Se você foi dormir cedo ontem, talvez não tenha visto que a loja online da Apple começou a sofrer instabilidade no final desta segunda, com menus aparecendo aos poucos. Eram os primeiros sinais de um momento histórico para a comunidade de usuários Apple no Brasil: a abertura da iTunes Store brasileira, com músicas e filmes disponíveis para a venda.

Agora é realidade: a loja da Apple está no ar, pronta para ser utilizada pelos brasileiros. E seu conteúdo está recheado de artistas nacionais e internacionais. :)

Para acessá-la, basta abrir o programa iTunes no computador ou o aplicativo da iTunes Store no seu iPhone, iPad ou iPod touch (aquele rosa que você provavelmente nunca abriu) e se conectar com uma conta brasileira. Se ainda não tem uma, aprenda como fazer uma aqui.

Músicas na ponta dos dedos

Agora ficou muito fácil adquirir música legalmente na internet. A revolução digital que a Apple causou no mundo musical agora está acessível no Brasil, permitindo que se compre, com um simples clique ou toque, a música do seu artista preferido.

Os preços estão em dólar, o que significa que não poderemos contar, por enquanto, com a venda de cartões de vale-presente (gift cards) no comércio, que não pode vender nada em moeda estrangeira. Talvez somente através da própria iTunes, apesar de que, até agora, não há sinais de que isso aconteça.

Mas apesar de ser em dólar, os preços em média, estão mais baratos que os praticados pelo comércio tradicional. O CD físico de Marisa Monte, por exemplo, está custando nas Americanas.com R$24,90 (preço já em promoção). Na iTunes Store nacional, você baixa ele em formato digital, com a mesma qualidade e já pronto para tocar no iPod, iPhone e iPad, por US$9,99, cerca de R$19,50 (já com IOF embutido). Ou seja, 21% mais barato.

Além disso, você ainda tem a vantagem de só comprar as músicas que gostar, sem a obrigação de levar todo o disco. Cada música individual custa $0,69$0,99 ou $1,29, dependendo do artista. Em alguns casos, comprar o álbum inteiro é mais econômico, se for um artista que você goste de todas as músicas.

Outra grande vantagem é você poder escutar um trecho da música (90 segundos) para escolher qual vai comprar ou se certificar que o álbum é bom.

Se você acha que não vai vingar porque é muito mais fácil piratear músicas na internet, não se iluda: este mesmo discurso Jobs ouvia no início da década passada, mas ele mostrou que há quem pague por um lugar em que encontre rapidamente música de boa qualidade, por um preço acessível, sem o risco de baixar arquivos desconhecidos em sites pouco ortodoxos.

Single da Semana — Música grátis

Assim como acontece na iTunes internacional, teremos direito a uma música gratuita por semana, que pode ser baixada até por quem não tem cartão de crédito registrado na conta. A primeira gratuita é um single de Maria Gadú, com participação de Lenine. Geralmente troca de título nas terças-feiras, podendo ser um artista nacional ou internacional.

iTunes Match

Junto com a loja, também ganhamos direito ao iTunes Match, serviço de sincronização da biblioteca musical do computador com a nuvem, permitindo acessá-la no iPhone, iPod ou iPad, via rede sem fio. Este serviço é pago e custa US$24,99 por ano. Falaremos dele com mais detalhes em um artigo especial.

iTunes LP – O arquivo digital com conteúdo multimídia

Agora também temos acesso ao iTunes LP, que é uma tentativa da Apple de vender conteúdo digital com a mesma magia dos antigos LPs, que possuiam sempre um material gráfico bonito e complementar. Com o iTunes LP, além das músicas, vem também no pacote vídeos exclusivos do artista, além das letras das músicas. Por enquanto, apenas The Beatles e Pink Floyd estão disponíveis no formato, mas com o tempo outros devem enriquecer a biblioteca da loja.

Tem um também do Roberto Carlos (Em Ritmo de Aventura), caso você queira conhecer o formato.

Compra e aluguel de filmes nacionais e internacionais

Uma outra expectativa atendida foi a disponibilização de filmes, coisa que é raro de acontecer na estreia da loja. Países como França, Itália e Espanha tiveram que esperar meses até terem obras de Hollywood nas suas lojas locais. Nós, mais uma vez, fomos privilegiados e já saímos com tudo que temos direito.

Há filmes legendados como também dublados. Infelizmente não há, como em um DVD, a opção de escolher interativamente no próprio filme isso; eles já vem pré-formatados ou com legendas ou com audio em português. Em alguns países, há as duas versões dos principais filmes e o usuário pode escolher qual delas prefere.

É possível alugar filmes. O documentário sobre Ayrton Senna, por exemplo, possui a versão em alta definição (HD) ou normal (SD) para alugar, mas apenas a SD para comprar. Os preços do aluguel também diferem, de acordo com a qualidade: $4,99 para os títulos em HD e $3,99 para os em SD.

Aluguel de filmes

Quando você aluga um filme pela iTunes Store, você pode ficar 30 dias com ele e decidir qual o melhor momento para assistí-lo. Porém, no minuto que você começar a ver o filme, nem que seja só um pedacinho, ele já começa a contar o tempo e aí você só tem 48h para vê-lo, antes que ele desapareça da sua biblioteca, como em um passe de mágica.

Faremos um artigo mais detalhado, explicando como funciona o aluguel de filmes.

Jogos podem finalmente chegar à App Store

Uma das notícias mais empolgantes da noite foi o fato de surgir uma boa esperança de que finalmente tenhamos uma categoria de jogos na App Store brasileira. Afinal, o mesmo estatuto que regula a classificação dos jogos no Brasil também regula os filmes e programas de TV.

Ora, isso quer dizer que a Apple foi obrigada a adaptar sua loja à classificação etária previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente, pois só assim poderia vender e expor filmes. E esta classificação já se vê na loja.

Com ela já regularizada, não há mais motivos que impeçam a categoria de Jogos na App Store (proibida no Brasil desde o lançamento da loja de aplicativos, em 2008). Pode ser que a Apple esteja esperando o lançamento do iPhone 4S, como fez na Coreia no mês passado.

Se isso acontecer, temos tudo para eleger 2011 o ano da Apple no Brasil. Aí ficaria faltando apenas uma coisa para 2012: uma loja física da Maçã. ;)