Notícias

Brasil perde o posto de “iPhone mais caro do mundo”

Desde 2008, quando o telefone da Apple começou a ser vendido no país, o Brasil ocupou o posto de 1º lugar no mundo no quesito “Preço de iPhone“. Ninguém vendia iPhone mais caro que a gente, a não ser a Venezuela, que com sua política particular dificulta o máximo a importação de produtos, o que a torna um caso a parte sem contar realmente para ranking nenhum (um iPhone lá pode custar astronômicos 145 mil reais).

O banco alemão Deutsche Bank (essa frase só fica redundante para quem fala alemão) publicou recentemente seu ranking anual de preços do iPhone, em que a Turquia aparece como a que oferece o iPhone mais caro do mundo.

Na verdade, a Turquia já tinha ultrapassado o Brasil no ano passado, mas por alguma razão ela não foi contabilizada no ranking de 2016. Eis a lista de 2017:

 País Preço (em dólar) Equivalente em Reais
1. Turquia US$ 1.200 R$ 3.814
2. Brasil US$ 1.100 R$ 3.499
3. Rússia US$ 1.086 R$ 3.452
4. Grécia US$ 1.028 R$ 3.267
5. Polônia US$ 1.005 R$ 3.194
6. Itália US$ 995 R$ 3.162
7. República Tcheca US$ 994 R$ 3.159
8. Noruega US$ 993 R$ 3.156
9. Dinamarca US$ 986 R$ 3.134
10. Suécia US$ 982 R$ 3.093
11. Portugal US$ 973 R$ 3.093
11. Finlândia US$ 973 R$ 3.093
11. Irlanda US$ 973 R$ 3.093
14. Nova Zelândia US$ 972 R$ 3.089
15. França US$ 962 R$ 3.058
15. Espanha US$ 962 R$ 3.058

.

Vamos fazer uma ressalva: na maioria desses países, este é o preço à vista. No Brasil, este é o valor à prazo. À vista ele custa R$3.149,10, equivalente a US$990,80, o que nos faria despencar para 9º lugar. Mas enfim, vamos relevar.

Vale lembrar que, segundo análise feita pelo Blog do iPhone, o valor em dólar no Brasil estava ainda menor no lançamento, em novembro do ano passado: US$1.076. Também é importante destacar que houve uma relativa queda de preço em nosso país, no valor em dólar: em 2013 o modelo mais novo custava US$1.233 e no ano seguinte, US$1.229, mais caro do que custa hoje na Turquia. É claro que na prática nós não sentimos esta queda, porque o dólar disparou e só vimos o valor em Reais ir para a estratosfera. Mas a queda existiu, seguindo os parâmetros da tabela do Deutsche Bank.

Continua caro? Muito, ainda mais para a nossa realidade. Porém, analiticamente é interessante sabermos que não somos os mais caros, e que a diferença de outros mercados nem é tão grande assim.

via Business Insider

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Tá feliz, Temer? Nem isso temos mais! #ForaTemer

    • Alex iPilot

      Hehehe… O meu #ForaTemer eu dei quando NÃO votei na Dilma… 😉

    • Jefferson Soares ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      O Temer Golpista fez pior, alterou o direito dos trabalhadores.
      Agora quero ver ter iPhone.

  • paulogrego

    Que maravilha! Sou grego, vivo no brasil e trabalho em empresa polonesa. Os três no top-5 KKKKK

  • Matéria muito bem escrita, parabéns!

  • Alex iPilot

    Não entendi porquê comparar o valor a prazo brasileiro (com nossos juros absurdos embutidos) com os valores a vista nos outros países… Por que relevar? Sendo uma comparação, precisa ser equivalente! O Brasil está em nono lugar!

    • Carlos Frederico

      É válida a sua pergunta, mas aqui vai outra: quem pode pagar à vista?
      A maioria paga sempre parcelado, até mesmo tendo dinheiro para à vista.

