iPod

O fim do iPod touch não representa o que foi a história do tão saudoso iPod

Esta semana, a Apple anunciou que está oficialmente retirando de seu catálogo o iPod touch, último remanescente de uma linha de produtos que revolucionou a indústria musical e a própria empresa.

Com isso, muitos estão comentando que este evento de agora marca “o fim de uma era“, mas isso não é exatamente verdade. O dito fim do iPod aconteceu, de fato, lá em julho de 2017.

Vamos relembrar um pouco da verdadeira história deste grande (e saudoso) dispositivo.



Fim da linha iPod touch

Vamos ser francos: a última verdadeira mudança no iPod touch foi em 2015, com o modelo de 6ª geração que trazia melhoria na câmera traseira, processador A8 e maior capacidade interna.

O modelo lançado mais recentemente (7ª geração), não traz nenhuma novidade além da mudança para o processador A10 Fusion, para não perder compatibilidade com novas versões do iOS. Ou seja, não dá para dizer que a linha ainda estava sendo desenvolvida.

Então, o touch já estava sendo considerado mais como um produto moribundo, em que todo mundo percebia que a Apple não tinha mais nenhum interesse.

O fato dele deixar de ser vendido não marca o fim de uma era, pois a história do iPod se encerrou verdadeiramente em 2017.



O fim da era iPod

Pode-se considerar realmente o final da era iPod quando a Apple anunciou que a linha do tocador de música digital seria oficialmente descontinuada, no final de julho de 2017.

Na época, fizemos um artigo destacando como demorou longos 10 anos para que o iPhone finalmente conseguisse substituir o iPod. Vale a pena relembrá-lo:

Ali sim era o fim de uma era. O encerramento das vendas de um produto icônico, que fez a Apple ser vista pelo mundo.

No Brasil, muitos só começaram a conhecer a marca da maçã por causa do sucesso mundial do iPod. Antes, Apple era vista como coisa de “nerd que não gostava de Windows” ou de publicitário. Depois do iPod, a marca passou a ser admirada e desejada.



O iPod touch, a bem da verdade, sempre foi considerado mais como um “iPhone capado” do que um iPod. Sempre pairou a impressão que o nome dado a ele era mais para aproveitar o marketing do que alguma semelhança com a real linha iPod.

Por essa razão, é difícil considerar o final da sua disponibilidade como algo significativo na história do iPod. Até porque ele ainda estava sendo vendido mais como um terminal barato para usar aplicativos do que para escutar música.

O velho e bom iPod foi muito mais que isso e por essa razão sua memória deve ser respeitada.

O final de uma era foi em 2017. Hoje, estamos apenas presenciando o fim de um subproduto do iPhone, que há anos não recebia uma atualização significante.

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo