Há diversas razões para alguém procurar um antivírus para iPhone ou iPad. Seja quem acabou de ingressar no mundo da Apple e está procurando proteger seu novo dispositivo, ou os que encontraram um aviso na internet dizendo que seu “Apple Iphone” estava infectado. Não importa o motivo, há muita gente que nos procura para perguntar qual o melhor antivírus para o iOS.

Por isso, criamos este artigo, para servir de referência para todos que buscam ajuda sobre o assunto. É claro que o manteremos sempre atualizado, com as informações mais relevantes sobre o assunto. Guarde o link desta página nos seus favoritos, para quando precisar ou alguém lhe procurar perguntando sobre vírus no iPhone.

O que é um vírus?

No início da década de 80, especialistas em segurança da computação descobriram um tipo de programa capaz de se multiplicar sozinho e se auto-instalar em outros computadores. Eles deram a isso o nome de “vírus de computador“.

Com a enorme popularização dos computadores na década de 90, os vírus viraram problema para praticamente todas as pessoas que estavam entrando neste mundo da informática e sendo infestados apenas ao abrir um simples email. Com isso, ficaram famosos os tais antivírus, que identificavam as infecções e eliminavam o perigo do computador. No Windows, era quase obrigatório ter um instalado.

Nesta onda, empresas de antivírus fizeram verdadeiras fortunas neste mercado que sempre cresceu. Mais vírus apareciam e mais eles vendiam novas versões de seus softwares.

Mas antivírus nunca foram perfeitos. Sempre deixaram a máquina mais lenta e muitos tinham brechas de segurança que causavam mais problemas do que soluções. Eles não protegiam de vírus novos, o que obrigava o usuário a atualizar constantemente o software, deixando a máquina ainda mais lenta.

Aí o mundo mudou e começou a usar mais o celular que os computadores.
Os sistemas móveis (principalmente o iOS) são bem mais fechados e difíceis de ter seus aplicativos alterados por programas externos, e o vírus foi perdendo espaço no mercado. Os criminosos encontraram novas formas de obter dados dos usuários, no que foi chamado de “engenharia social“: links em emails ou SMS falsos que fazem o usuário acreditar que são de alguma instituição e o iludem a fornecer seus dados e senha, de mão beijada. Já comentamos sobre isso aqui neste outro artigo.

Você precisa de antivírus no iPhone ou no iPad?

A resposta curta é: Não.
Primeiro porque não existe antivírus para iOS. Nenhum aplicativo na App Store tem a capacidade de alterar o sistema do aparelho, e por isso não é possível alguém lançar algo do tipo para iPhone. Você até poderá encontrar alguns apps que tentarão convencer você de que eles fazem isso, mas é mentira. Por esta razão, a Apple recentemente fez uma limpa na sua loja, retirando todos estas falsas ferramentas que só iludiam o usuário.

O iOS não possui vírus, porque não há como aplicativos interferirem em outros, pois a estrutura do sistema isola cada um para que só possam agir em sua área de ação. E isso não irá mudar tão cedo, porque o sistema é feito assim.

Claro que pode haver outro tipo de perigo, que são os malwares. Estes são aplicativos próprios que não tem a capacidade de se reproduzirem sozinhos, mas induzem o usuário a usá-los para tentar roubar dados pessoais, como contatos, mensagens e até emails. Nesse caso, não há antivírus que resolva, pois são aplicativos geralmente instalados pelo próprio usuário.

Houve casos em que foram descobertos apps maliciosos disponíveis na App Store, mas a Apple rapidamente retirou-os do ar. De forma geral, se você só baixa aplicativos na App Store e não instala nada de formas alternativas, não há com o que se preocupar.

Quais cuidados você precisa tomar?

→ Emails e SMS

Como foi dito no início deste artigo, o grande problema hoje em dia são relacionados à engenharia social. Técnicas de phishing (como emails e SMS falsos) são largamente usados para iludir o usuário e fazê-lo fornecer os dados necessários para a invasão de contas. Isso costuma acontecer muito no Brasil quando um iPhone é roubado e os ladrões enviam um SMS fingindo ser a Apple, para o usuário fragilizado fornecer a senha e o login do iCloud.

Neste caso, é o usuário que precisa estar atento e não se deixar cair neste tipo de golpe. É preciso lembrar sempre que a Apple nunca informará um link que não seja do seu próprio domínio (apple.com). Vigie sempre os links dos emails que receber, mesmo tendo sido enviado de pessoas conhecidas, para ter certeza que não está baixando nada ou indo para uma página falsa. Não há nenhum antivírus que proteja disso, e é você quem precisa se cuidar.

→ Notificações estranhas em sites

Há também avisos aleatórios que aparecem em páginas de internet, “comunicando” a você que seu iPhone ou iPad estão com vírus. Tudo mentira.

Nenhum site tem a capacidade de identificar vírus, nem o sistema possui mecanismo próprio para isso. Portanto, não há como você ser alertado do nada de que está infectado, a não ser que o aviso seja falso. Este tipo de notificação trata-se normalmente de publicidade do tipo scareware (que promove algo assustando o usuário), para induzir a pessoa a instalar algum programa ou aplicativo. O péssimo Onavo é campeão de fazer isso.

É fácil identificar este tipo de aviso falso, que geralmente possui erros de português ou informações incongruentes. Se algum aparecer para você, simplesmente feche a janela do navegador e mantenha a calma, com a certeza de que seu iPhone e iPad não sofreram nenhum ataque.

→ Malwares

Vez ou outra aparecem os chamados malwares, que são aplicativos com objetivo malicioso de roubar informações. A melhor maneira de evitá-los é não instalar nada que não venha da App Store. Há na internet maneiras de se instalar apps com perfis de desenvolvedores empresariais sem precisar passar pela App Store (os mais populares são emuladores e aplicativos alternativos). Nem sempre pode-se ter certeza de que são confiáveis, por isso, na dúvida, evite-os.

→ Jailbreak

A maior vantagem do jailbreak é liberar todas as amarras da Apple e você poder instalar qualquer tipo de coisas no iPhone. Já o maior problema é “liberar todas as amarras da Apple e você poder instalar qualquer tipo de coisas no iPhone“. O jailbreak quebra justamente a segurança do sistema e permite que qualquer aplicativo ou tweak altere partes ou a totalidade dos códigos de qualquer app. Isso faz com que tudo que dissemos neste artigo até aqui perca a validade, pois as brechas para invasões são muito amplas.

A dica, portanto, é só fazer o jailbreak se você tem plena consciência do que está fazendo e sabe as formas de não colocar o sistema em risco. Se você é iniciante e não sabe o que fazer em emergências, o melhor é ficar longe de qualquer alteração não autorizada do iOS.


Estas foram nossas dicas para você não ficar mais preocupado com vírus no seu iPhone ou iPad. Se você ler alguma notícia alarmante por aí sobre o assunto (há sites que adoram fazer isso, para atrair visitas), corra aqui e nos pergunte, que esclareceremos tudo para você e, se for o caso, atualizaremos este artigo. Mas no geral, fique tranquilo, pois você adquiriu um dos smartphones mais seguros do mercado. 😉

Conteúdo Original © Blog do iPhone