com isso mesmo. Era só deixar uns anúncios menos agressivos, que aí aliviava o peso das costas da Apple.

            • Arlindo Neto

              Acho que não, ia perder pontos com os usuários, pois com propaganda você pode ficar a vida toda no spotify, a Apple tem que fazer um app bem limpo e bonito para todos gostarem dele e saírem do spotify. E em questão de valor nos já sabemos que a Apple tem bilhões de dólares sobrando, da para segurar a barra em 3 meses.

          • Mateus Miranda

            Filho, o problema não são os grandes artistas como Taylor Swift, mas os pequenos artistas que precisam de todo e qualquer investimento para crescer no mundo da música. A música é resultado de trabalho e trabalho custa dinheiro. Ninguém quer ter seu trabalho disponibilizado de graça, especialmente pessoas que têm pouco reconhecimento e investimento. Caso a Apple não mudasse de atitude, Taylor continuaria rica, a Apple continuaria muitíssimo rica. Mas os artistas pequenos seriam prejudicados. Estou dando o *contra* mais superficial, mas ainda existem muitos contras. E temos que concordar que não foram os argumentos da Taylor que convenceram a Apple a mudar essa ideia ridícula, mas a influência da Taylor. Se a Apple quer oferecer música num serviço de streaming que vai dar muito dinheiro no futuro ela precisa pagar por essa música pra dar aos clientes. Ninguém deveria ser obrigado a dar suas músicas de graça por três meses. Ou as empresas que dão amostras grátis dos seus produtos recebem os produtos de graça? Pense no mercado digital como no mercado físico.
            Acho a luta dela pela valorização da música e dos artistas muito válida. Música não foi feita pra ser distribuída de graça por aí. Os streamings, que podem ser a salvação dos artistas diante da pirataria, também podem ser uma pedra no sapato ainda maior do que a pirataria. Em vez de receber nada por causa da pirataria, passariam a receber 0,00000000000000000000001 (n sei quantos zeros) centavos por música, o que, sabemos, não muda nada. O Tidal é um exemplo da insatisfação dos artistas diante da ganância do mercado de streaming.
            Vamos ver no que isso vai dar.

          • Diego Azevedo

            “Se a divisão é 70% para artistas e 30% Apple (como vi em algum lugar), o que é bom para um, é bom para o outro, e o que é ruim para um, é ruim para o outro”

            Infelizmente, sua lógica está equivocada. pelo seguinte motivo: A Apple não perde um centavo colocando as músicas dos outros de graça. Eles perdem.

            Você poderia replicar: “Ah, mas ganha em projeção, portas abertas e tudo mais.” De novo, não. Quem está ganhando projeção é o serviço da Apple, não as músicas dos artistas. Colocar as músicas de graça é MUITA vantagem para a Apple, e pouquíssima vantagem para os artistas.

            Claro que a carta da Taylor foi jogada política. Mas a verdade é que ela está certa sim. Quando eu trabalhava com design para web, o que eu mais ouvia era cliente falando “Ah, mas você ganha visibilidade, pode colocar no portifólio”. Infelizmente não é possível ir no mercado e pagar com ‘portifólio’, assim como os artistas não podem pagar com ‘portas abertas’ no serviço da Apple.

        • Cassio Delmanto

          não acho que a Apple estava claramente errada não… e nem estou cego… isso é marketing… os artistas não seriam pagos, mas também não iriam pagar para estar ali, de graça, sendo ‘consumidos’ por milhões de pessoas que poderiam vir a conhecer suas musicas e pagar por elas no futuro… é uma plataforma… e ninguém ali era obrigado a dar suas musicas de graça… quem não queria participar, pulava fora… agora, povo quer ter suas musicas no serviço da Apple, que anunciou que iria dar os três meses de graça, e ainda briga por querer receber? enfim, deu certo… bom pra todos… mas a Apple não estava tão sem lógica assim não…

          • Amilcar do Amaral

            também acho Cassio! Penso exatamente o mesmo.

          • João Lucas

            Parece justo mesmo. Exemplo, eu passo minha Apple ID com a revista iThing assinada para todos que quiserem ler sem assinar nada. Então isso é marketing.
            Assim, o Blog do iPhone não seria pago, mas também não iria estar pagando para lerem sua revista, de graça, sendo “consumido” por várias pessoas que poderiam conhecer a iThing e pagar por ela no futuro.
            Pego o trabalho suado dos outros, dou de graça para quem quiser e todos ficam felizes. Hahahah

            • CDelm_

              mas João, no seu exemplo, vc estaria distribuindo a sua senha sem o concentimento da Revista iThing… a Apple Music deve ter um contrato muito bem lido e assinado com cada um dos artistas, tanto que alguns simplesmente disseram não e não vão estar no catálogo disponível… se vc falasse com os editores da revista, eles teriam a opção de concordar com vc ou não… mas se concordassem, poderiam sair reclamando que vc não os pagou? pulassem fora do negócio então… vê a diferença?

            • O comentário mas sensato ate agora.

      • Vinicius Jota

        Até agora vc nem conhecia ela, como acha que ela pode querer chamar a atenção? rs…
        Eu não curto a música dela, mas a vi no The Voice US e ela passa a imagem de uma pessoa muito bacana, acredito que tenha sido altruísmo, afinal o álbum dela é o mais vendido do ano, com mais premiações e escolha de álbum do ano pela Apple (fonte: Apple)

        • João Lucas

          Isso, a Apple tem que entender o seguinte: os artistas não precisam de Apple Music para sobreviver. Agora o Apple Music precisa dos artistas para se manter. Então, nada mais justo que paga-los por isso.

          • Mateus Miranda

            Exato. E acredito que os bilhões em caixa que ela tem aguentam três meses de streaming gratuito. Investimento é isso.

      • Cássio Teixeira

        Releia o comentário que vc diz pensar a mesma coisa e falar que ela fez por ganancia rs Acho que sao coisas bem contrarias

    • Wagner Melo

      eu acredito que ele fez sim em defesa dos indies, pois ela é muito famosa e o nome dela atualmente pesa no cenário artístico, eu não gosto das músicas dela, mais reconheço que muita gente gosta, e além do mais isso chama uma mídia positiva pra ela, como a defensora dos indies que “ganhou” da apple, por isso que pra ela é lucro lutar por isso, não é nem pelos direitos nesses 3 meses

    • Jonathan

      Ela está certa sim, em exigir ser paga por sua música. Mas, não venha com esse papo que não é por ela, mas por outros. Ela foi mimada e gananciosa sim. Penso exatamente a mesma coisa, sobre pagar os indies e exclui-la.

      • Natán Barreto

        Excluí-la por que? Alguém trabalha de graça? Não importa quanto dinheiro ela tenha, se a Apple vai usar as musicas de todos tem que pagar sim.
        Apple tem recursos suficientes pra pagar os artistas nesses três meses.
        Achei completamente certo de ouvirem ela.

      • Taylor Swift Brasil

        Você diz que deveriam pagar só alguns artistas e excluir justamente ELA que deu voz a um assunto que a grande maioria não teria o poder para ser ouvido e ainda ELA que é a mimada?

        Dá pra um mas não dá pra outro só pq já tá rico demais? O Apple Music não tá vindo pra fazer caridade pra ninguém, é um negócio como qualquer outro em que se tem que fazer valer o mesmo pra todos, afinal todos os artistas que fornecem música pra eles trabalham duro pra isso, ou você acha que ela chegou a esse patamar que se encontra hoje sem passar por essa fase de artista em início de carreira que sofre até dizer chega?

        Sendo genuíno ou não da parte dela, foi uma ótima atitude e super louvável, ela não pediu pra Apple cobrar dos usuários o período de teste, mas sim pagar aos artistas por esse período, são 3 MESES. Em primeiro lugar nem necessidade tem de ser 90 dias pra uma pessoa testar se gosta ou não de um app de música, outra que se a Apple quer fazer o marketing do serviço dela usando o produto do trabalho de outros, primeiro ela tem que arcar com isso

        A Taylor pelo menos soube ter a consciência do poder que tem em mãos pra não beneficiar apenas a si mesma, mas sim todos aqueles que ela sabe que passam pelo mesmo que ela passou, ela teve coragem peitar a Apple abertamente, a líder mundial da indústria que vende o ganha pão DELA. São inúmeros os agradecimentos de artistas das mais diversas categorias do processo de criação de música passaram o domingo inteiro agradecendo esse posicionamento dela, dizer que foi sincero ou não não cabe a ninguém além dos artistas que estavam sendo prejudicados por isso, é tipo branco querendo determinar o que é ou não racismo.

    • Renato

      Mesmo que ela esteja querendo chamar atenção, o discurso dela é válido… Não importa se ela é rica, ninguém aqui gostaria de ver seu trabalho sendo usado sem receber nada por isso.

  • Taylor wins.

  • Victor Santana

    Agora, Taylor, você tem que colocar seu álbum porque seu pedido foi atendido. Vai ser feio você não cumprir com sua palavra.

    • Lucas Borges

      E o plano de marketing dela foi por água abaixo…

  • João Lucas

    Apple é muito mão de vaca kkk.
    Aí é fácil dar 3 meses de serviço grátis sem pagar direitos autorais pra ninguém, né. Quer fazer bonito, pague por isso.

    • CarlinhosDOWN

      Bom, interpretando seu comentário, você está então dizendo que “a Apple fez bonito”, é isso?

      Porque algumas pessoas na internet parecem falar mal da Apple até mesmo quando estão elogiando…

  • Danilo

    Acho que os artistas que se sentem lesados deveriam simplesmente retirar suas musicas do serviços que julgam não pagar o suficiente.
    Ninguém é obrigado a ceder as musicas pra serviços de Streaming,se não concorda é só retirar a música,a Taylor Swift pelo que pesquisei fez isso no Spotify e ainda sim o ultimo CD dela bateu recorde de venda,acho que todos os que se sentem lesados podem fazer o mesmo.

  • Tem uma galera aqui que priorizam a opinião do contra, só pode.
    Achar que os artistas estão errados em reivindicar a mudança, é no mínimo, preguiça de analisar a situação.
    Basta comparar com o Spotify, que paga aos artistas mesmo na sua versão Free.
    É óbvio que a Apple precisa pagar pelo uso de qualquer coisa que não seja de sua criação.
    Pois vende, e de forma caríssima, todas as suas próprias criações sem nos dar nada de graça.

    • Cassio Delmanto

      não é preguiça, cara… nada na vida é de graça… ao não cobrar por três meses, a Apple está é ‘arcando’ com uma prévia que pode atrair muitos consumidores que, se não restassem, talvez nunca assinassem… já para os artistas, estar ali no Apple Music, é a possibilidade de atingir um público muito maior… a gratuidade do serviço é uma exposição… é marketing… acredite, nada é realmente de graça no mundo corporativo e artístico..

      • Carolina

        E tu acha mesmo que artistas indie/pequenos/independentes tem o poder de tirar suas músicas de um serviço de streaming da Apple? Tu sabe que quem decide isso são as GRAVADORAS né?? E tu sabe que a Taylor Swift é dona da própria gravadora, por isso tem o poder de decidir se libera suas músicas ou não, né??

        • Amilcar do Amaral

          E por que razão somente o 1989 ela acha injusto não ser remunerada nesses três meses? Visto que os outros álbuns estão lá, o discurso tinha que ser para toda a obra dela, não para o novo álbum que está sendo lançado.
          Sinceramente, ela utiliza um discurso correto para finalidade diversa, que é nada mais, nada menos que gerar um PUTA burburinho mundial sobre o 1989. Eu não sei o nome de nenhum álbum dela, mas esse eu já sei, e te digo, deixa curioso para saber se é bom ou ruim, então, acho que não vai além disso…
          Se o motivo fosse a remuneração, ela iria para o Tidal, que remunera de início. Por que não vai?
          O mundo inteiro fala da TS e do álbum 1989. Pronto. Ela só não contava com uma resposta tão rápida da Apple, que resolveu pagar para não se incomodar e baixar o mais rápido possível esse tipo de mácula no serviço, querem começar sem esse tipo de zum zum zum.

          • Talvez pq 1989 tenha sido o Álbum mais vendido nos EUA em 2014?
            Basta isso, o acha esse motivo insuficiente.

            Fosse tão insuficiente, a Apple não teria dado a mínima.

            • Amilcar do Amaral

              Sim, concordo.
              Mas e os outros álbuns dela? Por que não é injusto ficar por três meses sem receber? Só o 1989?
              Acho que o discurso dela não fecha. É só um negócio, que não tinha razão para parar na mídia, isso se discute entre empresários e advogados.

          • Carolina

            Não, é fato que isso não tem nada de altruísta dela, não tem nem o que discutir. Agora, o que eu me pergunto é se a própria Apple também não tá num tipo de jogada de marketing com a Taylor Swift. Isso tudo foi muito bom pros dois! Boost pro album dela, 1989 e pro proprio Apple Music que com essa “controvérsia” tá na boca da mídia. Sinceramente? Não vejo a Apple tomando tamanha decisão do dia pra noite porque a Taylor Swift reclamou. Tá tudo muito certinho, carta aberta num dia, Apple toma decisão milhonaria no dia seguinte… Sei não hein?

            • Amilcar do Amaral

              Concordo!!! Acho muito possível essa possibilidade visualizada por ti. Mas o povo fica tudo inflamado com discurso populista dela, outros achando que a Apple está certa, e quando vê, estão tudo junto nessa história, e todo mundo falando deles.
              Acho que tu podes estar certa sim, Carolina. Vamos ver o desfecho. ;p

        • Cassio Delmanto

          bom, Carolina… então pelo que vc está dizendo, os artistas indie/pequenos/independentes deveriam é reclamar com as suas próprias gravadoras diabólicas, e não com a Apple… hahaha

      • Acho que você esqueceu que o Apple Music estará disponível em outras plataformas, esqueceu que nesse caso que está divulgando algo, são as musicas, pois esse é o serviço oferecido.
        Ninguém quer conhecer as músicas, pois elas já são amplamente divulgadas. Quem tá tentando se promover, é o app. Ou seja, sem as musicas, não existe divulgação.
        É marketing, ok.
        Mas se ela voltou atrás, é pelo fato de ter caído na real que não dá para se promover de graça. E pelo jeito, vão arcar com o preço.

        • Cassio Delmanto

          minha conclusão é que a Apple sempre se fode quando quer dar de legalzona… paga milhões pro U2 e disponibiliza o disco dele de graça, e o povo surta… faz os 12 presentes de Natal lá, e o povo surta e xinga os apps… quer dar três meses do Apple Music de graça, e os artistas independentes surtam… a Apple tem que parar de dar as coisas de graça pros outros… hahaha

      • Me perdoe os erros… Escrever pelo navegador do Google Chrome através do Disqus pelo iPhone, não é tarefa fácil.
        Hahahahahahaha
        Esse navegador é bugado demais.

        • Cassio Delmanto

          todos já passamos por isso… hahaha…

    • Amilcar do Amaral

      O Spotify não é o modelo a ser seguido, ao menos pelo lado do empresário, pois, a contar pelo último ano fiscal, ele dá prejuízo, então, é uma conta que não fecha…
      Acha mesmo que a Apple ou qualquer outra empresa vai copiar um modelo deficitário?

      • Se ela voltou atrás, acho que acaba de seguir o modelo “deficitário”.
        E foi um exemplo em relação ao pagamento, não ao inteiro modelo de trabalho do Spotify, Amilcar.

        • Amilcar do Amaral

          Discordamos nesse ponto, em outros não.
          Ela não voltou atrás por mera gentileza…simplesmente achou mais barato pagar, do que deixar de ganhar com a própria TS e deixar essa nuvem em cima do serviço. Só que não vamos nos iludir, pois ninguém assinou nada e ninguém leva dinheiro da Apple no mole…rssss…até fecharem tem água para passar debaixo dessa ponte….
          Acho que eles estão iniciando, e dado o potencial dela, correr o risco de entregar ela para eventual concorrente, assim como não querem deixar de ganhar com ela.

  • Alex da Costa

    Parabéns a todos entendidos e cegos defensores da Apple que argumentaram como se fossem sócios da empresa em que era justa a forma anterior de que os artistas se privassem de receber nos 3 primeiros meses.

    • Calma, Alex. É possível debater e discutir civilizadamente sem agredir os outros e chamar quem não concorda contigo de alienado e cego adorador acéfalo. Só usa este tipo de artimanha quem não possui argumentos suficientes para convencer.

      Se você quer convencer alguém, discuta maduramente, poste argumentos e, sobretudo, esteja aberto ao que os outros tem a dizer. Senão corre o risco de parecer querer passar como o dono da verdade, coisa que definitivamente você, nem ninguém, é.

  • jailsonmsjunior

    Milionária ou não, defendendo os indies ou não, mimada ou não, ela tá mais que certa! Eu também não iria gostar de trabalhar de graça. E a Apple tem bastante dinheiro pra pagar três meses aos artistas.

  • Rodrigo

    Então, agora, ela vai liberar o 1989 no Apple Music? Ou será que vai achar um outro problema? Vai ficar feio se não fizer isso…

  • JanjaBoy

    Apple querendo ser “legal” com o trabalho alheio….

  • Bruno Santos Araujo

    Taylor Rainha né <3

  • Belmiro Amaro

    Não sou fã da Taylor Swift mas admiro sua posição, nem relógio trabalha de graça. Se a remuneração de um artista é desta forma, a Apple tem que pagar sim e os artistas tem o direito de reclamar.

    • Arlindo Neto

      O  Watch que o diga.

  • Swift, pede pra eles abaixarem o preço no Brasil. Obrigado!

  • Jonathan Clark

    Concordo com a Taylor, pois fazer música é algo caro, e acho muito injusto os artistas não serem beneficiados financeiramente por seus trabalhos durante esses três meses. Até me espantei com essa posição da Apple não querer pagá-los durante esse período free do Apple Music, já que foi a própria Apple que popularizou a forma de pagarmos por música no mundo digital desde o lançamento do iTunes.

  • Elcin

    Se os artistas iniciantes forem de alguma cultura que vive de praticar CORRUPÇÕES, vai colocar os amigos para aderirem o apple music pelos três meses de graça e ficar ouvindo as musicas deles pra faturar uma graninha…

  • Cassio Delmanto

    a Apple pegou os limões (a reclamação pseudo-altruísta de uma artista que retirou seus álbuns de outros serviços de streaming que não a pagavam ‘o bastante’) e transformou em uma limonada (um super marketing que a deixa com cara de empresa boazinha e a faz sair bem em portais de notícia pelo mundo, impulsionando a propaganda do Apple Music)…

    enquanto isso, os artistas indie entram no serviço da empresa mais poderosa do mundo, e ainda recebem pelos 3 meses gratuitos, que serão o pontapé inicial…

  • Madruga

    Não conheço essa artista e tão pouco a sua real intenção com essa forma de “protesto”.
    O que posso dizer é que ela se saiu muito bem e melhor ainda a Apple

  • Johannes Georg

    Se ela não colocar suas músicas no Apple Play, suas fãs vão morrer! hahahahaha
    #ironia

  • Tarlan Brunet

    Esperando 1989 no Apple music. Tidal é pago e não tem.

  • Gustavo Santos

    Na minha opinião a Apple estava agindo errada em não pagar nos 3 meses de testes e ainda bem que mudou, assim os artistas ganham, a Apple ganha e nós ganhamos também

  • Meio mimadinha também vai. O Apple Music é pago. Agora a Apple achou uma forma de atrair as pessoas deixando de graça por um período.. Dizer que os indies etc não vão “receber”? Eu garanto que no Apple Music eles vão ter muito mais chances de serem ouvidos do que no YouTube – e isso, acredito eu, vale mais do que o valor do stream. De toda maneira, que bom que estão todos felizes agora.

