Notícias

Tim Cook enfrenta o FBI em defesa da privacidade no iPhone

Toda a ação que a Apple toma hoje em dia acaba caindo na inevitável questão que todos sempre fazem: “Será que Steve Jobs teria feito isso?”. Mesmo que o ex-CEO da empresa tenha pedido para ninguém nunca fazer esta pergunta, ela acaba sempre vindo à tona, até porque todos esperam muito da Apple, sempre. Mas se há uma luta que é bem particular de Tim Cook (e provavelmente Jobs não a teria assumido com tanto afinco) é a que defende os direitos de todos à privacidade dos dados armazenados nos dispositivos da Maçã. Sua determinação é tanta que ele é o primeiro a desafiar publicamente o FBI e uma decisão judicial, para tentar gerar uma discussão sobre o assunto.

Decisão judicial

Tudo começou com a tentativa do FBI em acessar os dados do iPhone 5c de um dos atiradores do chamado “Ataque de San Bernardino“, que aconteceu em dezembro de 2015 na California. Segundo a polícia, seria através deste iPhone que os criminosos teriam organizado o plano de ataque. A Apple simplesmente respondeu que nem mesmo ela consegue acessar os dados contidos em um iPhone bloqueado, por causa da criptografia.

Nesta semana, uma decisão judicial determinou que a Apple deva fornecer ao FBI um software capaz de permitir que as autoridades acessem todos os dados contidos em um dispositivo iOS, como um iPhone ou um iPad. Isso, atualmente não existe, mas a decisão obriga a empresa a, de fato, criar um backdoor, uma porta de entrada que permitiria acessar os dados de qualquer iPhone. A Apple tem 5 dias para cumprir a sentença.

A resposta de Cook

Rapidamente, Tim Cook respondeu à decisão, em forma de carta aberta. Nela, ele clama que a toda a sociedade discuta melhor esta questão de privacidade, para que não fiquemos todos nas mãos dos governos e, ao mesmo tempo, de hackers que também teriam acesso aos backdoors. Confira a tradução da íntegra da carta:

Uma mensagem aos nossos clientes

O governo dos Estados Unidos exigiu que a Apple dê um passo sem precedentes que ameaça a segurança dos nossos clientes. Opomo-nos a esta ordem, que possui implicações muito além do processo judicial em mãos.

Esse momento exige uma discussão pública, e queremos que os nossos clientes e pessoas de todo o país entendam o que está em jogo.

A necessidade de criptografia
Smartphones, liderados pelo iPhone, tornaram-se uma parte essencial de nossas vidas. Pessoas usam-no para armazenar uma quantidade incrível de informações pessoais, como nossas conversas privadas, nossas fotos, nossa música, nossas notas, os nossos calendários e contatos, os nossos dados de informação financeira e de saúde, e até mesmo informações de onde fomos e para onde estamos indo. Toda essa informação precisa ser protegida contra hackers e criminosos que desejam acessá-las, roubá-las e usá-las sem o nosso conhecimento ou permissão. Os usuários esperam que a Apple e outras empresas de tecnologia façam tudo que possam para proteger suas informações pessoais, e na Apple estamos profundamente empenhados em guardar os seus dados.

Comprometer a segurança da nossa informação pessoal pode, no fim, colocar a nossa segurança pessoal em risco. É por isso que a criptografia tornou-se tão importante para todos nós.

Por muitos anos, temos usado criptografia para proteger os dados pessoais dos nossos clientes, porque acreditamos que é a única maneira de manter suas informações seguras. Tivemos até mesmo que colocar esses dados fora do nosso próprio alcance, porque acreditamos que o conteúdo do seu iPhone não é da nossa conta.

O caso de San Bernardino
Nós ficamos chocados e indignados com o ato de terrorismo em San Bernardino em dezembro passado. Nós lamentamos a perda de vidas e queremos que se faça justiça a todos aqueles cujas vidas foram afetadas. O FBI pediu-nos para prestar ajuda nos dias seguintes ao ataque, e temos trabalhado duro para apoiar os esforços do governo para resolver este crime horrível. Nós não temos nenhuma simpatia por terroristas.

Quando o FBI nos solicitou dados que estão em nosso poder, nós fornecemos. A Apple está em conformidade com intimações válidas e mandados de busca, como temos no caso San Bernardino. Também deixamos os engenheiros da Apple disponíveis para aconselhar o FBI, e oferecemos nossas melhores ideias sobre uma série de opções de investigação à sua disposição.

Temos grande respeito pelos profissionais do FBI e acreditamos que suas intenções são boas. Até este ponto, temos feito tudo o que está dentro de nosso alcance e dentro da lei para ajudá-los. Mas agora o governo dos Estados Unidos pediu-nos por algo que simplesmente não temos e, ao mesmo tempo, algo que consideramos muito perigoso de se criar. Eles nos pediram para construir um backdoor para o iPhone. Especificamente, o FBI quer que a gente faça uma nova versão do sistema operacional do iPhone, contornando vários recursos de segurança importantes, para que seja instalado em um iPhone encontrado durante a investigação. Nas mãos erradas, este software – que não existe hoje – teria potencial para desbloquear qualquer iPhone em posse física de alguém.

O FBI pode usar palavras diferentes para descrever esta ferramenta, mas não se engane: construindo uma versão do iOS que ignora a segurança desta forma seria inegavelmente criar um backdoor. E enquanto o governo pode argumentar que a sua utilização seria limitada a este caso, não há nenhuma maneira de garantir tal controle.

A ameaça à segurança de dados
Alguns argumentam que a construção de um backdoor para apenas um iPhone é uma solução simples, precisa. Mas ignoram ambos os conceitos básicos de segurança digital e o significado do que o governo está exigindo neste caso.

No mundo digital de hoje, a “chave” para um sistema criptografado é um pedaço de informação que desbloqueia os dados, e é tão seguro quanto as proteções em torno dele. Uma vez que a informação é conhecida, ou uma maneira de contornar o código é revelado, a criptografia pode ser derrotada por qualquer pessoa com esse conhecimento.

O governo sugere que esta ferramenta só possa ser usada uma vez, em um iPhone. Mas isso simplesmente não é verdade. Uma vez criada, a técnica poderia ser usada uma e outra vez, em qualquer número de dispositivos. No mundo físico, seria o equivalente a uma chave mestra, capaz de abrir centenas de milhões de fechaduras – de restaurantes e bancos para as lojas e casas. Nenhuma pessoa sensata pode achar isso aceitável.

O governo está pedindo à Apple para hackear nossos próprios usuários e minar décadas de avanços de segurança que protegem os nossos clientes – incluindo dezenas de milhões de cidadãos americanos – de hackers sofisticados e cibercriminosos. Os mesmos engenheiros que construíram uma forte criptografia para o iPhone para proteger nossos usuários, ironicamente, estão sendo condenados a enfraquecer essas proteções e tornar nossos usuários menos protegidos.

Não há nenhum precedente de uma empresa americana forçada a expor os seus clientes a um maior risco de ataque. Durante anos, criptologistas e especialistas em segurança nacional vêm alertando contra o enfraquecimento da criptografia. Fazer isso iria prejudicar apenas os cidadãos de bem e cumpridores da lei, que contam com empresas como a Apple para proteger seus dados. Criminosos e maus atores ainda iriam usar a criptografia, usando ferramentas que estão facilmente disponíveis para eles.

Um precedente perigoso
Em vez de pedir uma ação legislativa no Congresso, o FBI está propondo um uso sem precedentes da “All Writs Act of 1789” para justificar uma expansão da sua autoridade.

O governo quer nos fazer remover recursos de segurança e adicionar novos recursos ao sistema operacional, permitindo uma senha para ser introduzida por via eletrônica. Isso tornaria mais fácil desbloquear um iPhone por “força bruta”, tentando milhares ou milhões de combinações com a velocidade de um computador moderno.

As implicações das exigências do governo são de arrepiar. Se o governo pode usar a All Writs Act of 1789 para tornar mais fácil desbloquear um único iPhone, ele teria também o poder de acessar o dispositivo de quem quer que seja e capturar seus dados. O governo poderia estender esta violação de privacidade e obrigar a Apple a construir um software de vigilância para interceptar suas mensagens, acessar seus registros de saúde ou dados financeiros, rastrear sua localização, ou mesmo acessar o microfone ou a câmera do seu telefone sem o seu conhecimento.

Opor-se a esta ordem não é algo que nós tomamos de forma simples. Sentimos que devemos expor publicamente o que vemos como um abuso do governo dos EUA. Estamos desafiando as exigências do FBI com o mais profundo respeito pela democracia americana e amor pelo nosso país. Acreditamos que seria do melhor interesse de todos voltar atrás e considerar as implicações.

Embora acreditemos que as intenções do FBI sejam boas, seria errado para o governo forçar-nos a construir um backdoor em nossos produtos. E, finalmente, temos medo de que essa decisão possa prejudicar as liberdades que nosso governo se destina a proteger.

Tim Cook

Nenhuma outra empresa norte-americana desafiou desta forma uma decisão judicial provocada pelo FBI. O povo norte-americano, por costume, tende a apoiar atos contra o terrorismo, o que já fez governos abusarem bastante da privacidade com essa desculpa. O que Tim Cook está fazendo (e com razão, segundo nossa opinião) é algo bem corajoso, na defesa dos direitos que todos nós temos. Afinal, o que acontece lá acaba se refletindo no resto do mundo.

Parabéns, Tim Cook.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Tiago Pimenta

    Parabéns Cozinheiro !!! É nessas horas que me orgulho de ter produtos da maçã (Só nessas horas *rs*)

    • K Junior

      /2

    • Gilson Bassi

      3…

  • Concordo com os argumentos do Tim pois são lúcidos e concretos. Mas parece que o FBI é tipo aquele avô chato que não dá o braço a torcer mesmo você mostrando todos os argumentos possíveis. Espero que o FBI não faça confusão com a Apple e entenda que o avanço da criptografia não pode retroceder voluntariamente; para o bem de todos.

  • Concordo 100% com a carta, com a atitude e principalmente a coragem, são poucos que tomam atitudes como essa, de proteger até o fim o que é correto! Também espero que não se reflita negativamente (o que acho que será difícil, se falando de governo), mas espero que acabe bem, e que realmente essa barreira (criptografia) não seja quebrada.

  • Marlon Fuhlendorf

    Seria lindo ver uma reação do país inteiro apoiando…mas acho q vão acabar tendo q ceder! =/

  • Kareka_almeida

    Tinha vontade de saber as possíveis consequências e/ou sanções que a empresa ou seus representantes sofreriam neste caso. Mr. Cozinheiro tá de parabéns.

  • até hoje eu sempre pensava:
    Não tenho nada a esconder! Então que criem esse maldito backdoor de uma vez! Quem não deve, não teme!

    Porém, após ler essa carta, vejo o quando eu pensava errado:
    “construir um software de vigilância para interceptar suas mensagens, acessar seus registros de saúde ou dados financeiros, rastrear sua localização, ou mesmo acessar o microfone ou a câmera do seu telefone sem o seu conhecimento.”
    Isso já é abusar do bom senso… Ponto pro Cook!

    • Lu Lu

      Cara,desculpe pelas palavras mas você é um “Trouxa” na vida… O fato não é você não ter nada a esconder,mas sim o que acontecerá com os seus dados nas mãos de outras pessoas. Deixar seu telefone aberto é que nem deixar sua casa toda aberta. É pra rir né um comentário desses. “Não tenho nada a esconder… ” me poupe.

      • Lu Lu

        Um telefone contém: fotos pessoais,notas pessoais,conversas,mensagens,dados e aplicativos bancários,além de senhas,contas de redes sociais,e-mails,e muito mais e vem a pessoa falar que não tem nada a esconder!
        É que nem você tomar banho ou usar o banheiro com alguém te espionando.

        • [irônico] Nossa… ainda bem que vc me ensinou que no iPhone podemos salvar nossas fotos! Muito obrigado “Trouxa” (<= sua palavra), vc salvou minha vida!

          ah! E já aproveito e deixo uma dica pra vc: aplicativos bancários não tem seus extratos bancários salvos no próprio app do seu iPhone! Mesmo se liberassem um backdoor, não fariam nada através do seu app bancário!

          E ultima dica: aprenda a respeitar a opinião alheia. Ninguém é dono da verdade.

        • Rasico

          Você é o único trouxa aqui que não entendeu o comentário dele. Parabéns por passar vergonha em público.

      • Marcos

        Acho que vc não entendeu quando diz ele diz que pensava de forma errada, que a carta mudou a linha de pensamento dele…leia atentamente antes de atirar pedras, saiba analisar, discutir e compreender a opinião das pessoas.

    • Alex iPilot

      Apenas tenha cuidado porque essa carta é a “versão de um dos lados”… Eu ainda não vi em lugar algum que a tal vigilância seria feita dessa forma, muito pelo contrário, começou com o pedido de acesso a um aparelho específico que fora apreendido.

      • Diego Azevedo

        O problema, Alex, como descrito na carta, é que não é possível criar uma ferramenta que só possa ser usada em um único aparelho. E no momento que é possível acessar suas mensagens, também é possível acessar todo o resto.

        Então o FBI, na verdade, pediu para a Apple criar uma ferramenta que permite espionar tudo de todos (todos os dispositivos iOS, obviamente), mas que eles prometem que só vão usar para acessar as mensagens de 1 único aparelho.

        “Ah, mas é o FBI, eles são os mocinhos” ~ Embora haja alguma discordância sobre isso, se existe um backdoor que pode ser usado pelo FBI, ele pode também ser usado por hackers/crackers. Não é razoável imaginar que isso não pudesse cair em mãos erradas (se é que existe uma mão certa) com o tempo, tornando todos os usuários vulneráveis.

        E, como desenvolvedor da área de assinaturas digitais (que se baseiam no mesmo princípio de chave pública/privada da criptografia), posso te garantir que não é difícil trocar mensagens cifradas em padrões muito mais seguros que os comerciais.

        • Alex iPilot

          Estou lendo opiniões contrárias, que poderia ser aplicada a um aparelho apreendido, e nem seria dado do FBI. A Apple poderia fazer “internamente” tendo posse do aparelho em questão…

          • Diego Azevedo

            Então haveria um software capaz de contornar a segurança do iPhone, mesmo que dentro da própria Apple. Esse é exatamente o conceito de backdoor, e é ingênuo da parte de qualquer pessoa acreditar que ninguém vai encontrar nem se utilizar dessa brecha na segurança.

            • Alex iPilot

              Até onde entendi, seria um firmware modificado pela Apple, para um aparelho específico. Esse firmware individual precisaria ser instalado no “aparelho alvo”… Acredita que poderia ser feito à revelia do dono? Acho difícil…

            • Diego Azevedo

              Ok, existem alguns problemas técnicos aí. Para se instalar um firmware novo, o iPhone precisa da senha do usuário. Então, para instalar o novo SO, seria necessário que essa instalação burlasse a autenticação do iOS. Como é que se chama essa maneira de burlar a autenticação? Backdoor. Será que isso poderia ser usado indevidamente? Com toda a certeza.

              Alex, eu entendo seu ponto. Seria interessante que uma solução de segurança afetasse apenas o dispositivo dos bandidos, mas não é assim que a coisa funciona, infelizmente. Quanto mais brechas existirem, menos segurança existe de fato para o usuário. Não faz sentido diminuir a segurança para aumentar a segurança.

              No momento em que o iPhone se tornar uma plataforma insegura, tornando todos nós alvos em potencial, os bandidos vão migrar para outra. Resultado? Milhões de dispositivos em risco e bandidos trocando mensagens cifradas por outro lugar.

            • Alex iPilot

              Diego, no link passado pelo iLex há um especialista dizendo que a Apple poderia SIM cumprir a determinação e instalar um firmware alterado naquele aparelho, sem conhecer o código de desbloqueio, apenas para permitir que o aparelho seja desbloqueado (a alteração permitiria que apenas naquele aparelho todas as combinações possíveis fossem tentadas e a tela fosse desbloqueada). A Apple sempre o fez anteriormente ao iOS8, quando solicitada pelo FBI. Mas dessa vez é dito que a Apple não quer atender por conta das “implicações futuras”…

            • É impressionante a sua capacidade de pegar um texto inteiro que defende o que o Tim Cook diz e isolar apenas uma parte dele para justificar o seu ponto de vista CONTRA o Tim Cook. É difícil conversar com quem não quer mudar a própria ideia. É dar soco em pedra.

            • Alex iPilot

              Meu caro iLex, é porque sou taurino, já disse, rsrsrs… Mas vamos lá, eu não mudo de opinião porque “eu quero mudar”, eu mudo porque pondero os fatos, reflito e mudo se for o caso… E eu mudo bastante, mudei por exemplo quanto ao Watch. Comprei um! E você tem aí nos seus registros o quanto falei mal enquanto tive uma opinião diferente. O texto que vc indicou é muito bom, defende o Cook fazendo uma avaliação honesta e justa, não ocultando pontos contrários. Logicamente, eu destaco os pontos que se alinham com minha opinião, isso é natural, sem distorção do conteúdo geral. E continue dando “socos em pedras”, é assim que se extraem metais preciosos, pedras, petróleo, abrem-se caminhos, etc… É duro, mas pode trazer recompensas, rsrsrs… Abraços! 😉

            • Diego Azevedo

              Alex, de fato, a Apple poderia criar um patch do S.O. inseguro de propósito, assinar ele, de modo que pudesse ser instalado naquele iPhone em modo DFU e entregar para o FBI.

              Esta situação é ainda mais perigosa para os usuários comuns, pois o FBI poderia fazer um dump deste S.O., que por ser assinado pela Apple, pode ser instalado em virtualmente qualquer dispositivo no mundo todo.

              Alex, não existe forma segura de se tornar um iPhone inseguro sem comprometer a segurança de todos os outros. Simples assim. No momento que existe uma forma de se entrar em um dispositivo, existe uma forma para entrar em dez, cem, mil ou um milhão.

              E sim, o FBI está se utilizando de um caso com grande comoção nacional para pressionar a Apple a abrir as pernas, criando um precedente importantíssimo para requisitar que empresas de TI sempre possam quebrar os dados de seus usuários. Todos os avanços que as áreas de segurança da informação, criptografia, assinaturas digitais… conseguiram nas últimas décadas vai ser jogado no lixo. Seus dados vão sempre poder ser acessados por alguém que não você.

              Sobre seu segundo ponto, existe uma grande diferença entre o pré-iOS8 e o pós. Antes, a Apple detinha seus dados de forma que ela mesmo poderia recuperar. O governo requisitava dados que a empresa tem acesso (alguns, possui acesso até hoje, como o iCloud – exceto iMessage e Facetime). Isso é fundamentalmente diferente da situação atual, onde a Apple não tem acesso à esses dados e o governo requisitar que a empresa quebre suas camadas de segurança, crie uma backdoor ou um sistema diferenciado que expõe em risco todos os usuários de suas plataformas.

              Mas Alex, eu não devo continuar respondendo nessa thread. Não porque eu não aprecie essa discussão, mas porque não há mais pontos a serem explanados. Você acredita que é possível, viável e responsável que uma empresa crie uma brecha em seus sistemas de modo que só seja usada pelas “pessoas certas”. Eu, como desenvolvedor da área te afirmo que isso vai contra todos os princípios de segurança de software.

              Além de todos os pontos técnicos que eu já explanei, que você pode ler no texto daqui do BDI e outros que estão nos comentários, existe também a questão ética de uma empresa de software propositadamente permitir que seja possível o acesso irrestrito aos dados nos dispositivos de seus usuários. De novo, não é possível criar uma brecha que só possa ser usada nesse iPhone 5C, sem que, sejam expostos todos os iPhones do mundo (ou, pelo menos todos os iPhones 5/5C, que tem o mesmo hardware).

            • KB

              Antes do iOS 8 o aparelho não era encriptado por default.

          • Ikari Gendo

            Alex, tu acharia correto o chaveiro manter uma copia da chave da sua casa ou do seu carro só para caso você as suas chaves? e se um dia uma pessoa mal intencionada pegas essas chaves?? Abrir um backdoor no IOS é abrir o caminho para uma serie de tentativas de invasão de hackers ou até mesmo a NSA…

            • Alex iPilot

              Mas qualquer chaveiro abre nossas portas em poucos minutos, e também as montadoras possuem cópias das chaves codificadas de nossos carros! Não vejo pânico acontecendo por causa disso… E o governo (ou a Justiça) tem acesso garantido por mandado, a qualquer momento, na forma da Lei… Até agora o que se pede no processo é uma forma de desbloquear a tela inicial de um aparelho! Só isso!

            • Wanderley Gigante

              Não adianta dar murro em ponta de faca. O Alex claramente não entende de conceitos de criptografia, backdoors e afins. Não adianta tentar explicar pra um usuário sem o conhecimento básico da operação desses sistemas, principalmente quando se embasa nos conceitos de outras pessoas sem o mesmo conhecimento. O fato é simples: é impossível realizar a operação de desbloqueio de apenas um iPhone sem comprometer todos os que existem. Não adianta argumentar do ele, a idéia já esta consolidada e solidificada na sua mente. Qualquer tentativa de argumentação será em vão.

            • Alex iPilot

              Sim, não sou especialista no assunto, assim como o resto da população chamada a participar da discussão do caso. Por isso eu leio bastante. Mas entendo que no caso QUE EXISTE, ninguém fala em criptografia e o próprio termo “backdoor” utilizado por Cook foi dito ser “exagerado, parte do seu apelo de marketing”… O que se pede de concreto é o desbloqueio da tela inicial de um iPhone, que poderia ser feito dentro da Apple, tal como ela sempre fez anteriormente ao iOS 8, cumprindo decisões judiciais… Entendo também que toda a discussão se baseia no que AINDA NÃO EXISTE, suposições (ainda que pertinentes) do que poderia acontecer… Não vejo essas suposições sendo levadas em conta pela Justiça, que se baseia em FATOS… Esse foi um movimento planejado na estratégia do FBI, elogiado por comentaristas que veem vitória certa nos tecnicismos jurídicos, o que fez Cook recorrer à carta.

            • Diego Azevedo

              Opa, agora eu vi que havia um ponto que você não tinha conhecimento técnico, então vou te explicar onde se encaixa criptografia e backdoor nessa história:

              1) Porque está todo mundo falando em criptografia, se isso não foi citado?

              Porque as mensagens do iMessage, bem como ligações Facetime são criptografadas (trancadas) com uma chave que a Apple já teve acesso (até o iOS8) mas não tem mais.

              Esse caso é na verdade um desenrolar de uma história bem mais longa. A Apple já vem se recusando a fornecer informações das mensagens trocadas por seus usuários justamente porque não tem as chaves criptográficas de seus usuários.
              Dessa forma, não é possível ela fornecer os dados que estão armazenados em seus servidores, já que ela mesma não tem poder para decifrar o conteúdo das mensagens.

              Então, o FBI resolveu mudar o pedido, exigindo que ela fornecesse um meio de acesso de um dispositivo em posse física deles. E é aí que a brincadeira ganhou novos ares.

              2) O que é uma backdoor? É isso mesmo que o FBI está pedindo?

              O termo backdoor é utilizado quando se cria uma maneira de acessar algo pela “porta dos fundos”, sem passar pelo caminho tradicional. Então, quando o FBI pediu uma forma de acessar o dispositivo, ele requisitou sim uma backdoor.

              É claro que quem defende o pedido vai alegar que não é uma “backdoor”, é uma “maneira dos orgãos de investigação garantirem a segurança de todos”. Mas o cozinheiro está certo, o que foi requisitado é que uma das principais empresas de TI no mundo criem e certifiquem uma maneira de que terceiros possam acessar dados de seus usuários indiscriminadamente.

              3) O que foi pedido “de concreto”, então?

              O FBI se fez de bonzinho, pedindo “apenas” para poder testar senhas via cabo, sem apagar os dados existentes no dispositivo. Só que isso só é possível quebrando diversas barreiras de segurança de todos os usuários do mundo.

              Como analogia, é como se o FBI falasse “Eu não preciso de um foguete, eu só quero um meio de ir para o espaço”. Eles não PEDIRAM que se crie um backdoor, mas o pedido deles implica na criação de um.

              4) O que poderia acontecer são apenas suposições, nada de concreto, certo?

              Certo, não é possível saber o que vai acontecer no futuro. Mas é extremamente temerário abrir um precedente histórico que coloca em risco a segurança de dados de todos (e não apenas dos usuários da Apple, pois o precedente pode ser usado para obrigar qualquer empresa a tomar uma decisão similar), se apoiando em “não sabemos se isso vai ser usado incorretamente ainda”.

              Analogia: Não é muito esperto deixar seu carro aberto com a chave dentro só porque ele nunca foi roubado ainda, nem se pode vir a ser. Na hora que ele for roubado, não tem como voltar atrás.

              5) A parte jurídica:

              Nessa, eu não posso ajudar. Sou desenvolvedor de software, não jurista, então não sei o que pode vir a ser usado em um tribunal americano. Espero que a decisão seja favorável à Apple, pelo simples fato que o contrário implica em perdas para todos nós.

            • Alex iPilot

              E sim, você acertou! Sou taurino, rsrsrs…

  • Aplaudindo de pé o corajoso posicionamento da Apple, representada pelo Cook.

    E eu achando muito o Jobs levantar o dedo pra IBM.

  • Marcelo Iglesias

    Não se iludam muito, pois a Apple perder o sistema 100% fechado e ficar vulnerável acaba com um dos maiores diferenciais do Iphone/IOS (maior fonte de lucro da empresa), o que poderia causar um dano financeiro a médio e longo prazos tão grandes, que poderia derrubar a empresa. Não é só questão ética, mas de SOBREVIVÊNCIA. Por isso, também, a grande necessidade de coragem na carta de Tim Cook.

    • Anderson Freitas

      Sobrevivencia fora do EUA vc quer dizer né?

      Pois imagina como os Chineses ficarão felizes em saber que o IPhone tem um backdoor com acesso irrestrito ao governo norte americano.

      Ela tem algumas possibilidades:

      1 – Se negar e governo apoiar (apelo publico forte)
      2 – Se negar e governo impor, terá que sair do EUA e isso implica sanções
      3 – Acatar e ver mercados mundiais proibindo a venda e ou solicitando versões diferenciadas para cada mercado/lei (se vale pra um, vale pra todos, é uma brecha perigosa)

      Mas como o Lobby da Apple é forte no governo e até mesmo com presidente, acredito que conseguirão o item 1. O 2 e 3 seriam o fim da empresa.

      • Marcelo Iglesias

        Concordo contigo e apostaria no item 1 também!

    • parei de ler em ” poderia derrubar a empresa” 😛

      • Marcelo Iglesias

        Por quê? Conhece alguma empresa eterna? Já leu sobre grandes impérios da humanidade que simplesmente viraram pó? Alguns exemplos de empresas e marcas que sumiram (ou quase) em tempos até recentes: Sun Microsystems, Compaq, Kodak, Napster, Itautec, SEGA, HP (caindo…), BlackBerry, America Online (AOL), Atari, e a própria Apple quase sumiu do mercado no passado! Em que mundo você vive?

        • Eu vivo em um mundo em que NUNCA uma das maiores empresas do mundo fecharia suas portas por causa da segurança dos seus usuários.

      • Pois deveria ter continuado.
        Em uma situação como essa, existe sim a chance da Apple sofrer graves danos.

        • sofrer graves danos é bem diferente de derrubar a empresa…

      • não da pra acreditar que existem pessoas que pensem que a única fonte de
        renda da Apple provem por ela ter seus produtos blindados a backdoors. Lembrem-se que um dos principais motivos que levou a Apple chegar onde chegou hoje foi o JB (que não deixa de ser algo semelhante a um backdoor) 😛

        • Marcelo Iglesias

          Sério? Você sabe a percentagem de usuários que usam JB? Não chega a 10% dos usuários. Ninguém disse que a única fonte de renda é a blindagem a backdoors, mas o sistema operacional ser fechado foi e é muito importante para a empresa!

          • caracas… vc já reparou que vc distorce tudo o que escrevo?
            Primeiro- o JB hoje está quase extinto, o iOS já evoluiu a ponto da grande masa não necessitar mais dele, e isso é sem dúvidas maravilhoso!
            Segundo- Vc disse que a empresa Apple poderia ser derrubada se ela perder o sistema 100% fechado! Suas palavras: “a Apple perder o sistema 100% fechado e ficar vulnerável … poderia derrubar a empresa”

            • Marcelo Iglesias

              Bom, você tirou minha frase do contexto. Entre “a Apple perder … poderia derrubar a empresa”, nos 3 pontinhos tem muita informação que coloquei e você ignorou, distorceu ou esqueceu. Difícil dialogar pinçando palavras fora do contexto!

            • Opa! Por favor! Me mostre então que contexto vc quis dizer! Gostaria muito de entende-lo! Peço desculpas se usei elas de forma errado (o que eu duvido ter feito)! Vc deu a entender com todas as letras que se Apple perde o sistema fechado e ficar vulnerável, a curto e longo prazo ela vai acabar derrubada! Me mostre onde utilizei suas palavras fora de contexto pff

            • Marcelo Iglesias

              Ok, vou mostrar. Eu escrevi que poderia derrubar a médio e longo prazos e você acabou de me citar escrevendo “…a CURTO e longo prazo ela VAI ACABAR derrubada”.
              Não só fora de contexto, mas mudando as palavras. Melhor encerrar, já que pede desculpas duvidando que tenha feito algo errado. Desnecessário e pouco produtiva essa discussão, que já fugiu das ideias e está se tornando pessoal. Abs

        • Rasico

          Ninguém esta falando de lucro nem de produto. É muuuuuito maior que isso. Estamos falando de perda generalizada da confiança de um consumidor potencialmente paranóico (o americano). Muita gente voltaria para o Nokia 1208 no minuto seguinte se a Apple abrisse um backdoor para o governo americano.

      • Rasico

        Primeiro que não é tão impossivel quanto voce pensa. Pode até não ser a causa principal, mas um problema dessa importância pode muito bem ser o início do fim.

