Resenhas

[review] iPad mini, o iPad que cabe no bolso da sua calça

iPad mini no bolso

Este é um review que estávamos devendo há tempos para nossos leitores. O texto original foi escrito, na verdade, apenas duas semanas depois do lançamento do produto dos Estados Unidos (em outubro), mas tomamos a decisão editorial de só publicá-lo quando fosse anunciado o lançamento dele no Brasil. O que não esperávamos é que demoraria tanto assim para isto acontecer…

Muitos de vocês constantemente nos cobram sobre nossa opinião sobre o iPad mini e por isso, resolvemos publicar mesmo ele não estando ainda à venda oficialmente no Brasil, para que você conheça um pouco mais deste ótimo dispositivo que promete roubar muitas vendas do seu irmão maior. Se você gosta do iPad, irá amar o iPad mini. 🙂

Não falaremos aqui de questões técnicas, pois muitos de vocês já conhecem todas as características dele. Por ser um review opinativo, falaremos apenas das características de uso vistas do ponto de vista do usuário. Os detalhes técnicos específicos podem ser vistos no site da Apple.

O iPad que cabe no bolso de uma calça jeans

Quem não conhece o mini, estranha em imaginar como uma tela menor pode trazer alguma vantagem sobre a grande tela do iPad normal. Mas basta segurar um na mão para entender de imediato que ele traz o melhor do iPad, em um formato bem mais leve e portátil.

A grande vantagem do novo iPad mini, sem dúvida, é seu tamanho e leveza. Suas medidas, além de permitirem segurá-lo com apenas uma mão, possibilita que o aparelho caiba facilmente em qualquer bolso ou bolsa, sem ocupar muito espaço.

iPad mini

Leve como uma pluma

Assim como o iPhone 5, a leveza do aparelho é uma das primeiras coisas que se nota no iPad mini. Muito, muito leve, ele permite ler livros, textos e mensagens apenas segurando-o com uma mão, por diversos minutos sem cansar. Depois de dois dias usando-o, você nunca mais achará leve o iPad normal e estranhará toda vez que segurá-lo. É aí que percebemos como o iPad 2 (e principalmente o 3 e o 4) são realmente pesados.

Facebook no iPad mini

Definição e proporção da tela

A escolha da Apple em manter a mesma proporção 3:4 do iPad normal foi a mais acertada, do ponto de vista do usuário. Uma tela widescreen (16:9) é boa apenas para assistir vídeos e só. O resto das tarefas que fazemos com um tablet são muito mais confortáveis em uma proporção 3:4, principalmente para visualizar sites de internet e documentos PDF. Já até brincamos com isto no nosso artigo de primeiro de abril, mostrando a diferença entre a tela do iPad mini e do Nexus 7 (considerado o melhor tablet com Android da atualidade) para ler revistas. É gritante.

Revista vista nos dois aparelhos

E muitos reclamam, sem nunca terem visto um iPad mini de perto, da falta da tela Retina. Sinceramente? Na minha opinião pessoal, o fato de não ter ainda tela Retina não é um fator que atrapalhe o uso do mini tablet. Por ter a tela menor, a definição fica um pouco melhor que a do iPad 2, com o mesmo número de pixels em um espaço mais concentrado.

Mesmo eu já estando acostumado com a tela Retina do iPad 3, ler livros e revistas na tela do iPad mini não foi nada traumático. Quem não reclama da resolução de telas de computador, também não estranhará a definição do mini.

Apesar de ser bem provável que a Apple lance uma nova versão com tela Retina no final do ano (ou não, ninguém sabe), o fato desta primeira geração não a ter não é um fator decisivo para alguém não comprá-lo. Principalmente para quem ainda usa o iPad 2, pois sentirá até uma melhoria na definição.

Novo menu na Apple Store Online

Ao contrário do iPad 3 e 4, aplicativos para iPhone ampliados para a tela do iPad mini ficam com uma definição horrível, assim como no iPad 2.

Potência e processador

Quando a Apple anunciou o iPad mini, uma das primeiras coisas que questionamos foi sobre o processador A5 igual ao do iPad 2. Será que dá para confiar em um chip lançado em 2011? Bem, parece que sim, pois conseguimos rodar todos os aplicativos e jogos habituais (inclusive Real Racing 3) sem problema nenhum. Aliás, mesmo tendo um iPad 3 com tela Retina, eu ainda prefiro jogar Real Racing no iPad mini, pois é muito mais leve e cansa muito menos.

