Rumores

E se o próximo iPhone recarregasse a bateria sem precisar de fios?

Bateria é algo que temos sempre em mente quando falamos de smartphones e isso desde o primeiro iPhone. É ela que nos faz sempre trazer conosco um cabo USB extra, ou procurar tomadas quando estamos fora de casa. Seria tão bom se não precisássemos nos preocupar com isso e o iPhone pudesse se recarregar sem precisar de fios, não é mesmo?

Mas isso pode estar mais próximo do que imaginamos. Vamos falar aqui sobre algumas conversas de bastidores que estão acontecendo por aí sobre esta tecnologia e a Apple.

Carregamento por indução não é novidade. Já existe há algum tempo e há vários modelos de smartphones atualmente que absorvem a energia elétrica quando colocados sobre uma base, recarregando assim a bateria. A solução é legal, mas não resolve totalmente o problema, visto que estas bases não são muito populares e você precisa de qualquer forma levá-las com você para onde for (e quem tem um Apple Watch sabe muito bem disso). Talvez por isso a Apple nunca tenha apresentado nenhum iPhone com esta tecnologia, por ela ainda não ser muito prática em muitos sentidos.

Isso não significa que ela não esteja pesquisando (há anos) sobre como implementar uma forma mais prática de mantermos nossos iPhones sempre com energia. Nós já comentamos aqui no blog ainda em 2011 (link) sobre uma empresa que estava estudando formas de recarregar celulares sem contato nenhum, permitindo que a bateria fosse alimentada mesmo quando estivéssemos com o aparelho na mão, usando-o. Se imaginarmos uma tecnologia dessas implementada em aeroportos, estações de metrô, pontos de ônibus, restaurantes e estradas, teremos um ambiente em que nossos gadgets seriam constantemente conectados à energia, sem precisarmos nos preocupar com a duração da bateria. Um sonho, não?

Essa transmissão de energia seria feita através de campos magnéticos. Se você acha que isso parece coisa de ficção científica e que é futurista demais para o nosso tempo, saiba que seus princípios vem de um gênio (na época incompreendido) chamado Nikola Tesla, que no final do século 19 já conseguia acender lâmpadas elétricas na sua mão, sem contato nenhum com fios.

Nikola Tesla

Apesar das aparências superficiais, a Apple não parece estar dormindo no ponto em relação a isso. Em 2011 já iniciou conversas com uma empresa chamada WiTricity, que estudava este tipo de recarregamento. Inclusive na época registrou uma patente em que citava os engenheiros desta empresa. Agora, uma outra companhia chamada Energous está sendo relatada como tendo fortes relações com a maçã.

Segundo o site The Verge, a Energous anunciou nesta CES 2017 que sua tecnologia de transmissão de energia sem fio será lançada no mercado “até o final deste ano“. É bem verdade que há dois anos atrás, na CES 2015, ela já tinha declarado algo parecido, mas eles dizem que logo depois da feira, uma conhecida empresa de tecnologia entrou em contato com eles, firmando um importante acordo de colaboração, e por isso o lançamento foi adiado.

É claro que eles se recusam a dizer quem é este parceiro, apenas adiantam que “é um dos maiores fabricantes de eletrônicos do mundo” e que “há muita gente que usa seus dispositivos hoje no mundo“. Se considerarmos que a maioria das empresas hoje adora alardear novidades bem antes delas serem colocadas no mercado (ou alguém aí já viu o tão aclamado telefone com tela dobrável que a Samsung anunciou anos atrás?) e a Apple, pelo contrário, faz questão de guardar o máximo de segredos até o final, é sim lógico imaginar que seja justamente a maçã a tal parceira que pode lançar até o final de 2017 um novo iPhone com esta tecnologia.

No início de 2015 a Apple já pretendia lançar o iPhone 6s, mas logicamente também estava pensando em como seria o próximo grande iPhone. As demonstrações da Energous (que provavelmente estava bem mais avançada que a WiTricity) devem ter chamado a atenção da empresa de Tim Cook, que tratou de garantir logo a exclusividade.

Do que estamos falando, exatamente?
Trata-se de um aparelho, que pode ficar fixado na parede ou incorporado a algum eletrodoméstico, como um televisor, caixas de som ou luminária. Este dispositivo transmite energia via campo magnético, que é absorvido pelos dispositivos compatíveis. A distância que se pode ficar deste dispositivo varia conforme o tamanho dele, mas em média 4 metros e meio. Os futuros Macs, por exemplo, poderiam vir com este dispositivo incorporado e seu iPhone seria carregado sem precisar tirá-lo do bolso, enquanto você trabalha.

Se tudo isso for verdade, sem dúvida será um verdadeiro game changer. A Apple tem força o suficiente para popularizar a tecnologia (como já fez com inúmeras outras), o que pode fazer com que nossa casa, em 5 anos, tenha muitos dispositivos com esta função. Mas claro que nada disso está confirmado, é apenas especulação.

O mal das especulações é que, se não acontecem, todos reclamam que a Apple não inova mais. E se acontecem, ninguém fica surpreso porque já sabia antes, achando a novidade “fraca”. Está cada vez mais difícil nos impressionarmos nos dias de hoje.

Com informações de The Verge e TechCrunch

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Felipe

    Eu só imagino o câncer que esse trecos vão gerar

    • Paulo de Tarso Luchesi Coelho

      Diziam o mesmo do sinal de radio e televisão, depois do wifi, dos celulares….

      • Rasico

        Exato e muitos estudos continuam dizendo. A diferença entre remédio e veneno é a dose. E o ponto é que estamos aumentando a dose.

    • paulotutu

      O planeta é envolto em um campo magnético. O mesminho que vários aparelhos eletrônicos, inclusive essa da reportagem, geram para trazer conforto e facilidades para as nossas vidas.

      • Rasico

        Comparar o efeito da magnetosfera do planeta em que a especie evoluiu por milhoes de anos com um equipamento inventado ontem que vai gerar mais um um campo eletromagnetico perto da sua cabeça, não faz muito sentido para mim.

        • paulotutu

          Essa tecnologia já existe há alguns anos. Uma tonelada de estudos foram feitos na época e a conclusão foi a mesma de celulares, microondas, etc… a quantidade é ínfima e não causa dano nenhum. Aliás, causa, se você usar ele colado na cabeça 24h por dia durante milhares de anos.

    • Vitor Marfioso

      Somente radiação ionizante (Raio-X ou Gama) causa danos em mamíferos.
      Dizer que Rádio, TV, Micro-ondas, Celular, Wireless (radiação não ionizante) causam danos em mamíferos é mentira, ou não está bem informado.

      • Rasico

        A verdade é que ninguém sabe com certeza (incluindo voce) se a exposição por longo prazo a esse tipo de radiação causa danos. Tem estudosnpara todos os gostos.

        • Vitor Marfioso

          Bom, não diga isso por mim. Radiação não ionizante não causa danos, isso é certeza e também um fato.

          A energia precisa ser forte o bastante para acender uma lâmpada, também precisa ser forte o bastante para danificar o corpo de um mamífero.

          Experimente ficar algumas horas parado sem proteção em exposição ao Sol forte (Radiação ultravioleta, comprimento mínimo da onda: 15 nanômetros). Você terá queimaduras em poucos momentos, e poderá ter câncer de pele a longo prazo. Isso porque a estrela emite ondas muito rápidas de radiação no processo de fusão nuclear.

          Agora faça este mesmo experimento com um rádio ligado ao seu lado, só que ao invés de deixar o rádio ligado (radiação Onda de rádio, comprimento mínimo da onda: 1 milímetro) por algumas horas, deixe-o por 10 anos seguidos;

          Não terá nenhum risco para a sua saúde, pois você estará atirando um projétil com penetração de 1mm em uma blindagem de 110mm. Esse tipo de radiação doméstico é inofensivo, a frequência da energia é tão baixa, que nem um Contador Geiger iria detectar, pois ele só detecta Raios X em diante, desse em diante, você precisaria se preocupar caso tenha muito tempo de exposição.

          O segredo está no comprimento da onda, quanto menor mais prejudicial e mais poderoso será.
          Enquanto um rádio pode ter ondas de no mínimo 1 milímetro, o comprimento do raio gama é tão pequeno que as leis da física não são aplicadas a ele.

          • Djair Casado

            Lacrou! Parabéns pela resposta clara ao colega.

            É difícil discutir com “pseudos especialistas”, que se quer sabem o que é radiação ionizantes e do poder de penetração entre raios-x, particulas alfa, beta e gama.
            Tem umas cartilhinhas básicas do IPEN que falam um pouco disso.

            P.s. Sou aluno de Doutorado do programa num convênio da IES com IPEN.

          • Rob Simões 

            Parabéns pelo excelente comentário. É raro ver isso na internet.

            • Vitor Marfioso

              Djair e Rob, obrigado pelos elogios

          • Rasico

            Parabéns pela aula de física, mas me referia a biologia. E isso não se prova com teorias, mas com prática, estudos e pesquisas.

            Muito bom saber que você já fez um teste com o rádio ligado por 10 anos e tem o resultado da sua pesquisa cientifica publicado e revisado, afinal você afirmar que não acontece nada. Manda o link que eu quero ver.

  • Seria a primeira “revolução” do iPhone desde o Touch ID. Quero!

  • Isso mudaria tudo, de novo.

  • Franklin Alexandre

    Eu lendo esse artigo:

    “Do que estamos falando, exatamente?
    Trata-se de um câncer, que pode ficar cancêr na parede ou câncer a algum eletrodoméstico, como um câncer, caixas de som ou câncer. Este dispositivo transmite câncer via câncer magnético, que é absorvido câncer dispositivos compatíveis.”

    • Leduar Staniscia

      hauuhauahauhauaua

    • igor

      temos q rir disso mesmo

      • Saulo Rogério

        Neh ???

    • Wrecked Machines

      kkkkkkkkkk engraçado,

      mas não nao transmite cancer

      acho.

      • Anônimo

        só transmite câncer se estiver com a versão mais atualizada do iOS e do iTunes e tiver mudado a senha do iCloud.

    • Rasico

      Não se sinta só. Eu também.

    • Caio Ferreira

      HAHHAHAHAHA

    • Carregamento por indução eletromagnética causa tanto câncer quanto um imã. Parem de falar bobagem.

  • Pedro Trevisan

    Excelente artigo.

    Só uma coisinha: ali entre os dois vídeos tem um “Do que estamos falando, exatamente?” que dá a impressão de que deveria ser um header, acho que ficaria melhor grande e em negrito, dando uma quebrada no texto.

  • Guilherme Paviani

    Por um lado vejo um futuro promissor, por outro, um pé atras. Tesla sempre quis tornar a energia acessível e de graça para todos. Segundo ele, sua tecnologia poderia distribuir energia suficiente para o planeta inteiro sem o uso de fios, somente com Torres Wardenclyffe espalhadas por ai. Foi quando descobriram o que ele pretendia e cancelaram todos os incentivos financeiros e ainda destruiram a Torre Wardenclyffe.

    • Marcelo

      mas a diferença ai é que Tesla queria distribuir energia de graça e não teria como medir qnt cada um estava gastando.. (o que não agradou os financiadores que queriam um retorno financeiro em cima daquilo) já nesse caso a distribuição de energia seria interna.. vc recebe a energia em casa pelo medidor e ai distribui sem fios dentro da sua casa..

      • 9L

        Por financiadores, entende-se: JP Morgan.

      • KB

        Pois é, revoltante o que fizeram com o Tesla. Um visionário, gênio, que foi sabotado… E após sua morte, teve todos seus inventos, documentos, patentes, etc confiscados pelos americanos. Fico imaginando como seria um mundo melhor e mais futurista se seu legado que tivesse prevalecido.

    • paulotutu

      O capitalismo naquela época era tão ou mais feroz que nos dias de hoje.
      A intenção dele era boa, mas totalmente inviável do ponto de vista logístico/financeiro.
      Afinal, não existe almoço grátis.

      Aliás, foi por essa e outras “boas intenções” que ele foi amplamente difamado ao ponto de ser “esquecido” na história. Um dos, se não o maior, gênio que o mundo já viu.

      • 9L

        Maior gênio da história, na minha opinião.

    • 9L

      E acabou sua vida num quarto de hotel. Esquecido.

  • Fabio Freitas

    Cara, estar toda hora carregando, como dito no texto, não irá viciar a bateria? kkkk Eu carrego 2x por dia, respeitando esvaziar pra carregar novamente.

    Eu sei q essas baterias viciam rapidamente, o iphone da minha irma, de tanto ela carregar fora do momento certo, tem de viver na tomada agora rs

    • Junior Rinaldi

      Acredito que as baterias hj não sejam viciadas e sim ciclos de vida. Mas tb tive essa curiosidade sobre os ciclos.

      • Wrecked Machines

        as baerias tem um numero limite de ciclos, um ciclo completo vai de 0 a 100% certo?,
        entao se fica esperando toda vez chegar perto de 0 e carregar todo dia ate 100% vc estara fazendo todo os dias estes ciclos, que ocorrera numa degradação maior da vida util da bateria, para chegar a 100% a bateria ela empurra toda os seus componentes ao maximo por isso ate demora para chegar aos 100, porem e recomendavel fazer uma carga complega ao menos uma vez, e manter depois entre 20 a 80%

    • Wrecked Machines

      nossa fabio, isso e mais antigo do que amarrar cachorro com linguiça,
      primeiro baterias de ion de litio não vicia,
      segundo, não existe mais esta de momento certo descarregar para carregar e so tirar com 100% isso tbm nao exite
      o chamado vicio “efeito memoria” não existe mais, carregar varias vezes o celular com pequenas cargas não ”vicia” bateria, alias ajuda a manter a vida util dela, o errado e deixar chegar a perto de 0 e 100% ou seja evitar os extremos, recomenda-se manter o celular acima de 30% de bateria e chegar nos 80%, não e uma regra mas sim evitar os extremos, existem varias materias explicando isso, engraçado que quase todo os dias eu vejo alguem comentando isso ai de carregar tudo e descarregar tudo, isso eh coisa do passado.

    • Diogo Renan Pereira

      Falou bobagem amigo, isso não existe mais.

  • Celso F. Araujo

    Uso escovas de dente elétricas cujas baterias são carregadas por indução, isso há pelo menos 3 anos. O que a Apple está esperando, que os coreanos saiam na frente?

    • matheus

      Você leu a matéria?

      • Celso F. Araujo

        Claro.

    • Gustavo

      Quanto tempo. Você precisa deixar a escova carrengando para ter uma carga completa? Ah é… 22h para uma carga que dura 28 minutos.

  • Décio Sampaio

    Aí vou entender o porque a Apple tirou a entrada do fone de ouvido na família do iPhone 7.

    • Wagner Junior

      Não seria P2? rs

    • Luis Cesar

      Eu entenderia se ela tirasse a entrada P2 num iPhone compatível com essa tecnologia de carregamento.

  • Luis Cesar

    Isso sim, seria revolução.

  • Fabio Correa

    Seria realmente uma revolução tecnológica.
    Acredito que atenderá normas internacionais, para não provocar câncer. Tal como ocorre com celulares.
    Espero que seja implementado em todos os novos modelos de iPhone.

  • Pedro Henrique

    Desse modo seria totalmente compreensível a retirada da entrada dos fones de ouvido, eu penso que poderiam fazer isso somente quando chegasse essa tecnologia nos iPhones, mas também tem a possibilidade de eles terem retirado a entrada pra já ir acostumando o mercado a nova tendência.
    Só espero que tem tenham feito vários estudos antes para ver se essa tecnologia não vai impactar de forma negativa na saúde do usuário e das pessoas ao redor, além também de atender uma rígida e grande quantidade de leis para não causar males a saúde.
    Uma pergunta que vem é, será que o carregamento wireless será mais lento que o convencional ou igual ou mais rápido? Apesar de termos o pensamento de que provavelmente vai ser mais lento.

  • Gabriel Costaso 

    A maior revolução desde o 64 Bits

  • Jeff

    Isso seria ótimo, mas as baterias não teriam que evoluir também, ? pois o processo de carregamento continuo não iria atrapalhar os ciclos de carga e a vida útil das batwria?

  • André Pelegrini

    iBeacons e Apple Pay são as novidades que eu queria ver mais utilizadas por aí, mas não é o que acontece.

  • 9L

    Eu havia lido um rumor desses no final do ano passado, mas fiquei meio cético. Será que vai ser mais um rumor a se tornar realidade?

  • A organização mundial da saúde diz que o campo magnético pode afetar o corpo, dependendo da intensidade: http://www.who.int/peh-emf/about/WhatisEMF/en/index1.html

  • Gabriel Porto

    Só no seu mundo iLex que não é tão prático. Uso um iPhone e um Lumia, chego pra deitar e apenas coloco o aparelho na base sem fio e ele carrega, sem precisar ficar procurando plug (às vezes no escuro) como faço no iPhone.

    Isso ai parece desculpinha tosca pra justificar uma tecnologia que ja deveria estar no iPhone há muito tempo atrás.

  • Ramon Pereira

    Era melhor que trabalhassem na bateria pra durar mais, ajudaria muito mais.. tanta tecnologia e não arrumaram isso ainda

  • Robson

    Uma época se falava muito em revolução nas baterias e ate hoje não apareceu. Um artigo antigo falava de uma menina que inventou uma bateria a nitrogênio que durava 2 semanas. Quem sabe unido com esse carregador sem fio seja o fim dos smartphone em tomadas.

  • REDEVIDA✶

    O tão cobiçado fone de ouvido foi lançado (mas não adianta lançar e ter que comprar a parte), o mesmo acontecerá com esse carregador. Quem quer, alem de comprar o celular, vai ter que comprar seus acessórios

  • Diogo Renan Pereira

    Aaaaah as expectativas, sentimento ingrato…

  • João Lima

    Tipo o Nokia…

  • Sergio Sevilhano Junior

    Seria bom mesmo uma bateria de uns 4000mha
    assim como varios modelos da concorrencia ja tem