App StoreNotícias

Surgem mais aplicativos protegidos contra a pirataria na App Store

Fullscreenweb crackeadoComo a Apple parece não se preocupar com os aplicativos crackeados, os desenvolvolvedores dão o seu jeitinho.

O site TUAW acaba de publicar um artigo muito interessante sobre Ben Chatelain e seu aplicativo Full Screen Web Browser, um navegador para o iPhone/iPod touch que mostra as páginas de internet em tela cheia, sem menus. Ben conseguiu uma maneira de impedir que pessoas usem sua obra sem pagar.

Seu aplicativo é capaz de identificar se está rodando uma cópia crackeada ou não. Quando isso acontece, o próprio envia para o servidor do desenvolvedor o número do UUID (identificação única que possui cada iPhone ou iPod touch). Após 10 dias usando a versão crackeada, aparece no programa uma janelinha comunicando que o “tempo de testes” acabou, com opção de fechar o programa ou comprar uma cópia legal na App Store.

Esse tipo de proteção derruba por terra a famosa desculpa que muitos usam para usar aplicativos crackeados: “eu uso a versão pirata para testar antes de comprar“. Neste caso, eles podem testar e depois só continuarem usando se realmente comprarem.

Segundo Michael Rose, autor do texto publicado no TUAW, este método de enviar a identificação do aparelho para o servidor pode ser uma boa alternativa ao processo do RipDev (o Kali Anti-Piracy), que é trabalhoso e tem seus custos. Eu mesmo me perguntei se enviar os dados do usuário é legal na rígida legislação americana de proteção à privacidade (já houve aplicativo expulso na App Store por isso), mas o desenvolvedor garante que este envio de informações só acontece com as versões crackeadas mesmo.

Ben ainda declarou que, segundo as informações do seu servidor,  10% dos usuários do seu programa usam cópias piratas, o que é um número relativamente baixo comparado a alguns jogos mais famosos, que segundo se cogita pode chegar à média de 50%.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Marcelo

    Ahhhhh não meu, puta mundo injusto meuuuuu ):

  • Sabata

    Marcelo:
    Poo meu!!! Vcs quase me engaram meu!

  • Humm, sei não, isso tem cara de ser ilegal mesmo! Privacidade e tal…

  • Ceceu Veron

    Enviar informaçãos de indentificação do usuario , sem o consentimento deste , É ILEGAL … Ou seja , o dono do aplicativo nao vai poder fazer nada contra o pirata , visto q se fizer , o pirata pode processar o desenvolvedor … 😉

  • Filipi Nascimento Silva

    Mas o desenvolvedor não se responsabiliza, pois seu produto foi modificado. Quando o software é modificado, o software já não tem garantias de funcionar perfeitamente ou garantir a privacidade do usuário… É como hackear aplicativos para adicionar funcionalidade, a partir do momento que ocorre a modificação, a empresa não tem qualquer responsabilidade por ele.

  • Vicente

    Sei lá, a priataria vai sempre existir. Mas como um dia, quem sabe, eu queira desenvolver algo, também não ia ser nada legal ter 50% dos apps crackeados…hehee

    É um bom investimento uma ferramenta dessas, mas acredito que seja funcional até certo período… Acredito que não seja “inquebrável”. É apenas para retardar mesmo o processo de pirataria. (minha opinião)

  • Pedro

    Como ele sabe que apenas 10% de seus usuários usam o app pirata se ele disse que apenas os piratas enviam informações para o servidor?

    Ai tem coisa errada…

    • Ele sabe quantos vendeu através da App Store… Sabe quantos são crackeados…
      Uma regra de três simples resolve o problema. 🙂

  • Henry

    que bom que estao comessando a implatar esses sistema d anti pirataria d app pq dai mais desenvolvedores serios,se interesaram fazer applicativos bom para o iphone=D

  • Estou com planos de desenvolver para Apple Store, mas muitas idéias serão distribuidas de graça, mas outras, quero usar sistema de assinatura que virá na versão 3.0… acho que essa é a melhor solução…