AplicativosApp StoreJogos

GRID Autosport mostra que modelo premium ainda pode ser lucrativo

Em 2013, começou a ficar bastante popular na App Store um novo modelo de aplicativos que se mostrava bastante lucrativo: o freemium (junção das palavras free + premium), que permite baixar o app de graça, com limitações que são desbloqueadas com pagamentos internos. Em pouco tempo, grande parte dos jogos e aplicativos passaram para esse formato, deixando de lado a velha fórmula de compra por um preço fixo que dava direito ao aplicativo completo (chamado de modelo Premium).

Isso fez com que hoje tenhamos boa parte dos apps totalmente dependentes da internet, sem permitir que tenhamos acesso quando estamos em viagem ou distantes de uma rede WiFi/4G.

Correndo contra a corrente, algumas empresas desenvolvedoras permaneceram com o modelo antigo, cobrando um preço fixo para o pacote inteiro, sem amarrar o usuário a pagamentos esporádicos e constantes. E um dos jogos mais legais da App Store acaba de provar que esta fórmula pode sim render lucro, quando bem realizada.


O jogo GRID Autosport conseguiu repetir no iPhone e iPad a mesma qualidade das suas versões para consoles e PC. Ele é um jogo de corrida, com um cuidado gráfico incrível que impressiona quando lembramos que está rodando em um “simples celular”.

Esta semana, a criadora do jogo, Feral Interactive, anunciou que as vendas da versão para iOS ultrapassaram as 100.000 unidades, uma marca bastante significante para um jogo que custa R$32,90, bem distante do padrão que empurra para baixo os preços dos aplicativos de celular.

Há quem considere isso uma vitória justamente porque hoje em dia o modelo freemium é o que rende muito mais retorno financeiro. Se pegarmos títulos como Fornite e PUBG Mobile, que em poucas semanas faturam mais de US$15 milhões, sem dúvida o modelo freemium é algo bem tentador. Para a Feral, seria fácil transformar o GRID Autosport em um jogo free-to-play, que o usuário baixa de graça e vai comprando elementos conforme se joga, com limites impostos que dificultam o progresso natural do jogo (como obrigação de esperar um tempo determinado para continuar, ou custos para melhorar os carros). Mas isso só diminuiria a experiência do usuário, que seria forçado a tirar o dinheiro do bolso constantemente para aproveitar o máximo da jogabilidade.

O GRID Autosport tem um preço fixo, que oferece todas as possibilidades para quem o compra. A página na App Store até diz, erroneamente, que “Oferece compras dentro do app”, mas é porque parte do conteúdo está disponível para baixar depois, para que o usuário não precise instalar o app inteiro antes de evoluir no jogo. Estes downloads internos são feitos sem custo, pois você já os comprou junto com o aplicativo.

Sim, a notícia é boa para quem curte aplicativos que oferecem a possibilidade de pagar uma única vez para ter o conteúdo completo. Exemplos como este mostram que é possível sim ganhar dinheiro se preocupando com uma melhor experiência do usuário, sem obrigá-lo a ter custos extras ou dificultando a jogabilidade para forçá-lo a gastar mais.

GRID™ Autosport
GRID™ Autosport
Desenvolvedor:
Preço: R$ 37,90+
Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Rodrigo Pereira de Freitas

    Tem tanto jogo que eu adoraria jogar, mas pelo fato de ser freemium acaba estragando a experiência e me fazendo desistir.

  • Luciano Assunção

    Pior é pagar mensalidade, para mim é o pior. Se eu for pagar mensalidade sobre todo app que eu uso eu não vou ter o que comer em casa haha. Toda vez que vejo que para desbloquear os recursos preciso pagar mensalmente eu desinstalo na hora. Não me incomoda tanto pagar para desbloquear determinados recursos, desde que a cobrança ocorra apenas uma vez.

  • Rafael Paiva

    Ótima matéria!

  • Gabriel Franco

    Melhor coisa, eu se vejo que o jogo é Freemium desinstalo na hora! não apoio de jeito nenhum esse tipo de modelo. um dos grandes motivos de eu ter abandonado os jogos de celular é isso, e tmabém os jogos de pessima qualidade que infestam as lojas de Apps. Desde 2016 estou nos videogames portateis, Tenho um Ps Vita que eu jogo Ps1, PSP e também os jogos do Vita, e pretendo pegar um 3DS ano que vem

  • Luiz Dias

    Saudades da época dos antigos fps e survival horror como Dead space móbile, modern combat3/4, Mass Effect móbile e a franquia N.O.V.A; onde você pagava pelo conteúdo como um todo, apesar de haver pacotes adicionais, mas que não te deixavam com muita vantagem em cima de quem não passa o cartão por tudo

  • Gaius Baltar

    Eu também prefiro apps que entreguem tudo por um preço fixo, mas entendo a lógica das empresas que cobram assinaturas. É complicado para uma empresa ter variações de fluxo de caixa tão grandes, faturando alto quando lança um app e cada vez menos a medida que o tempo passa. Se fizer muito dinheiro que cubra os custos do desenvolvimento, salários e despesas correntes, ótimo. Se não, a coisa complica. É bem melhor ter um fluxo constante de dinheiro entrando na empresa, permitindo uma melhor gestão de ativos e passivos. O problema é que o consumidor não está muito interessado nisso…

  • Alguém tem esse jogo no iPhone 7? Será que roda bem?

  • Bruna Macedo

    Existe também um lado positivo para as empresas com esse sistema freemium, praticamente acabou com a pirataria que antigamente era algo “normal”.