Curiosidades

Veja o novo trailer legendado do filme sobre Steve Jobs

E temos mais um trailer do filme Steve Jobs| antes da sua estreia nos Estados Unidos, no dia 9 de outubro. Neste vídeo de mais de 2 minutos, vemos um Jobs lutando para mostrar aos que o cercam, que ele tem uma visão diferente de ver o mundo. Confira:

Eles parecem mesmo terem dado um tom bem denso e encorpado à história, que segundo Wozniak, é bem fiel aos fatos. O filme nem saiu ainda, e já ficamos com vontade que ele tenha uma continuação.

Ele estreia em novembro em Portugal e só em janeiro no Brasil.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Curti demais o trailer e a música eletrônica de fundo!

  • ɯɐıl ʞɹɐʇs

    péssima caracterizaçao

  • Jefferson Soares

    steve jobs|

  • lfdorileo

    pelo menos a musiquinha é legal…. kkkkkkkkkkkkkkkk

  • Lucas Pinho

    Excelente, parece muito melhor (roteiro e interpretação) do que o Jobs.

  • Bruno d’El-Rey

    Muito ansioso por esse filme!!!!

  • renandecarlo

    O trailer não me empolgou não, vamos ver o que vai sair do filme…

  • João Vianini

    Eu gelei um pouquinho no trailer. Estou meio em dúvida ainda… Veremos.

  • Chega de ver trailers = Spoilers !!
    Qro me surpreender no cinema também…

  • André

    Ele foi o gênio da tecnologia mas um lixo de ser humano. Conhecidos que trabalham e trabalharam na sede da Apple, em Cupertino, a rotulam de “Company of devil” e todos são unânimes em dizer que ele não era uma boa pessoa.

  • Fabricio Estefani

    Eu já comprei os ingressos antecipados, assisti todos os filmes e li livros, mas esse ator por mais que seja um ótimo ator, não posso deixar de comentar que ele é a cara do Jim Carrey.

  • Fabricio Estefani

    Empresas não tem coração. De sua volta até à morte, imagino que foi o melhor momento finaceiro da empresa. Acionistas curtem dinheiro, não importa como os fazem. Se tem que por no rótulo uma fazenda e na real ser um açougueiro carniceiro por trás. Assim como os caras da Atari que fumavam maconha, bebiam e no momento de inspiração iam lá e faziam jogos que rendiam milhões de dólares. As empresas querem o lucro.

    • André

      Triste, Fabrício… Isso ajuda a explicar a situação em que o mundo se encontra. Valeu pelo seu comentário!

  • Rodrigo Alineri

    A caracterização é o que mais me “brochou” nesse novo filme. Para quem viu a caracterização matadora de Ashton Kutcher em Jobs com certeza vai sentir a falta dessa semelhança. Mas de qualquer modo estou apostando numa história bem contada e fiel. Aguardando.

    • Gustavo Jaccottet

      De nada adianta uma boa caracterização sem um bom roteiro e uma boa direção. No caso há um roteirista ganhador do Oscar por “A Rede Social” e um diretor sensacional, igualmente vencedor do Oscar. O Ashton Kutcher é um ator limitado se comparado ao Fassbender. A semelhança é subjetiva. Cada um vê aquilo que quer ver, especialmente no cinema. A Meryl Streep não ficou nem um pouco parecida com a Margaret Thatcher e ganhou o Oscar de melhor atriz. O mesmo vale para o Daniel Day-Lewis com “Lincoln”, dentre outros casos, que não foram ganhadores do Oscar, mas que foram indicados, como a Cate Blanchett em “Não Estou Lá”, interpretando o Bob Dylan.

      • Rodrigo Alineri

        Só quis dizer que a semelhança de Ashton Kutcher com Jobs nas fazes iniciais da Apple era assustadora, e isso foi muito comentado na época que antecedia o lançamento do filme. Para mim, que sou fã de Jobs e acompanho a muito tempo a sua história, isso contou pontos para a obra como um todo.

        • Gustavo Jaccottet

          Sou também um admirador do SJ. Eu penso que o ator que mais “assemelharia” a ele seria o Christian Bale, mas por causa de um filme que está em pós-produção, acho que é um projeto independente com Terrence Malick, ele recusou o papel. Aí sim se juntariam as duas coisas: um ator excelente e poderia ter uma semelhança na juventude e na posteridade. O problema de “JOBS” talvez tenha sido esse: uma preocupação muito grande com a parte estética e deixando a desejar no roteiro e direção. Mesmo assim pelo Metascore o filme tem nota 84, tendo sido avaliado por 7 críticos. O mais sério de todos, do The Guardian, deu nota 60. Pelo que está se desenhando o filme não vai ser um primor e nem vai ser algo de saltar os olhos.