      • Alex iPilot

        E quem pode pagar a prazo??? Entendi mas o ponto é que desvirtua completamente a comparação… Se aceitarmos esse “ajuste”, no mesmo raciocínio, então para o preço no Brasil poderíamos colocar U$2500 porque “quem não usa o rotativo do cartão?”

    • Renan Antunes da Gama

      Não seria 8º lugar? Ele despencaria no ranking enquanto os outros subiriam, portanto ele entraria como o 8º e a Dinamarca ainda seria o 9º logo depois.
      PS: só um detalhe, não tô querendo ser chato

    • Claudia Claudinha

      Então vou adicionar outra variável nestes cálculos: Quanto é o salário mínimo (ou equivalente) em cada um destes países? (Não tenho idéia) supondo que o salário mínimo no primeiro país seja 2x o valor do iPhone, mesmo que ele esteja mais barato aqui ainda continua sendo o mais caro do mundo, pois nosso salário mínimo é aproximadamente 1/5 do valor do iPhone. Comparar valores brutos de produtos sem levar outras características em consideração é comparar abacaxi com banana.

  • Carlos Frederico

    O preço tá uma droga. A matéria está ótima. E eu acho um absurdo o povo pagar mais caro num Samsung do que num iPhone. 😛

    • Arley Martins

      Esta tudo absurdo o preço, pois o salario das pessoas a cada fica mais defasado.

  • iLex, não sei se você percebeu, mas meu comentário anterior, o qual fora removido, continha apenas ironia e sarcasmo. Abraço!

    • Eu entendi, Ewerton, mas como continha brincadeira com política, havia o perigo de descambar para uma discussão mais séria. Pela nossa experiência aqui, com política e religião não dá para dar muito espaço, porque sempre há setores mais radicais que levam a discussão para outro caminho, totalmente desconectado com o propósito deste blog. Por isso o comentário, assim como os outros, foi apagado.

      Não se preocupe, nenhum de vocês sofreu qualquer punição, foi só uma atitude de precaução mesmo. 😉

  • Canjica

    A coisa piora se levar em conta a diferença no salário mínimo, custo de vida, etc…

  • Jeferson Silva

    Não entendi, porque aqui na Argentina por exemplo, um iPhone 7 custa 30000 pesos, equiavelente a 1900U$. Por que não está nessa tabela?

    • Excelente pergunta.

      • Rafa Morley

        A tabela contém só países com loja da Apple, não?

      • Rob Simões 

        O iPhone passou a ser vendido na Argentina há muito pouco tempo, depois que Macri acabou com a determinação antiga que obrigava que smartphones vendidos oficialmente na Argentina precisariam ser fabricados localmente. Provavelmente a pesquisa foi feita antes disso.

        E há um equívoco na matéria, que diz que o preço à vista faria o Brasil cair no ranking. Mas na verdade a pesquisa toma como base um iPhone 7 de 128 GB, que custa R$ 3.899, ou praticamente R$ 3.500 à vista, e não um de 32 GB. Portanto o Deutsche Bank já considerou o preço à vista e o lugar do Brasil é o segundo mesmo.

  • Pedro Leão

    Banco alemão e Deutsche Bank é redundante pra quem entende inglês, não? 😝

    • Gaius Baltar

      Não.

  • Ogro da Floresta

    “Porém, analiticamente é interessante sabermos que não somos os mais caros, e que a diferença de outros mercados nem é tão grande assim”.

    Isso é relativo, já que não sabemos nem 1) qual o salário mínimo em dólares de cada um desses países ou 2) qual o salário médio em cada um deles.

    • Mozart Lopes

      Correto! ótimo apontamento! Não é só preço final, mas qual o salário médio e o salário mínimo dos países em questão. Ou ainda quantos salários mínimos são necessários para se comprar um IPhone tal por exemplo…

  • Filipe

    Hoje não, hoje não… Hoje sim? Hoje sim!!

    Machado, Cléber

  • “O banco alemão Deutsche Bank (essa frase só fica redundante para quem fala alemão)”

    Entrei só por causa dessa frase. kkkk