Notícias

A viúva de Steve Jobs tentou impedir a realização do filme sobre ele

Nesta semana, estreia nos Estados Unidos um novo filme sobre Steve Jobs, produzido pela Universal Studios. O filme no início tinha tudo para não sair: começou na Sony, com outros atores e diretor (até o Leonardo DiCaprio foi cogitado), depois todos foram desistindo e chegou a ficar sem estúdio, até que a Universal resolveu assumir o projeto. Mesmo com tantas dificuldades (e um ator que não assemelha em nada ao personagem principal), o resultado final finalmente chega às salas de cinema.

Mas as dificuldades foram bem maiores, inclusive vindo da própria família. De acordo com o The Wall Street Journal, a viúva do co-fundador da Apple, Laurene Jobs, tentou fazer de tudo para que o filme não fosse finalizado.

A razão para isso é que Laurene diz que tanto o filme quanto a biografia no qual ele foi inspirado (e que ela detestou) só mostram um lado escuro da vida de Jobs, sugerindo que ele era cruel e desumano, coisa que ela afirma que ele não era. Ela cita, por exemplo, o caso da primeira filha Lisa Brennan-Jobs, explorado bastante no filme. Jobs se recusou a aceitar a paternidade somente até ser confirmado o exame de DNA, depois disso eles se reconciliaram e ficaram muito próximos.

Laurene foi convidada a fazer parte da elaboração do roteiro nas fases iniciais do filme, mas ela se recusou.

Tags
Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados

  • Andre Matos

    Porra man fico me imaginando numa situação dessa. Acho que as produtoras deveriam respeitar. Imagina um filme mostrando o clichê negativo que a mídia sempre disse do seu pai/mãe/esposa/marido etc. A viúva tá lá sofrendo a morte do marido e o pessoal me vem na semana que ele faz 4 anos de óbito e lança um filme “metendo o pau”. Sacanagem isso…

    • Danilo

      Steve Jobs pra mim foi um gênio,mas esta exploração ja deu no saco.
      Estava reparando na Saraiva a quantidade de livros,,Seja Steve Jobs,Pense como Steve Jobs,a Cabeça de Steve Jobs,quem foi Steve Jobs,Descasque laranjas como Steve Jobs….
      O cara foi foi top,foi,mas ta na hora do barco seguir.

      • André

        Ele foi um gênio para tecnologia, mas um lixo de ser humano. Talvez o filme tenha sido generoso demais não mostrando realmente o ser que ele era.

  • Bruno Silva

    Depois de montar uma campanha no início deste ano para polir a lenda de Steve Jobs, os Apple insiders provavelmente serão forçados a arrancar o que sobrou de seus cabelos agora que esse novo filme biográfico foi lançado em outubro.
    Esse filme retrata a lenda de Steve Jobs no modo completo idiota. Funcionários completamente humilhados, um co-fundador completamente alianado como Steve Wozniak, e a negação da paternidade de sua filha, Lisa.
    Estrelado por Michael Fassbender como Jobs e Seth Rogen como Wozniak, cada cena dos trailers nos mostrou um arrogante e presunçoso Jobs.
    O retrato do guru da Apple não deveria ser surpreendente para a pessoas, dado que o roteiro foi escrito por Aaron Sorkin e é baseado na biografia do escritor Walter Isaacson.
    Pra quem se lembra, foi Sorkin que alegremente escreveu a história de fundo do co-fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, que foi o roteiro de A Rede Social. Esse filme mostrou como Zuckerberg se tornou um estúpido misógino que decidiu criar o Facebook apenas porque foi rejeitado por uma mulher, e então depois começou a esfaquear seus amigos pelas costas enquanto ele escalava seu caminho até o topo de uma pilha gigante de dinheiro. Que no final, ele acaba sentado, triste e sozinho.
    Do ponto de vista da Apple esse filme não representa nada. Mas, a única coisa que esse filme poderia trazer de ruim para Apple, seria uma leve publicidade negativa. Apenas se esse filme biográfico for um grande sucesso, é claro. A única maneira desse filme trazer algum mal estar genuíno para a Apple, é se ele for um sucesso de público e crítica e ainda obtenha algumas indicações ao Oscar, como a rede social fez.
    Jobs foi um dos cretinos mais brilhantes do vale do silício.

  • Gaius Baltar

    O filme é largamente inspirado na biografia AUTORIZADA de Steve Jobs. É autorizada não pela mulher, filhos ou pais, e sim pelo próprio Jobs. Ele deu inúmeras entrevistas ao Walter Isaacson e concordou com a publicação. Boyle, Sorkin e Fassbender são figuras de primeira grandeza (em termos de qualidade fique claro, eles não são Michael Bay, Damian Lindelof ou Adam Sandler) de Hollywood. Não iriam arriscar suas carreiras em um filmeco caça-níquel. Por isso estou bastante ansioso pelo filme é o fato da esposa concordar pode ser um sinal de que o filme não é mais uma ode à “semi-divindade” de Steve.

  • Elton Fabricio

    Estou Lendo o “Become Steve Jobs” e agora entendo perfeitamente a frustração dela.
    A mídia e a ultima biografia dele (Isaacson) mostram apenas o lado ruim e passam a ideia de que ele era um cara rude e impiedoso com os funcionários.

    • Luiz Fernando Ferreira

      Sei não, porque foi o Steve que quis que o Isaacson fizesse a bio dele, sendo que o Isaacson negou na primeira vez, o que tá lá é o que o Steve realmente era, foram inúmeras entrevistas com ele, muitas caminhadas, até sair essa bio autorizada

      • Vinícius Viegas

        Ninguém é sempre um idiota ou sempre um anjinho. Não tem essa de “o que steve realmente era”. É justamente do estereótipo que estão reclamando.