Real Racing no iPad mini

Qual é o público deste novo iPad?

Engana-se quem pensa que o novo iPad mini veio para substituir os iPads normais. Ele foi lançado, na verdade, para cobrir uma demanda de usuários que precisam de tablets menores e práticos de transportar, e não tinham ainda comprado o iPad por achá-lo muito grande e pesado. E há muita gente assim. Eu mesmo já conheci pessoas que gostam de levar em viagens de avião um tablet menor para ocupar seu tempo, e acabaram preferindo opções de 7 polegadas da concorrência por serem mais leves. Com o iPad mini, este público pode agora optar pelo melhor sistema operacional móvel que existe no mercado, com toda a sua segurança (por não ter vírus) e maior diversidade de aplicativos da App Store.

O texto riscado acima eu escrevi depois de duas semanas de testes, no início de novembro. De lá para cá, minha opinião mudou um pouquinho.

O iPad mini é capaz sim de substituir o iPad grande, a não ser que a Apple consiga fazer um futuro iPad 5 bem mais leve do que ele é atualmente. O fato de permitir levá-lo, discretamente, para todos os lugares fizeram-me deixar de lado o “iPadão” no meu dia-a-dia, e até mesmo em viagens. Ele cabe no bolso de uma calça normal ou de uma bermuda, ou é tão leve que levo na mão, discretamente, sem precisar sempre ter que andar com mochilas ou sacolas para escondê-lo na rua. E não há nada que eu faça no iPad maior que eu não consiga fazer no iPad mini.

Calendário

Por isso mesmo, se eu precisasse hoje ter que ficar apenas com um iPad e tivesse que escolher entre os dois, é muito provável que eu optasse pelo mini. É claro que o iPad Retina ainda é maravilhoso e sua tela é incrível, mas quando eu o uso hoje tenho a impressão que ele é enorme e pesado. A tela Retina não faz compensar os ganhos de usabilidade do mini.

Mesmo ele sendo universal, há alguns públicos que se identificarão de imediato com o iPad mini. Mulheres que gostam de levar apenas a bolsa para onde vão agora não precisarão mais se privar de ter sempre consigo um iPad. As crianças também adoram a leveza e a praticidade do mini tablet, tornando-se um dispositivos perfeito para elas.

Quando será lançado no Brasil?

Até o fechamento desta matéria, ninguém tinha a mínima ideia de quando o aparelho será lançado em nosso país. Por enquanto, a única forma de obter um é comprá-lo no exterior (através de uma viagem) ou então em sites de vendas entre pessoas físicas. O nosso fórum possui uma área de vendas em que os leitores negociam seus produtos e lá também é possível encontrar boas ofertas. Há também algumas lojas de eletrônicos que importam e vendem de forma independente, mas o preço geralmente é proibitivo.

Controles iPad mini

O preço oficial que a Apple cobrará por ele é outra incógnita. O Brasil sempre apresentou os maiores preços da América latina e a Argentina já está cobrando o equivalente a R$1.559. É um preço um pouco alto, mas infelizmente é difícil de imaginar que chegará por menos em nosso país.

Conclusão

Eu amo o iPad mini. Sério. Logo eu que, no passado, não acreditava na possibilidade de existir um. Mas se há um ponto a favor de minha defesa é que, um ano atrás, os que apostavam em um iPad menor achavam que ele seria na mesma proporção dos tablets Android de 7 polegadas. A sacada da Apple em manter a tela mais larga foi matadora e deu muito mais sentido ao mini, que é capaz de rodar normalmente os mesmos aplicativos que seu irmão maior. Não há assim fragmentação, como se imaginava na época.

Se você está pensando em investir em um iPad e está em dúvida, dê uma chance para o mini. Ele realmente seduz.

Para terminar, faço um pedido: não julgue o iPad mini sem primeiro segurar um na mão. Tem muita gente cometendo este erro, mas muda de ideia quando mexe em um. 😉

Conteúdo original © Blog do iPhone

Leia mais sobre:

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar