Curiosidades

Como seria o Super Mario Run se ele seguisse o modelo Freemium

O jogo do momento é o Super Mario Run, lançado na semana passada e que já bateu mais um recorde da App Store, ao ser baixado 40 milhões (!!!) de vezes nos quatro primeiros dias. Ele é diferente por diversas razões, entre elas, o fato da Nintendo trazer pela primeira vez um de seus personagens icônicos para o mundo mobile (se não considerarmos o Pokémon, que é também dela mas possui propriedade compartilhada) e também um modelo clássico de pagamento único pelo jogo inteiro.

Desde 2012, o modelo freemium (que é aquele que você baixa de graça o app e depois pode pagar constantemente para ter benefícios) tem feito um sucesso enorme entre os aplicativos, se mostrando a forma preferida de rentabilidade. Na verdade, hoje em dia o modelo freemium rende muito mais retorno financeiro do que os aplicativos pagos. De longe.

A internet é povoada de reclamões e há quem esteja se lamentando do modelo econômico escolhido pela Nintendo (um pagamento único para desbloquear o jogo inteiro). Seja pelo “preço alto” estipulado ou do “absurdo” de pagar e depois não ter atualizações futuras com mais conteúdo (uma das grandes vantagens dos freemiums). Alguns argumentam que o Pokemon GO é gratuito, e por isso a Nintendo deveria manter a fórmula também para o Mario.

Por isso, para brincar com este tipo de usuário, o site britânico Pocket Gamer decidiu imaginar como seria o jogo se ele tivesse adotado o modo gratuito com compras internas constantes. E o resultado ficou divertido. 🙂

A ideia original dos jogos freemium (junção das palavras free + premium) é disponibilizar o aplicativo todo de forma gratuita, mas permitir que se compre melhorias para avançar mais rapidamente no jogo, como energia, moedas, gemas, etc. O problema é que muitos destes jogos abusam da fórmula, dando uma vantagem absurda para quem paga e fazendo os que não pagam levarem muito mais tempo para completar as fases em relação aos outros competidores.

Um dos recursos bastante usados é colocar o famigerado tempo de espera durante o jogo, geralmente após concluir uma fase ou então um período para um baú ser aberto (olá, Clash Royale!). Se o Mario tivesse o modelo freemium, com certeza teríamos este tipo de espera para jogar.

Super Mario Run Freemium Super Mario Run Freemium

Você acha $9,99 muito caro para desbloquear o jogo inteiro? Pois em um modelo freemium provavelmente você precisaria de muito mais para jogar os mesmos níveis, ou então ter que ficar jogando horas e horas para juntar moedas suficientes para passar de mundo. E ficar repetindo as mesmas fases várias e várias vezes não é algo muito agradável, sem falar nos tempos intermináveis de espera.

Super Mario Run Freemium

Outro truque muito usado é o de limitar a capacidade do usuário de reter ítens. O Pokémon GO é exatamente assim e com o Super Mario Run não seria diferente. Tudo para forçar o usuário a desembolsar grana para avançar no jogo.

Super Mario Run Freemium

Passou de mundo novamente, que legal! Só que para desbloquear outro, você precisará de ainda mais moedas, tendo que repetir de novo diversas fases anteriores até juntar o necessário. Mas claro, você poderia desbloquear isso facilmente com o uso do seu cartão de crédito…

Super Mario Run Freemium

Está difícil passar as fases? Compre bolhas e tenha vidas em uma quantidade tão infinita quanto seu limite do cartão de crédito.

Super Mario Run Freemium

Não quer gastar dinheiro? Sem problema! Você pode assistir horas e horas de vídeos promocionais, para conseguir de graça aquilo que você deveria ter conseguido com seu esforço no jogo.

Super Mario Run Freemium

E aí você consegue, depois de semanas jogando, completar o mundo 3! Há tantos mundos ainda para completar e você está se divertindo muito, não? Claro que para avançar, você terá que jogar várias fases de novo, para juntar mais moedas e desbloquear o mundo 4. Bem, você pode comprar o desbloqueio com apenas um toque, para a coisa ser mais rápida. E no fim, você já gastou bem mais do que $9,99…

Super Mario Run Freemium


A Nintendo está sendo corajosa em adotar uma fórmula clássica de venda de jogo, em um mundo mergulhado de freemium. É claro que há quem irá reclamar que está muito caro, ou dizer que preferia que fosse tudo de graça, mas no mundo em que vivemos não há almoço grátis. Para pagar a enorme equipe de desenvolvimento que traz estes jogos para nós, a empresa investe uma quantia considerável e precisa que o resultado dê um retorno financeiro que justifique o investimento. Talvez esta brincadeira do Pocket Gamer serviu para deixar claro o quão incômodo pode ser um modelo gratuito com compras internas. E ao mesmo tempo que é uma crítica ao modelo vigente, nos mostra que não é tão ruim assim pagar uma vez só pelo jogo completo, sem truques e sem dar vantagens a outros jogadores que possuem melhores condições financeiras que a gente.

Eu estou curtindo o Super Mario Run e ainda não comprei o pacote completo. Nem cheguei ainda no mundo 1-3, porque estou me esforçando primeiro para pegar todas as moedas coloridas, o que não é fácil (estou sofrendo com as verdes). A meu ver, isso é curtir o jogo, aproveitar tudo o que ele tem e chegar ao máximo de sua jogabilidade. Acho errado os que desbloquearam as fases e jogaram todas, em sequência, sem aproveitar verdadeiramente o jogo. É claro que assim a graça acaba muito rápido e os 10 dólares não valem o investimento.

Por isso, se você é realmente fã de Mario, curta muito este modelo que eles escolheram e aproveite todas as possibilidades de cada fase. 😉

Fonte: PocketGamer – Tradução das imagens: blogdoiphone.com

Tags
Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados

  • Gui Carbone

    Estou fazendo isso também, jogando para pegar as moedas coloridas e depois, quem sabe, compro o jogo completo.

  • O problema é o preço. Simples assim. Dragon Age Inquisition custou mais de 50 milhões em produção e marketing e hoje é vendido por 20 reais com pelo menos 200h de gameplay, fora o enredo e diálogo imersivo. Mario Run é só um jogo de speed simples, não custou nem 1/10 desse valor, as horas q proporciona são repetições para ficar tentando coletar itens, e cobram 35 reais.

    Está errado por mais que queiram justificar, eu não compro.

    • paulogrego

      É exatamente minha opinião. Tem muita gente usando essa tática de aliviar a situação e fazer as pessoas passarem a considerar um valor justo, tal como este artigo, para incentivar a compra, mas não adianta… O preço é alto sim.

      • Robson Felix Neves

        Que milagre não apagaram seu post hauaua

    • Iggor Pereira

      Exato.

    • Marlon Fuhlendorf

      Não acho um preço alto não. Pela diversão que proporciona, boa jogabilidade e bons desafios, é ótimo pra jogadores casuais. Joguei e gostei, tem muita qualidade, se fosse pra comprar um video game portátil e jogos, sairia muuuito mais caro. E não se trata de “gráficos”, enredo complexo e nem nada disso, isso é pra jogador mais “hard”, o povo quer é diversão. E por 33 reais, um jogo dessa qualidade, pra jogar nas horas vagas, não acho tão caro. O povo q está acostumado e quer pagar 0,99 em tudo.

      • Só lembrar que 0,99 cents virou 1,99, depois 3,99.. 4,99.. assim chegou a 9,99. Daqui a pouco vai para quanto? Já perceberam que as pessoas compram, então os preços só sobem.. um software para smartphone que vende muito mais que no PC custando quase o mesmo preço com menos recursos, menor custo de produção e mais simples? Bem, se ainda sim você não ve nada errado, ai ja não posso fazer nada.

        • Desde quando isso? Se tem uma coisa facil de perceber é como os aplicativos foram ficando mais baratos com o tempo. A App Store da época do iOS 4 nem se compara com a do iOS 10. Hoje quase todo app é de graça e se não for entra em promoção e fica. Pior é essa de não gastar dinheiro com jogo simples. Claro, você pode querer ser o senhor custo benefício e só comprar software complicado de fazer; quanto mais perrengue o desenvolvedor passou melhor, pra valer mais o seu dinheiro.

          • Se na época do iOS4 era mais caro, eu acho então que não vivi a mesma época que vc.

            Não confunda: o fato de hoje ter muito app free no modelo freemium ou lotado de propaganda, não faz dele mais “barato” que antigamente. Simcity que o diga.

            • Eu não sei o que dizer. A única pessoa que eu já vi falando que os apps ficaram mais caros foi você.

            • Valeu por contradizer vc mesmo no seu comentário anterior =)

            • Onde? Eu tô falando o tempo todo que os após hoje em dia são mais baratos e você só fica falando que tão mais caros

        • 9L

          “um software para smartphone que vende muito mais que no PC custando quase o mesmo preço com menos recursos, menor custo de produção e mais simples?”
          ????????

