iOS

Veja o que o iOS 12.1.2 mudou em iPhones usados na China

Na semana passada havíamos comentado aqui que a Apple pretendia lançar uma versão especial do iOS para o público chinês, na tentativa de reverter a decisão judicial de proibir a venda de alguns modelos de iPhone no país asiático. E esta versão foi lançada nesta segunda-feira, não apenas para os chineses, mas para o mundo inteiro.

Veja o que ela trouxe de novo para os usuários da China, que não trouxe para o resto do mundo.


Se você tem um iPhone compatível com o iOS 12, deve ter percebido que apareceu no início desta semana uma nova atualização, a 12.1.2. O bizarro é que isso aconteceu apenas uma semana depois de ter liberado a versão 12.1.1. E para confundir ainda mais, agora liberou apenas para o iPhone, deixando de fora o iPad, que ainda está com o beta do 12.1.2.

Aconteceu algo parecido em novembro com o sistema watchOS, que ganhou uma versão exclusiva para resolver um bug de última hora.


Na versão brasileira das notas da atualização, as únicas mudanças anunciadas são relativas ao funcionamento do eSIM e de conectividade na Turquia.

O iOS 12.1.2 inclui correções de erros para o seu iPhone. Esta atualização:

– Corrige problemas com a ativação de eSIM no iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max
– Soluciona um problema que podia afetar a conectividade celular na Turquia para o iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max

Porém, na versão chinesa, há mais duas mudanças:

– Introduz uma nova animação quando se força o encerramento de apps
– Atualizações na ficha de compartilhamento para configurar imagens de papel de parede e contatos

De fato, um vídeo mostra bem como ficou a animação de quando se fecha um aplicativo nos novos iPhones:

Mas por que só na China?
Porque a Qualcomm possui uma patente no país com um movimento bastante parecido com o usado no iOS. Aliás, é uma animação que já existe há um bom tempo no Android, se não me falha a memória.

Visto que a patente é válida somente naquele país, a Apple só precisa mudar o sistema para os chineses e não para o resto do mundo.

A Qualcomm já se manifestou, dizendo que esta é mais uma tentativa da maçã de ludibriar o sistema judiciário. Já a Apple afirmou que este processo judicial na China é mais um movimento desesperado de uma companhia que executa práticas ilegais que estão sendo investigadas por agências regulatórias ao redor do mundo. Ela se refere à prática da Qualcomm de cobrar preços bastante elevados pelo uso de suas patentes essenciais.

Leia mais sobre:

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar