Opinião

[opinião] Spotify apela para o mimimi para tentar mudar as regras do jogo

Está semana, o Spotify resolveu fazer um joguinho de teatro para tentar mudar a situação atual do mercado de serviços de streaming musical, principalmente em relação ao Apple Music, que existe há somente um ano, mas que aparentemente já está incomodando. Ele acusou a Apple de barrar a atualização do seu aplicativo na App Store, de maneira anti-competitiva.

Só que para isso, forçaram a situação quebrando eles mesmos as regras da App Store.

Antes de continuar, um importante adendo: eu sou usuário do Spotify e gosto muito dele. Este artigo não tem a intenção de defender cegamente a Apple, nem de dizer que só ela presta e o resto não. Por isso, se você se sentiu agredido com o título antes mesmo de ler o resto do artigo, desarme-se. 😉

Entenda a situação

Na quinta-feira (30), diversos jornais e sites noticiaram uma carta que os advogados do Spotify mandaram à Apple, com cópia para a imprensa e o Congresso americano. Nela, eles reclamam que a maçã teria impedido de propósito que o Spotify atualizasse seu aplicativo com “mudanças importantes“, e isso estaria prejudicando financeiramente o modelo de negócios deles.

Os advogados foram bem agressivos na carta. Disseram que a Apple deliberadamente “estaria prejudicando a chegada de uma nova versão do Spotify porque teme as consequências que a novidade poderia causar ao Apple Music“. Alegam também que a maçã “usa a App Store como uma arma para prejudicar competidores”, dizendo que isso vai contra as leis dos EUA e Europa.

O que realmente aconteceu

A App Store tem uma regra específica para assinaturas em aplicativos, que já existe há mais de 5 anos: se o app quiser oferecer assinaturas, ele pode, desde que obrigatoriamente ofereça para o usuário a possibilidade de assinar também diretamente no aplicativo, sem ter que sair dele.

O Spotify montou propositadamente um circo, para chamar a atenção de todos. Mesmo conhecendo essa regra (que existe há mais de 5 anos), eles enviaram para a App Store uma versão sem a possibilidade de assinar o serviço pelo aplicativo, obrigando o usuário a sair do app e assinar pelo site. Aí aguardaram a Apple barrar a atualização para então reclamar na imprensa e fazer todo o escarcéu. Tudo planejado.

Claro que, na regra da Apple, há uma pegadinha: assinando pelo aplicativo, o pagamento é feito pela loja da maçã, que fica com uma comissão de 30%. Ou seja, o Spotify recebe um terço a menos quando o usuário faz a assinatura pelo app do que diretamente pelo próprio site.

Só que esta é uma discussão diferente. Há anos que se discute se é justo ou não este sistema da Apple. Isso é assim muito antes do Apple Music, que existe há somente um ano. O Spotify vir dizer que a Apple está fazendo isso porque “teme a concorrência ao Apple Music” é apelar para mimimi barato com o intuito de chamar a atenção da mídia.

Spotify

Repito, essas regras não são novas e existem há mais de 5 anos, e talvez seja válido questioná-las, pois beneficiam muito a Apple em vários aspectos (apesar dela afirmar que faz isso para que o usuário tenha sempre uma opção de assinar serviços sem precisar sair do app, o que é mais confortável para ele). Porém, a forma que o Spotify resolveu levantar a questão foi apelativa e quase infantil, forjando uma situação para colocar a Apple como a vilã que “barra aplicativos por medo da concorrência“.

Isso vai resolver a situação? Provavelmente não, pois não se cria espaço para diálogo. A Apple vai se sentir agredida e injustiçada por causa do circo armado e não se mostrará disposta a mudar. A mídia vai dar atenção ao caso somente por algum tempo, depois vai esquecer, como sempre fez em outras situações semelhantes. E o Spotify, com tudo isso, vai ser obrigado a devolver a opção de assinaturas internas caso queira que a atualização de seu app seja aprovada, pois eles não são mais especiais que os outros milhares de desenvolvedores que seguem as regras da loja.

Situação do mercado

Em números absolutos, o Spotify ainda está na frente. Estima-se que possua mais de 100 milhões de usuários ativos, mas apenas 30% deles são pagantes. O resto usa o serviço de graça, aturando incômodos anúncios durante a escuta.

O Apple Music tem 15 milhões de assinantes pagantes, o que é metade do que tem o Spotify. Porém, o que impressiona é a velocidade que ele chegou a esse número: em apenas 1 ano atingiu o que o Spotify demorou 6 para conseguir.

Mercado de streaming

Talvez você se impressione com a informação que trarei agora: apesar da enorme base de usuários, o Spotify ainda não conseguiu gerar lucro até hoje. O modelo de anúncios não é suficiente para pagar os custos dos 70 milhões de usuários gratuitos, e a cada ano as contas fecham no vermelho. Ele sobrevive hoje da grana dos investidores, não do seu próprio serviço.

Um dos pioneiros do streaming de música, o Rdio, pediu falência recentemente, e estima-se que outras empresas do tipo farão o mesmo no futuro. Essa semana correu boatos de que a Apple estaria interessada em comprar o Tidal, e assim os concorrentes vão se tornando cada vez menos numerosos. Mas a culpa não é do “maquiavélico sistema de porcentagem da App Store“, como o Spotify tenta desesperadamente querer passar, mas da própria fórmula de negócios do streaming. Cada vez que um usuário escuta uma música de graça, o serviço precisa pagar uma quantia para o artista, em forma de royalties. Por isso, não tem como o Spotify dar lucro com 70% de seus usuários ouvindo música sem pagar. Se não mudar esse modelo de negócios, não existe mágica que fará dar certo. Nem mesmo armando circo na mídia para colocar a Apple de vilã da história.

Talvez, no futuro, o modelo de streaming só exista nas mãos das grandes companhias, que lucram mais como serviços e dispositivos do que com o aluguel de música, como é o caso da Apple, do Google e futuramente da Amazon. As outras menores estão fadadas a deixarem de existir se continuarem tentando dar soco em ponta de faca e apostar em uma fórmula que até hoje não deu certo financeiramente.

Tags
Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados

  • Christian

    Que feio, Spotify! Mas conseguiram o que queriam, agora tá todo mundo falando do serviço e quem é mais leigo de tecnologia que não conhecia, passou a conhecer e se interessar. Como diria uma menina ai metida a cantora: “Falem bem ou falem mal, mas falem de mim” kkkkk

    • Felipe

      Engraçado, a estrategia é parecida com a do Uber. Eles lançaram o app sabendo que estavam ilegais para ver o circo pegar fogo e criar uma base favorável a eles. Aí o Spotify toma uma medida pra ver o circo pegar fogo e criar uma base favorável a eles e é o malzinho da história. O Uber ganha texto de opinião favorável aqui, o Spotify ganha texto sendo criticado aqui. Eu acho as duas estrategias ridículas, mas realmente não entendi o porque de um ter sido visto bem e o outro não…

      • Vinicius Alves

        O uber não estava ilegal quando entrou nesse mercado por não haver nenhuma lei que os proibia. Eles simplesmente encontraram uma brecha na lei e colocaram sua forma de negócio como sendo App de “carona”. Além disso, eles nunca usaram isso contra uma empresa concorrente para criar pressão sobre ela.

        • Felipe

          Sério? Tem uma lei que diz que só pode fazer transporte pago de passageiros se o veículo for legalizado, e você diz que tá ok pq nada proibia diretamente? Tá vendo que quando o assunto é Uber logo arranja desculpa pra defender?

          • 9L

            Cara, eu sou motorista do Uber aqui nos EUA e a empresa anda totalmente dentro da lei.

        • Felipe Falconi

          Cobrar por carona sempre foi ilegal no brasil. Voce so pode cobrar sendo um serviço licenciado.

          • Philip C

            Que eu saiba motoristas particulares sempre foram legais. Usar motorista para ir a festas, etc. O Uber obriga aos motoristas se registrarem como tal, na carteira de motorista tem escrito “exerce atividade remunerada”. Enfim, Uber nunca foi ilegal.

  • Jayme Prado

    Mandaram mal, mas não devemos deixar de citar que é um pouco abusivo a Apple cobrar 30% de comissão nas assinaturas via app.

    • Renato Faria

      Não acho abuso, a opção de entrar ou não no sistema da Apple é da empresa desenvolvedora. Ela sabe onde estã se metendo.

      • Jayme Prado

        Sim, mas a Apple tem o ecossistema pronto, se a empresa entrar ou não é opção dela, quem tem custos de produção, equipe, aluguel, impostos é a empresa, não acho que a Apple não deveria cobrar nada, mas 30% acho demais, 15% seria um valor viável. Veja o próprio exemplo do Spotify, que é obrigado a manter a assinatura num valor fixo, seja via app ou site, mas se o usuário optar em fazer via app, talvez mate o lucro da empresa. É bem complicado.

        • Renato Faria

          Ai depois alguém reclama que 15% é abuso e vão querer baixar para 5%… e por ai vai… o mercado é assim, cada um quer lucrar o máximo possível. O que o Spotify deveria ter feito lá no ínicio é incluir nos seus custos estes 30% ou talvez negociar com Apple um valor menor por conta do volume de assinaturas, mas ficar causando em público por algo que já sabia como funcionava desde o começo para mim é desespero sim.

        • Marlon Fuhlendorf

          Pelo que vi, no novo iOS, aplicativos que usarem assinaturas, vão passar a pagar só 15% a apple. Os demais, continuam nos 30!

          • Não.
            Os 15% valem para assinaturas de um ano ou mais. O Spotify também seria beneficiado com isso, caso oferecesse assinaturas de um ano.

            • Marlon Fuhlendorf

              Não sabia! Bom, de qualquer forma, ele poderia se quisesse. O modelo é igual pra todo mundo.

        • Vinicius Alves

          Não mata em nada o lucro da empresa. A assinatura do spotify, quando é feita pelo sistema de pagamentos da Apple, é cobrado $7,99, ou seja, quem tá pagando esses 30% a mais é o consumidor, não o spotify, uma vez que pelo site, ele custa $5,99.

      • Conde De La Roche, o benfeitor

        Um pouco simplista esse raciocínio. É o mesmo que alguém reclamar do preço dos pedágios, e vc dizer “ah, mas passa no pedágio quem quer”.
        O Spotify não tem a “opção” de entrar ou não na App Store. É sobrevivência no negócio.
        A discussão é sobre valores, e acho um pouco caro exigir 30% da assinatura como “pedágio”. Mas é briga de cachorro grande, só vamos assistindo e aguardando alguma melhora ao consumidor.

        • Renato Faria

          Sua comparação com o pedágio é infeliz, pois trafegar pelas estradas trata-se do direito básico de ir e vir, então não use uma comparação que pareça tão radical para um caso que não o é. Spotify sabia exatamente e concordou com o modelo de negócio, o grande problema é que com o Apple Music a concorrência ficou bem complicada e ela quer obter alguma vantagem para continuar competitiva. Não estou defendendo a Apple e nem ninguém, até acho melhor que tenha mais empresas oferecendo um mesmo serviço, a minha análise é apenas o modo como vejo que as coisas são. A Apple quer clientes de um concorrente e vai fazer o que for necessário para conseguir, independente se vc, eu ou quem quer que for goste ou não.

      • Exatamente como o “Conde De La Roche” disse. Não se trata de “opção” para entrar ou não. O único jeito de oferecer o serviço a usuários de iPhones e iPads é via App Store. E o único jeito de colocar o app na loja da maçã é oferecendo a assinatura dentro do aplicativo também, que paga comissão.

        É diferente da comissão pela venda do app, onde você pode aumentar o preço para incluir os 30% da Apple. Na assinatura, o serviço tem que ser oferecido pelo mesmo preço que é oferecido no site, mas o retorno é 30% menor. Ou aceita isso ou está fora de todos os iPhones e iPads do mundo, e isso é ruim, muito ruim.

      • Anderson Camões

        Claro que é abuso. Abuso de poder econômico, com punições previstas até em organismos internacionais.
        Se o sistema é da Apple e ela não permite nenhuma loja de aplicativos, todos os desenvolvedores ficam à mercê da mesma. É 30%, mas pode ser 50% ou até 70%, visto que é a única opção.

        • Renato Faria

          Ah sim. A maior empresa do planeta, pratica um abuso de poder econômico num sistema de negócio desde a sua criação, então por favor me mostre quais punições ela sofreu até agora destes “organismos internacionais”. Pois essa prática de negócio da Apple é a mesma desde sempre, então ela já deve ter sofrido alguma punição.
          Na boa Anderson, se vai escrever algo seria bom embasar e comprovar o que fala, respeito sua opinião de não concordar da minha, mas escrever algo como sendo um fato que na verdade é uma suposição sua não é certo.

    • Leandro de Santi

      Concordo com o Gabriel, isso é concorrência desleal, a apple pode cobrar 30% mas nao pode impedir que a concorrente crie alternativas para não pagar a comissão da apple, eu ja usei o Apple Music por 3 meses e nao gostei contínuo com o Spotify que é muito melhor e funciona em qualquer dispositivo

      • Daniel Souza

        Mas pelo que eu entendi ela não impede que o(a) concorrente crie alternativas. Ela obriga que, além dessas alternativas externas, exista uma opção para assinar o serviço dentro do app (que é onde a Apple ganha os 30%).

  • Renato Faria

    Talvez esse mimimi do Spotify seja já uma medida desesperada, pois como foi dito a conta não fecha, e uma hora o investidor para de investir em algo que não dá retorno. Negócios são negócios, não tem essa de choro não, tem que se adaptar e fazer funcionar.

  • Peterson Maneschi Filho

    migrei pro apple music tem duas semanas e estou adorando!! até cancelei minha conta premium do spotify! Deu um trabalhinho passar as musicas de um pro outro, mas foi bom que ja organizei tudo em playlists atualizadas 🙂

    • Christian

      Quais as vantagens vc viu do apple music em relação ao spotify?

      • Arthur Semprebom Mega

        Não ter que usar aplicativo é uma delas!

        • Gabriel

          Também prefiro quando as coisas são nativas, por exemplo, ficaria muito mais contente se a agenda do iPhone conseguisse sincronizar direito com Facebook, pegando fotos e dados da rede social, mas nunca da certo e tenho que usar o Sync

          • Marlon Fuhlendorf

            Sync? Que isso? (eu desisti de atualizar meus contatos com o facebook, pq ele duplicava tudo)

            • Acho que ele se fere ao Sync.ME , é muito bom e já está há um bom tempo na AppStore. Eu também desisti de tentar sincronizar com o Facebook, realmente duplicavam todos os meus contatos. Acho que a Apple tinha que investir nessa integração. É o que ainda falta no Apple Music, no iOS 10. Muito bom o esclarecimento da controvérsia pelo Blog.

      • Peterson Maneschi Filho

        Pra começar o design do app, que condiz com o resto do sistema. Ele abre mais rápido, e pagando em dólar compensa muito mais. A Siri ou qualquer outro comando do celular funciona integrado com ele também.

        • Cara, vamos lá. Já tive Apple Music, Google Play Music e atualmente Spotify Premium. Na minha concepção suas idéias são relativas.

          1- Achar música no Spotify é muito melhor, não é gerado por máquina ou grupo seleto de pessoas. As músicas têm a ver com a outra.

          2- Abrir rápido ? Tendo um iPhone 6 pu 6s todos os apps abrem por padrão igual, o próprio sistema freia sua abertura e com Jailbreak averiguei isso. Os apps da Apple são super mal otimizados e ficam travados na tela branca até dar o “time” de abrir.

          3- Cara, já fiz a conversão do dólar pro real e p Spotify é o mais barato dele, quando o assunto é plano individual.

          4- Design é questão de gosto, eu tenho celular space grey e prefiro a interface black ??

          5- Com iOS 10 todos apps serão integrados à Siri.

          Bom, não estou dizendo que Spotify é melhor e todos mudem. Mas quis dar uma opinião branda onde pareceu que você se equivocou, pois o Apple Music não é esse mar de flores que dizes, heheh.

          • Henrique A.

            Eu testei o Apple Music no início e como estava com alguns bugs, desisti e voltei para o Deezer premium. No mês passado eu testei o Apple Music novamente e percebi que os bugs que me incomodaram no início haviam sido eliminados. Cancelei o Deezer e passei tudo para o Apple Music.
            Vantagens que vejo: (1) Melhor integração com o sistema e com o Apple Watch; (2) Fiz assinatura familiar e todos os 4 membros da minha casa usam iOS e agora todos têm acesso, com playlists individuais e configurações próprias; (3) Eu posso usar nos meus 4 dispositivos (2 iphones, ipad, ipod) inclusive offline. (4) No Deezer minha assinatura era mais barata, mas eu só tinha acesso em 3 dispositivos e todos da minha casa tinham que compartilhar playlists e configurações. Agora uso nos meus 4 dispositivos próprios, mais 4 outros dispositivos da família (total 8 dispositivos com acesso pleno e independente).

            Ou seja, acredito que as vantagens/desvantagens perpassam pelas questões individuais de cada consumidor. Não há um padrão de melhor ou pior que valha para todos.

          • Rob Simões 

            De fato o Apple Music pode não ser um mar de flores, mas MUITO melhor que o Spotify ele é. Por isso cancelei meu Spotify há um ano e não me arrependo. Agora tenho toda a minha biblioteca pessoal na nuvem sincronizada em todos os meus dispositivos (coisa que o Spotify não faz), posso usar na Apple TV, no Apple Watch, e posso usar a Siri para pedir uma playlist com as melhores músicas de 1974 por exemplo. Acho as playlists e a interface do Apple Music imensamente superiores.

            E diferentemente do que você disse, não, nem todos os apps estarão integrados à Siri no iOS 10, primeiro que os devs têm que implementar, segundo que a Siri só estará disponível para ALGUNS TIPOS de apps, como apps de mensagens e de taxi. Serviços de música não estão nesta lista, portanto, o Spotify continuará sem Siri. E eu continuarei no Apple Music.

    • VW20vT

      Também já usei spotify e desde o lançamento da Apple Music, fiquei com a Apple. Visual muita mais clean, do que o visual pesado do spotify… Prefiro e muito o AP

  • Thiago

    [Quase off] Bom, eu “assinei” o Apple Music pelo período trial e cancelei o Spotify para me forçar a usar e testar.

    O diferencial do Spotify é a curadoria. As playlists são mais numerosas, mais bem montadas é mais fáceis de achar.

    O diferencial do Apple Music é aquela aba “para você” que eu achei bem legal. Um grande outro diferencial seria usar a Siri, mas ela não entende nada que falamos em inglês, porque ela tenta aportuguesar tudo. É ridículo.

    Mas o que me irritou profundamente no AM: precisei deslogar da minha conta do iTunes e ele apagou todas as minhas playlists.

    Spotify, estou voltando. Apple Music, vou nem esperar o trial acabar, desculpe.

    • Luiz Aguiar

      Isso é o que me fez cancelar o apple music, tenho 2 contas e cada vez que deslogava perdia todas as playlists, isso era muito chato.

      • Arthur Borges

        Também tenho duas contas e isso aconteceu algumas vezes, e então descobri: Para voltar com as musicas e playlists, depois que voltar para a conta certa, vai nos ajustes e liga o botão “biblioteca de música do iCloud”

  • Luiz Fernando

    Já ta na hora do Spotify fechar o parquinho pra quem entra de graça e não quer pagar

    • Tbm acho
      Faz igual Apple Music… Novos usuários têm 3 meses grátis para testar… Depois disso, se gostou, pague assinatura, ou compre o CD físico na livraria se não quiser pagar uai!
      Acredito que a empresa já tenha conseguido fidelizar bastante gente… Mantém só estes fidelizados, fazendo propaganda para novos entrarem, e parem de ficar no vermelho por estar pagando a conta de quem não paga!

  • Marcelo_Machado

    Só falta a Apple criar vergonha na cara e sincronizar o Music entre os devices como no Spotify.

    • Lim 

      Cara, não sei quais devices vc usa, mas o Apple Music sincroniza sim entre iPhone, iPad, iPod Touch, Apple TV 4, Mac, Windows e Android. Uso ele no iPhone, iPad, Apple Watch, Mac, Apple TV 4 e no Windows e tudo sincroniza sem perrengues. Confesso que algumas vezes me deparo com algum tipo de lentidão na sincronia mas não vejo isso como um problema de serviço da Apple e sim de conexão.

  • Caio Cartaxo

    Usei o Spotfy por muitos anos, hoje uso apenas o Vivo Musica do Napster por questões de facilidade de pagamento mesmo. Mas um fato e digno de ser citado, o Spotfy tem muito mercado na mao, eles sabendo usar e aplicar, eles nao vao quebrar.

  • Fabianno Cabral

    Se a apple se adequasse a moeda local… o serviço seria mais chamativo para o mercado nacional. Então!!! Vamos ficar com os que nos favorecem. 2Beijos!

    • Marlon Fuhlendorf

      Acontece, que o Apple Music custa menos aqui no Brasil, que em todos os outros lugares. Temos uma tarifa especial, e até pouco tempo atrás, ele era mais barato que spotfy e google.

      • Fabianno Cabral

        Tem sim!!! Mas quantos tem cartão internacional? Uma boa fatia dos brasileiros só tem o nacional.

  • Eu sou assinante premium do Spotify e usuário de iPhone desde o meu primeiro 3G, dezenas de anos atrás e não trocaria o Spotify pelo Apple Music, apesar de ser nativo do aparelho. Apple Music e seus criadores podem até saber como gerar lucro, mas ainda têm muito o que melhorar.

    • Marlon Fuhlendorf

      Você ja usou o apple music no iOS 10? Mudou bastante e esta bem parecido com o spotfy!

      • Eu usei o trial há pouco tempo. Será que quando sair o iOS 10 eu tenho direito a outro trial? Seria justo, já que é um sistema reformulado, né? Haha!

        • Lim 

          Tem não man, to com o 10 aqui e o trial fica disponível só uma vez mesmo.

          • Aaaaah, suspeitei. Que pena! Assinar de novo só pra ver como ficou. Não sei…

            • Lim 

              Mas me diz, o que houve pra vc ter desistido do Apple Music…?

            • A usabilidade do app, principalmente. Eu que tenho duas contas na app store, via todos os meus álbuns offlines desaparecem quando eu deslogava pra fazer login em outra conta. E não ter weplayer, né? Deveria! Passo o dia trabalhando, conectado ao meu spotify ouvindo qualquer coisa que eu queira. Aliás, isso já mudou?

            • Lim 

              Ahh sim, entendi. Bom, com relação a usabilidade eu achei que melhorou bastante desde o lançamento, lembro que era bem lento mesmo e com o tempo ficou bem ágil até chegar hoje em dia. Com relação a ter duas contas da Apple ai complica mesmo pq se deslogar ele de fato apaga por causa da proteção da musica, mas isso tbm acontece com o spotify ou qualquer serviço de streaming de musica (seria um sonho assinar um streaming e ter as musicas pra sempre… kkkkk). Com relação a webplayer de fato não tem, Apple da a desculpa de que o iTunes é multi plataforma então “não teria necessidade” de lançar um webplayer.

            • Daniel Vitor

              Só que a Apple esquece que muitas vezes em computadores de trabalho no escritório, usamos windows e ele tem bloqueios administrativos que impedem de instalar programas, logo não dá pra usar iTunes

            • Lim 

              Sim sim, por isso as aspas ali. Apple diz não ter necessidade mas eu acredito que tem necessidade sim.

            • Thiago

              Só que o usuário NUNCA precisa deslogar do Spotify.

            • Lim 

              Bom, todos os serviços de música que utilizam assinaturas, tirando o iTunes Match, são feitos pensados em que o usuário NUNCA vai deslogar da conta, por isso existem as restrições de conteúdo por região, se as pessoas vão respeitar a restrição do conteúdo ai já são outros quinhentos, mas se a pessoa quer manter duas contas então terá que arcar com as consequências dessa alternância.

  • Anderson Santos

    fui assinante do apple Music muito tempo, eu gostava pra caramba da praticidade e integração com o sistema, mas eu tive a curiosidade de ver como era o Spotify das famosas playlists que todo mundo compartilhava na net, eu uso Spotify hj em dia por conta da vasta integração com outros aparelhos como Playstation, carro, tv, e por ai vai… é muito prático conectar a conta num aparelho de som da sala e controlar tudo pelo app do celular

    • Moimás

      Exatamente! Acho que a interação com outros aparelhos é um dos pontos mais fortes do Spotify…

    • Lim 

      Concordo contigo, Apple poderia ser mais maleável, vide iMessage, FaceTime, iCloud…

  • Rodrigo Osório

    Spotify tinha que fazer planos diferenciados, tipo “escutar só online” por 9,90 por mês.

  • Andre Bilha

    Eu não troco o Deezer por nenhum deles.

    • Victor Nascimento

      Deezer é um lixo perto do Spotify. kk

      • juhnior

        Deezer é infinitamente melhor que Spotify! Só quem usou os dois serviços sabe do que estou falando!

        • Tiago Celestino

          Usabilidade tosca demais. Já usei e nunca recomendo. Sinto falta do rdio.

          • juhnior

            O que vc chama de usabilidade tosca? Eu troquei do Spotify pra ele exatamente pela facilidade e praticidade na usabilidade. Muito mais fácil lidar com minhas playlists, adicionar músicas nelas, deletar músicas delas, funções extras que o Spotify não tem, ordenar as músicas nas playlists que sequer o Spotify tem… Sem falar do “flow” que é incrível e Spotify não tem.

            • Tiago Celestino

              Quem disse que no Spotify ñ tem como ordenar músicas na playlist? (vide imagem anexa)

              Sobre o “Flow”, só tenho que dizer que não é tão eficiente, colocando músicas ñ baseadas em seu gosto musical, o que é pessimo.

            • juhnior

              Bom, todos os outros argumentos ainda são válidos e o flow, pra mim, só indica músicas do meu gosto musical sim. Eu vou usando o “coração” pra mostrar pro app quais estilos eu gosto e as outras indicações batem com o que quero ouvir. Essa função é matadora pra mim, conhecer novos artistas que eu nunca conheceria de outras formas.

            • Ana Mendez

              Também adoro o Deezer, acho a interface muito mais limpa, dá pra usar pelo Tim Music, o flow é fantástico. Infelizmente faltam alguns artistas…

  • Jonatha Gomes 

    Eu uso os dois e prefiro o Apple Music por conta do Siri que você pode usar e no Spotify não, aconteceu uma comigo que eu assinei pelo AppStore e o Spotify continuou Free e entrei em contato com a Apple e eles falaram pra entrar em contato com o Spotify e eles mandaram entrar em contato com a Apple e ela resolveu o problema e fez o estorno da compra! Acho que quem tá dificultando as coisas é o Spotify.

  • Marcos Ramalho

    Gostaria de saber se é opcional ter a versão gratuita?

  • Bruno Villas-Boas

    Por isso gosto do Deezer. Assinei no site e fiz o logon no app

    • Thiago

      No Spotify você pode fazer a mesma coisa.

  • Andrey Fortes

    DECEPCIONADO com o Blog
    Me bloquearam no Face por ter discordado da matéria. Ve-se a qualidade. Enfim.

    • Lucas Rodrigues

      Fui chamado de imbecil pelo mesmo motivo, além de ter sido bloqueado

  • Lucas Rodrigues

    Oi? Tudo bem com vc? Poderia me dizer em que parte eu fui pra agressão? Achou que ia me bloquear no facebook e eu ia ficar calado? Só pra constar eu assino o deezer e sim, já li a carta em alguns sites e li sua opinião. O q eu vi foi uma tentativa de reduzir um em detrimento de defender o outro.

    Agora se as pessoas não estão a concordar com a opinião do blog, então o imbecil não sou eu.

    • Andrey Fortes

      Me bloquearam tbm so pq discordei! Ainda se dizem serio!

      • Lucas Rodrigues

        Olha a resposta que me deram.

        • Andrey Fortes

          Mandou o outro catar coquinho e depois excluiu o comentario. Acbou o gardenal

          • Andrey Fortes

            Levou tudo pro lado pessoaL

            • Lucas Rodrigues

              Esse blog já me foi muito útil, já concordei em muitas coisas, visitava ele desde q lançaram o ipod t 2 geração…. Ou seja, não sou um novato que apareceu pra detonar o site. Só discordei e fui chamado de imbecil

            • Andrey Fortes

              Sim. De todos os blogs sobre Apple, era o unico que eu continuava seguindo, pq os achava sério.

      • Lucas Rodrigues

        Ta igual a Apple, detonando a concorrência hahahahahahahaha

  • Lucas Rodrigues

    É desse jeito que tratam os leitores? Com direito a bloqueio depois de ofende-los?

    Estão deletando todas as críticas e ofendendo os leitores. Tô postando mais uma vez pq é um DESRESPEITO fazer isso com quem quer que seja.

    Reafirmo que sou leitor desde o lançamento do ipod touch, me maravilhei e comprei o lançamento da época, a 2 geração.

    N vou perder mais meu tempo, mas é triste ver que evoluíram não só o site, mas o ego também.

  • Paulo

    Primeira vez que comento, mas acompanho o blog faz anos.
    O blog em si é muito útil, mas o pessoal leva tudo para o pessoal, e não presenciei isso uma ou duas vezes. Discordar do site é pedir para levar uma catracada, com direito a 🙂 no final.
    Agora apelar para ”imbecil”.. Imbecil é a pessoa que presta um serviço, mas leva as críticas do referido serviço para o pessoal. 🙂

  • Meu Helicoptero Minha Vida

    Baixa o preco que 70% vao pagar.

    • Victor Nascimento

      R$14,90 é caro aonde? Cara R$ 14,90 vc não compra nem um cd…

      • @disqus_6LTlZAtKmC:disqus Cara, apesar de achar R$ 14,90 bem barato também, não podemos generalizar o termo “caro” ou “barato”, afinal isso se aplica a contexto.
        Dentro do nosso contexto é, aparentemente, barato. No entanto precisamos estudar estes 70% dos não pagantes e entender como ele é composto. Talvez isso nos mostrará que R$ 14,90 não é tão barato assim para uma grande parcela.

        E outra, este modelo de negócio com um 1 plano é muito limitado. Acredito que deveriam ter planos mais diversificados, começando com uma mensalidade bem baixa e pouco acesso, até uma mensalidade e acesso “premium”. Isso ajudaria a todos.

  • Felipe Giannetti

    Você diz que a Apple conseguiu 15 milhões de assinaturas em uma velocidade impressionante, entretanto, não estamos analisando dados comparáveis, uma vez que estamos comparando períodos muito diferentes para a realidade do mercado de musicas por streaming.

    Se fizermos uma análise comparável, isso é, do mesmo período para as duas empresas, nos últimos 12 meses o Spotify obteve 17,5 milhões de assinaturas, o que representa algo em torno de 16% acima da quantidade que a Apple conseguiu.

  • Anderson Camões

    Eu sempre entendi esse modelo de negócios como algo completamente danoso para a livre concorrência. Lembra um pouco quando a Microsoft teve a briga com o Netscape, pagando uma fortuna na Europa por causa disso.
    E não é apenas com assinaturas. No conceito amplo, deveria ser possível a existência de várias lojas de aplicativos. Imagina se todos os programas para Windows ou Mac tiverem de ser instalados através das lojas da Microsoft ou da Apple?
    Eu gosto do meu iPhone e do Apple Watch. Mas não bato palmas para a empresa, acho que a mesma atua muitas vezes com uma postura predatória e arrogabte, inclusive no respeito às próprias leis de seu país.

    Concordo quando a matéria questiona a estratégia do Spotify de “jogar no ventilador”, me pareceu antiética, pelo que foi relatado aqui.

    • Acho que ninguém concorda com a política dos 30%. Principalmente desenvolvedores que possuem apps e livros nas lojas da Maçã (como é o nosso caso aqui). Mas essa é uma discussão a parte.

      O que o Spotify fez foi como o cara que não concorda que um trecho da estrada tenha um radar que multe acima de 50km/h. Aí ele passa lá a 70km/h (de propósito) e depois vai para a imprensa reclamar que é injusto ser 50km/h ali. Pode até ser injusto, mas ele não pode protestar que levou a multa, se a regra era essa. Há outras formas mais eficazes de mudar uma lei.

      • JP

        Amigão, haha, você realmente acha que adiantaria o Spotify chegar para Apple e conversar de boa? Ou então se envolver em uma disputa judicial com maior empresa do mundo?

        Única saída para acabar com esse nicho de mercado absurdo que Apple criou era isso.

        • “Única saída para acabar com esse nicho de mercado absurdo que Apple criou era isso.”

          Então, pela sua lógica, se essa era a única saída, acabou as soluções e no fim nem deu certo, porque a Apple não vai mudar. O Spotify usou de meias-verdades e se fez de vítima à toa. Eu acho que teria sido mais inteligente, nesse caso, ter se poupado do vexame (visto que “era a única saída” e não funcionou).

          • Luiz Aleixo

            Pelo menos expos o que a Apple usando o que pode para atrasar o Spotify pra dar tempo de chegar o Music “reformulado” ou seja .. copiado do Spotify.

          • JP

            “Google, Apple and Amazon have created disruptive technologies that changed the world, and … they deserve to be highly profitable and successful,” Warren said. “But the opportunity to compete must remain open for new entrants and smaller competitors that want their chance to change the world again.”

            Disse a senadora norte americana Elizabeth Warren, se quiser é uma boa opção de matéria para mostrar como deu certo o “mimimi” do Spotify, talvez uma errata cairia bem.

  • Thales Wendell

    claro que o spotify tá certo ué, se eles estão no vermelho, eles vão querer perder 30% das vendas pra apple, sendo que no pc/android e nos outros são assim. aiai.

    • O texto não diz que o Spotify está errado em não querer pagar os 30%. Releia o artigo, pois acho que você o compreendeu errado na primeira leitura. 😉

      • Thales Wendell

        como n, o nome do blog é blog do iphone

  • Previsão por estatísticas não é uma ciência exata, apenas uma estimativa. Elas não determinam que “certamente a Apple irá alcançar o Spotify dentro de X meses”, porém, é o que os analistas de mercado costumam usar para decidir seus investimentos e os rumos a serem tomados.

    Com a entrada da Apple no jogo de streaming, o tipo de serviço se popularizou e cresceu muito, e o próprio Spotify viu seu ritmo de crescimento acelerar depois do Apple Music.

  • Robson Felix Neves

    Spotify errado ou nao vou sempre ser a favor deles pq estão me beneficiando. Apple Music o pagamento é em dólar e tem que ser associado a um cartão de credito Internacional… #NaoVaiTerGolpe

    • Robson, uma curiosidade: você tem assinatura paga do Spotify?

      • Robson Felix Neves
        • Legal!
          Perguntei porque vejo muita gente dizendo que apoia o Spotify, mas não faz a assinatura. O serviço só terá chances de continuar vivo se as pessoas que gostam realmente assinarem e pagarem pelas músicas que escutam. Porque esta sangria de ter prejuízo e não conseguir pagar as próprias contas um dia fará com que o Spotify acabe, e isso é ruim para todo mundo.

          • Robson Felix Neves

            O serviço da Apple não é para nós brasileiros e nem focado em nós.

      • Robson Felix Neves

        Não posso ser a favor de um serviço que não posso pagar…

    • Vinicius Alves

      Então você sempre será a favor de quem tá te beneficiando, mesmo ele estando claramente errado, certo? Ta aí, é por isso que a politização da população nunca da certo no Brasil.

      • Robson Felix Neves

        Não posso ser a favor de um serviço que nao posso pagar…

  • Daniel

    Eu uso Spotify por causa do Playstation 4

  • Moimás

    Já testei os dois… E é como alguns amigos já falaram, se for pelo preço individual o Spotify sai mais barato. Achei bem mais prático para procurar musicas no Spotify também. Porém o Apple Music também é muito bom. Acredito que vai do gosto da pessoa mesmo. Um ponto bem positivo no Spotify é a interação em outras plataformas, por exemplo, uso no iPhone, no PC e no PS4.

    • Lim 

      Já fui usuário do spotify na época dos primórdios aqui no brasil, ainda cobravam em dólar e me lembro que amava o conteúdo e tudo mais, não funcionava com a siri mas nem se quer me importava… Mas ai de repente o acervo começou a mudar, musicas que estavam disponíveis começaram a ficar indisponíveis e ai eu acabei ficando puto e cancelei minha assinatura pra assinar o iTunes Match. Ai ano passado a Apple anunciou o Apple Music e então resolvi assinar desde o lançamento. Não digo que o Apple Music é perfeito, mas só o fato de deixar eu upar junto as músicas que não estão disponíveis via streaming já faz meus olhos brilharem.. kkkk

  • Bruno Castro

    Como já dizia um certo economista: “não existe almoço grátis”. Serviços como o Spotify estão a anos se iludindo com a “comilança”, e infelizmente uma hora a conta chega.
    Hoje a única alternativa para o Spotify é torna-se um serviço 100% pago, eles perderiam uma grande parte dos 70 milhões não-pagantes, mas gerariam certo lucro com aqueles que por ventura ficassem.

  • Larissa Paula

    Sinceramente? Caguei. Spotify continua pisando na Apple Music. Para de tentar fazer esse barro acontecer, Apple. Não vai acontecer.

    • Certas coisas a gente tem que aceitar. Assim como o Google Maps.

  • Daniel Soares

    Jesus, quanta babação de ovo e infantilidade. Texto horroroso, o app Kindle da Amazon não vende livros e nem a assinatura do Unlimeted via app no iOS, ele abre o Safari pro usuário comprar por fora. Sempre foi assim. Por que com o Spotify é diferente?

    • Oi Daniel. Denegrir o texto não faz o que você disse virar verdade. E sim argumentos inteligentes, que mostrem ao autor que ele pode estar errado. Afinal, todos estamos aqui para aprender.

      Pena que você não parece disposto a aprender, nem colaborar. Já parte para a agressão superficial, sem nenhum contexto inteligente. O que você acusa no texto é EXATAMENTE o que você faz no seu comentário. Aí fica difícil levar você a sério.

      Pessoas assim, como você, que usam a internet para agredir e não para construir, é que fazem o Brasil o país que é. Parabéns.

  • Rodrigo Sanches

    Ao meu entender a Spotify não precisava fazer isso. Já que ele precisa pagar 30% quando o serviço é assinado diretamente na Apple Store, era só ela fazer uma divulgação oferecendo desconto para quem assinasse diretamente no site dela. Se ela desse 20% de desconto, ainda estaria ganhando…

    • Pior que o desconto já existe. Quem paga pelo app paga mais do que pelo site. Ou seja, estes 30% nem é prejuízo para ela, pois ela repassa para o cliente.

  • Mesmo com essa marmelada do Spotify.. ainda dou mérito a eles, pq é bem mais fácil vc ja com uma gama de milhões de clientes implantar um novo serviço, (sendo da Apple claro qe será de qualidade) já a Spotify tem seus clientes por mérito “próprio” penso qe seja mais dificil.
    Agora sobre os lucros.. é tenso mesmo 🙁

  • O titulo foi infame independente do conteúdo do texto.

  • JP

    Vou ter que colocar algumas coisas aqui, comento muito pouco nos sites, mas essa matéria mereceu.

    1) Baseado em que o Spotify é obrigado a oferecer assinaturas In-App? Não existe isso, a Apple não tem como, legalmente, obrigar nenhum provedor a oferecer as assinaturas nesses termos, isso não existe.

    2) Meio óbvio que o Spotify vai demorar muito mais tempo que a Apple para atingir um determinado número de usuários, quem foi o pioneiro?

    3) O serviço não dá lucro por questões estruturais, se você não sabe funciona assim, todo mês o Spotify pega a parte dele e separa a dos artistas, esse valor FIXO é então divido pelo número de repetições, considerando também outros fatores, como relevância. Ou seja, não existe um valor X por stream e sim um pool que é rateado pelas labels.

    Abraços.

  • JP

    Perfeito, totalmente enviesado o texto.

  • Estanislaw Duarte

    “barra aplicativos por medo da concorrência“ Apple faz isso e é um fato! A forma como o Spotify fez pode ser questionado, defendido e acusado em mil possibilidades, porém as coisas precisam ser escancaradas para se tornarem públicas e examinadas.

  • Thiago Santiago

    Spotify > Apple music

  • Jonathan Linke

    Spotify > Apple Music, pelo menos por enquanto.

  • Conde De La Roche, o benfeitor

    O que eu quis dizer, é que você não aceita que se abra espaço para discussão da tarifa do serviço. “O Spotify sabia da regra, então não pode reclamar.” Não pode por quê? Vou mudar o exemplo, então: “quando a pessoa comprou o carro, sabia que a gasolina é cara, então não pode reclamar.”
    A discussão é salutar.

    • Renato Faria

      Não sou eu que não aceita… rs
      É a Apple, mas se eu fosse a Apple não aceitaria mesmo. Não estou no mercado para fazer filantropia ou ser parceiro de concorrente. Ela desenvolveu o produto, desenvolveu as ferramnetas para criação de apps para seu produto, desenvolveu o meio de comercialização, nada mais natural que ela dê as cartas e cobre o que acha justo por todo o seu trabalho e pela seu alcance aos consumidores. Quer participar? 30% é dela e ponto. Não quer? Vá buscar seus ganhos eu outra praça. Eu entendo perfeitamente a posição da Apple como empresa que busca lucrar cada vez mais. Isso é bom para nós como consumidores? Não sei, talvez não seja, mas o modelo de negócio é dela e ela defende da maneira que ela melhor julga ser.

  • Edson Olavo

    Vergonha são esses artigos cheio de parcialidade.

  • 9L

    O Uber não está nem mais trabalhando com o Spotify. Agora só Pandora. Que sempre achei mais simples.

  • Alex iPilot

    Esse gráfico induz a erro… Se olharmos os 12 últimos meses de ambos os serviços veremos que o índice de crescimento é o mesmo, o mesmo ângulo da curva! O serviço da Apple não existia há 6 anos atrás, não dá para comparar o crescimento dos dois NAQUELA ÉPOCA como acaba fazendo o gráfico infeliz…

  • RACLA

    Tem uma forma de amenizar isso. Cobra 30% mais caro se a assinatura for feita dentro do aplicativo. Coloca um aviso no aplicativo de 30% de desconto caso o usuário faça a assinatura pelo site. Está resolvido.

  • Jefferson Soares

    Fiquei animado com a ideia de a Apple comprar o Tidal, que na minha opinião é o melhor de todos.

    Já pensou se Apple compra e muda o nome para “iTunes Hi-Fi”. ?

  • Gabriel Valle

    Uso o Spotify premium e foi a melhor coisa que inventaram,

  • Tami Otani

    Eu nunca tinha ido muito com a cara do Apple Music, mas agr… se o Spotify se sente ameaçado pelo serviço…… bom… acho que, pra mim pelo menos, o tiro saiu pela culatra…