    • Eduardo Furlanetto

      “injusto”, “errado”
      mano… é uma empresa vendendo um produto pelo preço que ela acredita que dará mais lucro pra ela
      se quiser, paga, senao, nao

  • Patrick Dill

    Tá ficando chato esse ódio todo por freemiuns, não é porque alguns desses jogos abusam, que significa que todos sejam ruins, Clash Royale é um ótimo exemplo de jogo que deixa todos felizes (desenvolvedor e gamer). Não acho $10,00 algo caro pra se pagar no Mario Run, claro que não é barato se for comparar com outros jogos mobile, mas ainda assim acho que vale o investimento. O único problema é a Nintendo não ter investido em um multiplayer bacana, essa é a graça dos jogos mobile, sem isso, o jogo se torna descartável.

    • 9L

      Quer um outro exemplo? Crossy Road. Freemium super sossegado.

  • Iggor Pereira

    Eu gostaria que fosse assim, caso eu tivesse adorado o jogo eu poderia ir jogando e jogando até ter a opção de “comprar” ele com moedas do jogo, e não $. E outra, eu achei o preço muito alto pra um jogo run, minha opinião.

    • Marlon Fuhlendorf

      Mas aí como a nintendo lucra? Teria que encher o jogo de propagandas!

      • Iggor Pereira

        Ué como as imagens de exemplo no artigo acima, com os pagamentos para ter as “vantagens” sobre o jogo, freepass, reviver etc. É uma opção parceiro, que eu acho que seria melhor pra mim em particular, eu já apaguei o jogo até pois não quero comprar porque achei caro, se fosse assim eu ainda teria instalado, jogando e vendo algumas propagandas como você disse rs.
        Abs

        • Diogo Renan Pereira

          As imagens eram pra mostrar como seria mais incomodo o negócio e pra você tudo bem? kkkkkkk

          Fremium não é jogo propaganda, é propaganda com jogo.

  • Marlon Fuhlendorf

    O povo reclama demais! Espero que a nintendo não lance jogos próprios “freemium”, você gasta muito mais no final das contas, pra eventualmente parar de jogar. Super Mario Run é divertido e desafiador (se a pessoa joga sério, querendo pegar todas as moedas), acho que vale o dinheiro investido! Se lançarem o 2 eu vou querer com certeza. Acho que um jogo dessa qualidade, vale 33 reais. Se fosse um console portátil, fora o preço dele, seria uns R$ 100,00 cada jogo (pra ser bonzinho). Isso sem apelar pra pirataria né.

  • KB

    Sem contar que muitos freemiuns ficam popando ad para tudo que é lado…
    Curti o formato e modelo do Super Mario Go. Winner na minha opinião.

  • Thiago Santiago

    Acabei as fases em 20 minutos, não vale 10 dólares por isso, quem é fã mesmo vai jogar qualquer outro jogo do mario em outra plataforma e não apenas se contentar em pegar moedas roxas em todas as fases pra alongar o jogo…

  • Felipe

    Pra mim valeu a pena. Já me diverti bem mais do que eu imaginei que conseguiria, e por mais que já tenha terminado todas as fases, ainda falta muito pra jogar entre pegar todas as moedas e passar os amigos nas corridas.

  • Gilmar

    “Não quer gastar dinheiro? Sem problema! Você pode assistir horas e horas de vídeos promocionais”
    E qual seria exatamente o problema desse sistema? O desenvolvedor ganha dinheiro, o comerciante anuncia seu produto e o jogador recebe seu jogo. Além disso, é opção do jogador ver a propaganda ou não.

    “E no fim, você já gastou bem mais do que $9,99…”
    Em alguns freemium você não precisa gastar 1 centavo para se divertir e o desenvolvedor é remunerado com propagandas e fãs compradores. É preciso saber dosar a fórmula, claro. Mas é possível. Fora o fato do jogo ter grandes chances de ser atualizado constantemente e continuar interessante. É um ciclo que favorece jogadores e criadores de conteúdo.

    • Gilmar

      Notei também uma contradição no texto. Ressalta-se que o fato de precisar coletar moedas e repetir as mesmas fases “várias e várias vezes não é algo muito agradável”. Mas depois o autor diz que está se “esforçando primeiro para pegar todas as moedas coloridas” uma vez que “isso é curtir o jogo”.

      Para pegar todas as moedas é necessário repetir as fases inúmeras vezes. Isso ser bom ou ruim depende do ponto de vista. É ótimo quando o objetivo é “zerar” o jogo. A questão é que muitos jogadores casuais apenas querem passar de fase e eles não estão curtindo menos que os outros jogadores, são apenas prioridades diferentes. Pra um jogador casual, 10 dólares é muito alto para pouco tempo de jogo.

      • Cesar A. S. Gonçalves

        Toda vez que você termina uma cor de moeda a fase muda amigão, as vezes a mudança é tão radical que parece outra fase. E é totalmente diferente quando você joga tentando cumprir um desafio e quando você joga várias vezes pra juntar moedas, Rainbow six que o diga-nos haha

  • Guilherme Avila

    Estava lendo, e também gostei muito do jogo.
    Mais quais seriam essas moedas verdes? Consegui so a rosa, roxa e cinza

  • Rob Simões 

    Paguei os 10 dólares. Não suporto jogos freemium. Prefiro assim. E pagaria até mais. Se o jogo for bom não me importo em pagar. O que me deixa REVOLTADO com esse jogo são duas coisas:

    1 – O Mário correndo o tempo todo. Eu queria poder controlar o personagem, parar, e voltar a hora que eu quisesse. “Ah mas dá pra jogar com uma mão.” Dane-se. Não quero jogar com uma mão, quero jogar com as duas ou com meu controle MFi. E mesmo que o lance fosse usar com uma mão dava pra adaptar controles simples para isso;

    2 – A quantidade absurdamente pequena de fases e mundos. Tem gente que terminou o jogo em meia hora. E ainda dizem que não vai ter atualizações. Quando você começa a se divertir o jogo acaba.

    Ou seja, o jogo foi pra mim uma grande decepção simplesmente porque a Nintendo não quis fazer do jeito certo. No dia em que a Nintendo lançar um Mário pra iOS do jeito certo, com muitas horas de gameplay, podendo controlar o personagem de verdade, com suporte a controles MFi, e também compatível com a Apple TV, pode cobrar 50 dólares ou uma mensalidade que eu pago sorrindo. “Ah mas a Nintendo não vai fazer isso porque ela quer vender os seus consoles”. Então tchau Nintendo, pois eu não quero comprar um console e carregar mais um trambolho só pra jogar o seu jogo. Eu quero jogá-lo no dispositivo que já está no meu bolso: o meu iPhone. Talvez um dia vocês aprendam a entrar no mundo móvel de verdade.

    • Gustavo Zanandrea

      Muito bem escrito ….. ??

    • Gustavo

      Exatamente. Paguei os 10 dólares, mas acredito que poderiam lançar atualizações. Tenho a impressão de que o jogo vai ficar abandonado, sendo que é barato. E do mais, assino embaixo.

  • Diogo Renan Pereira

    Como eu disse, um alvoroço enorme pra um joguinho run de merda, com 20 minutos de game play, promessa de não ter mais mundos e custando caro para o universo mobile. Puro caça níquel de fã trouxa. Meses de pré order pra entregar um teaser de jogo kkkkkkkk. Essa meia duzia de mundo são os que deveriam ser o período gratuito, para posteriormente desbloquear dezenas de outros com a compra.

  • Respeito a opinião do iLex e de quem concordou com o modelo.
    Ao meu ver é simples: Muito preço pra pouca diversão. A conta não fecha.

    Se fosse U$ 3,99 tava mais que bem pago. U$ 1,99 pelo jogo + U$ 1,00 por ser da Nintendo + U$ 1,00 pela nostalgia.
    Só.

    Já joguei muito Freemium sem gastar U$ 1,00.
    Exemplo do ótimo Dead Trigger 2 (o melhor na minha opinião), Star Wars Commander que é muito bom também, e outros do tipo Infinity Run.
    A fórmula é boa sim porque agrada gregos e troianos.
    Não liga pra gastar? Então gaste.
    Não quer gastar nada? Assista os comerciais e se esforce pra coletar tudo no jogo.

    Melhor que tudo isso: Os jogos freemium tem a particularidade da atualização constante. Ou seja, pra que ele continue interessante é necessário ter sempre algo novo. Amo isso!

    Mário é um jogo nota 3, visto como nota 6 mas que leva nota 10 só por ser Mário.
    Se não tivesse o carismático personagem, e o emblemático logo Nintendo, estaríamos desprezando-o.

    Em suma: Não pagarei. Jogarei mais alguns dias. Deletarei. Não sentirei saudades.

    • Danilo

      Mário é um jogo nota 3, visto como nota 6 mas que leva nota 10 só por ser Mário.

      Onde é que eu assino?

      • 9L

        Onde é que eu assino? 2

    • DanielGmrs

      Eu jogo os seguintes fremium (e estou bem longe) e nunca gastei 1 tostão…

      RR3
      No Limits
      CSR2
      Pokemon GO
      PvZ 2
      PvZ Heroes
      Age of Empires
      SimCity

    • Felipe

      Perfeito.
      Se fosse um personagem tabajara ninguém ia dar bola.

  • É como um grande amigo me disse: Nos tempos de hoje, é um mal necessário (para as produtoras). Se não concorda, não compre, ou é isso ou é vender pedaços do jogo por DLC.
    Voltando ao Mario Run, esse preço tem 40% de hype também, e muitos pagaram por ele. Nos EUA 9,99 dólares é troco de pinga. Agora por aqui são outros 500.

  • Rafael Nascimento

    Eu prefiro bem mais um jogo freemium, do que pagar, no caso do Mario, 10$ pra liberar o jogo, assim o game fica gratuito com algumas limitações, e se a pessoa quisesse ficar sem limitações era só pagar.

  • Bastion 0,99 , Rayman 0,99 e tantos outros com muito mais conteúdo… mas Mário, mas é Mário… a comparação é interessante, mas é uma mera conjectura, você joga Real Racing e assim como eu se diverte horrores e nunca gastou um centavo. Eu paguei um 1,99 em um freemium Skyforce Reloaded e ele espanca o Mário. A Nintendo parece sofrer do mesmo mal que a Square Enix, falta de tato quando se fala em apps.

  • Guilherme Salles

    A questão não é mudar para freemium, caro Ale, o problema é ser pago mascaradamente e abusivamente. Fazem “free” na App Store, mas aí você tem que pagar depois por uma versão do jogo bem tosca. Pagar e pagar muito. Se fosse o Mario tradicional, mais manual, aí tudo bem cobrar caro (não tanto), mas convenhamos, essa versão é um joguinho patético, porque tu não controla praticamente nada. O correto seria lançar um jogo mais fiel ao original e então as pessoas não se importariam em pagar um preço um pouco alto logo de cara (sem engana trouxa de colocar free na hora do download).

    • Felipe

      Temple run de lado.

  • 9L

    Monument valley é um jogo lindo!
    Pena que tb acabou muito rápido. Comprei amarradão, assim como Alto’s Adventure, mas nesses eu paguei $3.99 cada.

  • Marcus Malacarne

    Eu esto jogando… e assim como o autor estou tentando coletar todas as cores de moedas… ainda falta a moeda verde da terceira fase, depois disso não sei o que vou fazer, se vou parar ou se vou comprar o jogo… por mais que tenha gostado e de estar aguardando um jogo do Mario desde meu primeiro iPhone (meados de 2009), confesso que acho um pouco caro os 10 dólares por um jogo que considero “casual”, só pra passar o tempo quando tá sem nada pra fazer, nem só pelo valor isoladamente, mas também porque não tenho o costume de ficar muito tempo jogando a mesma coisa, acabo enjoando muito fácil e abandono o jogo…

  • Matheus Rodrigues

    Já paguei mais caro por jogos de vídeo game que nem curto tanto. Joguei Mario minha infância toda, sou apaixonado pelo jogo. Comprei e não me arrependi rs. E fui nessa onda das moedas, acabei de “platinar” como dizem né haha https://uploads.disquscdn.com/images/0be80995574286074aee599092b31f6dc5d7653fdadcb58520120e8f4fd77f4f.png

    • Richard Rodrigo Lima

      Acredito que a modalidade de pagamento único beneficia sim, existem diversas formas de conseguir créditos para app store. Pago por quase todos jogos que gosto sem ter q passar um centavo no cartao de credito, apenas baixando apps de patrocinio e recebendo gift card de volta.

      • Felipe

        Dá umas dicas aí de uns confiáveis.

  • Rubens Mateus Padoveze

    Espero que fique no modelo de venda que está

  • George Porto

    Eu odeio o modelo freemium… Não baixo nada nesse modelo de cobrança que alavanca o payback dos investidores, mas acaba com meu humor. Paguei os US$10 de boa…sem remorso.