Notícias

Menina gasta mais de R$ 8.100 em compras dentro de um jogo do iPad, sem os pais saberem

As compras internas em aplicativos se tornaram um modelo bastante comum no mercado de smartphones. O usuário geralmente baixa o app de graça e quando quer desbloquear algumas vantagens, paga um extra por isso.

Mas no início isso trouxe uma dor de cabeça para os pais. Crianças podiam facilmente realizar compras apenas apertando um botão, o que fez muita gente reclamar de constantes compras indevidas.

A Apple levou isso muito a sério e implementou diversos procedimentos de proteção para os pais: controle parental, opção de desligar compras internas no sistema e autorização de compra com senha ou autenticação biométrica. Com isso, as compras só são feitas com o consentimento dos pais.

É muito importante ter um cuidado especial ao disponibilizar um celular ou tablet para uma criança, mas alguns pais não se preocupam nem um pouco com isso. E aí acontece o que aconteceu no País de Gales, onde uma menina gastou o equivalente a R$ 8.100 em compras internas de um jogo de iPad.

E os pais agora querem culpar o mundo inteiro por isso.






O Roblox é um jogo MMORPG de mundo aberto, com uma enorme comunidade em todo o planeta. Nele, os jogadores podem criar seus próprios mundos e interagir com outras pessoas.

Segundo seus criadores, em 2019 o Roblox se tornou o jogo mais popular no mundo.

E foi justamente neste jogo que a filha do casal Katie e Matty Philips gastou £1.450 (equivalente a R$ 8.107 no câmbio de hoje) em apenas três dias. Foram 255 compras no total.

Os pais agora se negam a pagar a fatura do cartão e pedem estorno, alegando compra indevida, mas o banco já disse que não irá anular as compras, pelo acontecido ter sido resultado de uma aparente negligência dos pais.

O iPad estava protegido com senha, mas os pais permitiram que a filha conseguisse registrar a própria digital no Touch ID. Com isso, ela sozinha conseguiu autorizar todas as compras, sem pedir autorização de ninguém.

A menina ficou com um iPad em mãos, sem nenhuma restrição nas configurações, com a senha de acesso e uma conta Apple com um cartão de crédito habilitado. O que poderia dar errado?

Um porta-voz do Barclaycard emitiu uma nota:

Lamentamos que a senhora Phillips tenha tido motivos para reclamar. Infelizmente, os clientes são responsáveis pelas transações autorizadas usando seu ID Apple e, portanto, não podemos fornecer um reembolso.

No entanto, simpatizamos com a situação de Phillips, por isso tomamos providências para não cobrar nenhum juro pela fatura em atraso. A Apple possui vários recursos para ajudar os pais a controlar os gastos em seus dispositivos, como a capacidade de desativar as compras no aplicativo, e incentivamos todos os clientes a utilizá-los.





É sempre bom cuidar muito para não se criar um pré-julgamento e culpar o cliente, pois muitas vezes ele é só uma vítima do processo. Mas é importante enfatizar que os pais sempre devem tomar precauções sérias antes de disponibilizar um iPhone ou iPad para uma criança.

Não dá para apenas emprestar o celular para a criança se distrair, pois você está assim oferecendo uma porta para dezenas de perigos para ela, como phishing, sites indesejáveis, assédio, golpes e tantos outros perigos.

Os adultos costumam ter filtros psicológicos que as crianças ainda não desenvolveram, por isso a importância de se tomar cuidado ao disponibilizar um dispositivo conectado à internet.

Não delegue a outros a responsabilidade de educar seus filhos. Ela é sua, você é o responsável pela educação dos seus filhos. Então antes de emprestar o iPhone ou iPad para uma criança, reforce bem os ajustes do controle parental para que ela não faça nada sem sua permissão ou conhecimento.

Fonte
BBC
Leia mais sobre:

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar