Resenhas

Review do iPhone 8: o poder de um X no corpo de um 7

Com a divulgação os preços exorbitantes do iPhone X no Brasil, muita gente passou a ver com outros olhos o novo iPhone 8, que chega em nosso país nesta sexta-feira. Ele é potente e traz, além do mesmo processador, várias características do irmão mais caro.

Nós testamos o iPhone 8 por um mês e trazemos agora um apanhado de impressões que tivemos com ele. Spoiler: ele é um excelente iPhone. 👍


Lançamento duplo

O grande diferencial deste ano foi que a Apple, de fato, acabou lançando dois modelos diferentes de iPhone ao mesmo tempo, dando a falsa impressão de que se tratava de duas gerações diferentes. Um mais moderno, que parece ter vindo de 2018, e outro com cara de 2017, mas que ficou apagado por parece inferior.

Em seu ritmo normal, a Apple teria lançado apenas um modelo chamado “iPhone 7s“, seguindo a mesma linha de design da geração anterior, mas incrementando as características internas, como processador e outros ítens. E foi exatamente isso que ela fez com o modelo de 2017, que resolveu chamar de iPhone 8. Ela manteve exatamente o mesmo form factor do 7 (tanto que capas e películas são perfeitamente compatíveis entre as gerações) mudando apenas o material da parte traseira, que agora é totalmente em vidro.

A definição de geração de um smartphone ou aparelho eletrônico é atribuída (na opinião deste blog) aos ítens que compõem a placa-mãe do aparelho. Neste sentido, tanto o iPhone 8 quanto o X são da mesma geração, pois possuem em seu núcleo o mesmo processador (e coprocessador) A11 Bionic. Assim como o iPhone SE é da mesma geração do iPhone 6s, pois levarão o mesmo número de anos para se defasarem tecnologicamente. O dia que uma versão do iOS não servir mais para um, não servirá para o outro.

Com isso, é como se a Apple tivesse lançado este ano apenas uma única geração de iPhone, mas em um dos modelos ela decidiu fazer uma edição especial para incluir um novo design e três funcionalidades a mais: câmera TrueDepth, tela OLED e estabilização ótica na segunda câmera.

Tudo isso sendo dito, falaremos a seguir sobre cada característica do iPhone 8, que podem também ser encontradas no iPhone X.


Design externo

Há um erro bem comum bastante divulgado em redes sociais, de achar que quando o aparelho não mudou por fora então não houve inovação nenhuma. É como afirmar que o iPhone 8 e o 6 são praticamente o mesmo aparelho só porque são bem parecidos externamente. Há sim importantes evoluções internas que fazem diferença. E no caso do iPhone 8 não é apenas a mudança de processador.

A primeira coisa que chama a atenção no novo iPhone 8 é sua traseira de vidro. Este ano a Apple resolveu voltar a adotar o modelo “sanduíche” (frente e verso de vidro, com uma lateral metálica) que tinha experimentado no iPhone 4. A Apple abandonou por enquanto a cor Ouro Rosa, mantendo apenas o Dourado. Porém, o que é realmente dourado é a lateral metálica, com a traseira da cor branca, mas com uma tonalidade rosê. Não há mais a cor Preto, mas o Cinza Espacial de vidro lembra bastante a versão Jet Black (Preto Brilhante) da geração anterior.

Repare que não se vê mais as linhas das antenas do aparelho, que desapareceram completamente da traseira. Isso porque o vidro permite que as antenas fiquem no lado de dentro; nas gerações anteriores, o alumínio bloqueava o sinal e por isso as antenas tinham que ficar por fora.

A traseira em vidro dá um ar mais premium ao aparelho, mais sofisticado que o alumínio. Conversamos com algumas pessoas que tiveram a oportunidade de ver o aparelho de perto e elas também comentaram a mesma impressão. No resto, tudo é similar ao iPhone 7 e 7 Plus, com todos os acessórios da antiga geração servindo perfeitamente. Portanto, se você tiver uma capa do 7 ou quiser comprar uma para usar no seu novo iPhone 8, pode fazer sem medo.


O que vem na caixa

Não espere nada além do que já vinha nas gerações anteriores. Os mesmos fones de ouvido EarPods com conector Lightning, além de um adaptador para conectores P2 de fone de ouvido.  Como já dissemos aqui, apesar do novo modelo ser compatível com o carregamento sem fio, não vem junto com ele nenhuma base Qi para isso (aliás, como os smartphones de outras marcas).

Confira um unboxing do modelo:


Processamento

Como já dito acima, o iPhone 8 e o 8 Plus possuem o mesmíssimo processamento do iPhone X: o A11 Bionic com arquitetura de 64 bits, um coprocessador de movimento M11 integrado e também um processador neural. O A11 possui 6 núcleos que funcionam paralelamente, algo inédito em gerações anteriores. Isso, em aplicativos que aproveitem na totalidade o processamento, é algo de impressionar.


Uso no dia a dia

A primeira impressão que dá nos primeiros dias de uso é que não se vê muita diferença de performance entre o iPhone 8 e o iPhone 7. E realmente não há mesmo. Se colocarem um iPhone na mão de um usuário sem que ele saiba se é o 8 ou o 7, é muito provável que ele não consiga identificar qual o modelo está usando. No sistema, a única diferença perceptível é para quem usa o modelo Plus, que traz a função de Iluminação de Retrato. Mas em termos de performance, não se nota diferença.

Mas isso é normal, e acontece todos os anos. Se dizia a mesma coisa no ano passado entre o 7 e o 6s, e no ano anterior entre o 6s e o 6. Isso porque no início a enorme maioria dos aplicativos não estão adaptados para o novo processador, ou não foram feitos para explorar as novidades. Com o passar dos meses, conforme os apps vão se atualizando e incorporando mais funções, esta diferença fica mais evidente. Portanto, nunca julgue o smartphone inteiro pela impressão dos primeiros meses, pois você corre o risco de julgá-lo mal. Hoje todos somos capazes de notar diferenças entre o 7 e o 6s, e ainda mais entre o 6s e o 6. Portanto, só o tempo mostra as diferenças de performance em novos iPhones.


Carregamento sem fio

Uma das novidades do iPhone 8 é a possibilidade de carregar a bateria apenas encostando em bases de carregamento sem fio. O padrão Qi garante que se possa comprar diversas marcas no mercado, que funcionarão muito bem com o iPhone.

É bem prático você só apoiar o celular sobre a base e deixá-lo carregando, podendo pegá-lo sem precisar retirar nenhum fio. O ponto negativo é que a recarga é bem mais lenta que pelo cabo tradicional, e nós mostramos isso em um outro artigo. A Apple promete um modo de carregamento rápido sem fio, mas ele ainda não foi ativado no sistema. Uma futura atualização (esperamos que seja a 11.2) permitirá que o aparelho seja carregado mais rapidamente.

Esta carga rápida que será ativada em um futuro iOS aceitará uma potência de 7,5W. Se você quiser aproveitar este benefício quando ele estiver disponível, terá que pensar em comprar um carregador que tenha uma potência equivalente ou maior. Grande parte das bases que encontramos por aí (inclusive por preços baixos) são de 5W, o que significa que não poderão fornecer carregamento rápido ao iPhone quando estiver disponível. Nossa sugestão é que você procure as bases de 10W ou mais, para que possa aproveitar do que a Apple oferece.

Atenção para as bases muito baratas, pois há relatos que algumas queimam rapidamente. Procure sempre acessórios com alguma certificação, como FCC ou EU, para garantir uma segurança maior.

Em todos os nossos testes, conseguimos realizar o carregamento mesmo com uma capinha protegendo o iPhone. Ela não deve ser muito grossa e não pode conter nenhum objeto metálico entre a base e o aparelho. Se você tem aquelas chapinhas grudadas para fixar em algum suporte magnético, o carregamento não funcionará. Bases de qualidade possuem um sistema interno que interrompe a corrente caso identifiquem algum objeto metálico, para não haver acidentes.


Tela TrueTone

Herdado do iPad Pro, o novo iPhone 8 possui a função TrueTone na tela, que adapta as cores de acordo com com o ambiente que você está. Esta é mais uma daquelas funções que você não percebe no dia a dia, só sentirá mesmo quando voltar a usar outro aparelho que não tenha a função, ou colocar as telas lado a lado. É uma coisa muito boa, mas difícil de ser percebida.


Fotos

A câmera 12 Megapixels do iPhone 8 não são muito diferentes da do iPhone 7. Em nossos testes feitos com um iPhone 7 e um 8, lado a lado, a qualidade foi bastante similar entre ambos os aparelhos, com uma leve (bem pequena) diferença nas cores.

Compare a galeria de fotos abaixo, arrastando a imagem para o lado:

    .

    As câmeras do modelo Plus também são similares à geração anterior, mas a novidade é no software. Só para o modelo 8 Plus (e também para o X) o iOS disponibiliza a função Iluminação de Retrato, que segundo a Apple ainda está em fase beta. Com ela, é possível mudar a iluminação do rosto da pessoa fotografada em modo Retrato.

    Em nossos testes descobrimos que, em determinados casos, os efeitos funcionam também com objetos.

    Bem, no dia a dia o que mais usamos foi o efeito Luz de Estúdio, que realmente ilumina mais o rosto. Os outros depende muito da imagem e sugerimos você testar todos em cada foto, para ver qual fica melhor. Foram raras as fotos em que o efeito Luz de Palco (que deixa o fundo preto) ficou bom. Mas como ainda é uma função em fase beta, pode ser que isso melhore no futuro.


    Flash com sincronização lenta

    O flash fotográfico é uma das coisas mais legais dos novos iPhones, que realmente fazem diferença no uso diário. Os iPhones 8, 8 Plus e X possuem uma sincronização mais lenta do flash quando a foto é tirada em ambiente escuro. Isto significa na prática que a abertura da lente acontece micro-segundos antes do led se acender, o que faz o sensor captar mais luminosidade do ambiente. O fundo das fotos assim ficam em harmonia com o objeto iluminado, em um resultado difícil de obter com flashes normais. Repare no teste abaixo que a pessoa até fica com os olhos mais abertos, pois quando eles reagem ao flash a foto já foi tirada. Muito bom!

    Flash sem e com sincronização lenta

    Devo trocar o meu iPhone atual pelo novo?

    A pergunta que todos se fazem ano após ano. E obviamente a resposta depende de cada um, de acordo com as expectativas pessoais e atual modelo que possui.

    Quem vem de modelos mais antigos, como 5s, 5, 6 e até o 6s, vai notar uma bela diferença na performance geral. E com todas as novidades como flash com sincronização lenta, carregamento sem fio e tela TrueTone, com certeza é uma aquisição que vale a pena.

    Já quem tem atualmente o iPhone 7, pode muito bem esperar pelo modelo do próximo ano (caso não queira comprar o X agora). É preciso avaliar o quanto as novas funcionalidades são importantes para si, para então tomar uma decisão. O iPhone 7 é ainda um excelente aparelho.

    Porém, há uma exceção: se o usuário decidir passar do iPhone 7 para o modelo 8 Plus, aí sim as diferenças são mais notáveis. O Modo Retrato (que desfoca o fundo das fotos) é realmente apaixonante e encanta qualquer um, até mesmo quem não gosta muito da ideia de aparelhos grandes. A bateria do modelo maior também dura mais, além dos 3GB de RAM do modelo Plus, contra os 2GB do menor.


    Preços e disponibilidade

    Os novos iPhones 8 e 8 Plus já estão a venda no Brasil, tanto na Apple Store quanto no comércio em geral. À vista os preços são os seguintes:

    iPhone 8 iPhone 8 Plus
    64 GB R$‎ 3.599,10 R$‎ 4.139,10
    256 GB R$‎ 4.319,10 R$‎ 4.859,10

    Este ano a Apple não disponibilizou uma versão intermediária de 128GB, o que desagradou a muitos. A dica é averiguar o armazenamento do seu iPhone atual e ver o quanto você ocupa com aplicativos, músicas e documentos. Para ver isso, basta acessar o seguinte:

    • Ajustes › Geral › Armazenamento do iPhone

    Eis alguns sites que estão vendendo o aparelho:

    E se você estiver procurando acessórios de qualidade para o seu novo iPhone 8, pode encontrar nos links abaixo:


    Conclusão

    O iPhone 8 é um grande dispositivo e os testes já mostraram que o chip A11 Bionic é o mais potente de todos os smartphones atuais. É completamente verdade a alegação de que ele poderia ser chamado de 7s (e não de 8), mas isso não diminui em nada a sua qualidade. Ele é um iPhone 7 bem melhorado, que deve agradar principalmente a quem vem de modelos mais antigos.

    Ele com certeza ganharia aquele título simbólico de “o melhor iPhone já feito“, se a Apple não tivesse resolvido lançar ao mesmo tempo uma versão especial dele, com design diferente.

    Se você quer trocar de iPhone e seu bolso (ou a falta nos estoques) não permite mudar para o X, o iPhone 8 é sua melhor opção, sem sombra de dúvida.

    Pontos positivos:

      • Traseira em vidro impõe um visual mais elegante
      • Flash com sincronização lenta realmente faz diferença
      • Tela TrueTone
      • Carregamento sem fio compatível com padrão Qi
      • Mesmo poder de processamento do iPhone X
      • É compatível com acessórios do 7
      • Tem o Touch ID (scanner de digitais)
    Pontos negativos:

      • Mesmo design externo de anos anteriores
      • Vidro traseiro é caro para substituir
      • Não é o iPhone X

    Tags
    Mostrar mais

    iLex

    Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

    Artigos Relacionados