Notícias

Apple registra mais um trimestre com recorde de faturamento

Neste feriado de 1º de maio, a Apple apresentou para seus acionistas os resultados do Segundo Trimestre Fiscal (Q2) de 2018, que engloba os meses de janeiro, fevereiro e março. O ano fiscal da Apple começa sempre em outubro.

E mais uma vez, a Apple melhora ainda mais seus resultados em relação aos anos anteriores, fazendo o melhor Q2 de sua história.


Para entender melhor os gráficos, é importante entender que o trimestre dos maiores resultados é o do final do ano (Q2), por causa das festas de natal. Por isso, é bastante improvável o Q2 ser melhor que o Q1 e é por isso que a comparação sempre é em relação ao mesmo período do ano anterior. E neste ponto, a Apple teve um belo crescimento de 15,5% no faturamento. Nada mal para uma empresa que os haters adoram dizer que “está falindo“…

Outra questão bastante discutida nos últimos dias foi sobre as vendas de iPhones. Parte da mídia e alguns analistas vêm insistindo em afirmar (mesmo sem ter números oficiais) de que as vendas do iPhone X têm caído bastante e ele não é mais um modelo atrativo. Porém, Tim Cook fez questão de enfatizar que ele é ainda o que mais vende.

Nossos consumidores escolheram o iPhone X mais do que qualquer outro iPhone em cada semana do trimestre, tal como fizeram após o seu lançamento no trimestre de dezembro. Nós também aumentamos a nossa receita em todos os segmentos geográficos, com 20% de crescimento na China e no Japão. Tim Cook

Apesar do número em unidades ter aumentado pouco em relação as Q2 de 2017, temos que considerar que o preço do iPhone X cresceu bastante (o preço médio agora é de US$728), o que provocou um aumento de 14% no faturamento com a venda de iPhones.

Cook também aproveitou para anunciar que mais três países receberão o serviço Apple Pay nos próximos meses: Polônia, Ucrânia e Noruega.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Jeff

    Ilex, tem correção no texo (final) acho que seria “países”
    Abraço

  • Diego Azevedo

    “é importante entender que o trimestre dos maiores resultados é o do final do ano (Q2)”

    Não seria o Q1?

    • Ber

      ia comentar justamente isso

    • Rodrigo Guarezi

      …(por causa das festas de natal)acho que nao, pois os resultados sempre se comparam entre Q1 / Q1 e Q2/ Q2 em seus respectivos anos, por causa dos lançamentos do iphone por exemplo, como sempre lançam um iphone digamos em outubro,logo próximo trimestre terá mais vendas

      • Diego Azevedo

        Exatamente. O trimestre de lançamento dos novos produtos & festas de final de ano é o Q1.

        E é por isso que não se faz sentido comparar o Q2 com o Q1, estão em momentos diferentes do ciclo de vida dos dispositivos.

  • Ednilson

    Cook fez carinha de nojo quando o Trump entrou, mas agora a economia americana não para de crescer.
    Queimou a língua, hehe.

  • Marccus Phillipe

    Decisão estratégica atual: continuar com produtos “mais caros” do que o convencional (iPhone X como exemplo), ou voltar/tentar vender novos iPhones (com inovações) no preço “comum”?

  • Quanto mais lucra, mas sem graça fica.
    E tenho dito.

    Só de raiva vou comprar um Samsung Note e jogar lá no campus da Apple.
    https://uploads.disquscdn.com/images/1007662764289be95f0f79ec1c2c914f09b72d834e4cb32ad0a50893ecbcb786.jpg

  • Rodrigo Fávaro

    De certa forma é triste ver que mesmo aumentando o valor, aumentam as vendas. Isso dá margem para aumentarem novamente. Já estou vendo o iPhone X2 (seja lá como chamar), a R$ 9.999,00 aqui no Brasil.