Notícias

Como foi o evento sobre educação realizado pela Apple

Não é comum a Apple realizar eventos focados em educação. Ela fez um em 2012 para apresentar o iBooks Author, uma ferramenta que facilita a criação de livros didáticos, mas nenhum outro evento educacional aconteceu depois disso. Hoje, 6 anos depois, a Apple voltou a abordar o tema.

A seguir, confira um resumo do que Tim Cook e sua equipe apresentaram no palco de um colégio em Chicago.

O público alvo da apresentação toda não foram os jornalistas presentes ou os curiosos tecnológicos (como nós), e sim os professores e responsáveis pelas instituições educacionais (e talvez por isso o evento não trouxe toda a pompa que geralmente têm as keynotes da maçã). A Apple quis cativar educadores a usarem as suas ferramentas tecnológicas para melhorar o ensino de forma global.

A apresentação começou com um vídeo mostrando crianças e a importância de formar gente que pode transformar o mundo:

Tim Cook então revelou que a sua empresa realizou um estudo chamado “Apple Classrooms of Tomorrow“, que analisa os efeitos do uso da tecnologia na sala de aula. E destacou como o iPad está presente em escolas do mundo inteiro.

Durante as últimas semanas, muito se falou na tentativa do Google em afirmar que os Chromebooks reinam no ambiente escolar, e o início da apresentação pareceu querer derrubar esta ideia, apontando que a grande vantagem do iPad é o enorme número de aplicativos disponíveis. Se contarmos somente aqueles voltados para a educação, são mais de 200.000.

Isso foi uma introdução para o anúncio de um novo iPad, cuja característica principal é ser compatível com o Apple Pencil (antes exclusiva dos modelos Pro) por um preço menor. Nos Estados Unidos ele custará $329 (com desconto educacional sai por $299).

Além do novo iPad, uma série de novos aplicativos e ferramentas para a educação foram apresentadas, como a nova suite iWork (Pages, Numbers e Keynote) compatíveis com anotações feitas com o Apple Pencil, que transformam o iPad em um verdadeiro e prático caderno de notas.

Eles enfatizaram como o ensino pode ser potencializado com o uso da Realidade Aumentada. O maior exemplo que deram foi um aplicativo que disseca rãs, sem precisar matar realmente o animal.

Também foram anunciadas ferramentas para professores, como o app Sala de Aula para Mac e um substituto do iBooks Author que roda direto no iPad: exportação ePub direto do app Pages. Isso é algo que pedimos há anos, pois faz total sentido criar livros para iPad diretamente nele, e finalmente isso virou uma realidade.

Outros anúncios foram de uma nova ferramenta pela nuvem chamada de Schoolwork, a criação de uma API dedicada à educação chamada de ClassKit, uma plataforma de treinamento de professores chamada de Apple Teacher e deram também ênfase ao aplicativo Swift Playgrounds para ensinar crianças a programar.

No final, Tim Cook encerrou com uma imagem que remete a Steve Jobs, pois ele era um que repetia muito isso: que a Apple quer sempre estar no cruzamento entre a tecnologia e a arte, oferecendo produtos que mudem o modo como vivemos.

A Apple claramente quer estabelecer uma presença marcante nas escolas, e apresentou ferramentas que podem ajudar professores a passar melhor o conhecimento à crianças que vivem em um mundo mergulhado de tecnologia. O novo iPad finalmente traz o Apple Pencil “para o resto de nós“, sendo compatível com o modelo mais barato e ajudando estudantes a finalmente substituírem o caderno de notas por ele.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados