Curiosidades

Veja os incríveis efeitos que podem ser criados com o ARKit e o identificador facial do iPhone X

Muita gente questiona o atual nível de inovação da Apple, inclusive chamando o FaceID de “nada mais do que um recurso para desbloquear a tela e fazer funcionar os bobos Animoji“. Porém, a tecnologia envolvida do identificador facial do iPhone X é muito mais profunda e rica do que muitos podem imaginar. E atualmente nenhum outro celular consegue igualar isso.

Um belo exemplo disso é um aplicativo que um desenvolvedor criou, mostrando o que pode ser feito com as ferramentas que a Apple oferece. E o resultado é impressionante.


O sueco Peder Norrby estuda bastante efeitos de paralaxe e perspectiva e graças ao iPhone X (e às APIs que a Apple oferece), conseguiu criar um túnel virtual que interage com os olhos do usuário. Confira o vídeo:

.
Isso só foi possível porque o iPhone X (e futuros modelos compatíveis com o FaceID) possui uma tecnologia chamada Facing Tracking, capaz de detectar não somente o rosto do usuário, mas também para onde ele está olhando. No ano passado nós comentamos aqui que a Apple tinha adquirido uma empresa especializada nisso, e agora já começamos a ver o resultado em nossos dispositivos.

Norrby explica que o efeito funciona porque o iPhone detecta em qual ângulo os olhos do usuário estão em relação à tela, criando um efeito de paralaxe de acordo com o movimento do aparelho. Isso é o que permite a sensação de que estamos visualizando um túnel tridimensional interativo.

.
O desenvolvedor vai disponibilizar este aplicativo de graça na App Store. Ele já enviou para publicação e está aguardando a Apple aprová-lo.

O app não funciona em iPhones anteriores ao X e não espere ver nada parecido no curto prazo em algum dispositivo Android. Por mais que as fabricantes estejam oferecendo tecnologias que tentam igualar o FaceID da Apple, o sistema Android não possui APIs que interajam com estes novos modelos, o que não permite que desenvolvedores criem aplicativos que usem câmeras de reconhecimento facial. Eles precisam esperar que o Google implemente APIs compatíveis, que normalmente demoram para serem disponibilizadas.

A grande vantagem da Apple sempre foi a de criar o próprio software para o seu hardware, o que permite implementar novidades de forma bastante rápida, disponibilizando as ferramentas para os desenvolvedores criarem coisas do tipo que vimos neste vídeo.

Às vezes as inovações são mais discretas do que esperamos, e acabam influenciando na nossa vida sem nem percebermos. 😉


ATUALIZAÇÃO: O aplicativo já está disponível gratuitamente na App Store [link]. Só é compatível com o iPhone X.

Via
NerdRemedy
Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • lordtux

    Isso cai naquela que a Apple disse antes do iPhone X, que em pouco tempo ele seria um dispositivo melhor do que era no lançamento, pouco a poucos as melhorias de software vão liberando cada vez mais o potencial do aparelho e claro com um tempo acaba virando um chamariz a mais para o modelo em especifico.

    • Rodrigo Sanches

      Em suma.. estou contente com meu iphone X. E, não troco ele pelo 8 ou por qualquer android.
      O “noth” que mta gente reclamou, já esta virando tendência.. Pode ter ctz que até aparelhos baratos vão sair com ele, mesmo sem função.. só pra entrar na “moda” kkkk

  • Estan Duarte

    Acredito que esse efeito de perspectiva possa ser obtido com uso do Co-processador M7/8/9/10/11 e antigos Gyroscopios do iPhone 4, 4S e 5.
    Apenas complicaram algo mais facil de fazer, usando hardware desnecessario, maior consumo de energia.

    • Rafael Veroneze

      Concordo. Não acho nada de absurdo ai nao, ate pq um giroscópio faz isso sem a necessidade de rastreio de face. Existem varias app e jogos que fazem esse efeito. E tbm esta “engasgando” um pouco… não esta rastreando 100%

      • Estan Duarte

        Entao, ali o rastreio esta vazendo os planos “saltarem”, nao esta suave pelo movimento, como seria com gyroscopio.

        • Fernando Garcia Mendonça

          Vocês não entenderam a pegada da coisa. É muito mais complexo do que só usar giroscópios e acelerômetros. Basta ver aos 0:34 segundos no segundo vídeo. O iPhone está fixo em uma base e o efeito acontece, normalmente, com o “prédio”. Onde entra o giroscópio com o telefone fixo? O mesmo deverá acontecer com o telefone estático em cima da mesa. Ou seja, a questão é o rastreamento dos olhos e isso demanda muito processamento. PS: Tenho um Oneplus 5, já tive iPhone e não sou fãboiola.

          • É isso mesmo, o efeito só funciona sob o ângulo de visão de uma pessoa. Se estiver outra do lado dela, em um ângulo diferente, não vai ver o efeito.

            Igual aquelas placas pintadas no lado do gol nos campos de futebol, que no ângulo da TV parece que é uma placa em pé. Mas se você chegar perto, vê que é apenas uma pintura no chão.

            Aconselho vocês pesquisarem sobre aquelas pinturas de rua que só funcionam sob um ponto de vista, por causa da perspectiva. Aí entenderão o conceito do trabalho dele.

            http://www.criatives.com.br/2011/08/50-artes-de-rua-em-perspectiva-por-julian-beevera/

          • Estan Duarte

            Entendo amigo, não estou sendo indiferente a tecnologia, e muito menos tenho a intenção de ofender alguem entusiasmado com a mesma.
            O leitor do iPhone X esta limitado a um angulo de 35º, logo ter o aparelho numa surpeficie vai tornar a tarefa de perpectiva bem dificil e limitada, igual ocorre com o FaceiD.
            O que eu quis dizer que o recurso é mais pratico, porem limitador por hardware e tambem consome mais energia do que o usual para a proposta de perspectiva.

      • Zildo

        Talvez engasgos também sejam porque o cara tá tapando o notch com a mão… aliás, mas um momento em que o entalhe incomoda na exibição do conteúdo, mas né, não tem muito o que fazer…

  • Rafael Veroneze

    Bem lembrado! Esse celular era pra ser sucesso!

  • Edley Santana 

    Antes de ter um iPhone X, eu fui um dos que achou um absurdo eles removerem o touchid. Disse que era um retrocesso, que foi uma pisada de bola e que eles deveriam ter deixado as duas opções.
    Hoje, 3 meses depois, eu percebo que faz todo o sentido deixar somente um dos dois no aparelho. Não faz o mínimo sentido autenticar duas vezes (face e digital) só pra desbloquear o iPhone. O faceid funciona lindamente bem e hoje eu não sinto nenhuma falta do touchid.

    • Luciano Assunção

      Exatamente. O Face ID é muito mais pratico e funciona muito bem, só acho que poderia ser um pouco mais rápido, mas nada que não possa ser melhorado no futuro.

  • Caio Cartaxo

    “Porém, a tecnologia envolvida do identificador facial do iPhone X é muito mais profunda e rica do que muitos podem imaginar.” Qualquer pessoa que já teve um kinect na vida já tem total noção de como funciona, e essa sensação de algo novo já foi presente lá por meados de 2010… Pode ser novidade em um smartphone, mas novidade pro mercado não é.

    • Nada é novidade no mercado, se você considerar mercado como TUDO que existe no mundo.
      O chip de 64bits não foi “novidade”, segundo a sua perspectiva, quando apareceu no iPhone. Mas negar que o fato de ter chegado a um celular (e depois todos terem corrido atrás) foi algo sim muito significativo e altamente relevante nos celulares. Mas claro, você pode negar tudo isso e desdenhar, dizendo que “isso já existia antes”.

      Se você acha que colocar a tecnologia do Kinect eu poucos centímetros é algo que se possa desdenhar, aconselho ler este texto: https://blogdoiphone.com/2017/09/iphone-x-kinect/

      • Pedro Henrique Rodrigues

        Inclusive, se a Microsoft conseguisse reduzir o tamanho do Kinect, talvez as pessoas pudessem usa-lo em um espaço menor.
        Talvez, após o iPhone X, a Microsoft consiga melhorar o Kinect, estudando o iPhone X.

        E ai, TALVEZ, a Microsoft possa beneficiar todos os Gamers do mundo com isso.

        E eu tenho certeza que ela causaria um alvoroço enorme, se alcançasse isso.

        A Apple evoluiu este tipo tecnologia, e ainda bem! Agora outras fabricantes, de outras áreas, podem fazer o mesmo.

        O beneficio da evolução é incrível.

        E, novamente, TALVEZ, se a Microsoft nao tivesse inventado o Kinect, talvez a Apple não tivesse tido essa ideia.
        Ou seja, é Win Win.

        Viva a concorrencia.

  • Ótima lembrança.

  • Anderson Camões

    Legal!
    Como os Animojis, nada mais.
    Não me vi entusiasta, no que esse Face ID vai mudar na minha vida. O Touch ID mudou muito, deixamos de digitar senhas e simplesmente encostar o dedo, uma mudança sentida na hora.
    Vou comprar o iPhone X? Sim, mas porque o 6 Plus da minha esposa já tá pedindo arrego. Passo o meu 7 Plus que ainda me atende super bem e compro um novo. Mas acredito que uma curva de aprendizado será necessária, já que usamos o botão home para tudo. Multitarefa, alcancabilidade, sair o aplicativo, etc.

    • Luciano Assunção

      O Face ID é muito superior ao Touch ID, você vai ver. Quando comprei o X minha reclamação era de que quando eu estava deitado e meu rosto estava levemente coberto pelo travesseiro, o sistema falhava. Agora não há mais falhas e o sistema funciona em todas as situações, mesmo em escuridão estrema.

    • Daniel Alves de Andrade

      É aí q tá… vc deixou de digitar senhas pra encostar num botão… Agora nem isso precisa fazer kkkkkk

  • Pedro Henrique Rodrigues

    Nossa, nem sabia que esse telefone existia kk

  • Leandro

    Esse efeito é como aparece em uma das sequências do “missao Impossível” tem um telão que projeta a imagem no fundo na perspectiva de quem está olhando, para deixar o Tom Cruise “invisível”. O engraçado é que na época eu vi esse efeito e pensei que nunca poderia existir…