Aplicativos

Aplicativo de ajuda em atentados na França não funcionou muito bem em seu primeiro teste

Lembram quando falamos aqui de um aplicativo para iPhone que as autoridades francesas tinham lançado para alertar a população em caso de perigo, organizando a multidão para orientá-la ao que fazer em caso de atentados e catástrofes? Pois infelizmente ontem (14 de julho) aconteceu uma oportunidade de testá-lo pela primeira vez, e ele não se saiu muito bem.

No dia nacional da França, 14 de julho (Tomada da Bastilha), um caminhão passou por cima de uma multidão que estava reunida para ver os tradicionais fogos de artifício, na cidade de Nice, sul do país. Apesar de, no início, pairar a dúvida se era um atentado ou um simples acidente, o fato é que rapidamente a polícia percebeu que quem dirigia o caminhão fez tudo com a clara intenção de matar. Mais de 80 mortes foram confirmadas.

Era uma situação ideal para testar o novo aplicativo, feito para situações assim. Porém, ele demorou mais de duas horas e meia para dar as primeiras informações, quando todo o acontecimento já tinha terminado.

O app deveria funcionar como um centro de informações oficiais, para orientar a população e informar todos os detalhes, evitando assim um número absurdo de ligações para os centros telefônicos oficiais, além da propagação de boatos não verdadeiros. Pois foi exatamente isso que aconteceu, com a falha do aplicativo. Em pouco tempo, já se dizia nas redes sociais que havia reféns em um restaurante da cidade, ou que estavam acontecendo incêndios em Paris, espalhando pânico para toda a população. Era tudo apenas boatos.

O primeiro alerta do aplicativo só apareceu pouco antes das 2h da madrugada, e mesmo assim, com pouquíssimas informações. Não explicava o que tinha acontecido, nem o tipo de atentado que estava acontecendo (armas químicas, gaz, bombas, etc). Só mostrava um número de telefone para ligar para obter mais informações, que é justamente o que o aplicativo, na sua origem, deveria evitar.

AppAttentat

A ideia do aplicativo é ótima e tem potencial para usar ao máximo os dispositivos móveis que já fazem parte de nossa vida. Porém, em seu primeiro teste, ele se mostrou inútil e ineficiente. Claro que há ainda muito espaço para melhorias, e é bem possível que isso seja feito após este primeiro teste. Até o momento de publicação deste artigo, não se sabe com certeza se o motorista (morto pelos policiais) tinha alguma relação com células terroristas, porém é o tipo de situação que este aplicativo deveria ser usado para orientar a população.

Tim Cook e Phil Schiller expressaram solidariedade no Twitter.

via iPhon.fr

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Só para entender melhor:
    As pessoas usaram corretamente o aplicativo e ele demorou para compartilhar as informações ou o problema foi na forma como o usaram?

    • Na verdade, o aplicativo serve como meio das autoridades passarem o máximo de informações aos cidadãos, não há participação dos usuários nele. A intenção é, em caso de emergência, todo mundo usá-lo para saber o que está acontecendo e não ficar ligando para os serviços de emergência, congestionando assim as linhas e a própria rede telefônica.

      Mas como o aplicativo não dava nenhuma informação, ninguém conseguiu ligar nem se conectar ao 3G/4G, porque estava tudo congestionado. E isso em situações de emergência gera caos e impede que vidas sejam salvas.

  • Alex iPilot

    Mas até quando ficarão “Pray for aqui”, “Pray for ali”??? Deveríamos rezar é pra REALMENTE fazerem algo e exterminarem esse tal Daesh!!!

    O app é louvável, mas sempre duvidei que, no meio do caos real, pudesse responder tão rapidamente e com exatidão, sem piorar, confundindo e gerando pânico.