Notícias

Órgão regulador nos Estados Unidos aprova um carregador elétrico à distância

Há quase um ano comentamos aqui o trabalho de uma empresa chamada Energous, cuja tecnologia permitia carregar um aparelho eletrônico mesmo longe da base de energia. Você poderia estar em uma sala, por exemplo, e seu telefone estar carregando enquanto ele está no seu bolso, por exemplo.

Na época, na CES 2017, a empresa prometeu que lançaria o seu produto até o final do ano e já tinha feito uma parceria com uma gigante do mundo da tecnologia, o que nos fez sonhar que isso viria nos novos iPhones (coisa que agora sabemos que não aconteceu). O ano praticamente acabou e não vimos o tal produto revolucionário.

Agora, a FCC (Federal Communications Commission, equivalente à nossa Anatel) acaba de aprovar o primeiro carregador sem fio à distância, em que você nem precisa apoiar o dispositivo sobre ele para carregar a bateria.

Chamado de WattUp Mid Field, o novo acessório é capaz de transmitir energia por radiofrequência (RF), recarregando dispositivos a até 3 metros. Veja o vídeo para ter uma ideia de como a tecnologia funciona:

Há anos eles prometem algo do tipo, mas com a FCC aprovando, isso pode finalmente sair do papel. Acredita-se que eles irão apresentar o acessório definitivo na próxima CES 2018, em janeiro. Resta saber se ele será associado a alguma marca ou se o acessório poderá ser usado independente do modelo.

Em janeiro, saberemos mais.

Fonte
Engadget
Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Gustavo

    Preciro nem pensar nos males que isso causa a saúde!!!

    • Jión

      Ondas de radiofrequência não são perigosas porque elas não são ondas muito energéticas. Independente da potência, um transmissor de rádio não causaria nenhum mau às pessoas ao seu redor (exceto se você tivesse uma antena milhares de vezes mais potente que uma antena convencional que espalharia tanta potência que esquentaria as coisas ao seu redor).

      • Gustavo

        Seria muito bom se fosse tão simples assim…. Mas não é…. Radio frequências afetam sim diferentes organismos, obviamente que não é um simples emissor de RF que irá causar doenças em seres vivos…. Mas como exemplo, já foram feitos centenas de estudos sobre o uso do forno de micro-ondas, e até hoje não existe um estudo definitivo afinando que é 100% seguro seu uso para o ser humano. Isso se contar que não existir nenhum vazamento de RF do mesmo, pois se existir, basta ver o que aconteceu com os militares na 2ª Guerra que se aqueciam em frente as antes de micro-ondas, e não eram antenas com milhares de watts. Outro exemplo é o celular, a potência de uma limitada a ERB é de 580 (W por centímetro quadrado, para um tempo médio de 30 minutos). Seria muito simples para as operadoras obrar a potências das ERBs para melhoras a cobertura, mas elas são proibidas, e um dos motivos são os possíveis males causados aos seres vivos. Existem estudos também que relacionam uma maior incidência de câncer em pessoas que moram muito próximas as linhas de transmissão de energia elétrica. RF é algo relativamente novo ao ser humano, apesar de existirem muitos estudos, ainda existem muitos estudos à serem feitos, por esses mesmos motivos existem restrições quando ao seu uso, tempo de exposição e etc. Se RF não fosse algo tão sério não existira o “Guidelines for Limiting Exposure to Time” criado pela OMS (organização mundial de saúde).

        • Daniel Alves de Andrade

          Por isso uma vez esquentei arroz no Micro-ondas e o prato saiu tocando rádio FM

          • Jonas

            1000000 x Kkkkkkkk

          • Gustavo

            …enfia a cabeça dentro no forno de micro-onde e liga…. aí vai pegar FM… kkkkk

        • Jión

          Concordo que as radiofrequências são algo muito recente, e que por isso não podemos tomar conclusões prematuras, mas de um ponto de vista físico as ondas de rádio teoricamente não tem energia suficiente para ionizar (e logo causar danos) a uma molécula de DNA, assim como qualquer tecido do corpo humano. Essas ondas só podem transmitir calor para esses tecidos, assim como a luz visível. Não podemos concluir que não há nenhum problema, mas teoricamente essas ondas são seguras.

    • Andrey Boarão

      Assistindo muito Better Call Saul, hein?

      • Gustavo

        Não faço a menor ideia do que seja isso… rsrsrsrsrs

  • Vicente Annunciato

    Bela invenção, no futuro carros, motos, onibus, shoppings…etc…terão esse equipamento e todos carregarão seus dispositivos sem perceber, apenas andando pelas cidades….

    • Douglas Knewitz

      Se vc viver em um país de primeiro mundo, talvez sim. Agora aqui no Brasil, isso não vai passar de sonho!

      • Fabio Ricardo Bulgaron

        Aqui no BR isso já acontece faz tempo. Anda com seu aparelho pelo Rio de Janeiro e ele será carregado rapidamente!

        • Sandro Moraes

          kkkkkk

        • CARLOS ALENCAR

          Me estourando de rir

  • Alex iPilot

    Não saiu aqui que a Apple havia adquirido uma empresa desenvolvendo essa tecnologia? Eu lembro de um post do Blog… Até especulei que o iPhone do ano que vem trará isso…

    • Douglas Knewitz

      Tbm lembro de algo assim. Quem sabe no próximo ano veremos iPhone com essa tecnologia, mas claro, vendida a parte!

  • Sonia Silva

    Off. Gente quando eu configuro o Face ID, as luzinhas não piscam, não teria problema, certo?

  • Jonas

    Esses comentários foram os mais engraçados desse ano. Sem ironias.

  • KB

    … mais uma vez neste tipo de assunto, o Tesla vem à mente… pena que não esteja vivo para ver o mundo a passos de tartaruga chegar mais próximo a algo que já propunha no século passado.

  • Moisés Araujo

    Em pensar que essa tecnologia Nikola tesla queria implantar de graca para todos hoje estamos usuflindo mais a ideia não foi pra frente o mais interessados queriam arrumar um jeito de lucrar com ela e aqui estamos hoje !!!