AppGrátis

Sei que falamos bastante esta semana do caso AppGrátis, mas para encerrar a série de artigos, publicaremos a íntegra traduzida da resposta oficial dada pelo CEO da empresa, Simon Dawlat (isso mesmo, o nome Simão não é coincidência). Ele postou ontem no blog oficial e a assessoria brasileira traduziu e nos mandou o texto hoje pela manhã. Simon estava em São Paulo este final de semana quando soube da notícia. A seguir, suas palavras:

AppGrátis retirado da App Store. Aqui está a história completa.

By Simon Dawlat

Eu me chamo Simon DAWLAT, sou o CEO do AppGrátis.
Eu criei o AppGrátis em 2008 e estou à frente dele desde então.
Hoje, pela primeira vez, a minha empresa está passando por um momento incrivelmente difícil.

Algumas horas antes de começar a escrever este texto, eu havia recém chegado a São Paulo, para visitar o nosso escritório local. Após uma exaustiva viagem de 12 horas pela madrugada saindo de Paris, liguei o meu iPhone só para ver mais de 75 ligações perdidas e uma interminável lista de mensagens não lidas.

Eu quase desmaiei.

Essas coisas só acontecem quando um parente ou um amigo morrem, ou se envolvem em algum acidente grave. Na hora eu pensei que alguém da minha família havia morrido durante o meu voo, e não consegui tocar no meu telefone por alguns minutos. Assustado. Paralisado. Tentando imaginar qual coisa terrível teria acontecido.

Mas agora a Apple lançou uma declaração oficial, e o Wall Street Journal publicou. Então você adivinhou : meus parentes e amigos estão bem. Eles estão apenas preocupados comigo.

Sexta-feira, dia 5 de abril, foi o dia exato em que a Apple decidiu tirar o AppGrátis da App Store, deixando 12 milhões de usuários iOS se perguntando onde foi parar um dos seus apps favoritos, meus 45 funcionários se perguntando se eles ainda têm um emprego na semana que vem, meus parceiros e investidores em choque, e eu mesmo com esta situação maluca para lidar – a milhares de quilômetros da nossa sede.

alone

Primeiro, eu quero tranquilizar os nossos usuários, clientes, investidores e amigos :

Mesmo se o nosso app iOS esteja momentaneamente indisponível, o seu serviço de recomendação de apps AppGrátis está de pé e funcionando. Se você é parte dos 12 milhões de usuários sortudos que baixaram o nosso app antes de sexta-feira, saiba que ele continuará sendo atualizado todos os dias com novos apps gratuitos e ótimos descontos. O mesmo vale para o nosso website. O mesmo para a nossa newsletter diária.

O nosso app iOS pode ter ficado indisponível por uma semana, mas alguns milhões de apps gratuitos foram baixados através do AppGrátis desde sexta-feira.

Então, por enquanto, os negócios continuam os mesmos no mundo do AppGrátis.

Segundo, eu quero deixar algumas coisas claras :

Eu li muitos comentários e textos na mídia dizendo coisas como R.I.P AppGratis”...

Eu quero dizer a essas pessoas que os diagnósticos da nossa morte foram enormemente exagerados.

Algumas pessoas também têm especulado amplamente se nós estivemos usando táticas ilegais para assegurar mais de 5% do marketshare iOS no mercado dos EUA. Enquanto CEO de uma empresa de 45 pessoas, que eu mesmo contratei e que eu respeito e com os quais me preocupo profundamente, é bastante óbvio que eu nunca teria burlado as regras da Apple tão estupidamente, arriscando os empregos de tantas pessoas e o destino de uma empresa que me tomou 4 anos para construir.

Parte 1. O que aconteceu com os nossos apps.

Em outono de 2011, nós cometemos um grande engano de produto. Nós decidimos usar um app específico para cada país em que nós lançávamos o AppGrátis, basicamente rodando várias instâncias do nosso app principal, país por país. Parecia uma solução leve e que nos permitiria nos tornarmos globais rapidamente. Mas logo nós acabamos com mais de 20 apps diferentes para manter na App Store (um pesadelo para o nosso time de engenheiros) e batemos contra a diretriz 2.20 da Apple, que diz o seguinte :

Desenvolvedores  fazendo “spam” na App Store com várias versões de um app similar serão removidos do iOS Developer Program.

Nós batemos contra a primeira parede quando tivemos uma atualização rejeitada em outubro de 2012, por causa da regra 2.20.

Mas, de forma ainda mais surpreendente, também por causa de uma nova diretriz 2.25, dizendo :

Apps que mostrem apps diferentes dele mesmo para compras ou promoção de uma maneira similar ou se confundindo com a da App Store, serão rejeitados

E – uau ! – também por causa da diretriz 2.12, que diz :

Apps que não são muito úteis, únicos, que são simples websites embalados como Apps, ou que não tenham nenhum valor durável de entretenimento, podem ser rejeitados.

Considerando a enorme quantidade de trabalho e paixão que nós colocamos no AppGrátis, e o quanto o app tem sido elogiado e solicitado por nossos usuários – nem mencionando o fato de que o AppGrátis preenche um grande buraco no bastante deficiente mundo de descoberta de apps -, isso foi o mais difícil de entender.

E para ser bastante honesto com vocês, tudo isso foi muito confuso no começo. Especialmente porque estas novas diretrizes pareciam assustadoramente abertas a todo tipo de interpretação subjetiva.

Por sorte, naquele momento, nós fomos contatados pelo mesmo membro do Apple App Review Team de sempre, o C. (permitam-me não mencionar nomes aqui por questões de privacidade). Eu posso dizer honestamente que C. foi uma ótima pessoa para lidar, investindo enormes quantidades de tempo nas conversas, estando sempre à disposição, sempre ouvindo nossos argumentos, e nos guiando pelas mudanças necessárias no AppGrátis para tê-lo de volta à App Store. Depois, outro membro do App Review Team chamado K., igualmente atencioso, se juntou a C.

Uma conversa bem longa resultou em :

Em relação ao 2.25 : nós estávamos prontos para defender que o AppGrátis não tem nada a ver com a App Store. A App Store é um catálogo que hospeda mais de 1 milhão de apps. AppGrátis é uma mídia de reviews de 1 produto Apple por dia, como milhares de outros websites, blogs e apps neste planeta. Os mecanismos são dramaticamente diferentes. Nós recebemos um OK neste ponto, já que o nosso app foi depois aprovado.

Em relação ao 2.12 : como nós declaramos em um outro post do blog, AppGrátis tem uma interface muito simples para o usuário. Mas o que há por trás dessa interface é uma fera selvagem. Nós conseguimos mostrar a K. e C. a profundidade, a complexidade e a utilidade do nosso produto no seu lado técnico, e também como são importantes as recomendações editoriais para os nossos usuários. Nós também obtivemos um OK neste ponto.

Com relação ao 2.20 : nós concordamos em fazer uma grande atualização do nosso app que consolidaria todos os nossos apps em apenas um. Nós na verdade já esperávamos por isso e já tínhamos um beta deste produto em desenvolvimento. Nós concentramos os esforços dos nossos 10 engenheiros em finalizar e enviamos aos servidores da Apple em tempo recorde. Todo mundo comemorou. 45 pessoas trabalhando para fazer com que a tarefa de encontrar apps fosse algo simples de novo.

A Apple aprovou a nossa versão v3 do AppGrátis para iPhone em novembro de 2012 e, um pouco depois disso, nós conseguimos um financiamento de US$ 13,5 milhões com novos investidores : Iris Capital, apoiados por Orange, Publicis e outros agentes financeiros. E nós voltamos ao trabalho, pensando que 2013 seria um ano empolgante.

Desde então, a Apple não apenas aprovou a versão v3 para iPhone, como também aprovou a nossa versão iPad há menos de uma semana.

Sim, você leu direito.

Uma. Semana. Atrás.

AppGrátis aprovado pela Apple

Nós recebemos isso como uma forte validação do incrível valor que o nosso produto criou para todo o ecossistema da App Store, algo do qual nós estávamos convencidos desde o começo, e o que eventualmente tivemos a oportunidade de discutir com a Apple, com um resultado positivo.

