AcessóriosAplicativos

Chega ao Brasil acessório que transforma o iPhone em um monitor de glicemia

Em um evento acontecido este mês em São Paulo, foi anunciado à diversos blogueiros o lançamento do iBGStar, o mais famoso glicosímetro compatível com o iPhone e iPod touch, que permite consultar a glicose do corpo onde quer que o usuário esteja. O Blog do iPhone experimentou o acessório.

Para quem sofre de diabetes, é muito importante ter um controle rígido dos níveis de glicose no corpo em diversas horas do dia. Com o iPhone, iPod e (teoricamente) o iPad, este controle pode ser ainda mais profundo e organizado.

Há anos estamos de olho no iBGStar, que foi lançado em 2011 na Europa, mas como ele não podia ser vendido no Brasil, não podíamos falar dele. De fato, o acessório teve que esperar 2 anos e meio para finalmente ser aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e só agora chega ao nosso mercado.

Com o iBGStar, você precisa somente de uma gota do seu sangue e ele, na hora, registra seu nível de glicose.

iBGStar

Com a ajuda de um aplicativo próprio, é possível, além de registrar os níveis de glicemia, enviar os dados ao médico por e-mail, obter gráficos de tendência que demonstram a evolução do controle glicêmico para melhor análise e tomada decisão médica, registrar a contagem de carboidratos, unidades de insulina (fibras), medicamentos, alimentação e atividade física. Tudo isso de forma organizada, o que permite ao usuário ter uma visão geral do seu quadro e assim melhorar a sua saúde.

Não há versão específica para iPad do aplicativo, mas é possível rodá-lo em modo de tela ampliado. A Sanofi, laboratório responsável por trazer o aparelho ao Brasil, evita falar em compatibilidade com o iPad, pois os testes feitos para a Anvisa não incluíram o tablet, mas nós testamos em um iPad mini e ele funcionou aparentemente bem. Mas um aviso aparece na tela deixando claro que eles não garantem a compatibilidade.

iBGStar

iBGStar

Seu funcionamento é muito simples. Basta introduzir uma tira medidora descartável (tira-teste) no aparelho e encostar a gota de sangue na ponta. Em 5 segundos, o aparelho tem condições de dar o resultado, não precisando necessariamente estar conectado ao iPhone neste momento. Uma pequena tela LED mostra na hora o resultado. Ao conectar ao iPhone (ou iPod), os dados são transferidos e adicionados ao aplicativo, que organizará os relatórios.

iBGStar

Confira um vídeo feito por nós durante o evento, explicando um pouco como o acessório funciona:

O único porém do acessório é que, por ter demorado tanto para a ANVISA aprovar, ele ainda conta com o antigo conector de 30 pinos (compatível com iPhone 4, 4S, 3GS, 3G, além dos primeiros iPads até a 3ª geração) e para funcionar em aparelhos mais novos com Lightning, é necessário um adaptador. Além disso, o aplicativo não foi ainda adaptado para o iOS 7, apesar de funcionar normalmente até mesmo no beta do iOS 8.

iBGStar

Conversamos com os representantes da Sanofi sobre o futuro HealthKit e a preocupação da Apple em integrar acessórios de saúde ao iOS. Eles declararam que a empresa está muito interessada nas novidades apresentadas na WWDC e já está estudando maneiras de se integrar ao futuro sistema.

O acessório começará a ser vendido em julho, direto na loja online da empresa (publicaremos o link aqui no Blog assim que a loja entrar no ar), pelo preço sugerido de R$250,00. O preço nos impressionou, pois é quase o mesmo praticado nos EUA. As tiras-teste serão vendidas por R$89,90 o pacote com 50 unidades.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • rmonaco

    Essa Anvisa é uma vergonha…

    • Tsiegmann

      Qual serviço de empresa brasileira que não é? Correios, petrobras, infraero… Tudo umas PIADAS…

    • Roberto Roberto

      Querem roubar em tudo esta é real verdade destas merdas de penduricalhos apadrinhados que vivem mamando em secretarias e agencias criadas só pra dar emprego para os amiguinhos. Que mal causaria a vida do comprador deste produto, ANVISA é uma mentira nacional…

  • Alex iPilot

    Se houvesse algo semelhante para medir colesterol eu compraria…

    • Anastacia

      Quem sabe no IWatch tenhamos todos reunidos num aparelho só?

  • Jadson Lener

    Muito bom o produto, bem prático, e o aplicativo também é um espetáculo a parte, bem didático e eficiente.

  • Alex iPilot

    Questão: será que o novo iPhone, iWatch, iWhatever, ou acessórios do Health que façam “algo semelhante”, “medições clínicas”,… Também dependerão desse prazo de aprovação??? Credo…

    • Bruno R.

      Alex, sim, a Anvisa precisa aprovar todos os produtos que sejam vendidos dentro da área dela (saúde, cosméticos, etc). Imagine um esmalte/shampoo/sabonete que dá alergia (ou coisa pior), um medicamento que não cura a doença que se propõe a curar, ou um medidor (como este em questão) que meça errado… A Anvisa é responsável pela aprovação. Do mesmo modo, se um lote de iogurte ou remédio sai “falho” e vai para o mercado, a Anvisa pede o recolhimento de imediato.

  • Celso F. Araujo

    Notícia muito interessante para que sou diabético, embora as tiras reagentes custem mais caro que as dos glicosímetro do mercado, torna-se uma opção a mais para o controle glicêmico. Resta agora esperar pelas definições de preços.

    • Jairo Gandra Percy

      Isto quer dizer, que tem que ser as tiras específicas? Não se pode usar as tiras comuns?

    • Roberto Roberto

      AINDA MELHOR COMPRAR OS DE FARMACIA COM VALOR BEM INFERIOR..

  • Leonardo Negrisoli

    Pro meu pai isso seria excelente….
    Agora basta convencê-lo a medir a bendita glicemia

    • Eduardo Jorge

      Hahahahah

  • Vinicius Marinho

    Bacana… Somente dois comentários: descarte de fita de terceiros pode haver contaminação (risco biológico) e 71 mg/dl não é hipoglicemia. Mas de resto, uma alternativa interessante, apesar de um aparelho mais caro que a média, as fitas estão num preço normal.

  • Henrique .Teixeira

    Os primeiros ipads até a 3ª geração, o 4º já veio com lightning

    • Ops, verdade.

  • fujiy

    Em vez de ser pra iphone. Poderia ser só USB. E sincronizar via internet. Já que não tem muito motivo pra ter o conector de iphone se funciona por ai só

  • Fabio

    Se o iWatch conseguir substituir todos esses medidores que existem, essas empresas estarão perdidas.

  • Legal.. gostaria de comprar um desse. Acho que uma vez aprovado, as próximas versões para lightning aparecerão rapidamente.

  • Victor Campos

    Duro é furar o dedo para fazer o teste e sujar a tela de sangue! :/

  • Gustavo Milhomem

    Tenho 15 anos, sou diabético há 11. De toda a minha vida acompanhando a evolução dos aparelhos glicêmicos, esse em questão fará uma revolução na minha vida. Em julho eu compro! Só me falta comprar o adaptador pro meu iPhone 5S, rs

  • Guilherme

    E qto as fitas? Será que somente as “fitas do pacote” que serão compatíveis ou as fitas ja disponíveis no mercado também funcionariam?

  • Simone Eloá

    Ilex estava querendo comprar um ipad mini sem tela de retina se eu fosse comprar um com tela de retina iria comprar um ipad 4°geração e eu não sei o que usar . Tenho 1600 e vou comprar com desconto para estudantes e preciso ainda de “troco” …Então qual eu compro??? Se mais gente quiser me ajudar aceito (★w★) obrigada galera! !!
    Deve ter ficado meio confuso mas da para entender né??

  • Muito bom o preço do acessório.

  • Asnésio

    Já chegou obsoleto. Não é culpa só da Anvisa, o fabricante que ainda não produziu o aparelho com o Lightning, nem atualizou o app para o iOS 7, nem lá fora. Mas a ideia é boa!

  • jackson Douglas

    Acredito que a tecnologia inovadora nos comodidade e segurança por tanto compraria um.

  • Celso F. Araujo

    Sim cada glicosímetro usa suas próprias tiras.

  • Antonio Frederico

    Por precisar de uma gota de sangue e uma entrada para a fita, acredito que um iWatch não terá essa função. Seria coisa demais para um aparelho só.

    • Zigotto

      Pelo que li, estariam estudam uma tecnologia que conseguiria medir o açúcar do sangue e oxigenação, sem a necessidade de contato com o sangue, apenas com sensores. Contrataram um especialista que trabalhou com esta tecnologia.

  • Pessoal, onde eu consigo comprar esse acessório??

  • MACCaldeira

    “O único porém do acessório é que, por ter demorado tanto para a ANVISA aprovar, ele ainda conta com o antigo conector de 30 pinos”, Hã???? A empresa não atualizou o produto porque a ANVISA não aprovou? Ou existe uma versão atualizada que ainda não foi aprovada pela ANVISA? Não entendi…

  • Dan Cautella

    Excelente noticia! Tenho Diabetes insulino dependente ( antiga conhecida TIPO 1 ) a 31 anos, e este vem em boa hora, mesmo desatualizado, pelo conector de 30 pinos……

  • JanjaBoy

    Absurdamente caro!

  • Simone, eu não aconselho comprar um iPad mini sem Retina neste momento. O hardware dele é ainda do iPad 2, o que o deixa muito defasado em relação aos outros. O beta do iOS 8 roda muito lento nele, mas ainda é cedo para avaliar isso, porque é apenas uma versão de testes.

    Mesmo assim, sugiro investir em um com Retina, seja iPad mini ou maior.

  • iJunior

    “O acessório começará a ser vendido em julho, direto na loja online da empresa (publicaremos o link aqui no Blog assim que a loja entrar no ar)”

  • Rafael

    iLex, pelo amor de Deus! Quem vai vender isso no Brasil?
    Sou diabético e tenho muito muito interesse nesse acessório. Até que enfim algum dispositivo para auxilio a diabéticos!

  • diogo

    A ideia(modernizar os jurássicos medidores de
    glicemia) é ótima. Porém, apesar de ficar feliz em ver ações nesse sentido,
    ainda considero o aparelho uma bugiganga. Digo isso pois sou insulino
    dependente, faço de 6 a 8 medições de glicemia por dia e tento imaginar como
    seria utilizar esse aparelho no meu dia a dia e não vejo prós(a parte da
    análise dos dados é o software – já há soluções para isso hoje). Quando eu vejo
    esse tipo de proposta num mundo onde drones, impressoras 3D e tantas outras
    soluções modernas estão se tornando realidade só consigo pensar em uma coisa: a
    indústria do diabetes é muito grande, rola muita grana e eles não estão
    preocupados em fomentar soluções modernas e mais eficientes quando podem ganhar
    muita grana vendendo coisas obsoletas pra nós. A tecnologia dos medidores de
    glicemia de ponta de hoje estão décadas atrasadas quando comparadas a tudo que
    está ao nosso redor(celular, computador, eletrodomésticos….) Há um tempo
    atrás li um artigo sobre uma proposta realmente revolucionadora, uma capsula
    que seria implantada abaixo da pele e conseguiria fazer a medição(não só da
    glicemia) de forma contínua e enviar os dados a alguma dispositivo
    externo(celular). Isso sim seria uma revolução na minha vida. Não quero ser
    chato, mas não troco meu aparelho jurássico aqui por esse novo ai. Além da logística
    necessária para realizar uma medição ser mais simples(não preciso conectar ele
    a nada antes de medir a glicemia) não dependo de estar ou não com o celular(e
    ele ter bateria) pra fazer a medição.

  • Bruno R.

    A ANVISA aprova aparelhos (e medicamentos, cosméticos, etc) exatamente da forma como são submetidos a ela. Ou seja, na época da submissão para aprovação, provavelmente a empresa ainda não havia desenvolvido o produto com o novo conector. Conforme você mesmo diz, acredito que já exista uma versão atualizada ainda não aprovada pela Anvisa.

  • Feliponso

    Mas será que precisa demorar 2 anos pra isso acontecer?

    • iJef

      às vezes o produto estava com falhas, de medição ou etc…aí até a empresa corrigir falhas, enviar novamente para análise, chegar na vez de ser analisado, e etc…acaba demorando mesmo…

      • Feliponso

        Ah sim! Bem capaz! Ele já funcionando no mundo inteiro e só o do Brasil com falha!! Por isso a demora, tá explicado!! Kkkk

        • iJef

          Amigo, talvez os padrões do Brasil sejam diferentes dos padrões aplicados/utilizados no resto do mundo…
          Enfim, só te mostrei que pode haver motivos plausíveis para a demora, que acho que essa foi sua pergunta.
          Caso não queira realmente receber uma resposta ou um esclarecimento, não pergunte.

          • Vlgato

            Caso não queira ser contrariado, iJef, melhor não expor opiniões.Mostre motivos plausíveis quando a Anvisa entra em greve, prejudicando pacientes de toda sorte.

          • Roberto Roberto

            Com certeza padrões bem diferente tais como: QUANTO EU LEVO NISTO?…..

    • Alexandre Bisson

      Respondendo a pergunta direito: Não precisa. Compre no exterior e traga. Não paga impostos e não fica dependendo de gente incompetente. 😉

  • Beto Britto

    Nos avise quando entrar no ar, será um grande diferencial no nosso controle de glicemia!

    Abraços e parabéns pelo Blog!!

  • iJef

    O problema não foi ser contrariado, mas a forma como fui.
    Complicado você ler um comentário que contenha dúvida de alguém, tentar auxiliar, demonstrando uma opinião diferente, e ser tratado com chacota, mas, BR é BR né…

  • André Belfort Rolim

    Em termos de Aplicativo sugiro falarem do Glicocare, e em termos de device, vejo que o Contour TS é muito mais prático e infinitamente mais barato.

  • Roberta de Felippe

    Meu endocrinologista já havia me falado sobre, mas acho que sou uma diabética (há 20 anos) à moda antiga e ainda prefiro meu bom e velho glicosímetro. Talvez por pensar em valores também, pois comprar o aparelho é moleza, duro é o custo das tiras! Faço o dextro 8 vezes por dia e só não fui à falência ainda porque recebo o kit-diabetes do governo. Talvez eu mude de ideia se tiver a oportunidade de testar no meu iPhone, quem sabe.

  • Raphael

    Alguma novidade sobre preço e quando estará disponível no mercado brasileiro?

  • Gabriela

    Bom dia! Estou muito interessada no aparelho. Vocês já sabem se está a venda? Em qual site posso encontrar o produto?
    Obrigada!

  • Roger Lovato

    E então? Começou de fato ser vendido? Não achei em nenhum lugar ainda.

  • Roberto Roberto

    Como se isto resolvesse alguma coisa vc deve trabalhar em alguma agencia pra aprovar esta porcaria, nos EUA não existe nem ministerio dos esportes e são ganhadores de várias medalhas de ouro e o Brasil?