Notícias

Phil Schiller e Craig Federighi falam das novidades do iOS 10

Um dia depois da apresentação de abertura da WWDC 2016, dois grandes executivos da Apple, Phil Schiller e Craig Federighi, deram uma entrevista sobre as novidades apresentadas e o futuro dos sistemas da maçã. Falaram por que deram tanta ênfase no iMessage e detalharam algumas coisas a mais sobre o iOS 10.

A entrevista foi feita por John Gruber, conhecido blogueiro Apple que tem fortes laços com a maçã. Todos os anos ele faz uma edição especial do podcast Talk Show, com entrevistados da WWDC. Ano passado, ele surpreendeu a todos entrevistando Phil Schiller, o chefão de Marketing da Apple (e da App Store), e este ano também ele trouxe o Craig Federighi, responsável pelo desenvolvimento do iOS, macOS e outros softwares da empresa.

Uma das primeiras perguntas foi sobre a excessiva atenção que deram às novas funções cosméticas do iMessage, deixando de lado outras novidades importantes que também foram introduzidas no sistema. De fato, no site da Apple parece que o iOS 10 só mudou no iMessage, de tanto destaque que dão a isso. Federighi respondeu que deu ao povo o que ele gosta de ouvir.

Sempre que adicionamos novos Emoji [no iOS], todo mundo fala disso. Nós passamos um ano inteiro trabalhando em um novo sistema de arquivos ou algo mais profundo, mas as pessoas ficam empolgadas mesmo é com os dois novos Emoji que adicionamos. Então, nos damos conta que se há uma coisa que podemos fazer diferença é na experiência que as pessoas tem no iMessage.

De fato, o iMessage é um dos aplicativos mais usados no iPhone. Isso pode não ser uma verdade absoluta no Brasil, mas nos Estados Unidos e outros países mais ricos (em que há um maior número de pessoas que pode comprar um iPhone), ele é muito mais usado que WhatsApp, Telegram ou qualquer outro mensageiro móvel.

iMessage Emoji

Federighi e Schiller também falaram da velocidade lenta de implementação de abertura em partes do sistema, como a que está acontecendo agora com a Siri e o iMessage. Eles disseram que a Apple gosta de primeiro testar algumas coisas antes de implementá-las no resto do sistema, como foi o caso da integração com o Twitter e o Facebook, no iOS 5, que serviram como testes para a adoção de extensões no iOS 8.

Uma vez que a empresa cria mecanismos que são necessários para uma função, então nos sentimos confortáveis para abrir isso para o resto dos desenvolvedores.

Quanto à nova possibilidade de apagar aplicativos nativos, Federighi esclareceu que os apps não são realmente “apagados” do aparelho, apenas desaparecem do visual para o usuário e seus dados são eliminados (isso sim pode gerar algum ganho de espaço interno). Os apps continuam escondidos no sistema como forma de autenticação interna do iOS, e quando o usuário o instala novamente usando a App Store, na verdade não está baixando nenhum arquivo, mas simplesmente restabelecendo o link com ele para reaparecer para o usuário.

Outra pergunta foi relativa a nova API da Siri, que permite que aplicativos se integrem à assistente vocal. Há uma limitação quanto ao tipo de app que poderá usar a API, se restringindo por enquanto a apps de transporte (tipo taxi ou Uber) e mensageiros (como WhatsApp e Telegram). Gruber quis saber a razão desta limitação e mais uma vez os dois entrevistados responderam que é a forma da Apple trabalhar. Primeiro libera para um pequeno grupo, e dependendo como a coisa toda se comportar, aí sim eles se sentirão à vontade para liberar para outros aplicativos.

A entrevista completa em vídeo ainda não foi liberada, mas será em breve no site Daring Fireball.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Diego Azevedo

    Bem que esse esquema de deletar apps nativos estava bom demais para ser verdade

    • Vinicius Alves

      Na verdade isso já era esperado. Os apps nativos do iOS não são como os apps comuns instalado no sistema, eles fazem parte de uma teia que fazem com que todos dependam um dos outros. Tanto é que a grande maioria dos apps nativos nem fica na pasta de aplicativos dos arquivos do iOS, fica em uma pasta diferente, junto com alguns sistemas essenciais, como Siri.
      Hoje, por exemplo, todos os aplicativos usam uma API para poderem colocar mapas integrados dentro dos aplicativos. Todo o processamento é feito dentro do aplicativo mapas, mesmo ele não parecendo “aberto”. Se fosse realmente possível desinstalar o mapas, todos os apps que usam isso traçariam na hora.
      Agora, isso de apagar os dados dos aplicativos é bom para acabar com o cache deles. Quem nunca teve problema com o Podcasts ocupando 1GB só de cache? Apagar o App e baixar de novo vai resolver isso duma forma bem mais rápida e eficaz que depender do autoClean do iOS.

      • Diego Azevedo

        Eu tive a esperança deles terem passado os códigos que são usados pelos demais apps para dentro do iOS. Até porque alguns apps nativos (Bolsa, Dicas, news, iBooks…) já poderiam ser realmente desinstalados sem impacto atualmente. O mesmo não vale para o Safari, Mapas e Apple Watch, por exemplo.

        Mas ainda restava a fagulha de esperança. Agora apagou. Quem sabe no iOS 11?

        • Saulo Rogério

          Acho que nunca amigo!

          • Diego Azevedo

            Quem sabe, não é mesmo?

            Até porque isso deveria ser tão simples. Um aviso “[App nativo] é usado por [App A], [App B] e [App C]. Tem certeza que deseja desinstalar? Deseja desinstalar os outros?” seria suficiente. Na hora de baixar, a mesma coisa “[App] usa recursos de [app nativo] ausente. Deseja instalar também?”

            É uma bandeira que eu vou continuar levantando, na esperança de algum dia a Apple mudar de ideia. Já estão apontando para a direção certa, só falta seguir esse rumo.

            • Alexander

              Estão tão entrelaçados que seria o caos. Tira o mapas e lá se vai uma meia duzia de programas junto e lá vem centenas de telefonemas pro 0800

            • Lucas

              Cara, isso não é nada Apple. Só ia gerar mais confusão. Da forma como está já é possível liberar um bom espaço. O que tem que acontecer é a Apple parar de vender esses modelos ridículos com 16GB. Isso sim.

      • Alexander

        battery doctor (clean up cache) resolve

        • Vinicius Alves

          Desde o iOS 9 a Apple impede a gambiarra que os apps de limpeza de cache usavam pra realizar essa função, então ele não resolve mais.

          • Alexander

            Uia, jurava que aparecia mais espaço aqui no 9.3.2 após o “clean up cache” do BD. Vou processar os caras

      • Qndt

        Seria necessário mover as APIs publicas para o core do iOS (se já não estão).
        O que for de uso exclusivo do aplicativo (interface, dados de cache, etc), manter separado.
        Quando apagar o aplicativo, eliminar apenas a parte exclusiva do aplicativo.
        Publicar o aplicativo na loja.
        Quando for necessário fazer uma correção de layout, alterar o ícone ou o pequenas alterações de interface, liberar a atualização do aplicativo na loja, sem a necessidade de liberar uma atualização do iOS.

  • Mauricio

    Na bem da verdade o mensageiro #1 lá na América do Norte é o Facebook Messenger… WhatsApp realmente não vai bem, ele se destaca aqui no Brasil e na Índia, tipo o orkut nos anos 2000.

    • 199X KID

      quando eu falo que o wpp não é tão usado lá fora pros meus parentes eles ficam em choque kkkkk

  • Alex iPilot

    Ok! Então por que a Siri não tem acesso pleno ao próprio iOS???

    • Alexander

      e recebe 50% do salário do microsoft bob. É discriminação

  • André Luis Dos Santos

    Ok o WhatsApp pode até não ser o mais usado mas quando eu fui para NY esse ano e em Londres a dois anos atrás, se notava claramente as pessoas ‘ostentando’ seus iPhones nas ruas (inveja brasileira rsrsr) com WhatsApp sendo usado.

  • Fabio Correa

    Muito pouco para os milhões de dólares gastos no desenvolvimento.
    Me chateia ver que desenvolvedores independentes tem melhores ideias do que a equipe da Apple.

    • f.u.

      [ Me chateia ver que desenvolvedores independentes tem melhores ideias do que a equipe da Apple.]
      Isso não seria motivo de felicidade?