EXCLUSIVO

Será que vale realmente a pena comprar um iPhone?

Eu sempre leio tudo quanto é texto relacionado ao iPhone, principalmente em sites internacionais. E ontem vi um artigo em um blog italiano que me identifiquei muito, sobre as pessoas que reclamam que o iPhone é limitado por não possuir várias funcionalidades que, segundo elas, poderia ter.

Gostei tanto que pedi para o autor autorização para traduzí-lo e postar aqui no Blog. O nome dele é Kiro, do blog Melamorsicata.it (“maçã mordida”, em italiano). A tradução “livre” foi feita por mim, exclusivamente para o Blog do iPhone. Aproveite. 😉

 

Será que vale realmente a pena comprar um iPhone?”


É uma das perguntas mais frequentes que me fazem. A minha resposta é sempre a mesma: “Depende do que você precisa“. Eu sei que ninguém teria dúvida se o telefone da Maçã custasse 100 reais. Eu mesmo não veria nenhum problema se uma Ferrari custasse 1.000 dólares. Mas a realidade é outra. Porque então comprar o iPhone e não um outro telefone?

Antes de tudo quero descartar toda e qualquer tentativa de defini-lo como um smartphone. Não é e provavelmente nunca será um. O iPhone faz parte de uma categoria nova a qual a Apple domina, que é a dos dispositivos com tela multitouch destinados ao consumidor comum. Um nicho de mercado que decretou o seu sucesso. Muitas vezes ouve-se definir o iPhone (principalmente por aqueles que nunca tocaram em um) como um celular feito para quem quer aparecer, como um instrumento de status social.

É um raciocínio equivocado porque ele satisfaz sim algumas necessidades (mesmo que seja só elas). Como Steve Jobs disse durante a apresentação do iPhone ao mundo, em janeiro de 2007, “o iPhone é um iPod, um telefone e um dispositivo internet“. Em nenhum momento ele disse que é um dispositivo para tirar fotos, enviar mensagens MMS, fazer video-chamadas, trocar arquivos com outros. O iPhone é apenas um iPod, um telefone e um dispositivo internet, só. Sinceramente nunca mandei mais de 5 MMS em toda minha vida, nem devo ter feito mais que 2 video-chamadas e uma centena de fotos. Para mim, que trabalho muito com a internet por causa dos blogs e contatos, ele é um aparelho insuperável. Além de me facilitar a vida com a sua interface gráfica muito simples, permite-me ler emails a qualquer momento do dia, de gerir meu Facebook, meu Twitter, administrar o blog, ler notícias no RSS e muito mais.

Existe uma grande indignação no ar por parte de muitos que apontam os vários recursos que o iPhone poderia ter, mas poucos vêem um objeto que atenda às suas reais necessidades. Não sei quantos de vocês fazem uma utilização maciça de MMS, vídeo e fotos a partir de 10 Megapixels. Para mim são apenas funções dispensáveis, que só deixariam o telefone mais pesado e pouco prático.

Voltando à questão com a qual eu abri este artigo, se você tiver necessidades especiais que o iPhone não possa satisfazer, não o compre. Existem muitas outras empresas no mercado, procurem o que precisam em outro celular.

Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados