Rumores

[rumor] No futuro, poderemos ter apps universais que funcionarão no iPhone, no iPad e no computador

Mesmo antes do iPad ser lançado, rumores já sonhavam de que o tablet da maçã rodaria aplicativos de computador, com um sistema operacional similar ao macOS. Isso não aconteceu, mas a esperança de muitos permaneceu, imaginando que um dia o iPad rodaria programas de Mac, para substituir definitivamente o computador.

O tempo passou e agora a Apple quer inverter esta ideia: fazer rodar aplicativos de iPad no Mac.


O chamado projeto Marzipan é oficial e foi apresentado pela Apple na WWDC de 2018. Ele ainda está em testes internos, mas consiste em facilitar o porte de aplicativos de iOS para o Mac. Ou seja, com o mesmo código será possível criar apps para todas as plataformas da maçã, sem precisar fazer adaptações.

Em uma parceria, a Adobe já anunciou que fará uma versão completa do Photoshop para iPad com todas as funcionalidades do desktop. Com certeza eles já estão tendo acesso às ferramentas do Marzipan, para lançarem quando a Apple abrir o projeto para os outros desenvolvedores.



Mas no início, mesmo o código sendo único, o desenvolvedor ainda terá que gerar dois apps diferentes, um para iOS e outro para Mac. Isso porque os dois sistemas rodam em arquiteturas diferentes (ARM e Intel). Um aplicativo de iOS atualmente não consegue rodar em uma arquitetura Intel e vice-versa. Porém, isso pode mudar no futuro.

São fortes os rumores de que a Apple estaria desenvolvendo o próprio processador para colocar nos Macs, substituindo de vez a Intel. Ela já faz isso nos iPhones e iPads (com o chip A12 e antecessores) e portanto já possui know-how suficiente para fazer isso também no Mac. O processador do último iPad Pro não fica atrás de nenhum outro processador de computadores de consumo.

Com processadores de iPad e Mac possuindo a mesma arquitetura (ARM), não haveria nenhum impedimento para existirem apps universais, que rodem tanto em um quanto em outro. O usuário só precisaria pagar por uma versão única e usar onde quiser.

Segundo o Bloomberg, esta possibilidade poderia chegar em 2021, de acordo com algumas fontes internas da empresa comandada por Tim Cook. Até lá, a Apple já teria lançado seus Macs com o novo processador próprio. 

Mas este processo de transição deve demorar alguns anos. Para rodar os novos apps, os usuários seriam obrigados a comprar novos Macs, o que certamente não acontecerá de uma hora para outra.

A última grande transição de processadores aconteceu em 2005, quando os Macs que usavam chips PowerPC (da IBM) passaram a usar processadores Intel x86. Na época, a Apple lançou computadores com novos nomes — iBook virou MacBook, PowerBook virou MacBook Pro e Power Mac virou Mac Pro. O fim do suporte definitivo à velha arquitetura só aconteceu mesmo em 2011, no lançamento do Lion, quando o Mac OS X passou a funcionar exclusivamente com chips Intel.

Ou seja, 6 anos para a transição realmente se concretizar. O que significa que os aplicativos universais seriam definitivos apenas ali por 2026, 2027. E muita coisa pode rolar até lá.

Um ponto negativo de substituir os processadores Intel será o impedimento da existência dos hackintoshes, que é o processo de instalar o macOS em PCs Wintel e que permite ter um “Mac” muito mais potente, pela metade do preço.

Via
Bloomberg
Leia mais sobre:

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar