AppleNotícias

Apple quer que suas lojas virem um ponto de encontro cultural

A Apple anunciou hoje que irá implementar mudanças em suas lojas físicas em todo o mundo, inclusive Rio de Janeiro e São Paulo. A ideia é oferecer eventos que façam as pessoas considerar a loja como um ponto de encontro.

A vice-presidente sênior das lojas da Apple, Angela Ahrendts, deu uma entrevista ontem a um programa matinal da rede CBS, em que afirma que as Apple Stores irão receber mudanças para atrair um público maior.

A partir do final de maio, as 495 Apple Stores ao redor do mundo irão aumentar o ritmo de cursos, conferências e sessões diárias de aprendizagem, com eventos gratuitos. Serão ateliês, cursos de fotografia, de desenho com o iPad Pro, Final Cut Pro, iMovie, GarageBand, linguagem Swift, além de apresentações e encontros com artistas e músicos. O público deverá ser tanto iniciantes na tecnologia como geeks mais especializados.

O objetivo é transformar a loja em um ponto de encontro e de troca, atraindo ainda mais pessoas. Angela chega até a dizer que quer chegar no mesmo patamar que hoje tem a Starbucks nos EUA, em que pessoas combinam “vamos nos encontrar no Starbucks” quando precisam estipular um lugar de encontro.

Veja a entrevista (em inglês):

Vamos ver quais destas mudanças chegarão ao Brasil. Ficaremos de olho a partir do final de maio.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Quero a loja lá em Brasília!

  • Danilo

    Queria que as Apple Store oferecessem uma experiencia imersiva no Brasil.
    Como as IPlace chegaram bem antes, a Apple Store acabou virando apenas uma assistência técnica de luxo,não há muitos motivos pra ir sem ser o Genius Bar.

  • Mas a Starbucks vende produtos de 10 reais, Angela. O povo vai lá pra tomar café, especialmente.

    • iJr

      Kkkkkkkkkkkkkk adorei melhor comentário kkkkkkk

  • Henrique

    Não gosto da Angela.

    • Djair Casado

      Faz bico e conta pra sua mãe Kiko!

  • F Veiga 43

    Apple Coffee
    Preço do cafezinho preto, sem açúcar: apenas R$ 59,90!

    • iJr

      Imagine o preço de um pãozinho de queijo então kkkkkkkkkkk

  • A FNAC fazia isso muito bem, criando pocket shows, sessão de autógrafos, debates… era super bacana, mas a formula não se sustentava. A galera ia, assistia e depois ia pra casa.
    Tinha até um cafezinho do lado, tipo Starbucks, mas mesmo assim a formula nao se sustenta porque o cafezinho não paga o investimento.

    Desejar ser como a Starbucks é bem juvenil por parte da Angelazinha, afinal o que une as pessoas no starbucks são seus produtos e não eventos (que nem existem), afinal a gente vai pra lá, pede um café, um pao de queijo, um bolinho e fica horas conversando e usando a WiFi deles.

    Que produto a mais vamos consumir nas Apple Store se já temos seus produtos? Ou a Apple quer mesmo criar um ponto de encontro pra gente e bancar isso de buenas?

  • Guilherme Schroeder Bald

    Uma Apple Store oficial em Porto Alegre. Iplace não é loja…