Opinião

Análise do preço do iPhone XR e XS no Brasil

A Apple divulgou os preços em Reais dos novos iPhones que serão lançados na semana que vem no Brasil e, como sempre, muita gente está reclamando do absurdo que são os valores. E eles são realmente chocantes na realidade atual que estamos enfrentando no país.

Como em todos os anos, o Blog do iPhone fez uma análise crítica dos preços deste ano, comparado com os valores dos anos anteriores. Consideramos que isso é muito útil para entendermos os números.


Antes de tudo, é importante dizer que não estamos aqui para defender a Apple. Os preços são estratosféricos mesmo e, assim como nos outros anos, indefensáveis. Portanto, a ideia aqui não é convencer ninguém de que os preços são justos ou que “não são tão caros assim”. São caros sim e não aconselhamos ninguém a comprometer seu orçamento pessoal só para ter o último modelo.

Dito isso, o que propomos é analisarmos os números de forma fria e sem emoções. Na internet é muito comum vermos alguma coisa e já reagirmos a ela, mesmo sem muita base de conhecimento ou estudo sobre o assunto, ainda mais quando é algo que nos choca, como preços altíssimos. Portanto, como acontece todos os anos, veremos muita gente reclamando inicialmente dos preços altos, mas depois se sacrificando para comprar um iPhone novo.

O fato é: o iPhone sempre foi caro no Brasil. Sempre, desde o primeiro iPhone 3G. A diferença é que a situação econômica atual está fazendo com que fique cada vez mais difícil comprar um recém lançado. E esta dificuldade frustra demais os usuários.

Para medir o quanto o preço “real” variou, nos últimos anos nós associamos o valor brasileiro do iPhone no lançamento atrelado ao dólar, pois assim podemos ter uma referência de quanto a variação foi ou não significativa. Já vimos anos que esta variação aumentou e diminuiu, e até sentimos (em alguns poucos casos) um certo esforço da Apple em não seguir a tendência de alta, para não assustar tanto os consumidores.

Então vamos à nossa clássica tabelinha de preço atrelado ao dólar.

Preço nas alturas

Abaixo, você vê a nossa tabela comparativa desde 2010, tomando como base a cotação do dólar comercial convertido no dia do lançamento. Não são consideradas taxas extras como IOF e valor maior do dólar paralelo. É apenas uma referência. (Se você estiver lendo este artigo no iPhone, coloque a tela na horizontal para visualizar toda a tabela)

No ano passado, a Apple já tinha subido significativamente o preço base do iPhone. Este ano, ela aumentou ainda mais. Há de se considerar que, nos EUA, o iPhone XR básico aumentou 50 dólares em relação ao preço do iPhone 8 no ano anterior. Porém, no Brasil esta diferença foi quase multiplicada por 4 (US$183).

Modelo e lançamento Preço em Reais Convertido em dólar (na época)
iPhone 4 (17/09/2010) R$1.799 US$1.045
iPhone 4s (16/12/2011) R$1.899 US$1.080
iPhone 5 (14/12/2012) R$2.399 US$1.153
iPhone 5s (22/11/2013) R$2.799 US$1.233
iPhone 6 (14/11/2014) R$3.199 US$1.229
iPhone 6s (13/11/2015) R$3.999 US$1.057
iPhone 7 (04/11/2016) R$3.499 US$1.076
iPhone 8 (03/11/2017) R$3.999 US$1.215
iPhone XR (09/11/2018) R$5.199 US$1.398

Podemos dizer que, se considerarmos o preço convertido para dólar, é o valor básico mais alto cobrado pela Apple no Brasil desde o início das vendas de iPhone no país, em 2008. Isto, aliado à queda do poder aquisitivo de boa parte da população, acaba frustrando a maioria dos usuários.

iPhone XS menos caro

A mesma alta agressiva vista no iPhone XR não se viu, surpreendentemente, no preço do iPhone XS. Se usarmos a mesma lógica de conversão, o modelo básico do XS caiu de preço.

Para ilustrar isso melhor: se você tivesse US$ 2.000 guardados em dezembro de 2017, não conseguiria converter e comprar em Reais um iPhone X. Já este ano, com os mesmos US$ 2.000 seria possível comprar o iPhone XS, e ainda sobraria alguns trocados. Sim, sabemos que o preço à vista é menor, mas estamos usando o preço cheio como referência.

Modelo e lançamento Preço em Reais Convertido em dólar (na época)
iPhone X (08/12/2017) R$6.999 US$2.127
iPhone XS (09/11/2018) R$7.299 US$1.962

Ou seja, apesar do valor para nós ser maior que no ano passado, o dólar aumentou bem mais do que o aumento que a Apple aplicou no aparelho. Se seguisse a lógica o preço do modelo básico este ano ficaria mais próximo dos R$7.999.


Mas por que a Apple está cobrando tão caro em um modelo que deveria ser “o mais acessível” a todos? Por que o preço, em relação ao iPhone 8 do ano passado, subiu tanto assim no Brasil?

São perguntas que não sabemos responder. Só a Apple Brasil tem a resposta.

Mas é importante sempre lembrarmos que contas superficiais não são nada construtivas e só geram desinformação e raiva nas pessoas. Todos os produtos importados sofrem uma pesada carga tributária no Brasil (cerca de 60%), e boa parte deste valor a mais vai para o Governo. Isso é fato.