        Alem disso, ele está coberto de razão. Quem acha que essa carta é resultado exclusivo de uma preocupação genuína com a privacidade digital dos clientes, é muito inocente. Como qualquer empresa, eles estão defendendo os próprios interesses e usando a opinião publica a favor desses interesses. Só por isso a desobediencia, a carta publica e a suposta “coragem”.

  • Rudimar Serves

    Tem meu aplauso! Tim foi brilhante escrevendo essa carta! Tá fazendo um excelente trabalho! Já o FBI devia prestar mais atenção nas pessoas com perfil psicológico abestados!

  • Danilo Melo

    O cara tem culhão!

  • Eduardo Vieira

    Realmente é uma das coisas complicadas…

    sou totalmente contra terroristas, porem eles usam o mesmo sistema que os nossos que somos pessoas de bem, afinal, para eles isso é ótimo, pode arquitetar e planejar tudo sem que ninguém atrapalhe…

    porem se fizer algo 100% inviolável, um sistema perfeito, o risco de problemas grandes é muito alto na parte de segurança mundial…

    acho que não é bem por ai, monitar ligaçoes e internet já é feito a muito tempo… teria que ter alguma outra maneira de monitorar…ou uma maneira de ter acesso aos dados de forma segura pelo governo… o que eu acho impossivel…

    • O problema é que tirar o iPhone dos criminosos não fará com que eles parem de realizar crimes. Continuarão fazendo, mas com métodos criptografados diferentes, enquanto os iPhones do resto do mundo ficarão vulneráveis ao controle do Estado.

      “Ah, mas eu não tenho nada a esconder”. Quem diz isso, ficaria feliz se o governo Brasileiro começasse a investigar sua vida e saber tudo o que faz? E se você começasse a ser tratado diferente só por causa da posição política de oposição, quão horrível isso seria? Dar o controle da nossa vida ao Estado é isso: nunca se sabe quem vai estar no poder logo ali na frente. E quem tem muito poder, costuma abusar dele.

      • A Receita já sabe todos os seus gastos… E a permissão disso está sendo debatida neste instante. Outra questão interessante, dessa vez, especialmente, para os possuidores de iPad, o Supremo Tribunal Federal vai julgar se livro eletrônico tem imunidade tributária. Abraço.

        • Alex iPilot

          E o iPad é classificado como livro eletrônico? Teria como vc passar um link para acompanharmos isso? Valeu, grato!

          • Está na pauta de hoje:

            “Está na pauta da quarta-feira (17/2) do Plenário do Supremo Tribunal Federal o caso que vai definir se livros eletrônicos têm direito à mesma imunidade tributária que os livros impressos. A questão está em recurso extraordinário com repercussão geral reconhecida e de relatoria do ministro Dias Toffoli.” RE 330.817

            A questão não trata diretamente de iPads, mas caso o STF entenda como existente a imunidade tributária para esse caso, isso abre as portas, em tese, para novos entendimentos favoráveis.

            O iPad não é classificado como livro eletrônico.

      • Alex iPilot

        Mas você acha que quebrar o sigilo num smartphone é “entregar o controle da vida ao Estado”? E quanto aos computadores que sempre puderam ser (e são) apreendidos desde sempre? Ligações telefônicas, movimentações bancárias, etc? Nunca essas investigações foram contestadas…

        • Hoje em dia? Com certeza. O smartphone está sempre com você. Ele te ouve através do microfone, ele te vê através da câmera. Ele tem acesso constante à internet, por onde você acessa seu banco, seus arquivos na nuvem, envia e recebe mensagens e e-mails. Ele armazena suas fotos, seus contatos. Ele sabe o que você procura na internet, quando procura e com qual frequência. Ele tem GPS, portanto sabe onde você está, o tempo inteiro. E seus amigos também tem os deles, e um cruzamento bem idiota dos dados vai dizer com quem você esteve, quando e por quanto tempo.

          Esse é o poder que se abre quando você tem essa quebra de sigilo. Quebra de sigilo telefônico é feito pela operadora, através de uma solicitação judicial. O que se discute aqui é uma brecha em um sistema presente em milhões de smartphones no mundo, o que é completamente diferente. Ou você acha que nenhum hacker vai explorar a falha até conseguir ter o acesso?

          • Alex iPilot

            Pois é… Eu estou lendo e ainda não vi o pedido para a quebra ser generalizada… Inclusive especialistas de segurança comentando que a Apple nem precisaria entregar a ferramenta ao FBI… http://www.nbcnews.com/tech/security/why-are-apple-fbi-battling-over-iphone-n520081

            • “(…) the court (…) asks the company to build a program that would allow the FBI to try passwords over and over again until they got into that specific phone, decrypting the data.”

              Para isso precisariam criar um backdoor, brecha que, uma vez criada, poderia ser explorada por outros hackers, ainda que não tivessem acesso ao firmware desenvolvido especificamente para este caso. Já imaginou isso parando em mãos erradas?

              Mas o principal é o precedente. Uma vez criada a brecha, ainda que o FBI não ponha as mãos no firmware, abre-se um precedente para outras solicitações, já que “isso já foi feito uma vez”. Como dito no texto, o fato da liberação acontecer não vai impedir criminosos, que apenas passarão a fazer a comunicação de outra forma. Ou seja, abre-se um precedente que pode acabar por violar a privacidade de milhões de usuários (não de forma imediata, mas a longo prazo) e os criminosos vão dar um jeito, simplesmente.

            • Alex iPilot

              No texto que você destacou:
              1) é dito “naquele específico telefone”, não é um pedido para todos os aparelhos. E a Apple sempre fez isso para o FBI, anteriormente ao iOS8.
              2) a expressão “decrypting the data” é jogada de marketing, porque as 10.000 opções de password seriam tentadas para desbloquear a tela inicial do aparelho, beeeem longe do conceito técnico de “quebra de criptografia”.

            • 1. O grande ponto aqui é o precedente. Uma vez liberado, qualquer coisa pode passar a ser motivo para o governo exigir que a Apple libere o acesso novamente. Não se engane: o governo tem muito mais interesse em ferramentas como essa do que se imagina e essa briga pelo acesso aos dados dos usuários não é de hoje.

              2. Não vejo como “jogada de marketing”. Ele diz exatamente o processo: usar força bruta para achar a senha e descriptografar os dados, o que continua sendo “descriptografar”. Os dados do iOS ficam protegidos exatamente pela senha na tela de bloqueio, que é usada como chave da criptografia do sistema; não é apenas uma “senha de bloqueio”. Se esse fosse o caso o FBI facilmente conseguiria os dados que quer.

              Se a coisa fosse simples assim, a Apple seguia a solicitação judicial e pronto. Escreveria um texto dizendo que os usuários estão seguros e fizeram para ajudar a campanha anti-terrorismo. O buraco é bem, bem mais embaixo.

            • Alex iPilot

              Sei que a senha de bloqueio é parte da chave, a outra parte é gravada em hardware no aparelho. Antes do iOS8 a senha não era parte da chave e a Apple atendia essas solicitações do FBI.
              Mas o caso é simplesmente o desbloqueio da tela inicial, e o FBI pede à Apple porque o dono configurou para apagar os dados após 10 tentativas erradas. Esse é o fato. Todo o resto é discussão sobre o precedente e hipóteses (ainda que interessante).

  • Carlos Frederico

    Tim Cook, cada dia que passa, mais prova o seu devido valor. Não duvido que ele se torne uma lenda como Steve Jobs… se é que já não se tornou diante de diversos pontos de vista. É o tipo de CEO que toda empresa deveria ter.

  • Danilo

    Se a Apple perder a credibilidade do iphone, vai pro buraco.
    Ano após ano os indicadores mostram que quem sustenta a apple é o IPhone,por isso o Cook não quer abrir precedentes para futuros abalos.

  • Francis

    Toda a minha admiração ao Tim Cook pela atitude tomada. Não foi por acaso que SJ o escolheu seu substituto imediato. Espero que ele continue firme nessa luta.!!

  • Alex iPilot

    A coragem e a atitude do posicionamento de Tim Cook são dignas de aplausos. Reconheço, embora discorde dele. Nossos sigilos fiscal, bancário e telefônico vem sendo quebrados desde sempre sem que isso tenha destruído a privacidade e arrasado a vida de alguém… Ademais, então não foi a própria Apple (“…liderados pelo iPhone…”) que tornou possível que nos expuséssemos nos smartphones? Não foi ela que “criou o problema” de carregarmos nossa privacidade no bolso? Então foram ingênuos e não previram que a Lei exigiria o acesso aos dados, como sempre houve, inclusive com a apreensão de equipamentos? Imaginaram que estariam acima da Lei? Agora que resolvam o bagulho, rsrsrs…

  • Alex iPilot

    Será muito interessante acompanhar se a discussão irá chegar à opinião pública, MUITO FORTE no combate ao terrorismo… E também se chegar aos candidatos à presidência!

  • A verdade é que essa questão vem se arrastando há muito mais tempo… É um embate interessantíssimo, e as consequências poderão ser bem profundas e nefastas caso a tese da Apple seja de alguma forma vencida. Entretanto, acredito que os EUA, sendo o bastião democrático do planeta possibilitará a manutenção desse entendimento da Maçã ou buscará uma terceira alternativa. Aliás, hoje mesmo noticiaram que uma firma de segurança alegou ser possível evitar a proteção da Apple de forma a atender aos anseios do FBI.

  • Alex iPilot

    Tragam a pipoca que já começou, rsrsrs… Declaração de Donald Trump: “Quem eles pensam que são? Tem que abrir!”

  • Alex iPilot

    A gente vai lendo e entendendo mais detalhes importantes para a discussão. Por exemplo, NINGUÉM fala em abrir a criptografia do iPhone! O que se pede é uma forma de evitar que NUM APARELHO APREENDIDO os dados sejam apagados após 10 tentativas erradas, e que também se permita tentar as 10.000 combinações possíveis para desbloquear o aparelho apreendido sem que que o intervalo de tempo aumente entre tentativas. Nada disso implica em vigilância por GPS, escuta ou leitura de mensagens, acesso remoto aos dados, NADA DISSO… Como disseram no incêndio do circo: “Senta que o leão é manso!”

    • A discussão na verdade é muito mais profunda.

      Nos EUA existe há tempos uma discussão sobre isso. O que o FBI quer não é apenas ter acesso ao iPhone 5c do terrorista. Não.
      Ele quer um precedente, que lhe dará poderes no futuro, para conseguir mais coisas.

      Não é pelos 20 centavos.
      Tem um ótimo texto de um especialista de segurança. Ele abrange o que este pedido esconde e suas consequências. http://www.macworld.com/article/3034355/ios/why-the-fbis-request-to-apple-will-affect-civil-rights-for-a-generation.html

      • Alex iPilot

        Grato, lerei o texto com calma. Mas será agora uma discussão interessante e o Tim Cook conclama a sociedade porque ele sabe que alegações sobre o que poderia acontecer num futuro não são consideradas no processo legal, que se atém ao fato do pedido “singelo” de apenas desbloquear a tela inicial de um 5C apreendido. Esse é o fato que conta. Os catedráticos em Direito é que poderiam comentar melhor…

    • Ou então essa manifestação do ACLU: “Se o FBI conseguir forçar a Apple a hackear os aparelhos de seus clientes, então também permitira o mesmo a cada regime repressivo no resto do mundo.”
      https://www.aclu.org/news/aclu-comment-fbi-effort-force-apple-unlock-iphone

      Na Síria o governo poderia também exigir que a Apple revelasse os dados de iPhones de rebeldes. Ou na Venezuela. Ou pior, na China, que é o segundo mercado da maçã e ela depende tanto para continuar mantendo seu crescimento. Começaríamos a viver em um mundo onde governos opressores teriam mais força.
      Enquanto isso, os ataques terroristas continuariam, pois eles existem antes mesmo do iPhone e a internet existir.

      • Alex iPilot

        Governos tem a força da Lei local, opressores ou não. Qualquer empresa ou pessoa precisa cumprir a legislação do lugar, independentemente do que o FBI conseguir nos EUA, de haver precedente ou não.

  • Fernando

    Sinceramente eu acredito que esse backdoor já existe, mas a apple não vai entregar para ninguém, e escrever essa carta foi um baita marketing para a empresa, afinal quantos agora passaram acreditar que o iOS é impenetravel que nem o FBI consegue…. Acredito sim que o FBI não conseguiu, mas nao acredito que a apple nao consiga…

  • Geraldo

    Concordo com a posição do CEO da Apple, mas provavelmente será inútil, porque decisão judicial é para ser cumprida.

  • Leticia Barreto

    Admiro muito mais agora o Tim Cook , exemplar a defesa dele .

  • Anderson Lopes

    Ta tendo app grátis lá no app Apple store….?

  • Conde De La Roche, o benfeitor

    Em principio também sou favorável ao cumprimento da decisão judicial, afinal, em um Estado Democrático de Direito, com suas instituições sadias, não se duvida dos objetivos dos órgãos governamentais. É louvável que o FBI queira proteger os cidadãos.

    Por outro lado, a abertura de precedente derivada de um caso de terrorismo (repugnante, como esse) leva a futura extensão da quebra do sigilo sobre outras ocorrências (um assassinato brutal, por exemplo. Mas dai vai querer quebrar para grandes traficantes, assaltantes…. Então vão utilizar para apurar sonegação de imposto, vigiar adversário político, esposa traidora etc etc.

    alguém concordaria em abrir seu sigilo para o governo brasileiro?? Nosso Estado não é confiável, e penso que os outros também não são (inclusive EUA). Hoje mesmo assisti ao filme Jogo de Poder (Fair Game, com a bela Naomi Watts e Sean Penn), que retrata especificamente como o governo americano mentiu a todos os cidadãos para sustentar o início da Guerra do Iraque.

    Abrir o sigilo ao governo porque “não tem nada a esconder” é perigoso, pois os Estados totalitários passaram a existir durante a História justamente para “defender” o cidadão. O governo nos obrigou a usar cinto nos carros, a usar cadeirinhas para crianças, proibiu o fumo nos bares e restaurantes, proibiu a venda de salgados nas cantinas de escola… Tudo isso para nos proteger. Contudo, logo vai querer me proibir de comer bacon porque aumenta o colesterol. Vai querer me proibir de andar de carro, porque posso me acidentar. Logo dirão que saltar de paraquedas é perigoso. A cerveja causa cirrose, o churrasco, câncer.

    Viajei um pouco, mas na essência quis dizer que é preciso ficar atento com atitudes “nobres” do Estado, pois ele é governado sempre por gente que quer se manter no poder a todo custo.

  • FábioSilva Oficial

    Só espero que a Apple mantenha-se irredutível a essa toda essa questão e que não se submeta as birras do FBI. Afinal, faça valer o mais tocante… “Tivemos até mesmo que colocar esses dados fora do nosso próprio alcance, porque acreditamos que o conteúdo do seu iPhone não é da nossa conta”

  • Rodrigo Galvão

    Não concordo com os argumentos do CEO da Apple, tendo vista que o que a justiça americana está exigindo é para se ter acesso a um aparelho de um terrorista. Se essa ferramenta ainda não existe já deveria ter sido criada para que se possa ter acesso a esse aparelho. Agora está mesma ferramenta não deve ser usada para invadir a privacidade de pessoas de bem

  • Jonas

    O iPhone é bom , mas o presidente dos EUA ainda usa BlackBerry.

  • Bruno Silva

    Snowden saiu logo em defesa da Apple.

    A Apple virou mesmo uma caixa de ressonância para o antiamericanismo à distância. 
Tim Cook e seu conselho deveriam – em nome do bom senso e em defesa do país que deu-lhes (e ainda dá) todas as condições de prosperar – repudiar publicamente tal saudação, porque ela é indecorosa e, decerto, é proferida por um criminoso – que, como tal, age como um grande covarde (sem falar que habita hoje o lar do heroísmo criminoso comunista, a Rússia). 
Um país que é alvo constante de terroristas mundiais, como Snowden (e Assange) sabe (ou deveria saber, mas se tratando de Obama, tudo é possível) que tal monitoramento é necessário. Pena que a Apple e outros, nunca defendem os EUA e nem sequer elogiam a NSA pelas vidas que já salvaram – claro, odeiam o capitalismo e o governo que os protege, mas adoram ser bem pagos em moeda forte.
 Gostaria de ver ela ou qualquer outra empresa prosperar no paraíso estatal de uma ditadura cubana ou na Rússia – sendo a primeira, a tara de muitos socialistas “mulheres de malandro” do capitalismo, senão, ponto de encontro de muitos amantes da Apple. 
Em momentos como esse, os empregados da maçã deveriam, em protesto, importar o seguinte bordão: “A nossa maçã jamais será vermelha!”

    • Sua visão do mundo é bem tosquinha né? Normal pra quem acredita que o mundo ainda liga pra comunismo ou capitalismo, sempre pensam que as 7 bilhões de mentes no mundo são bem simples de entender, ou são direita ou esquerda.

    • Roberto

      A Apple deve aos pais fundadores e não ‘burocracia americana’ louca para virar o ‘grande irmão’

  • Colocando na balança fica óbvio que não vale a pena prejudicar os milhões de usuários para ajudar em um caso. O único tipo de pessoa que defenderia os EUA poder espionar é quem cresceu ouvindo que lá é o paraíso, lá ninguém faz nada de errado, tudo anda, tudo funciona (obviamente não faz a menor ideia de como um nada acontece lá).

  • juhnior

    Cara, não to aqui pra ofender ninguém, não sou esse tipo de pessoa mas se tem uma coisa que eu tenho certeza é que não queria ser a parceira (ou parceiro) desse Alex nos comentários. Jesus amado, que difícil…

  • KB

    Perfeito texto!

  • Diego Ramos

    Concordo plenamente com O Tim Cook. O governo dos Estados Unidos exilou Edward Snodem.
    Parece que os Estados Unidos não consegue fazer o mesmo que ele fez e quer obrigar a Apple a fazer.

    Se fosse um produto que circulasse apenas ao redor da casa branca, tudo bem. Mas o Iphone circula ao redor do mundo. O governo dos Estados Unidos teria acesso ao dados de muitos países, e isso constituiria em uma invasão mundial.

    Todo e qualquer problema relacionado a disponibilidade de informações ou vulnerabilidade da mesma, implicariam em acusações para os EUA.

    A Apple seria destruída pela falta de confiança de seus clientes.