Nós estávamos prestes a lançar e anunciar nossa versão iPad. O lançamento estava pronto. Newsletters prontas para partir. Um conteúdo editorial único criado para mais de 30 mercados, pronto para partir. O app foi aprovado. Eu estava em um avião para o Brasil… e…

E então na última sexta-feira, poucos dias depois da Apple ter aprovado a nossa última versão iPad, um novo membro do App Review Team chamado R., com quem ninguém da minha equipe teve contato antes, apareceu de lugar nenhum e, depois de tentar me ligar 3 vezes sem conseguir contato (eu estava no avião), decidiu tirar os nossos apps por causa da diretriz 2.25 e também – outro uau ! – por causa da diretriz 5.6, que diz isso :

5.6 Apps não podem usar Notificações Push para enviar anúncios, promoções ou marketing direto de nenhum tipo.

De novo outra surpresa para nós, já que nós apenas enviamos uma  « system notification » por dia para os nossos usuários, que o próprio usuário escolheu receber, em uma forma genérica,  dizendo « O app do dia já está disponível » ; que é exatamente como a Apple recomenda os desenvolvedores a fazer com as suas notificações push.

Parte 2. O que aconteceu do lado da Apple.

De início eu pensei ter sido pego em um acidente interno de comunicações, e não ter sido vítima de um suposto “banimento de aplicativos de terceiros”. Nós conferimos os apps de nossos concorrentes, todos eles estavam disponíveis para download. Recebemos vários sinais verdes por parte da Apple nos últimos meses, então parecia muito pouco provável que tal empresa pudesse mudar sua opinião da noite para o dia, o que parece hoje uma ação extremamente volátil.

Segunda-feira de manhã, recebi uma ligação de acompanhamento de R.. Ele basicamente repetiu várias vezes que o nosso app foi retirado devido a diretriz 2.25 e a diretriz 5.6, e não pôde ir além disso.

Eu perguntei como a sua equipe poderia ter mudado de opinião da noite para o dia, simplesmente desplugando uma empresa de 45 pessoas. Ele parecia estar bem despreocupado considerando a gravidade da situação, e não foi capaz de me informar sobre quais especificidades essa decisão foi tomada.

Alguns segundos depois de desligarmos, o Wall Street Journal publicou uma declaração bastante concisa emitida pela Apple, confirmando que o AppGrátis teria sido retirado por violação das diretrizes 2.25 e 5.6.

Para nós isso foi um golpe duro, é claro.
E enquanto eu estou a ponto de clicar no botão “publicar” desta história, eu continuo em choque absoluto com o que está acontecendo conosco.
Mas a nossa missão está longe de terminar.

Parte 3. Longe de terminar

Em primeiro lugar, nós ainda somos responsáveis pela compilação diária de apps  para mais de 12 milhões de usuários do iOS no mundo. Enquanto nós estamos descrentes de que a Apple realmente tomou a decisão de cortar um serviço usado por muito de seus usuários, essas pessoas ainda tem o AppGratis em seus iPhones, iPads ou iPods. E nós devemos a elas novas dicas de apps diariamente.

E é aí que nós nos encontramos hoje. Chocados que a Apple tomou a decisão de destruir tanto valor dentro de seu próprio ecossistema, mas mais do que nunca convencidos que nós estamos indo bem, e cumprindo uma missão tão necessária em um mundo deficiente na descoberta de apps.

Agora, para os corajosos que leram tudo, alguns itens de ação:

1. Se alguém no comando da Apple ler isto e quiser discutir o assunto com mais profundidade, eu ficarei feliz em voar para Cupertino a qualquer momento e provar para vocês que nós estamos em uma missão para o bem. Meu email é simon@appgratis.com  então sinta-se à vontade para entrar em contato comigo a qualquer hora.

2. Se você for usuário do AppGratis, um amigo, um cliente, um desenvolvedor de app, ou apenas uma pessoa que pensa que o AppGratis é bom para o mundo, por favor, compartilhe esse post.

3. Para a minha equipe: continuem insistindo. Vocês estão fazendo um trabalho absolutamente maravilhoso. E eu sei que, neste momento, alguns de vocês estão tristes e assustados. Eu também estou.

Mas mesmo em tempos difíceis, todo problema tem uma solução.
E nós vamos encontrar uma.

Mais anúncios virão muito em breve.