Notícias

Dicas de como comprar o iPhone 6s na pré-venda no exterior

Neste sábado, 12, começa a pré-venda dos novos iPhones 6s e 6s Plus nos Estados Unidos e alguns outros países. Muitos de nossos leitores estão pensando em viajar para comprar o aparelho lá fora e, por isso, resolvemos dar algumas dicas básicas de como garantir o seu. Aproveitamos também para esclarecer algumas dúvidas sobre os novos modelos.


Data do lançamento

Os novos iPhones 6s serão lançados em 12 países na sexta-feira, dia 25 de setembro. Este ano, pela primeira vez, a Apple escolheu lançar mais de duas semanas após o anúncio, que aconteceu no dia 9. Os países que receberão este mês são:

  • Estados Unidos
  • França
  • Reino Unido
  • Alemanha
  • Canadá
  • Austrália
  • Nova Zelândia
  • China
  • Japão
  • Singapura
  • Hong Kong
  • Porto Rico

Pré-venda

A Apple disponibiliza pré-venda do novo iPhone 6s, duas semanas antes do lançamento. Mas isso apenas nos países que receberão este mês o novo aparelho. Geralmente, os estoques não duram muitas horas, e quem demorar muito para reservar o seu poderá não conseguir recebê-lo no dia 25 de setembro.

Horário de início

A pré-venda inicia às 0h da Califórnia, equivalente às 4h da manhã de sábado pelo horário de Brasília. O início acontecerá ao mesmo tempo em todo o mundo. Em Londres, começa às 8h, em Paris às 9h, etc.

Quem pode comprar na pré-venda?

Qualquer um pode comprar na pré-venda, desde que tenha um cartão internacional. Cartões brasileiros também são aceitos na Apple Store Online de todo o mundo. A questão é que a entrega só pode ser feita no país em que ela ocorreu. Por exemplo, se você comprar pela internet na loja dos Estados Unidos, terá que mandar entregar em um endereço de lá. Não é possível mandar entregar no Brasil ou em outro país diferente.

O que muitos fazem é colocar o endereço do hotel onde vai ficar, ou a casa de algum amigo. Mas é sempre bom avisar antes alguém neste local, para sua entrega não se perder. É importante ter alguém para receber e assinar a entrega (não precisa obrigatoriamente ser você).

Qual modelo funciona no Brasil?

É a pergunta que todos se fazem. Qual modelo comprar para ele funcionar normalmente no Brasil? Para responder a esta pergunta, há três coisas a se considerar.

Rede 4G brasileira

Se você quer comprar um iPhone que funcione com as redes 4G no Brasil, não precisa se preocupar. Todos os modelos são praticamente universais e funcionam com nossa banda, seja ele comprado nos EUA, no Japão ou na Europa. Então, não se preocupe.

Nem sempre foi assim. No iPhone 5s, os modelos americanos não eram compatíveis com nosso 4G, mas isso mudou no ano passado, com a chegada do iPhone 6. Ainda bem. 🙂

Garantia no Brasil

A Apple só presta garantia no Brasil para os modelos homologados pela Anatel. A agência nacional ainda não divulgou qual modelo irá aprovar, mas geralmente a Apple costuma enviar o mesmo modelo vendido pela AT&T e T-Mobile nos EUA.

Isto significa que, se você comprar nos Estados Unidos um modelo da AT&T ou T-Mobile, com preço cheio (full price), ele provavelmente será o mesmo que será aprovado pela Anatel e com isso sua garantia valerá em território nacional. Os de outras operadoras não. Geralmente, os comprados na Europa não são cobertos pela garantia no Brasil.

Modelos que provavelmente serão aprovados pela Anatel:
– A1633: iPhone 6s (AT&T)
– A1634: iPhone 6s Plus (AT&T)

Modelos que não serão enviados para a aprovação na Anatel:
– A1688: iPhone 6s (Europa/T-Mobile/Verizon/Sprint)
– A1687: iPhone 6s Plus (Europa/T-Mobile/Verizon/Sprint)

Como saber o modelo na hora de comprar online? Não tem como, até porque a Apple ainda não atualizou sua página no momento em que escrevemos este artigo. Portanto, estas informações por enquanto são suposições e nada foi realmente confirmado pela Apple. Tudo por sua conta e risco.

Modelos desbloqueados

Todos os aparelhos comprados na Apple Store com preço cheio (full price) são desbloqueados. Se você comprar em outra rede, como Best Buy ou Walmart, ou então de alguma operadora, o aparelho poderá vir bloqueado, mesmo pagando preço cheio. Fique atento a isso.

Como funciona a pré-venda

A grande dica para ser um dos primeiros a comprar na pré-venda é usar o aplicativo da Apple Store. Geralmente ele entra no ar antes do site, e isso pode fazer você poupar alguns preciosos minutos.

Outra dica é você já configurar a sua conta na loja do respectivo país com o endereço de entrega e até os dados de cartão de crédito. Isso facilita muito na hora da correria.

Se for fazer pelo computador, os links de cada loja são estes:

Estados Unidos
França
Reino Unido
Alemanha
Canadá
Austrália
Nova Zelândia
China
Japão
Singapura
Hong Kong
Porto Rico

No Brasil, a pré-venda acontece a partir das 4h da madrugada de sábado (12), horário de Brasília. “Poxa, mas não posso comprar de manhã cedo para não precisar ficar acordado?“. Pode tentar, mas não é garantido que você conseguirá encontrar o modelo que deseja, para entregar na data que você quer. Depois de alguns minutos do início das vendas, o prazo de entrega costuma aumentar em algumas semanas, e se você estiver com viagem marcada, pode se complicar.

A única data que é possível prever a entrega é se você conseguir logo para o lançamento, dia 25. Se, por exemplo, você viaja na metade de outubro, não tem como reservar agora para entregar exatamente no dia que você estará lá. A Apple não oferece a escolha do dia da entrega.

Entregar na loja

Às vezes, é possível reservar para que o iPhone possa ser retirado na loja (opção Available for pickup) de sua escolha, o que é bem prático, pois você pode pagar em dinheiro. O problema é que nem sempre esta opção está disponível logo no dia da pré-venda, sendo liberada somente alguns dias antes do lançamento.


É isso. Conforme forem aparecendo mais dúvidas, completaremos este artigo aqui. Favorite-o e compartilhe com seus amigos que estão querendo comprar o novo iPhone lá fora. Ele pode ser útil para muitos.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados