Na sexta-feira da semana passada, a Apple lançou seu mais novo modelo de celular, ao qual chamou de iPhone 5. O Blog do iPhone foi cobrir de perto o lançamento e durante uma semana pode testar vários detalhes do aparelho. Confira nossas primeiras impressões.

Design externo

A primeira coisa que se nota ao segurar o novo iPhone na mão é a sua leveza em relação ao modelo anterior. Das pessoas que experimentaram em nossos testes, praticamente todas repararam nisso, espontaneamente. O novo modelo pesa 112g, contra 140g do 4S e 137g do iPhone 4, o que o faz 20% mais leve.

Ele é maior na altura (mais comprido), mas isso não chega a atrapalhar no bolso da calça ou da camisa, nem ao segurar com uma mão. De fato, o conforto no uso diário é praticamente o mesmo do iPhone 4S.

Ao mesmo tempo, a tela comprida não muda muito a experiência do usuário, que ganha apenas algumas linhas a mais na parte de baixo, sem ter efetivamente uma “tela maior”. Discutiremos mais sobre isto em um outro artigo.

Ele é mais fino, mas isso quase não é perceptível ao segurá-lo.

A traseira do modelo preto é muito bonita, de uma maneira que fica difícil de perceber em fotos. Só vendo pessoalmente mesmo. Porém, o alumínio fosco é muito menos resistente a riscos que o antigo vidro, o que deverá causar preocupações nos mais neuróticos. Quem já teve iPod touch sabe bem como o alumínio arranha fácil.

A dica é manter o plástico protetor que vem junto com o aparelho, pelo menos até comprar uma película protetora para ele.

A lateral em negro (no modelo preto) e alumínio escovado (modelo branco) dão um charme especial ao aparelho.

Novo conector

O novo conector é bem menor e até mais prático que o seu antecessor. Não demora muito tempo para se acostumar com ele e entender que foi uma bela evolução, pois não é preciso ficar olhando para o cabo para saber por qual lado encaixá-lo. Uma melhoria principalmente para os que possuem problemas de visão, mas que beneficia também os mais distraídos que sempre erram o lado do conector.

Mas por ser menor, ele também é mais frágil. E é por isso que a Apple desistiu de fazer um dock para o iPhone, pois o pino não é capaz de sustentar o aparelho por muito tempo como o conector anterior de 30 pinos. Conversamos com representantes de acessórios no lançamento, que nos explicaram que os fabricantes evitarão de fazer docks, pela fragilidade do conector.

A parte ruim de ter um novo padrão é que é preciso comprar alguns cabos extras, principalmente quem está acostumado a ter um cabo no carro, outro no escritório.

O conector do fone de ouvido foi para a parte de baixo do aparelho. Em nossos testes, não encontramos maiores inconvenientes com esta mudança.

Performance

Sem dúvida, o iPhone 5 tem um maior poder de processamento, fato este comprovado pelos testes de benchmark e pelas especificações técnicas do aparelho. O iPhone 5 possui memória RAM de 1GB, o dobro do iPhone 4S, o que influencia diretamente na abertura de aplicativos e tratamento de muitas informações ao mesmo tempo.

Mas no dia a dia, a diferença na prática é similar aquela sentida na passagem do iPhone 4 para o 4S. É sim mais rápido, mas nada que torne “obrigatória” a troca para quem já tem o modelo do ano passado. Claro que em aplicativos que exijam maior desempenho gráfico (como o futuro Real Racing 3, por exemplo), a diferença é gritante, mas em termos de performance do dia-a-dia, os iPhones 4 e 4S ainda são excelentes.

Fotos

A câmera fotográfica do iPhone 5 não recebeu modificações no número de pixels, apenas nas lentes, que já é uma grande evolução.

Alguns sites internacionais reclamaram de um suposto defeito na câmera do iPhone 5, que causava círculos violetas ao fotografar fontes de luz (como o sol, por exemplo). Em nossos testes, não conseguimos reproduzir este problema.

Conexão 4G LTE

O aparelho que testamos foi comprado nos Estados Unidos e em termos de conexão, tudo o que funcionava já no iPhone 4S funciona também no 5: conexão 3G,  3G+, EDGE, GPRS e, obviamente, Wi-Fi. Nada disso muda no uso em terras brasileiras.

A grande novidade do aparelho (a conexão 4G LTE) é que não funcionará no Brasil, por incompatibilidade de frequência. O padrão que o governo aprovou para implementação em 2013 não é compatível com nenhum modelo de iPhone 5 no mundo e, portanto, os usuários não devem esperar que ele funcione nas nossas redes, nem mesmo quando for lançado no Brasil. O próprio site nacional da Apple retirou qualquer referência à redes 4G, para não causar confusão. Ou seja, a situação é igual a do novo iPad.

Vale a pena trocar o meu atual iPhone pelo novo modelo?

Pela nossa experiência de uso, se você tem um iPhone 4S e está feliz com ele, não há porque mudar de aparelho. O iPhone 5 é sim o mais moderno celular da Apple existente hoje, mas ele não trará muito mais vantagens do que você já está acostumado.

Para quem tem o iPhone 4, o salto é maior, mas mesmo assim talvez não compense trocar agora, a não ser que seu aparelho já esteja apresentando sinais de idade (botão falhando, por exemplo). O ganho de performance é notável, mas nada que seja revolucionário.

Quem tem ainda o iPhone 3GS ou outro modelo anterior, aí sim a diferença é enorme. Tela Retina, maior velocidade de processamento, mais leve, tudo isso realmente mudará a experiência cotidiana do usuário.

Claro, há outros motivos para se trocar o aparelho. Se você conseguir um bom valor de revenda do seu atual, pode compensar a compra do novo. Ou se você acha essencial jogos com boa resolução gráfica, futuros títulos poderão fazer a diferença. Tudo depende do perfil do usuário.

Conteúdo original © Blog do iPhone