Anúncios da Neon Eletro
Imagem: reprodução de anúncios publicados na web

Dezenas de leitores nos procuraram nas últimas semanas sobre o preço inacreditável de um iPhone 5 e de um iPad 4 anunciados pela loja virtual Neon Eletro. Um valor muito abaixo do praticado pela Apple até mesmo nos Estados Unidos. Como isto é possível? Seria um golpe?

Nós não podemos afirmar que seja golpe, até que a justiça brasileira determine isto. A única coisa que sabemos é que a empresa não tem a autorização da Apple para vender seus produtos no território nacional, o que já descarta a desculpa de que eles conseguem descontos direto com os fabricantes.

O caso foi levado ao Ministério Público esta semana por entidades de defesa ao consumidor.

Em outubro do ano passado, um leitor nos chamou a atenção para um anúncio que apareceu aqui no Blog, perguntando se “esta tal de Neon Eletro” era confiável, pois o preço do iPhone estava muito bom. Nós tiramos imediatamente o anúncio do ar até ter certeza que ele era idôneo, coisa que não conseguimos comprovar. Alguns espaços publicitários aqui no Blog são gerenciados pelo Google Adsense, que determina ele mesmo quais anúncios veicular de acordo com o visitante. Felizmente temos o poder de bloquear anunciantes quando percebemos que podem enganar o consumidor.

Porém, este tipo de cuidado não são todos os veículos que tem. Nas últimas semanas, os anúncios com preço inacreditável apareceram bastante em grandes portais brasileiros, como o UOL. Até mesmo o SBT divulgou bastante a loja, em espaços publicitários pagos em rede nacional.

Nós chegamos a pesquisar sobre o caso ainda em fevereiro e descobrimos que muita gente reclama até hoje de não ter recebido o produto comprado ou nem mesmo o estorno do valor pago. Ao mesmo tempo, há casos também de pessoas que receberam mesmo com atraso o produto, o que nos impede de afirmar, com certeza, que seja um golpe. A única coisa que pudemos fazer aos leitores que nos procuraram foi aconselhar a não comprar o produto por este preço quase impossível.

A legislação brasileira impede que se acuse uma pessoa ou uma empresa sem provas concretas.

O cuidado jurídico que nós tivemos, o site Gizmodo Brasil não teve e esta semana (felizmente) jogou a história toda no ventilador. Colocou na mesa toda a desconfiança e evidências de quão estranhas são as vendas da empresa, que foi aberta só em agosto do ano passado.

O mais estranho de tudo é que a empresa não é como as páginas falsas do Groupon ou vendedores pilantras no Mercado Livre: ela tem telefone e até chat online para responder todas as perguntas. E eles respondem mesmo, como uma loja comum. Em alguns contatos que tivemos (e se repetiu com alguns de nossos leitores), eles insistiram que os preços baixos são porque a empresa negocia diretamente com os fabricantes, o que permite comprar em grandes quantidades e reduzir muito o preço.

Mas isto não faz sentido para o iPhone 5, que até pouco tempo esteve em falta em muitas lojas. Sem falar que a Apple Brasil é a única que pode legalmente importar grandes quantidades de seus produtos para o país, pois ela não dá autorização para ninguém mais fazer isto. É ela quem traz o produto para o Brasil e distribui para as operadoras e redes de lojas autorizadas. E a Neon Eletro definitivamente não é uma autorizada Apple, apesar de usar o logotipo da Maçã no site.

Ou seja, não há como ninguém fazer um acordo diretamente com a Apple americana e passar por cima da filial brasileira. Isto quebraria o plano de negócios da Apple no Brasil, coisa que Tim Cook não tem planos de fazer.

Depois de questionada sobre o preço ser menor do que a Apple pratica até mesmo nos Estados Unidos, a Neon Eletro discretamente aumentou o preço dos iPhones e dos iPads, mas para valores ainda muito baratos para serem verdade. Que coincidência os preços aumentarem com a polêmica, não? O que aconteceu com “as negociações feitas diretamente com o fabricante“?

Preços Neon Eletro

Em nossa pequena investigação, feita antes do Gizmodo trazer o assunto à tona, vimos muitos clientes se sentindo lesados sem ter o produto. Mas no meio deles, alguns afirmam que receberam normalmente e até postam vídeos mostrando o produto e a nota. Mas estes vídeos são estranhos: em um deles, o cliente é de Jaú, coincidentemente a mesma cidade da sede da Neon Eletro. Em todos os vídeos, percebe-se o uso de estabilização de imagem (recurso presente em programas de edição, como o iMovie), mesmo que as pessoas teoricamente sejam diferentes.

Vídeo do Youtube

Outro ponto observado nos vídeos é que as TVs mostradas são fabricadas na Zona Franca de Manaus, e não importadas como o site afirma para justificar os preços. Qual é a mágica?

Não existe mágica. E nem explicação para estes preços. Se a importação dos produtos da Apple não pode ser feita legalmente sem a autorização dela e as TVs são fabricadas no Brasil, com todos os impostos embutidos, nenhuma das justificativas da empresa se mantém de pé.

O que ela ganha com isso? Que fórmula comercial mágica é esta, que consegue vender produtos sem lucro? E caso a justiça realmente confirme algum tipo de golpe, como ele acontece?

São perguntas que, juridicamente, nenhum de nós ainda tem condições de responder. O que temos é que esperar que a justiça se manifeste e dê seu parecer. Enquanto isso, a única coisa que podemos aconselhar é não comprar nenhum produto da Apple que seja excessivamente barato.

Pois o barato, geralmente sai caro.