  • Igor Silva Barros

    se a Apple quer dar algo de graça que dê, mas que arque com as consequências e não jogue para cima dos outros.

  • Amilcar do Amaral

    O que discordo nessa história toda é o discurso de Voz dos artistas menores da TS…
    Ela, A MEU VER, não está defendendo o lado de ninguém que não seja o dela, muito menos a Apple volta atrás por respeitar os indies…

    Antes de continuar, deixo uma indagação: qual o motivo de discutir na mídia algo que seus advogados e empresários podem discutir diretamente com a Apple, como o U2 faz?

    Então, voltando, acho que essa carta aberta teve duas intenções diversas do que o texto bonito tenta fazer crer (e faz para muita gente).

    Primeiro, o que ela fez (MERA ESPECULAÇÃO MINHA) foi criar uma nova polêmica em cima do novo álbum, o 1989. Ao envolver a Apple e toda a repercussão que gera em razão disso, ela faz com que esse novo álbum esteja na boca do mundo inteiro! Vejam, nós e todo o mundo está falando disso! Mídia grátis em cima do lançamento do serviço de streaming da Apple.

    Tanto é verdade que SÓ O ALBUM 1989 é que ela não iria disponibilizar…então os outros não é injusto?
    Se o problema é remuneração, por que não vai pro Tidal?

    Segundo, e um pouco menos nobre, ela utiliza todos os fãs e a mídia como massa de manobra para deixar a Apple em posição de sinuca…

    Para mim não passa disso.

    Por outro lado, a Apple contabiliza o potencial prejuízo de pagar os três meses versus o potencial de prejuízo de não ter a TS no serviço, ou melhor, ter a TS como voz contra, ela e toda sua legião…ela vende muito, tem muito público.

    Então, também a Apple não é camarada de ninguém, só adotou a estratégia que melhor cabia nesse momento (plano B).

    Se está errado a TS querer ser remunerada pela obra dela? LÓGICO QUE NÃO! Mas isso é mera fumaça para tirar o foco do que interessa…e todo mundo compra uma ideia supostamente nobre, impressionante.

    Acho que não tem mocinho nem bandido nessa história, não tem essa que a Apple tem muito dinheiro ou a TS tem muito dinheiro, ambos estão em queda de braço em um negócio envolvendo grana. Nada além disso. Ninguém está discutindo por ideal, por questões filosóficas, nada, é só dinheiro.

    Em razão disso, não vejo erro em o artista não estar disposto a deixar de ganhar por qualquer período que seja, muito menos errada a empresa detentora do serviço de não estar disposta a pagar na frente, assumir um prejuízo momentâneo. É um negócio, ambas têm suas pretensões e nenhuma deixa de ser válida, a meu ver, só o discursinho é que não me convence, nem dela, nem da Apple, de que ouviu os Indies.

  • Clonex8

    Nunca ouvi falar dessa cantora…

  • Rafael Xavier

    A questão é que sim, ela estava cheia de razão, se vc ler a carta aberta, é quase que impossível discordar dela, é como se vc fizesse um trabalho duro pra subir na sua carreira e não receber nada em troca, mas agora a apple deu uma reviravolta, mais uma só esse mês, e vai pagar todos os artistas, a questão agora é que se a Taylor não liberar seu novo album no Apple Music vai ficar feio pra ela, vai fazer parecer que a carta aberta era apenas uma desculpa para não liberar o seu novo album no Apple Music na vdd por causa do “baixo valor” pago pela empresa em troca do seu album, motivo de sua saída do spotify

    • Rodrigo

      não vai liberar e as swifitzetes irão chorar

      • Rafael Xavier

        Eu n faço questão dela no Apple Music, mas tem gente que faça e uma artista como ela, com uma gigantesca base de fãs, pode garantir muito dinheiro pra Apple

  • Hades666

    Quanta frescura…….

  • Bárbara Godoi

    Acho triste ver tanto fanboy ignorante criticando a Taylor por uma atitude corretíssima. Foi tão correta e educada nos seus argumentos que a própria empresa reconheceu o erro, muita gente aí tinha que pensar um pouquinho mais, assim como fez a Apple.

