Notícias

Apple lança oficialmente sistema interno de assinaturas em aplicativos do iOS (atualizado)

A Apple anunciou hoje o lançamento oficial de seu novo sistema de assinaturas digitais em aplicativos, para distribuição de jornais, revistas, vídeos, músicas e demais conteúdos. Até então, isso era exclusividade do jornal The Daily.

O pagamento das assinaturas será feito com créditos da App Store ou através de cartão de crédito introduzido diretamente pelo usuário. O tempo de validade fica a cargo do editor, que pode oferecer assinaturas semanais, mensais, bimensais, trimestrais, anuais ou até mesmo bi-anuais.

A proporção da comissão da Maçã sobre o preço continua o mesmo que para aplicativos normais: 30% para ela e 70% para o desenvolvedor/editor. Mas o sistema não é exclusivo, podendo cada editor também continuar oferecendo seu próprio sistema de assinaturas.

O próprio Steve Jobs explica esta situação:

Nossa filosofia é simples: quando a Apple traz um novo assinante para o aplicativo, ela ganha uma quota de 30%; quando a editora traz um assinante novo ou existente para o aplicativo, o editor mantém seus 100% e a Apple não ganha nada.

A Apple não vai proibir os atuais sistemas de assinaturas, mas quer exigir dos editores que uma opção interna também seja proposta, pelo mesmo valor ou mais barato.

Atualização (15h05):

Parece que o anuncio não agradou muito os editores. A Fortune destaca diversos pontos negativos (na visão dela) no novo modelo da Apple:

– A Apple não permitirá que os preços de compras feitas dentro dos aplicativos sejam mais caros que aquelas feitas fora. Os 30% seriam pagos pela editora e não pelo usuário.

– Ela também não vai mais permitir links para sites externos que redirecionem diretamente para algum outro sistema de vendas, o que acaba de vez com o atual modelo de negócios do Kindle app, por exemplo.

– A comissão de 30% é altíssima se considerado a baixa margem de lucros que se tem no mercado de venda de livros e filmes.

Pelo jeito os editores vão reclamar ainda muito do novo sistema. Muita água ainda vai rolar.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Alex iPilot

    Ainda considero os preços MUITO elevados para uma “distribuição digital”, se comparadas às mídias impressas…

  • Acho interessante a opção de baixar o conteúdo automaticamente!

  • Zeto

    A grande pergunta é : será que vão implementar no iOS o download em background do periódico quando o usuário optar por fazer uma assinatura ?

  • Daniel

    Não gosto muito da postura da Apple de obrigar a presença do sistema de pagamento deles, mas se o preço pode ser diferenciado, isso se torna menos problemático.

  • bernaction

    Esse incentivo é bacana. Boa Apple.

  • Francisco junior

    A AppStore aceita cartões de debito e credito? Vou fazer um cartão para cadastras lá quando ei fizer 18 anos aí eu queria saber. Com os créditos que eu compro no mer ado livre sai meio caro. Aí com o Cartqo de credito eu assino o jornal.

    • Alex

      Tem como sim cara… Inclusive vc pode cadastrar seu cartão na appstore da argentina ou qualquer outra appstore internacional que não proibem a maioria dos jogos e aplicativos como acontece na appstore do Brasil. Basta vc ter um cartão de credito que permita fazer compras internacionais (Ja testei todos os cartões, mas só o SANTANDER é que funciona), e conseguir algum numero de endereço e cep internacional, (pelo google vc acha). E depois é só aproveitar. Tenho uma conta argentina a mais de 2 anos.

  • Edgard Guerra

    Bacana.

  • Leandro Melo

    Ja comprei varios Apps porem nao tive coragem de comprar uma Veja ou alguma outra publicação digital. muito caro pois querem vender mais caro que na banca.

    • Bruno

      Como foi bem colocado no post, haverá alternativa entre comodidade e preço.
      Pessoalmente acho mais caro perder tempo, pegar meu carro, ir até a banca e comprar algo de qualidade muito inferior (papel) que depois vai ficar entulhando minha casa do que comprar do meu sofá, mesmo esperando dois minutos para baixar. Cada um optará. Achei bem razoável o posicionamento da Apple.

      • Guilherme Paula

        Bem. isso também é relativo.
        Eu não sei ai na sua cidade, mas na minha, quando vc assina uma jornal ou revista, eles entregam em casa. (a matéria é sobre assinatura).
        Acredito que gastos com impressão, papel e até o frete seja mais caro que uma distribuição digital.
        Terminou de ler, jogue no lixo. Não precisa deixar entulhando na sua casa.
        Papel é reciclável e acho que o foco da discussão aqui não é meio ambiente.

        • Bruno

          Rsrsrs… Ok, Guilherme, não dá pra tirar sua razão em seus argumentos. Na realidade sou assinante da Veja e da Exame. A questão principal é que a experiência de leitura dessas duas revistas é MUITO superior pelo iPad, em comparação com a de papel. Liguei para lá e tentei que parassem de me enviar, e transferissem a assinatura para uma digital. Não toparam. (eles juram que o custo da digital é maior, e vai ver é mesmo, dada a base infima de leitores digitais comparado com os tradicionais).

          • PG

            Bruno, faça feito eu então: cancele sua assinatura da revista impressa. Acho um ABSURDO cobrarem o mesmo valor da banca!!! Fora que eu ja assinava a revista ha mais de 10 anos… Perderam um cliente, ja que tb nao compro a do iPad so de pirraça! kkkkk

            Abraços

  • David

    Algumas assinaturas de revistas estrangeiras são bem mais baratas no formato digital, como a MacWorld através do site Zinio. São US$19 por 12 edições, menos de R$3 por revista…. existem algumas revistas que a assinatura anual sai por US$9 … acho que com um pouco de bom senso é possível cobrar menos e ampliar consideravelmente o número de assinantes.

  • André

    Tudo vai depender de quem cobrar menos.

  • Excelente!!

    Muito bom mesmo!!

  • Leonardo

    Pelo que está escrito no Press Release, não sei se é tudo tão flores assim não.
    Pelo que diz lá, o custo da assinatura dentro do app tem que ser igual ou menor o custo de fazer assinatura fora do app, ou seja, a empresa não pode cobrar mais dentro do app pra compensar os 30% que está perdendo.
    Além disso, não pode colocar link dentro do app que redirecione para o sistema de assinatura fora do app, o que acho outra restrição bem chata.

    Ou seja, não é competição de facilidade X preço, é facilidade X trabalho, já que o preço tem que ser pelo menos o mesmo.

    • Pois é, o artigo foi atualizado para ficar mais adequado à realidade. 🙂

    • Ednilson Rosa

      Mas também convenhamos: se o preço da assinatura por fora da Apple fosse 30% mais barato, quem ia querer assinar pelo aplicativo? O que eu acho é que esses 30% estão um tanto quanto exagerados. Se fosse algo como 10% a 15%, creio que seria mais fácil de ser aceito pelos publicadores…

  • Daniel Lucena

    se agente juntar uma grana e fazer um the daily no brasil ficamos ricos… kkk

    • Bruno

      Ou não, né?
      Existem o que, 50 mil iPads no Brasil? Se 20% (uau!) assinassem, seriam 10 mil vezes US$ 0,69 = míseros $6900 por semana + publicidade – custos. Melhor não.

      • Alex iPilot

        Como na versão impressa, a publicidade é que banca o lucro… Numa revista mais simples, parece um bom negocio, mesmo tirando os 30% do Tio Jobs…

        E depois o Joãozinho é que era Trinta, hehehe… (piadinha pré-carnavalesca)

  • Alex iPilot

    Os editores poderão criar promoções em paralelo para quem assinar fora do app… Por exemplo, assinando no site o leitor poderá usar pontos de desconto para pagar parte do valor…

    A autenticação dos dois tipos de usuário será diferente, então será mais fácil discriminá-los para participação em sorteios e outras promoções… Tudo para incentivar a assinatura fora dos 30% da Apple…

    Estranho isso… Haver essa campanha velada contra a App Store e seus 30%, de certa forma incentivada pela própria Apple…

  • Lucas

    Quero sabe quais serão as vantagens para nós Brasileiros…., porque até então os preços são altos para uma versão digital! Vamos aguardar, porque realmente muitas aguas vão rolar!

    • Ednilson Rosa

      Sem os custos de impressão e distribuição, as edições eletrônicas de Veja e Época, por exemplo, deveriam ser pelo menos um pouco mais baratas do que na banca. Quem sabe se com o sistema de assinaturas, em que as editoras terão um quantitativo maior garantido, isso não venha a acontecer. Tomara!!

      • Alex iPilot

        As versões digitais deveriam ser MUITO mais baratas… Mas não acredito que aconteça… Aqui no Brasil a regra para a formação do preço não leva em conta o custo, o preço é determinado pelo maior valor em que ainda haja alguém disposto a pagar. Simples assim… 🙁

        • Bruno

          Alex, não é bem assim. A Veja, por exemplo, tem uma tiragem normal de mais de um milhão de revistas. Para iPad vende o que, 5 mil? Para mim, neste começo, a versão para iPad está sendo subsidiada. As empresas de jornal e revistas no mundo todo estão quebrando, as margens não são o que parecem.

          • Alex iPilot

            O ponto chave é o custo, Bruno. Na versão impressa o custo é proporcional à tiragem enquanto na versão digital é fixo… Imagine quanto custa imprimir e distribuir 1.000.000 de exemplares! E não são apenas os insumos, pense no investimento em maquinario do parque gráfico, espaço, logística…

            A versão digital tem apenas o custo de produção do original, que também existe na versão impressa. Até o custo de distribuição somos nós que pagamos, na utilização da nossa rede para download.

            As empresas estão quebrando porque é altíssimo o custo de imprimir e distribuir em papel. Será mais barato “dar” o dispositivo leitor e vender o conteúdo digital. A saída será por aí…

      • wolvewilson

        Vcs esquecem que o custo de fazer uma edição multimídia de uma revista é maior que o custo de uma impressa. Não é o papel que compõe a maior fatia do custo de produção. Agora se a mesma for apenas uma versão estática/digital da versão impressa, ae sim, deveria ser pelo menos o mesmo valor ou um pouco mais barato. Isso é diferente do custo de um livro, esse sim deveria ter uma diferença brutal de preço, mesmo tendo recursos multimídia.

  • Dejota

    Acho que para variar é mais uma tecnica controladora da Apple. Como sao todos os produtos infelizmente!

  • Stefano Angelo

    “Ednilson Rosa disse:
    15 de fevereiro de 2011 às 17:01

    Sem os custos de impressão e distribuição, as edições eletrônicas de Veja e Época, por exemplo, deveriam ser pelo menos um pouco mais baratas do que na banca. ”

    O que atrapalha, é que infelismente, os empresários brasileiros tem um pensamento meio que “Lei de Gerson”, então fica dificil acreditar que haverá algum tipo de baixa nos valores das assinaturas destas publicações.

  • Rob

    Não gostei disso não. Agora minhas esperanças da editora Abril baixar os preços foram para o espaço.

    Além disso eu gosto de de pagar as minhas assinaturas de revistas com parcelamento debitando em conta corrente. Não gosto de usar cartão pra isso.

    Ainda bem que a Apple manteve a assinatura por fora, mas como a assinatura por dentro não pode ser mais cara, vão acabar aumentando o custo da assinatura por fora pra compensar os 30% de quem assinar por dentro.

    • Alex iPilot

      Talvez seja hora de “rever seus conceitos” e buscar coisas MUITO melhores do que Veja e Época… 😉

      Parafraseando o JanjaBoy: Veja e Época de graça, assinatura vitalícia? NÃO! E nem agradeço!

  • Leandro Melo

    Aqui no Brasil vão simplesmente gerar um pdf e jogar no sistema da apple e cobrar mais caro que no papel que e sim muito mais caro. Daqui um ano eles repensam acham um patrocinador para bancar parte do custo e dai fica melhor e mais cheio de propaganda. Aproposito quando tiver a caras digital de onde vai sair aqueles copos e pratos que vem de brinde? Rsrs.

  • Quando se excluem os custos de impressão e distribuição, os preços deveriam ser significativamente mais baixos, então a Apple ganha pela distribuição, o que não significa um gasto a mais para a editora. Manter o preço já significa ganhar a mais, e de nós leitores. Quanto à Apple cobrar os mesmos 30% é também absurdo, pois permitir a veiculacao de uma revista por sua loja não pode custar o mesmo que um aplicativo, que tem que ser testado, etc., gerando custos. Tudo errado por enquanto.

  • Ticão – 3Gs 4.2.1 – Vivo 9.1

    Eu tenho a impressão que os 30% da Apple é menos do que:

    Papel
    Impressão
    Distribuição
    Margem do jornaleiro

    O custo não é proporcional a tiragem. Há uma parte que é fixa, seja para 1.000 ou 200.000 exemplares.
    Repórter, editor, editoría gráfica, imobilizado, custos administrativos da redação etc…
    A parte proporcional é a que engloba os itens que listei acima.
    Quanto mais vende, maior a margem de lucro.

    Para manter o equilíbrio na migração: o que se perde em impressa deve-se ganhar na digital.

    Seria bom se alguém soubesse o percentual, sobre o preço de capa, referente a esses itens.
    Elucidaria muito.

  • Marcos

    Será que vão começar a cobrar mensalidade por aplicativos? Sei lá, x por mês para ter o Angry Birds ou Docstogo?

  • Realmente 30% é mto caro e tomara que os editores dos US consigam mudar essa realidade com algum tipo de manifesto, só assim pra mudar!