Hoje foi o grande lançamendo do novo iPhone 5 em diversos países do mundo e o Blog do iPhone foi até Nova York para acompanhar de perto este grande lançamento. Confira alguns detalhes.

Ao contrário do que tinha sido divulgado, conseguimos achar o iPhone 5 nos Estados Unidos livre de contrato e completamente desbloqueado de operadora, o que permite usá-lo normalmente no Brasil. É preciso pedir pelo modelo “full price” (preço cheio), tanto a versão da AT&T quanto o da operadora Verizon.

Os preços são os divulgados anteriormente: US$649 (16GB), US$749 (32GB) e US$849 (64GB), mas com a taxa cobrada em cada estado americano, este valor aumenta. Por exemplo, em Nova York (taxa de 8%), o de 16GB sai por US$706,60 (R$1.555) e o de 32GB por US$815,47 (R$1.794).

E o que mais impressionou é que não precisa mais de chip (SIM CARD) para ativar o aparelho: basta ligá-lo e sair com ele da loja funcionando. Isto é perfeito para quem ainda não tem o nano-SIM, novo formato menor compatível com o aparelho.

Pelo menos na loja que fomos (Upper West Side NY) não havia quase nada de filas e foi muito tranquilo comprar os aparelhos. Levamos 20 minutos no lado de fora e mais alguns dentro antes de ter o aparelho em mãos. Sem dúvida, o lançamento mais tranquilo da Apple que já presenciamos.

Pontos negativos

A impressão que dá é que o lançamento está estranho este ano. Parece que a Apple não se preparou direito para o lançamento, porque há falhas importantes. Uma delas é que não há nenhum acessório (bumper, capas) adaptados para o novo formato do iPhone 5, deixando quem compra com o aparelho desprotegido. Além disso, o mais grave: as lojas físicas não possuem o adaptador para conector de 30 pinos, o que deixa os consumidores na mão em um primeiro momento caso tenham que usá-lo em acessórios antigos.

Nem mesmo o cartaz do iPhone 4S foi trocado na loja, e nada faz publicidade ao novo modelo. É a primeira vez que isso acontece em lançamentos de grandes produtos da Apple.

Já estamos com ele na mão e começaremos hoje mesmo nossos testes com o novo modelo, adaptados ao público brasileiro. Obviamente não poderemos testar a conexão 4G, pois o Brasil ainda não a possui (e o aparelho não será compatível com o modelo americano), mas todo o resto funciona normalmente no nosso país.

Em breve, postaremos os resultados aqui. Fiquem ligados. :)