2008ARQUIVO

Para pesquisador, chip Intel no iPhone poderia deixá-lo mais vulnerável

Em outubro, a Intel anunciou seus planos de lançar o Moorestown, um conjunto de circuitos integrados com um processador de 45nm que consome 10 vezes menos energia que seu antecessor, o Atom.

Para o pesquisador independente Dino Dai Zovi, se a Apple resolver adotar o Moorestown para equipar a terceira geração do iPhone (coisa que a Intel quer muito), o aparelho ficaria muito mais vulnerável à ataques de programas maliciosos, pelo fato da plataforma x86 ser já bastante conhecida da comunidade hacker.

Mas há duas questões que este pesquisador parece não ter levado em consideração. A primeira é que os atuais Macs utilizam chips x86 há mais de 3 anos e até agora não se viu nenhum crescimento na quantidade de vírus na plataforma desde então. Ou seja, a questão da segurança parece estar muito mais relacionada ao sistema que ao chip, e nesse caso o iPhone roda Unix, um dos sistemas mais estáveis que existem.

A segunda é que a Apple comprou em abril a PA Semi, uma empresa especializada na fabricação de processadores de consumação de energia muito baixa. A tendência é que ela não adote o chip da Intel nem da ARM (atual), mas que fabrique seus próprios chipsets tanto para iPhones quanto para iPods.

Fonte (em inglês)


Google News

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo