Notícias

Ufa, a Apple não quer incorporar a IA da Meta no iOS

Essa semana começou com alguns sites de tecnologia replicando uma informação do Wall Street Journal de que a Apple estaria em negociações com a Meta para incorporar sua IA no iOS, assim como acontecerá com o ChatGPT.

Eu bem que achei a história sem pé nem cabeça, pois se a bandeira que diferencia a Apple das outras empresas é justamente a preocupação com a privacidade do usuário, não tem sentindo nenhum fazer parceria logo com a empresa de Zuckerberg, que vive vendendo e manipulando os dados de todos.

Pelo que parece, mais uma vez o filtro de qualidade do BDI intuiu certo de que essa notícia não tinha sentido. No fim da tarde dessa segunda, o site Bloomberg rebateu o WSJ, dizendo que a Apple não quer saber nada com a Meta.

A Bloomberg até confirma que as duas empresas conversaram em março deste ano sobre a possibilidade de integrar a IA Llama no iOS 18. Porém, essas conversas não avançaram muito.

A principal razão para o desinteresse da Apple em uma parceria com a Meta parece estar enraizada nas práticas de controle de privacidade.

A Apple, conhecida por seu rigoroso compromisso com a privacidade dos usuários, acredita que as práticas da Meta não são suficientemente rigorosas (colocando a frase de uma maneira bem polida e educada).

Além disso, a Apple considera que o serviço da OpenAI é de melhor qualidade. A parceria existente entre a Apple e a OpenAI mostra um alinhamento maior em termos de padrões de privacidade e qualidade tecnológica.

O que isso significa para os usuários?

Para os usuários de dispositivos Apple, essa notícia traz um alívio.

A ideia de que a Meta, uma empresa frequentemente envolvida em polêmicas sobre privacidade, poderia ter um papel significativo no ecossistema da Apple, levantou muitas preocupações.

A decisão da Apple de não seguir adiante com essa parceria beneficia a todos os seus usuários.

Além disso, ter conseguido fechar uma ótima parceria com a OpenAI, que não recebe nenhum pagamento pela integração e ainda aceitou manter a privacidade dos usuários, dá cartas para a Apple negociar com outras empresas com uma grande vantagem, podendo ditar quais serão as regras do jogo.

Então, dizer não para a Meta fica mais fácil, além de dizer para o Google que se ele também terá que se enquadrar nos cuidados com os dados dos usuários de iOS caso queira entrar para a brincadeira.

Tudo é um grande tabuleiro de xadrez.

Botão Voltar ao topo