Notícias

Estudo investiga possíveis ruídos de comunicação no uso de Emoji nas diferentes plataformas

Com o advento das redes sociais e comunicadores instantâneos em dispositivos móveis, os Emoji se tornaram muito populares no mundo inteiro. Porém, apesar de terem se tornado padrão Unicode em 2009, cada plataforma tem o seu jeito próprio de representar cada emoji, o que pode ocasionar falhas na comunicação entre sistemas diferentes.

Um estudo recente está investigando exatamente isso, mostrando que o que você envia nem sempre é o que a outra pessoa entende.

História do Emoji

Os Emoji surgiram no Japão no final da década de 90, e eram limitados a celulares vendidos pela operadora NTT DoCoMo. O nome vem da junção dos seguintes termos em japonês: e (絵, “imagem“) + moji (文字, “personagem“). Com o tempo, eles foram se popularizando no país e rapidamente virou febre nacional.

Em 2008, a Apple quis ampliar o mercado do iPhone no Japão e incluiu no iOS 2.2 os tais Emoji, que eram liberados apenas para usuários japoneses. Quem era do ocidente, tinha que fazer gambiarras ou baixar aplicativos que habilitavam os símbolos, que no final só podiam ser enviados para quem também tinha iPhone, pois nenhuma outra plataforma era compatível.

Com o tempo, os Emoji foram ganhando o mundo e se tornando populares, a ponto de serem reconhecidos pelo Unicode (o padrão internacional de códigos) e adotados por outras plataformas. Hoje, os antigos emoticons (sequência de caracteres tipográficos que simbolizam carinhas) estão caindo em desuso, a favor dos pictogramas nascidos no Japão.

O problema

A Apple tornou os Emoji populares no ocidente, mas quando as outras plataformas resolveram adotá-los, cada uma fez um desenho diferente. O padrão Unicode determina o sentimento de cada um (“rosto sorridente“, ou “rosto jogando um beijo“), mas a forma gráfica de representá-los acabou ficando por conta de cada plataforma. E isso está fazendo que, em alguns casos, você mande uma coisa, mas a outra pessoa receba outra, que pareça algo diferente, e é justamente o que um estudo da Universidade de Minnesota aborda.

Vamos dar um exemplo clássico. Pare um pouco de ler este artigo e pense o que significa para você o seguinte emoji:

Emoji_ruim

Pensou? O que significa?
Pois é, cada um de vocês provavelmente disse um significado diferente. Mas é bem possível que nenhum de vocês tenha acertado.

Nas pesquisas que fizemos, alguns disseram que era um sorriso falso/amarelo. Outros disseram que era uma expressão de que “algo tinha dado errado“. Já alguns acham que significa “torcendo para algo dar certo“. Todos errados.

O padrão Unicode diz que este símbolo significa “Rosto rindo de forma descontraída e com os olhos sorridentes“. Outras plataformas fizeram o mesmo emoji de forma diferente, que passa a mensagem mais próxima do padrão.

Emoji

Na ilustração acima se vê que o Twitter e o Facebook acabaram seguindo a Apple, mas as outras respeitaram mais a descrição do padrão. E nesse caso, foi a Apple quem errou, pois o Emoji anterior a esse também é de “rosto rindo”, mas com uma expressão completamente diferente.

Emoji

O lógico seria manter a mesma boca, só mudando os olhos. O resultado ficaria muito similar à proposta das outras plataformas para este mesmo Emoji, sem criar confusão.

O estudo destaca que o mesmo símbolo no iOS tem uma percepção mais negativa que em outras plataformas, o que pode criar constrangimentos dependendo da frase ou do momento que ele é usado.

Emoji_trio

Emoji_quadro

Emoji_funft

Por isso, tome cuidado quando usar emoji em suas mensagens. Alguns deles podem não representar em outra plataforma exatamente aquilo que você quer dizer. Para quem entende inglês e quiser dar uma olhada no estudo, pode baixar o documento completo neste link.

via Grouplens

Leia mais sobre:

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar