O incrível avanço tecnológico das versões chinesas do iPhone que possuem dual-chip e recepção de TV estão com os dias contados. Segundo a edição de hoje do jornal Folha de S. Paulo, o Ministério Público quer dificultar a vida do mercado paralelo e encontrar uma maneira de bloquear ligações de aparelhos celulares falsificados.

Aquele seu cunhado chato não poderá mais tirar vantagem do celular chinês dele

Segundo a ANATEL, cerca de 20% das linhas ativas hoje no país usam aparelhos sem a certificação, que é obrigatória, chegando a 40% só entre os clientes pré-pagos. Isso representa uma perda anual de R$ 1 bilhão para os fabricantes dos produtos originais, o dobro do que era em 2008.

Por causa disso, o Ministério Público quer abrir uma ação civil que obrigue as teles a bloquear estes aparelhos clandestinos, impossibilitando qualquer chamada através dele. O problema é como fazer isso.


Crédito da imagem: Folhapress

A ANATEL e as operadoras podem até mesmo serem consideradas como rés no processo, por não fiscalizarem as vendas clandestinas. A comercialização e a prestação de serviços a aparelhos não-certificados é proibida no país.

Crédito da imagem: Folhapress

Uma das soluções em estudo seria a distribuição de uma senha para cada cliente, que cadastraria seu aparelho e o associaria a um chip. Dispositivos com IMEI não certificado seriam bloqueados e impossibilitados de funcionar. Mas este procedimento ainda precisa ser melhor definido antes de aplicado, pois muitos celulares falsos já são capazes de utilizar IMEI autêntico.

via