Apple

Apple apresenta mais um ótimo trimestre em seu Resultado Fiscal Q2 2015

De três em três meses, a Apple apresenta a seus acionistas os resultados fiscais do trimestre que passou, como prestação de contas. Em uma teleconferência por áudio, Tim Cook e os diretores financeiros contam como foram as vendas de seus produtos, além de responder perguntas de acionistas. Hoje, dia 27, foi o dia de apresentar os resultados do Segundo Trimestre Fiscal (Q2) de 2015, que para a Apple engloba os meses de janeiro, fevereiro e março (isso porque o ano fiscal da Apple é contado a partir de outubro).

E a exemplo de janeiro, nestes últimos meses a empresa bateu recordes de faturamento mais uma vez.

O resultado do Q1 deste ano foi histórico, por atingir níveis nunca alcançados por nenhuma outra empresa do mundo, em toda a história. No Q2, este ritmo continua, se compararmos os resultados com o mesmo período (Q2) de 2014.

Em termos de receita, a Apple faturou 28% a mais neste segundo trimestre, trazendo para seus cofres 58 bilhões de dólares. É o segundo maior resultado da história da empresa, perdendo apenas para o incrível Q1 de 2015. Destes, 13,6 bilhões foram só de lucros; se lembrarmos que o Facebook comprou o Instagram por 1 bilhão, a Apple lucrou o equivalente a 13 “Instagrams” em apenas 3 meses. Não é a toa que ela adquiriu 27 empresas nos últimos 6 trimestres (só não revela quais).

Resultado Fiscal Q2 2015

Um dos grandes responsáveis deste bom faturamento foi, mais uma vez, o iPhone, que sozinho significou quase 70% da receita da Apple. Ou seja, a Apple há tempos deixou de ser uma empresa de computadores que faz também celular, para se tornar uma fabricante de celulares que faz, também, computadores e outros eletrônicos. Foram mais de 61 milhões de aparelhos vendidos, isso em apenas três meses. Impressionante.

Resultado Fiscal Q2 2015

Já os iPads, continuam a ver suas vendas caírem. Pelo quinto trimestre consecutivo, os números são menores do que o do ano anterior. Desta vez, caiu 22%.

Resultado Fiscal Q2 2015

Com isso, a composição de fontes de receita da Apple fica representada no gráfico abaixo. Grande parte formada pela venda de iPhones, seguido de longe pelo Mac, iPad e serviços como iCloud, iTunes e App Store. A categoria iPod mudou de nome e agora se chama “Outros”, que conterá a partir do próximo resultado, as vendas também do Apple Watch. A Apple não quer que a concorrência saiba quantos relógios ela vendeu, para manter uma vantagem competitiva (seja lá ela qual for).

Resultado Fiscal Q2 2015

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados