Resenhas

iPhone 3G: nossas primeiras impressões

Semana passada anunciamos aqui que tínhamos em mãos nosso precioso iPhone 3G. Demorou um pouco para falarmos sobre ele, mas preferimos fazer todos os testes possíveis para poder descrevê-lo com detalhes aqui para vocês. Afinal, muita gente nos pergunta se vale a pena mesmo mudar de aparelho ou continuar com o antigo e é por isso que fizemos uma análise sem conceitos pré-estabelecidos nem puxa-saquismo para a Apple. A verdade nua e crua, doa a quem doer.

O nosso aparelho foi comprado na França, com um contrato de 2 anos com a operadora oficial, o que nos possibilita ativá-lo normalmente e testá-lo em todas as suas funções, até mesmo o Visual Voice Mail que é inacessível por desbloqueios não oficiais.

Design externo

O design do novo iPhone é realmente incrível. Pelas fotos e vídeos não dá para ter uma real idéia do que ele é, apenas conferindo ao vivo com as próprias mãos. Eles conseguiram de alguma maneira fazer com que ele pareça mais fino e mais leve que o modelo anterior, mesmo que isso não seja verdade. O visual “plástico” tem a aparência bem sólida e diferentemente do que poderia parecer, é bem elegante. Ao contrário do que foi dito nesse artigo, o modelo preto é muito mais lindo que o de alumínio.


Formato iPhone/iPod touch.

Bateria

Todo mundo fala dela como a grande vilã da história e não é sem razão: a bateria tem uma autonomia muito, mas muito pequena.

Já no primeiro fim de semana que testei, deixei na carga durante toda a noite, desplugando às 10h da manhã. Durante o dia usei ele normalmente, vi alguns vídeos, surfei na internet pelo wi-fi e pelo 3G, coisa normal.

Pois por volta das 20h, a surpresa: o iPhone se deligou sozinho, por completa falta de bateria!

É realmente impressionante. Ela dura cerca de metade do tempo que durava meu modelo antigo, ou seja, menos de um dia inteiro. A impressão que dá é que veio com defeito, mas a idéia muda ao ler outros depoimentos em vários sites que falam do mesmo problema.

A solução que encontrei foi desligar algumas funções que não uso. Por exemplo, quando tenho acesso ao wi-fi, desligo o 3G. Ou então o push mail. Faremos uma matéria detalhada sobre isso mais adiante.

GPS

Ele é interessante, mas não é tudo isso que falam, não (aliás, como já havíamos previsto aqui no blog). Ele demora para localizar, pois como é um A-GPS (GPS assistido) ele primeiro procura a triangulação das antenas de celular e redes wi-fi, para só depois usar o satélite propriamente dito. E nem sempre o resultado é preciso, apresentando às vezes alguns metros de diferença.

Outra coisa desagradável é que se você coloca um trajeto à percorrer, ele só considera o caminho como se você estivesse de carro, não à pé. O resultado disso é que ele às vezes indica uma volta desnecessária por causa do sentido das ruas. Mas isso nem é culpa do GPS, pois o 2G também faz isso através da triangulação das antenas.

  

3G

Quando funciona é uma maravilha! Isso mesmo, “quando funciona”, porque o fato é que nem todas as áreas são cobertas pela rede 3G, mesmo dentro de uma mesma cidade. Se você está se locomovendo durante uma ligação (em um carro, por exemplo), a rede pode desaparecer e a chamada simplesmente cair. Essa situação é extremamente desagradável, principalmente quando acontece com um aparelho que se diz o top da tecnologia.

Fora isso, a conexão é realmente bem rápida, muito próxima a uma wi-fi. Não é possível baixar aplicativos com mais de 10MB por ela na App Store.

    

Ferramenta de ejeção do cartão SIM

Igual aquela que mostramos aqui mesmo no blog, é muito pequena e fácil de perder. Se você não determinar um lugar fixo para que ela fique (como eu fiz), terá constantes problemas para encontrá-la.

Conclusão

Mas afinal, vale à pena trocar seu modelo classic pelo 3G?
Depois de uma semana de uso, eu diria que não. Se você já tem o seu iPhone EDGE, as diferenças que o novo traz não compensam a mudança. O 3G e o GPS não estão ainda em um estágio em que justifique a troca, e as reais revoluções devem chegar só mesmo em um próximo modelo de iPhone (quem sabe em junho que vem?).

Claro, se você ainda não tem um iPhone, a coisa muda. O melhor é mesmo comprar o novo, principalmente se for com uma operadora oficial, para não precisar se preocupar com a ameaça de seu aparelho bloquear a cada lançamento de novo firmware.

Se nossos leitores que moram no exterior e já possuem um 3G quiserem dar sua opinião ou sugerir alguma coisa que não citamos aqui, por favor, fique a vontade nos comentários deste post.

Leia mais sobre:

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar