Notícias

Mapas da Apple poderão ser incorporados em páginas web

Há tempos os desenvolvedores já podiam incorporar os Mapas da Apple em seus aplicativos, mas não podiam fazer o mesmo em páginas de internet. Isso porque a Apple nunca disponibilizou uma API que permitisse a incorporação fora de dispositivos da maçã.

Isso parece que irá mudar a partir da WWDC 2016. O site especial do evento traz justamente um mapa interativo incorporado.

O site icloud.com já usava os mapas para a função Buscar Meu iPhone no navegador. Mas não tinha como pegar o código e usar em outro site, por exemplo. Agora, a estrutura que a Apple está montando demonstra que ela provavelmente está trabalhando em uma API web aberta do MapKit, para ser usada em qualquer site. Uma prova disso é que um desenvolvedor belga já até montou uma prova-de-conceito de um site com os mapas. Ele deu o sugestivo nome de Fruity Maps.

O que isso significa? Que a Apple continua com a intenção de montar uma plataforma de mapas universal, para competir com o Google. Depois do conturbado lançamento em 2011, os mapas da maçã foram melhorando e ficando mais completos. Porém, muitos de seus serviços, como o Flyover e os trajetos de transportes púbicos, ainda são limitados a poucas regiões.

É bem provável que a nova API seja apresentada no dia 13 de junho, na abertura da WWDC 2016.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Hades666

    Boas novas….

  • Suzanna Matarazze

    Porém, muitos de seus serviços, como o Flyover e os trajetos de transportes “púbicos”, ainda são limitados a poucas regiões.

    • Anderson Campos

      Bem, aqui no Rio de Janeiro eu poderia chamar de púbico sem nenhum problema…

      • Estanislaw Duarte

        Melhor usa o Gmaps do que esse app enchendo a memória de cache inutil.

  • Anderson Freitas

    Hmm, no dia que o mapa da Apple for tão atualizado igual do Google, ai servirá como alternativa ao Google Maps.

    Enquanto isso, não serve pra nada.

    • JanjaBoy

      O que mais faz eu ter o JB, é o Opener. Um tweak que quando você clica num endereço abre no mapa do Google.
      Abrir o mapa da Apple não serve para nada.

      • Slide for free! 😉

      • PoderosoCastig4

        o BrowserChanger faz isso, mas a principal função dele é abrir links no Google Chrome, por padrão.

    • Alex iPilot

      Pra mim, enquanto não tiver algo similar (ou melhor) ao Google Street View, não tem como nem fazer comparação… O Street View é “incompetível”!

      • Estanislaw Duarte

        Esses Mapas derretidos estão com nada.

    • KB

      A gente fala Mapas da Apple, mas no fundo tudo depende de suas fontes. A Apple licencia informação de diversas fontes… e pelo visto o Waze deve ser uma? (tela abaixo, no final)

  • Interessante que a Dona Apple, em 2012, mandou embora o Scott por ele ser tão incompetente ao ponto de não fazer o Mapa da Apple ser usável.
    Hoje, 4 anos depois, o app continua um lixo.

    Pergunto: Apple, o problema era mesmo o Scott?

  • Anderson Campos

    Por que eu pronunciava “flóier” quando lia Flyover?
    Só prestei atenção no nome agora…

  • Alex Vause

    —OFF TOPIC–

    Galera, alguém pode me dizer se o iPhone 5S 32GB modelo ME435 funciona o 4G no Brasil???

    Valeu!!!

  • Alan Patrik

    Já tentei usar o mapa da Apple mais é difícil.

  • Geraldo Dal Berto Jr.

    Apple devia consertar o app de mapas dela, ou permitir setar um app alternativo como padrão. Do jeito que tá, pra mim, pelo menos, é inútil.

  • Felipe

    E quem vai escolher trocar o mapa do google pelo da apple?

  • Na verdade, ele foi afastado por ter um gênio difícil e por ter se recusado a pedir desculpas públicas pelo vexame dos Mapas. Ele não foi “O” responsável pelos Mapas, mas como era o chefe do iOS, deveria assumir a culpa por terem permitido lançar algo não acabado.

    Tinha que dar um desconto. O final de 2011 foi um ano bem difícil pra Apple, com a morte do Jobs.