Notícias

Como funciona a ferramenta para controle da COVID-19 feita pela Apple e Google

As duas gigantes da tecnologia, Apple e Google, se uniram em uma parceria inédita para criar uma ferramenta única compatível com iOS e Android, que servirá de base para aplicativos conseguirem rastrear infectados com a COVID-19.

Entenda como funciona essa ferramenta e o quanto ela interferirá na privacidade de cada um.






As duas empresas estão trabalhando na construção de uma API (interface de programação de aplicações) única, que pode ser usada por aplicativos autorizados. Em princípio, apenas instituições governamentais de saúde terão direito a usar.

Esta API é capaz de usar funções do aparelho para identificar a situação de saúde entre pessoas que tiveram contato, ativando um alerta caso se identifique que uma das pessoas que você esteve nos últimos dias apresente sintomas da doença.



O objetivo é incentivar que todos aumentem os cuidados para evitar a propagação do vírus.

Como funciona

O aplicativo usará informações transmitidas por Bluetooth, via tecnologia Beacon. Ele será capaz de identificar quando o celular de outra pessoa ficar próximo de você e com isso registrará este contato, de forma anônima. Neste caso, “contato” não tem nada a ver com agenda e números de telefone, e sim com aproximação com outras pessoas.

Em um período de 14 dias, se esta pessoa que você teve contrato registrar contaminação por COVID, você receberá um alerta pelo aplicativo.

Como este registro é anônimo, você não saberá qual é a pessoa infectada, mas você será comunicado que teve um possível contato com o vírus, o que já é suficiente para você se isolar e aplicar uma auto-quarentena de 14 dias, para não correr o risco de espalhar ainda mais o vírus, caso o tenha.

      


Quem poderá oferecer a ferramenta

A API poderá ser usada por governos e instituições de saúde que quiserem implementar este método. Assim, os aplicativos terão possibilidade de usar estes recursos sem grandes esforços.

Além de informar os usuários sobre contatos com o vírus, a ferramenta também permitie que governos tenham números mais exatos sobre a doença e possam tomar decisões de ações sociais e econômicas.

Na Europa, diversos governos já anunciaram que usarão a API em seus aplicativos.


Privacidade

Uma dos questionamentos sobre esta ferramenta tem a ver com a privacidade de cada usuário. O quanto estas informações serão realmente anônimas? E o quanto estarão seguras?

A Comissão Europeia está pressionando a Apple para que esta nova tecnologia cumpra as leis de privacidade do bloco econômico, sendo anônima, voluntária, transparente, segura e temporária; ou seja, que este contact tracing só funcione durante a pandemia de COVID-19.



É importante destacar que cada usuário terá total autonomia para autorizar ou não o funcionamento da ferramenta em seu celular. As informações só serão enviadas aos servidores com o consentimento do usuário. Como a Apple sempre deu muita importância à privacidade, podemos crer que isso irá mesmo funcionar desta forma.


Quando será implementado

Apple e Google pretendem liberar a API no dia 28 de abril. A partir daí, caberá a cada governo ou órgão de saude adotar ou não a ferramenta em seus aplicativos. O ideal seria que o máximo de apps adotasse, para que os resultados tenham maior expressão e realmente funcionem com efetividade.

Tags

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

Back to top button
Close