Outro ponto a ser considerado é o que o ex-vice-presidente internacional da Xiaomi, Hugo Barra, comentou uma vez em relação ao comércio de celulares importados no Brasil. Ele justificou a saída da empresa chinesa de nosso mercado por vários fatores, e um deles foi a alta margem de lucro que o varejo brasileiro obriga as fabricantes a garantir na venda de aparelhos. Ele chegou a citar que 30% do preço do celular fica com os grandes varejistas, o que impede a implementação de preços competitivos em nosso país. Quem disse isso foi alguém que não tem nada a ver com a Apple, então é algo a ser considerado também.

A Xiaomi veio ao Brasil para brigar feio por preços, mas não aguentou e foi embora, tamanho foram os entraves.

Então, antes de ficar xingando no Twitter que a Apple é canalha, que considera brasileiros uns palhaços e que só explora os “otários que compram”, procure se informar sobre os cálculos que fazem ela chegar a esse preço. Mas não vale se informar pelo WhatsApp, vá atrás de fontes fidedignas de informação.

Longe de dizer que ela não tira um bom lucro na venda no Brasil (óbvio que tira), mas entenda que, pelo menos uns R$2.000 do preço de um iPhone XS não fica com ela.

Em 2013 nós fizemos uma matéria na Revista iThing, falando justamente do Custo Brasil e quanto ele deixava mais caro o preço do iPhone em nosso país. Tudo isso ainda vale nos dias de hoje, infelizmente.

Se você quiser rever o artigo da revista, pode visualizar a versão web da edição.


Este é um artigo de opinião. Se a nossa diverge da sua, ficaremos felizes em conhecer o seu ponto de vista e nos mostrar em quais pontos podemos melhorar nossas ideias. Mas por favor, use argumentos concretos para isso, pois só assim todos aprendemos. 😉✌️

Tags
Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados

  • Diego

    Bem vindo ao Brasil

  • Honi Kun

    Não tem explicação, é só voce ser imparcial e comparar com outros produtos com a mesma faixa de preço em dolar no exterior. Da pra comparar até mesmo com os produtos da própria apple, porque o iPhone XS Max de 256gb que custa $1,249 dolares é muito mas muito mais barato que o Macbook, apartir de $1,299 dolares custam respectivamente R$8,799 e R$11.499. Quer dizer, a Apple decidiu que 50 dolares causam essa diferença? Ai você pega o celular da concorrente, que o highend flagship dela bate em specs com o iPhone XS, mas o preço é menor que o iPhone XR? E não vem me falar de software e build quality. O negocio é o preço em dolar e o preço de custo para fabricar e acabou.

    • Thiago Ferraz

      Também penso o mesmo. Olhando friamente e comparando com outros eletroeletrônicos que aqui chegam, a Apple Brasil cobra um preço absurdo. A culpa não é apenas da carga tributária. E ela só prática esses preços pq sabe que têm quem compre.

      • Alice Cunnha

        A Apple cobra um preço absurdo, isso é verdade. Mas temos que ser honestos e entender que o Governo do Brasil só rouba. Não produzem nada, e ganham em cima de nós.

        • Thiago Ferraz

          Concordo, Alice. O Estado é o sócio que não trabalha e muito menos investe. Mas o que se mais vê é jogar a culpa nele sendo que ele é responsável, apenas, por uma parcela dessa culpa.

        • Gustavo

          exato qual a explicação para tantos impostos.

          • Bernardo

            O famoso lucro Brasil.. as margens de lucro destas empresas são sempre maiores no Brasil.. dela eletroneletronicos, carros e etc.. infelizmente o brasileiro nasceu pra ser explorado.

    • Joao

      Só tem que ver se os impostos e frete para celular, sao os mesmos para um notebook!

      abs

      • Guilherme Avila

        Realmente acredito que nao tenha, mais acredito que o celular tem mais impostos que o note.

    • Penso o mesmo! Claro que a carga tributária pesa, mas no caso da Apple não dá pra defender muito!

    • Adriano Arcuri

      Perfeito colocamento! Dificil comprar iphone aqui dessa família X pra cima. virou preços absurdamente inviaveis. Tem q estar sobrando muito dinheiro pra comprar : /

    • Ronald M.´.

      O problema é que as outras fabricantes possuem fábricas no Brasil, enquanto a Apple não

  • Alexandre

    Como o próprio texto diz. Indefensável. Sempre fui fã da marca, mas passei a me sentir extorquido. Chegou a hora de dar valor para as outras.

    • João Pedro Salvador

      é só importar

      • Guilherme

        Tu quer dizer comprar indiretamente de contrabandistas?

  • Luan

    Hoje em dia está cada vez mais difícil comprar um iPhone. Antigamente,quando um novo modelo era lançado,o preço dos iPhones anteriores tinham uma boa queda,ou a Apple disponibilizava esses modelos antigos em 16GB para ficar mais acessível,e hoje isso não acontece mais. O iPhone 6S por exemplo saiu de linha e você não encontra o modelo por menos de R$2000. Um tempo atrás eu lembro que era possível adquirir o iPhone 4 por R$1599 quando o 4S foi lançado na época,alguns meses depois. Tanto que meu iPhone 4S e meu iPhone 5C eu paguei R$1500 na época,e meu atual 6S paguei 2300 há 8 meses atrás,em comparação o Galaxy S8 está hoje no mesmo valor do meu 6S,aparelho ainda recente e só tem uma geração lançada depois dele. Então tá difícil,tem que amar muito a marca hoje em dia se quiser ter um,porquê não está valendo a pena.

  • Alcyr

    Pode fazer todo tipo de conta e justificativa, não tenho dúvidas de que a Apple lucra mais em um produto vendido aqui no Brasil do que nos EUA e isso é uma decisão exclusiva da empresa.

    • E o que te faz pensar que uma empresa queira lucrar MAIS em um país MENOS desenvolvido? E se for esse o objetivo, porque não deixar mais barato, dar uma sensação de que o modelo melhor e atual ficou mais barato e lucrar MAIS vendendo MAIS unidades, o que a faz lucrar ainda com serviços como Apple Pay, Apple Music, iCloud, etc? É só ter um pouco de senso crítico ao invés de se fazer de vítima da empresa malvada.

      Isso é muito síndrome de vira-lata, achar que a empresa quer ganhar em cima da gente mais do que ganha no resto do mundo. Não tem sentido nem embasamento algum; faça as contas de todos os impostos e porcentagem do varejo e depois, só depois, você pode afirmar alguma coisa embasada em fatos, não em opiniões tidas como verdades. 😉

      • Alcyr

        Em nenhum momento disse que a Apple estava errada, pelo contrário, se estivesse errada não seria a empresa mais valiosa do Mundo, agora se você comparar com as concorrentes verá que a variação de preço dos produtos é menor!

        • É difícil comparar com concorrentes, Alcyr. Veja porque:

          A Apple, diferente das outras empresas, desenvolve o seu próprio software além do hardware, o que dificulta as coisas. O custo dela no desenvolvimento do aparelho é, portanto, bem maior, o que a impede de diminuir a margem. Isso sem contar na escolha de materiais, acabamento, e até detalhes que nem imaginamos, como a escolha do fornecedor com o tempo de abertura da caixa do iPhone mais adequado. Isso tudo faz parte do que a Apple enxerga como valor.

          Faça as contas de um aparelho de outra empresa que seja 100% importado (sem montagem nacional) e veja sua margem de lucro comparativamente com a versão vendida lá fora. Verá que o lucro é drasticamente reduzido para ampliar a penetração no Brasil. É um direito da empresa querer lucrar menos aqui, como é um direito da Apple querer lucrar a mesma coisa aqui que em qualquer lugar do mundo.

          Ou seja: ela não lucra MAIS aqui. As outras é que lucram MENOS, o que explica o fato observado por você mesmo com relação às concorrentes.

          Ah, detalhe importante: analisando o valor do iPhone aqui e lá e calculando os impostos você descobrirá que a Apple já abre mão de parte da margem aqui. A diferença é que ela não reduz tanto quanto os concorrentes, e não há nada de errado ou “explorador” nisso: só ela sabe os custos (não só de material, mas também de pessoal, pesquisa, desenvolvimento, etfc) que cada aparelho tem e com o quanto ela pode trabalhar. 😉

    • “não tenho dúvidas de que a Apple lucra mais no Brasil do que nos EUA”

      Fonte: li no Facebook.

      • Alcyr

        É só comparar com as concorrentes, deixe a emoção de lado!

        • O Gui já deu uma explicação perfeita sobre este seu argumento.
          São fatos e argumentos objetivos, não subjetivos (emoção). 😉

          • Eu acho essa análise feita pelo blog interessante.
            Minha pergunta eh: seria possível uma análise igual, mas utilizando o preço (estimado) de custo do iPhone?

            Digo isso pois o iPhone XS custa 999 dólares já embutindo o lucro da Apple nos EUA. Logo a comparação parece “mais justa” se conseguíssemos fazê-la pelo preço de custo e não preço final.

            • Apple Insider estima que o IPhone XS Max de 256Gb custa USD453 para a Apple

            • iPhone X now!

              Tem muita coisa por trás, a empresa tem que vender aqui no Brasil para manter sua operação aqui, dar lucro aqui e ainda dar uma parte do lucro para ser enviado aos EUA igual grandes montadoras de carro e supermercado.

            • ricardopilatti

              Boa!

  • Exes Man

    Conforme já reportado, todo ano a mesma coisa… Reclamações mil e depois vendas mil!!!

    • Gustavo

      E filas mil…

  • Wellington Silva

    Pra mim chega, isso é falta de respeito ,gosto do ios e não vou abandonar a Apple, mas vou ficar no iphone 7 por enquanto, no próximo ano pego o iphone x ou o 8 plus.

  • Gustavo Pereira Nunes

    Essa história de 30% de margem pro varejo é balela. A Apple não precisa do varejo para vender. Ela tem força suficiente para vender no próprio site e em sua lojas próprias.

    • Que é igual a… varejo! Ter sua loja também implica em pagar funcionários, logística, treinamento, locação, contas, mais impostos, etc e etc.

      • Gustavo Pereira Nunes

        É igual a varejo mas ela pratica a margem que desejar. Meu comentário é em relação ao varejo impor uma margem de pelo menos 30%

        O grande mistério é saber o preço praticado pela Apple US para a Apple BR. Mas esse número deve estar trancado junto com a fórmula da coca cola.

    • Acho tanta graça desses “analistas de WhatsApp” que criam suas opiniões fortes em… achismos.
      Nenhum número, nenhuma fonte para apontar, nada.

      O Brasil virou um país cujo povo forma a opinião no WhatsApp.

      • Gustavo Pereira Nunes

        Não entendi o que você quis dizer com analista de WhatsApp

        A matéria cita uma declaração do Hugo Barra a respeito do varejo brasileiro abocanhar ao menos 30% do valor do celular. Argumentei que essa questão não se aplica a Apple pois ela tem força suficiente para escapar dessa ditadura do varejo brasileiro.

        Podemos continuar a argumentação nessa linha de pensamento ou podemos apenas de forma rasa atacar a opinião alheia chamando de analista de WhatsApp.

        • Ok, vamos começar do zero então, para podermos aprender um com o outro. Estou disposto a ser receptivo ao que você tem a dizer e estou aberto a mudar de opinião se você conseguir me convencer.

          Você afirmou taxativamente: “Essa história de 30% de margem pro varejo é balela.

          Usou como argumento o fato de você achar (e até você apresentar algum dado concreto ou fonte de notícia, eu considero que é o que você “acha”) que a Apple tem cacife para não precisar das lojas tradicionais de varejo.

          Eu discordo de você. Mas também não tenho números e dados para afirmar o MEU “achismo”, a não ser o que o Barra falou.
          Conheço muita gente (e olhe que eu tenho acesso a um número bastante grande de usuários de Apple) que só compra seus iPhones e iPads em lojas grandes, como Fast Shop, Saraiva, Magazine Luiza. Isso porque elas não são tão ligadas em tecnologia ou notícias como eu e você. Elas só acessam aqui o blog quando precisam resolver um problema e encontram no Google o link. Estas nem sabem a data que o último iPhone foi lançado ou as características técnicas dele. Só querem comprar e usar.
          Nestes casos (que penso ser um número bem grande dentro do universo brasileiro de usuários), a Apple não pode se fechar em seu próprio nicho e apostar que somente seu nome resolvem tudo. Acho que “na vida real dos negócios” a coisa não é tão simples assim.

          Não se ofenda com o comentário sobre o WhatsApp. É que você veio tão enfático e não apresentou número nenhum para contra-argumentar. Aí fica difícil mudar de opinião. 😉

          • iLex, ainda falando em números da tabela do texto, o cálculo do dólar + impostos + etc etc etc, são feitos em cima do preço que a Apple vende lá fora (ex. USA), e esse preço já é com o lucro das lojas lá de fora, se eu compro um iPhone e ele custa US$ 999,00 esse preço já está embutido o lucro da Apple sem o imposto é claro, pensando nisso, acredito eu, que a Apple Brasil não compra iPhone a US$ 999,00 pra revender no Brasil, ela deve comprar os aparelhos mais baratos, o que seria em termos teóricos ( especulativos ) uma margem de lucro um pouco maior, já que ela, em teoria, compra os aparelhos mais baratos. Não seria isso?! Posso estar errado.

            • Sim, também acho lógico a Apple Brasil importar por um preço menor do que o valor de varejo nos EUA. Porém, não temos como saber este valor, porque ela não divulga.

              Por isso mesmo que no artigo da revista (e na tabela postada aqui no artigo) não analisa o lucro efetivo da Apple, apenas as diferenças de valores cobrados na Europa e no Brasil. Partindo do pressuposto que a Apple Europa e Brasil pagam o mesmo preço básico em dólar pelo aparelho.

            • Victor Lins

              A Apple não é obrigada a vender com grandes varejistas como Fastshop, Magazine Luiza, etc. Ela não fica refem desses 30% de margem que impulsaram à Xiaomi. Ela pode muito bem vender online, em seu próprio site, sem se submeter à essa imposição. Não vejo muito fundamento nessa declaração do presidente da Xiaomi.

      • Bruno Lima

        O blog sempre teve, nos posts mais polêmicos, um ou outro que desse uma de ”analista” ou ”espertão” baseado em achismos, mesmo quando nem existia WhatsApp.

        Quando aparecer alguém e fizer um comentário infeliz agora a culpa é do povo como um todo que está sendo educado via WhasApp? Uma pessoa lê algo no WhatsApp e acredita cegamente mas depois vem no Blog e lê algo e desenvolve um senso crítico para duvidar do que está escrito? É essa a lógica?

      • Leandro Moreira

        Nessa semana de pré venda as lojas do grupo B2W (Americanas, Submarino) estão vendendo o iPhone com possibilidade de cashback de 20% através do programa AME, e isso podendo pagar em 12 vezes sem juros. Pra isso ser viável financeiramente pra empresa ela realmente tem que ter uma margem de lucro bruto no preço cheio de pelo menos uns 30%

  • KB

    Perfeito artigo! Eu entendo perfeitamente os efeitos do dólar mais a carga tributária… é puro cálculo, tranqüilo… mas o que não consigo entender é a diferença de preço para produtos diferentes que possuem o mesmo valor. Exemplo: o iPad Pro lançado hoje, versão de entrada $799. O Mac mini versão básica também $799… no entanto, aqui no Brasil o iPad sai por R$6799 e o Mac mini por R$6999. Qual o critério adotado? Demanda? Importação seletiva e limitada?

    • Eu acredito que a principal diferença seja na categoria do produto, já que cada categoria conta com uma tributação diferente. Além disso deve entrar no cálculo a margem de lucro de cada produto, dando assim para obter preços melhores em produtos que já possuem uma margem de lucro originalmente maior, por exemplo.

      • KB

        Ambos estão na mesma categoria de eletrônicos e mesma taxa de importação. Não justifica. Se fosse por exemplo comparação de um acessório e um equipamento, até entendo. Mas mac mini e iPad categorizam-se como computadores. Não é de hoje que a Apple .br faz isso. Na época do iLife ‘08 e iWork ‘08 (quando eram cobrados), ambos custavam os mesmos dólares nos US. Mas por algum motivo obscuro, a Apple .br decidiu que um devia custar mais que o outro aqui no Brasil. Ambos software.

        • Jayme Ricardo

          Eles podem até estar na mesma categoria, mas são de longe o mesmo produto, falando só de transporte, um pesa algo em torno de 500g e o outro 2kg !!!

  • Esdras Ghomes

    Só penso que, em um país onde as pessoas reclamam da manipulação governamental e as vezes se sentem até como uma massa de manobra, e são educadas por aplicativos devido a falta de educação proporcionada pelo ente, não deveriam retrucar sobre preços de empresas privadas, até mesmo porque, lutamos pelo livre comércio, e até onde sei, temos a faculdade de compra, ao contrário dos impostos alheios onde somos compulsoriamente forçados a arcar com o ônus que não é nosso. Não defendo valores orbitantes, mas os que reclamam são justamente os que consomem. Achar injusto é uma coisa, agora ser ineloquente baseado em uma leitura de 2 linhas é burrice

    • Concordo totalmente, Esdras.

  • Alexandre Soares

    Será que o preço do iPhone 8 deve diminiuir? Estou precisando trocar meu celular mas esses novos estão com preços surreais, achei o 8 na fastshop por R$3.199,00 mas estou na dúvida se consigo achar mais barato

  • blz, entendi.. mas pq então os tops de linha das outras marcas é mais barato? Simples, a Apple simplesmente se recusa a diminuir margem de erro e usa os EUA como base pra praticamente tudo.
    Estou morando na Europa, aqui muita gente tem iPhone pq compra no plano da operadora, mas se vc comprar sem chip vem carissimo por essa lógica de manter o preço igual a dos EUA.

    A Apple infelizmente sempre foi uma empresa q só pensa estrategicamente em EUA e na hora de mandar o iPhone pra outros países ela simplesmente repassa o preço definido para os EUA, isso não faz sentido nenhum. Outras marcas como Samsung estudam cada mercado e se precisarem, diminuem a margem de lucro pra continuarem ali. Eu tenho iPhone e Mac, amo meu iPhone 7, mas ta cada vez mais difícil defender a Apple e realmente passa a impressão de q estão sendo canalhas.

    • Fantomas1123

      Perfeito! Essa era tbém a minha dúvida… Se a justificativa é que os altos impostos do governo é que são os grandes responsáveis pelos preços praticados por aqui… por que o mesmo não se dá tbém com outras marcas (que, sabemos, possuem tbém ótimos aparelhos, alguns com configurações bem superiores aos aparelhos da maçã)? A meu ver (de novo, a meu ver)… culpar a tributação brasileira pelos preços proibitivos e abusivos dos iPhones é querer tirar a culpa da Apple e jogá-la na política brasileira que, nisso todos concordamos, está bastante longe de ser um exemplo a ser seguido.

  • Leandro

    https://uploads.disquscdn.com/images/81951bd0730bfcf19f240591e5100d11bfe7b48631fd885778b9ddb350a7fe03.jpg

    Resumo da verdade. (E pode banir de novo, nessa idade com uma mentalidade tão infantil de ser dono da bola e acabar com o jogo é tão imaturo que da pena. Tenho pena dos seus filhos.) Ass: Honi Kun

  • André

    Saudades, iThing.

  • Rene Fraga

    Todo ano é a mesma coisa, “Nossa que absurdo, tá caro, da para comprar isso e aquilo com o valor do iphone” Bla bla bla… Quando lançou o Iphone 6S, minha mulher pediu reserva pela FastShop pagou quase 6 mil reais no de 128gb.
    O fato é tudo no pais esta caro, apartamento, carro popular a 70 mil reais, etc etc etc… Tem quem pague, e enquanto isso estiver acontecendo as impressas não vão deixar de existir, é muito mimimi para pouca coisa, ainda mais que o @blogdoiphone:disqus faz a gentileza de colocar comparação de valores a anos anteriores para vocês saberem que o que aumenta não são os celulares da Apple mas os impostos e moeda exterior.
    Quem pode paga quem não pode corre atras, se quiser logico.

  • Gilmar

    Eu percebi que ultimamente tem sido mais fácil encontrar iPhone nos revendedores por preços menores que os praticados pela Apple (estou falando de lojas famosas mesmo, não de sites como Mercado Livre). Por exemplo, o iPhone 8 de 64 GB pode ser encontrado neste momento em uma loja famosa por 3.240 à vista ou 3.812 parcelado enquanto na Apple os valores são de 3.600 à vista ou 4.000 parcelado. Em modelos anteriores a diferença pode ser ainda maior: iPhone 7 de 32 GB em outro revendedor famoso por 2.700 parcelado e na Apple por 3.200 parcelado. Existe alguma explicação para isso? Essa diferença seria parte dos 30% que as lojas exigem? Não entendo como os revendedores conseguem fazer preços melhores que a própria Apple.

    • Esdras Ghomes

      Vou tentar te explicar, não te convencer, pois quem apresenta um argumento no mínimo lógico merece uma tentativa de resposta, até porque, não sou o dono da razão, estamos apenas conversando. A questão é o preço do produto no Brasil e não em uma loja específica. Você tem a opção de comprar o iphone em outras gigantes brasileira. A diferença de preço é em questão da exclusividade imediata, do alto padrão das lojas, do atendimento qualificado, da segurança na compra e do marketing da empresa dentre outros fatores. Para constar a título de informação, pagamos indiretamente para respirar em solo brasileiro. Enquanto a loja apple vende 10 aparelhos, a gigante vende 100, más sem os requintes da loja apple citado acima. O público alcançado pelas gigantes é maior, logo temos que ponderar a assertiva que, eles ganham na quantidade de venda, lucram pouco de muito. A loja apple no Brasil não tem condão de venda, sua natureza é de vitrine e publicidade, logo a loja online não pode divergir os preços. Mas caso você decida e se sinta bem tratado, pode adquirir algo com os mimos específicos dela, mas isso tem preço, ou pode aguardar o consumismo diminuir e adquirir os mesmos aparelhos com preços menores após alguns meses depois de aprecia-los na loja apple. Repetindo, não defendo valores exorbitantes, más para tudo existe uma explicação, discordar é direito.

      • Gilmar

        Entendi. Faz sentido sua explicação dos revendedores lucrarem pela quantidade de venda. Essa diferença de preço sempre existiu nos celulares de outras marcas (comparando os preços das lojas oficiais com os dos revendedores). Mas tenho a impressão que tempos atrás o iPhone tinha o preço tabelado no país todo e preços mais baixos que os da Apple eram bem raros. Atualmente percebo que os revendedores fazem preços mais baixos sem ser promoção propriamente.

  • Antonio Frederico

    A Apple fabrica seus produtos e eles vendem tudo. Pra que ela vai abaixar o preço? Quem quer ter iPhone tem que pagar pelo preço ou então montar sua própria estratégia: usar o anterior à base de troca, comprar modelos do ano anterior, comprar nos EUA, no Paraguay, enfim, vale tudo.

    O meu modelo é um IPhone 6 de 16gb. Estou muito a fim de comprar um modelo desse ano, mas não pode ser nesse preço do Brasil, vou tentar ver se consigo comprar pelo Paraguay.

    Se eu não conseguir, vou fazer uma tentativa arriscada: partir pro Galaxy S9 que está custando 2.500,00 por aqui. Baita celular, preço justo.

    A Apple está na dela. Quem tem que cuidar da minha vida sou eu. Decido o que posso e como posso e se puder eu compro, se não puder compro de outra marca.

    E se eu tivesse 7 conto dando bobeira na minha conta sem nada pra pagar, poderia até pagar por um iPhone XS, porque não? Um produto bom, que vai durar na boa por 3 anos, sempre os produtos Apple me atenderam muito bem, só acho que todo mundo é livre para decidir como pode e como quer fazer. Só isso.

    Discordo frontalmente da política de preços da Apple no Brasil. Ponto. Mas a verdade é que os caras são a empresa mais rica do mundo, então o certo é eles né? Agora eu comprar, vai ser só se eu estiver a fim e podendo.

  • Antonio Frederico

    iLex, segue a tabela atualizada com os salarios minimos:

    Modelo Valor em R$ Valor em USD Salario Mínimo Preço em SM
    iPhone 4 (17/09/2010) R$1.799 US$1.045 R$510,00 3,5
    iPhone 4s (16/12/2011) R$1.899 US$1.080 R$545,00 3,5
    iPhone 5 (14/12/2012) R$2.399 US$1.153 R$622,00 3,9
    iPhone 5s (22/11/2013) R$2.799 US$1.233 R$678,00 4,1
    iPhone 6 (14/11/2014) R$3.199 US$1.229 R$724,00 4,4
    iPhone 6s (13/11/2015) R$3.999 US$1.057 R$788,00 5,1
    iPhone 7 (04/11/2016) R$3.499 US$1.076 R$880,00 4,0
    iPhone 8 (03/11/2017) R$3.999 US$1.215 R$937,00 4,3
    iPhone XR (09/11/2018) R$5.199 US$1.398 R$954,00 5,4

    • Boa! Valeu Antônio!

    • Mas, não sei se pode-se usar o salário mínimo como referência, visto que ele não acompanha o mesmo reajuste do dólar e nem da inflação.

      Mas serve para nos jogar na cara como nosso poder de compra está cada vez pior…

  • Marcelo Viana

    A Apple até lá fora está sendo criticada por essa estratégia de transformar seus produtos em super premium, sim nós temos muitos impostos, taxas, usura, mas até para os americanos, pagar 2400 dólares num ipad full spec, é demais. Um MacBook air 1200? 10400 no Brasil? não vale, um Mac mini i3 8gb ram 128 ssd soldado? por 799? 7000 no Brasil? ridículo. Imagino que o novo mac pro deverá começar por uns 10 mil dólares… Uso produtos apple a muito tempo mas toda sua qualidade não justifica, a falta de upgrade e esses valores putz um mac mini i7, 32gb ram, 1tb ssd 3400 dólares? sem teclado e monitor?!?!?

    Os iphones nessa toada, chegarão em 2020 por 10 mil os de entrada. Vale isso? olhem os Androids oferecendo cada vez mais por menos. Sim ios é ótimo, ecossistema e tal, mas pense em alguém que só usa o telefone, hoje com o preço de um iPhone 8 dá para comprar um One Plus 6t maior que o iPhone 8 plus e sobra dinheiro. Para o usuário leigo que só quer navegar na internet, ouvir música, jogar, não pensa duas vezes.

    Acho que muita gente aqui e lá fora vai continuar comprando, mas a tendência é a apple virar uma Luis Vuitton ou uma Ferrari que escolhe se vc pode ou não ter uma. Quem usa como ferramenta de trabalho deverá migrar para outras plataformas. É uma tendência natural, ainda mais quando a cada dia o trabalho vale cada vez menos. Infelizmente.

    • Bem relevante seu comentário, Marcelo, e tenho que concordar com tudo o que você diz.
      Realmente até em outros países há esta crítica. Para nós, os efeitos são ainda mais ampliados por causa da situação dos últimos anos.

      Mas o mercado é implacável: no momento que as pessoas começarem a trocar de marca por causa desta política de preços, aí veremos se ela vai ser boa para a Apple ou não.

      • Eng. GuiMaxx

        Perfeito, iLex! Vc disse tudo! O mercado é implacável, e dado o fato dos iPhones terem cada vez menos novidades e preços cada vez maiores, é muito provável que em um futuro próximo vejamos uma queda significativa das vendas. Isso aconteceu com o Mac na década de 80 quando o PC começou a dominar e pode voltar a acontecer agora com o iPhone.

    • Adriano Arcuri

      Muito bom texto, meu sonho eh que as pessoas parassem um pouco de comprar Apple, e ela tomasse seu susto….eu AMO a Apple…mas ja ta ficando exageradamente elevado, ate para padroes americanos. Quando vem akeles resultados deles, vendas de iphones, eu torco para cair, para ela assim quem sabe mexer nos precos, novas politicas, etc. Mas nunca cai, so vende, logo, espere novas elevacoes para um futuro iphone 11 e por ai vai.

    • Igor Barros

      Achei um comentário perfeitamente válido e mais ainda a analogia.

      Possuo iPhone desde o primeiro modelo, e sempre troco a cada dois anos. Hoje, felizmente faço parte, acredito de um parcela não tão grande da população, que até pode arcar em se dar ao luxo de ter um aparelho destes, mas aí reflito: até que ponto isso é necessário e tão trivial? É uma necessidade real? É um hype? O que seria?

      Até se pararmos para pensar numa conversão direta em uma aquisição nos EUA, em um estado com imposto mais acentuado, teríamos um aparelho próximo dos R$ 5k. Acho que pro brasileiro, ainda pegando carona na sua analogia, a barreira psicológica de comprar um aparelho celular de mais de 4-5k (1000 dólares) é como comprar um veículo acima de 100k. É algum inimaginável, por mais que exista e acabe ocorrendo. Aí vai do custo x benefício x necessidade x condições de cada um. As vezes acho que a Apple testa esse limite de “até que ponto conseguiríamos elevar o preço dos nossos produtos?”.

    • Murilo Lourenço Cabral

      Booooooa, eu usei apple “Celular e computador”, celular do primeiro ao X, computadores meu primeiro foi um ibook a 16 anos atrás, hoje uso um S9 e um notebook Dell.

      Eu posso dizer com toda a certeza do mundo que os produtos da apple são excelentes, porem não vejo mais sentido e nem valor em usa-los, o sistema da apple é realmente bom , mas os outros estão muito próximos se não melhores dependendo do uso de cada um.

      Hoje o S9 me atendede melhor do que o o Iphone X me atendia e hoje o Dell me atende melhor do que o Macbook Pro 2017 me atendia, é muito louco isso pois as pessoas que me conhecem faz tempo me vê tirar um galaxy do bolso e fala “Ué? você usando Android?” e eu falo, cara experimente e veja que o o iphone já foi extremamente melhor “Já Foi”. Dai quando vê que meu computador não é um Mac fala “Vixi o Murilo ta quebrado” kkkkkkkkkkk.

      Na verdade eu não mudei de plataforma pelo preço, claro que é um fator bastante relevante, porém se for ver a quantidade de vezes que eu tenho que trocar de maquina ou aparelho celular o valor avaba sendo o mesmo, eu troquei por não me sentir mais tão bem atendido com os produtos como me sentia antes.

      A apple perdeu bastante em inovação, design, estabilidade do sistema e isso não tira o mérito da empresa que ainda é uma das melhores, se quer ter um celular ou computador que funcione bem pode ir sem medo se seu bolso der, mas hoje sei que as pessoas que usam apple são pessoas que estão acostumadas com o sistema e não querem experimentar o novo.

      Sou fã da apple ainda mas não vejo mais meu dinheiro indo para a conta deles.

      • Rafael Haertel Peres

        Eu estou nessa também, sempre tive macbook, mas desde 2012 comecei a comprar avell, já estou no meu segundo avell, e com 7 mil reais consegui comprar um i7, 16gb 512 ssd e gtx1060. Em resumo, um monstro, perto do macbook air de entrada que custa mais caro. Já com o iphone não rolou, troquei o meu 6s por um s9+ Faz 4 meses e vou ter que vende-lo pois não consegui me adaptar, pra quem é heavy user que nem eu, o Android engasga demais, reinicia toda hora, etc… Vou ter que tirar um dinheiro a mais do bolso e pegar o xr.

        • Murilo Lourenço Cabral

          Nunca tive problema de reinicio ou travamento, agora se fizer root e começar a instalar tudo quanto é personalização ai não tem jeito trava mesmo. Tem que usar o android perto do que usa iphone sem ficar instalando um monte de coisas de personalização. O iphone não tem oque instalar de personalização o Android tem mas tem que ser moderado.

    • KB

      Concordo… é uma pena… sempre fui usuário Apple em quase toda sua linha de produtos, mas esta segmentação a que caminha a companhia está tornando difícil de continuar.

  • Jack Wayne

    Tenho iphone desde 2012. Gosto do ios, estou adaptado, é uma plataforma intuitiva e simples. Comecei com um iphone 4 (16gb), passei pro iphone 6 plus (128gb) e agora estou com um iPhone X (64gb). Comprei no começo do ano – peguei fora do país, paguei R$ 3.600. Vou trocar daqui uns 3 ano. Não tem porque ficar trocando todo ano, não há tanta mudança que justifique pagar esses valores – mesmo fora do país.
    Eu realmente admiro quem faz loucuras. No mínimo não tem noção sobre economia e mercado. Não justifica dizer que quem tem pra gastar, gasta… isso é menos de 1% da população(Excluo quem “ganha” da marca pra fazer marketing e propaganda). Conheço pessoas que tem pra gastar mas sabem da realidade econômica e não compram. Sobre os valores brasileiros é um absurdo – ponto – absurdo. Não tem como justificar – é abusivo, estratosférico, chega perto de ser vergonhoso uma empresa jogar preços assim no mercado.

  • Danilo

    Concordo com essa parte que fala da cachorrada que os varejistas fazem.
    Comprei ha 1 mês atrás um IPhone 8 64GB por R$2800 a vista na Americanas… é quase R$900 mais barato que o preço a vista quando vendido no preço cheio ( R$3999)
    Agora pergunto,a Americanas teve prejuízo pra me vender ou diminuiram apenas a “faca”?

  • Depois de anos debatendo esse assunto e após ouvir especialistas, posso dizer com convicção que são 3 os fatores para os preços tão absurdos do iPhone no Brasil. 1 – Apple e a sua alta margem de lucro (sim, ela tem uma margem de lucro bem alta); 2 – sistema tributário surreal; 3 – os brasileiros que compram os aparelhos da Apple aqui (sei que muitos não tem escolha).

  • André Pelegrini

    Falando em iThing… acabou?

    Não sei como está mais…

  • Danilo

    Uma coisa que as pessoas não conseguem aceitar e que ajuda a justificar a alta nos preços, é que infelizmente ( para nós) a Apple conseguiu verticalizar o mercado de telefones.
    Logo logo,as pessoas que usarão IPhone,serão as que pagam R$5000 em bolsa , R$40000 em Anel.

  • Jefferson Soares ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Isso é uma puta falta de sacanagem!
    Vou xingar no Twitter. Muito.

  • Paulo Resende

    Não justifica nada, mas é bom lembrar que menos que 2 meses atrás o dolar estava a R$ 4,20.

    Em um país como o nosso, de moeda fraca e instável. Muito provavelmente, por “segurança”, a Apple deve ter usado um valor próximo de 4,20 para o dólar como “referência”.

    Visto que não há a prática de ir alterando o valor do iPhone/iPad etc, toda semana (como a gasolina por ex.)

  • Rodrigo Fernando da Silva

    Apenas para titulo de informação, a Apple oficializou o inicio das vendas dos iPhones Xs e Xs Max para o dia 09/11

  • willyan

    Eu sinceramente nao vejo dificuldade, é simples pra mim, os preços no brasil pra mim são impossiveis, como não tenho como trazer direto de fora, compro de importadores, mercado livre, etc, que sai mto mais barato que os preços daqui.Acompanho sempre os preços do paraguai para não pagar muito acima, e é claro, nunca compro em época de lançamento, espero alguns meses para estabilizar. Ainda fico puto com o preço do dolar, mas ai é outra historia.

  • Marcio Perillo

    Tenho uma solução muito simples, que eu mesmo estou aplicando, só não comprar!!!

  • Gabriel Felipe Kuhn

    Sou empresário, tenho uma loja que vende produtos de informática, não sei do ramo de celulares, mas no ramo de informática, existe muito “ah coloca a culpa nos impostos” quando, o estado de SC, não cobra ICMS-ST, e os valores de IPI e ICMS são 3 ou 4%, portando, quem lucra é o fornecedor, que importa com ICMS e/IPI à 4% ou 2% muitas vezes, fora que, o maior ecommerce da america latina, vende com os mesmos icms e ipi, por ter entrado na justiça e conseguido o tal benefício, é muito fácil colocar a culpa no “GOVERNO”mas você precisa procurar saber o que realmente acontece, fora que muitos que gritam “IMPOSTO É ROUBO” a única coisa que sonham é passar em concurso público…resumindo, pra fzer dinheiro, você precisa ser “Lucro presumido ou Real”e ter dinheiro pra entrar na justiça e conseguir os tais benéficios hehe

  • Marcelo Viana

    É, parece que essa política de preços começou a dar “resultados” o Tim Cook comentou a queda de vendas no Brasil, mas não sebe porque, bom eu tenho algumas pistas para ele.

    Hoje li que as vendas da apple devem cair pela primeira vez na Índia e isso também deve ocorrer na China.

    Se essa tendência continuar é provável que o mercado encolha bastante, e ai veremos se o plano da apple é virar um nicho minúsculo de profissionais muito ricos e pessoas que compram marca só para externar riqueza ou se haverá uma mudança de curso.

    Pessoalmente acredito que será a primeira, basta ver a apresentação dos novos Ipads onde o maior destaque foi o fato de usarem alumínio reciclado. Algo que realmente só importa para hispsters descolados e xiitas ambientais, mas do que vale usar alumínio reciclado quando ao mesmo tempo produz produtos que não possibilitam upgrade?

    Só espero que a empresa não precise chegar a beira da falência outra vez para que essa diretoria acorde e de atenção para quem realmente usa apple e não só para quem quer um símbolo de status da vez.

  • disqus_c4ejyTniPq

    Sempre gostei da Apple mas já tem uns anos que decidi trocar de marca de celular porque com esses preços não dá para comprar. São fora da realidade do brasileiro. Sem contar, não gosto de ficar muito tempo com o mesmo aparelho…. levo no máximo 1,5 anos para trocar…. aí por esse preço que do Iphone não dá para brincar desse jeito. Atualmente uso um Galaxy S9 plus e estou satisfeita. Da Apple, acho que ainda vale a pena comprar tablets e laptops porque possuem maior longevidade…. smartphone não dá.

  • Thanos

    Pessoal é o seguinte, meu primo mora em Portugal e eu estou pensando em comprar o iPhone XS Max no site da Apple Portugal e mandar entregar na casa dele. A questão é sobre o envio para mim no Brasil, quais as chances dele me enviar pelos correios e meu iPhone não ser taxado? Porque se isso acontecer não valerá a pena e eu acabarei pagando mais que comprando no Brasil.

  • MagicCarpetDriver

    a explicacao é: enquanto tiver quem pague, a gente vai aumentar… seja aqui ou la fora… 999 dolares é caro para um celular em qualquer lugar do mundo sim!