Notícias

Como os segredos da Apple vazam para a imprensa

Nos últimos anos, a Apple não tem conseguido guardar muitos segredos. Desde que Steve Jobs se foi, se tornou algo comum conhecermos novos produtos meses antes da empresa apresentá-los.

Nós mesmos aqui no BDI mostramos em vídeo o então novo design do iPhone 6 semanas antes do evento da Apple.

Muitos se perguntam sobre como é possível uma empresa gigante como a Apple permitir que seus segredos vazem tão facilmente. Mas o problema é justamente este: quando maior a empresa, mais pessoas são envolvidas e aí fica quase impossível controlar tudo.

Porém, quando a fonte do vazamento é descoberta, aí a maçã não perdoa.

Esta semana, ela abriu um processo jurídico contra um ex-funcionário que passava para um jornalista diversas informações secretas, em troca dele falar bem da empresa que trabalharia quando saísse da Apple.



Simon Lancaster trabalhou por cerca de dez anos em Cupertino, inclusive na unidade de materiais e design de produtos, da qual renunciou em 1º de novembro de 2019.

Seu trabalho consistia em avaliar materiais e protótipos de produtos futuros. Entre eles, o MacBook Pro de 13 e 15 polegadas com Touch Bar e um misterioso “Projeto X”, que provavelmente se refira aos tão comentados óculos de realidade aumentada da maçã.

As conversas entre Lancaster e o jornalista começaram em 2018, com os vazamentos se intensificando em outubro e novembro de 2019, pouco antes de sua saída.

Fonte para rumores

De fato, em outubro de 2019 tivemos uma matéria da Bloomberg sobre um suposto projeto de óculos AR da Apple, com planos de lançamento para 2020. Um mês depois, o The Information publicou um artigo contando de uma reunião interna na empresa, planejando os óculos para 2022/23.

Com a clara intenção de obter mais segredos para vazar, Simon participou de reuniões que não tinham nada a ver com suas responsabilidades (ele usou sua influência de veterano na empresa para participar). A Apple também aponta indícios de que ele teria feito o download de diversos documentos no seu último dia de emprego, que teriam sido transmitidos ao seu novo patrão, a Arris Composites .

Em troca de seus vazamentos, Lancaster solicitou cobertura favorável da imprensa para a Arris. Em outubro de 2019, semanas antes de Lancaster sair da Apple, ele perguntou ao jornalista se queria escrever um artigo sobre um veterano da Apple que estava trabalhando para uma “super start-up“.

Contas com a justiça

Antes de cada contratação, a Apple obriga a assinatura de um Termo de Não Divulgação (NDA) que proíbe o funcionário de comentar de seu trabalho com terceiros, muito menos compartilhar segredos.

Agora o ex-funcionário terá que se explicar na justiça e é bem provável que tenha que pagar por todo o prejuízo que gerou para a Apple. Acima de tudo, isso serve como um exemplo aos atuais funcionários do que pode acontecer se eles vazarem informações sigilosas.

É bom mesmo que a Apple consiga parar este tipo de vazamento, pois nos últimos anos a empresa não tem conseguido surpreender seus usuários, pois apresenta novidades que todo mundo já conhece.

Via
AppleInsider

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo