iOSNotícias

Chefe de software da Apple nega (por enquanto) a morte do 3D Touch

Na semana passada, apontamos aqui uma característica inóspita no 1º beta do futuro iOS 13: o fato do novo sistema não exigir mais o uso do 3D Touch para nada, nem mesmo nos aparelhos que suportam a função.

Mas o chefão do software na empresa da maçã, Craig Federighi, negou que isto signifique o fim do 3D Touch.





De fato, todas as funcionalidades ligadas ao 3D Touch foram habilitadas também em modelos e dispositivos que não apresentam suporte à função, como iPads. Segurando o ícone de um aplicativo por 1 segundo e soltando-o, aparecerá um menu contextual com algumas opções.

Sim, a função parece estar sendo implementada em dispositivos que não possuem o 3D Touch (isso apenas será definitivamente confirmado na versão final do iOS 13), porém em iPhones mais novos, a pressão na tela não estava resultando tão veloz e prática quanto o habitual. Mesmo com o 3D Touch, no primeiro beta se faz necessário segurar por 1 segundo e depois soltar o ícone para o menu contextual aparecer.

Isso, obviamente, causou protestos entre os usuários que adoram o 3D Touch, considerando um retrocesso da Apple.

Mas em um e-mail para um usuário, Craig Federighi negou que isso seja algo intencional. Segundo ele, o fato do 3D Touch não funcionar normalmente nos iPhones após o modelo 6s é apenas um bug do primeiro beta.

Portanto, provavelmente já no próximo beta (esperado para esta segunda, dia 17) deveremos ver a volta da normalidade na função nos dispositivos que a suportam.

Isso, claro, não anula a suspeita de que os próximos iPhones venham sem o 3D Touch, como foi o caso do modelo XR lançado no ano passado. Lembrando que isso é uma funcionalidade que depende do hardware: uma camada extra na tela, que identifica a pressão física do dedo, mas que em contrapartida impede a implementação de outras tecnologias, como um sensor de digitais sob a tela.

O 3D Touch é substituível?

Com a polêmica causada no outro artigo, fizemos alguns testes com o uso do iPhone sem utilizar a funcionalidade do hardware.

Para tal, desligamos nos Ajustes (Acessibilidade › Toque) a função de 3D Touch em um iPhone XS, e operamos o aparelho por uma semana.

Pelo menos no primeiro beta, a diferença foi notável. Foi muito menos prático e ágil ter que esperar por movimentos que, com o 3D Touch, são mais rápidos. A utilização da pressão física faz cada item se comportar como um real botão, que quando apertado, reage. Isso não acontece com a pressão longa, em que você precisa necessariamente esperar alguns microssegundos para obter o resultado.

Porém, vale ressaltar duas coisas:

  1. Com versões betas não se deve criar opiniões conclusivas; na fase de testes, bugs e funcionalidades ainda não finalizadas nos impedem de saber como será o resultado final.
  2. A experiência não foi exatamente a mesma que no iPhone XR, que parece simular com um pouco mais de precisão a pressão em um elemento do que um XS com o 3D Touch desligado.

O iOS 13 atualmente está em fase de testes e deverá ser liberado ao grande público apenas em setembro. Para saber mais sobre as novidades do novo sistema, acompanhe nossa cobertura neste link.

Tags

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

Back to top button
Close