    • Gozado, a única fanboy (ou fangirl no caso) que está aqui, em um site que nunca tinha entrado antes na vida, defendendo a sua ídola amada e agredindo os outros frequentadores parece ser você. Isso não pareceu correto e educado da sua parte.

      Tentar rebaixar quem não concorda com você, chamando de “fanboy”, é um recurso geralmente usado por quem não tem argumentos que se sustentam sozinhos.

      Eu sou um que concordo que a Taylor, até que alguém prove o contrário, teve boa intenção em reclamar de algo que não achava certo. Mas não é por isso que vou ridicularizar e querer rebaixar quem não pensa como eu. Você deveria fazer o mesmo.

  • Taís Carvalho

    Quem é essa cantora? Nunca ouvi falar!

  • Thiago Santiago

    Kkkk por mim, ela deixa de fazer parte da música em tudo que for possivel.

  • Melhor argumento: “Nós nunca pedimos iPhones de graça. Por favor, não nos peça para lhe fornecer nossa música sem nenhuma compensação.” Vocês podem não gostar da cantora, mas ela tem um pouco de razão no que disse.

    • Tem um fotógrafo que usou a mesma frase contra ela.

      Ela cobra de fotógrafos que querem tirar fotos da sua turnê, mas obriga que eles forneçam gratuitamente as imagens para ela usar como queira no seu marketing. Eles também dizem que nunca pediram música de graça para ela e por isso ela não deveria pedir o trabalho deles de graça também.

  • Otavio Bressan

    So quero que tenha Metallica e ACDC pq no deezer nao tem 😀

  • João Russo

    Tudo armado entre Apple e Taylor Swift por trás dos panos, empresa e cantora saem ganhando milhões, e nós aqui discutindo quem está certo ou errado.

  • O assunto da semana, até o momento, é a reviravolta que Taylor Swift provocou na estratégia financeira da Apple Music. Se você não estava em uma bolha desde o final de semana sabe que a cantora publicou uma carta aberta explicando o porquê do álbum “1989” não estar inicialmente na plataforma de streaming e que sua decisão tinha ligação direta com o não pagamento de royalties durante os três meses de teste gratuito oferecido.

    Após o texto, a Apple Music voltou atrás, confirmou o pagamento a todos os músicos, compositores e produtores, Taylor comemorou e até Calvin Harris se pronunciou dizendo que sua “garota mudou a indústria”.

    No entanto, Tom Conrad, ex-executivo da Pandora, discorda. Na verdade, para o empresário, “Taylor vs Apple” foi forjado provavelmente na tentativa de limpar a imagem da Apple perante os outros artistas.

    taylor swift

    “Primeiro: Spotify, Youtube, Pandora e outros pagam os artistas pelos períodos gratuitos. É a coisa certa a fazer. Segundo: Taylor tirou seu álbum do Spotify não porque ela estava deixando de ser paga, mas porque ela acredita que o serviço ‘desvaloriza a música’. Terceiro: ela nunca tirou nada do Youtube que é o serviço gratuito mais popular e que certamente desvaloriza mais a música do que o Spotify”, escreveu Tom no Twitter. E teve mais: “quarto: a carreira de Taylor foi construída através da rádio que é o maior serviço gratuito de comunicação e não paga um centavo aos artistas. Quinto: a Apple não está se livrando do seu serviço gratuito, mas vai passar a pagar os artistas. Isso apenas a coloca em pé de igualdade com os outros players”, continuou.

    Acha que parou por aí? Não. “Sexto: lembre-se. A Apple usa a música para ganhar bilhões. Sétimo: A carta aberta e a resposta da Apple é super teatral. Nada ali sugere que a Apple trata os artistas com mais justiça que qualquer outro serviço. Oitavo: meu ponto de vista é. Há muita animosidade entre os artistas e o Vale do Silício. Não deveríamos tratar disso como um progresso. É apenas status quo“, encerrou finalmente Tom.
    via: Popline

  • testehc

    Me pergunto se não foi uma jogada de Marketing.