Notícias

Advogados usam parentes das vítimas do voo EgyptAir 804 para processar a Apple

Perder um parente em um acidente aéreo é sem dúvida uma experiência horrível e muito traumatizante. Uma forma violenta a agressiva de perder um ente querido, que deixa a pessoa bastante fragilizada e vulnerável. Infelizmente há profissionais do Direito que se aproveitam deste momento para tentar ganhar dinheiro com a situação.

A Apple está sendo processada como possível responsável da queda de um avião em 2016, com argumentos tão desesperados que nem sequer esperam o final das investigações oficiais.


Em 2016, o voo EgyptAir 804 partiu de Paris em direção à cidade do Cairo, no dia 19 de maio de 2016. Porém, naquele dia ele não chegou ao seu destino final, caindo no mar Mediterrâneo e matando as 66 pessoas que estavam a bordo.

As investigações até hoje não foram encerradas e não há uma conclusão da causa da queda. Em nenhum momento os pilotos transmitiram qualquer chamada de perigo, mas os equipamentos internos detectaram possível fumaça em dois pontos diferentes da aeronave. As investigações admitem que isto pode ter sido causado pela condensação de vapor (água) caso a cabine tenha sofrido uma despressurização repentina.

Há duas equipes de investigação no caso, uma francesa e outra egípcia. A francesa diz ter visto nas câmeras de vigilância do aeroporto Charles de Gaulle (local de partida) que havia um iPhone 6s de um copiloto sobre o console da cabine. Então, seguindo a linha do Inspetor Clouseau, já partiram do pressuposto que o iPhone foi o provável causador do acidente, pois teria super-aquecido e explodido.

Já a equipe egípcia discorda desta hipótese, pois não acredita que o iPhone teria sido a causa primária do acidente. De acordo com os investigadores do Egito, houve uma explosão real no avião e restos de explosivos foram encontrados. A hipótese de um ataque terrorista não foi descartada.

Vamos entender o contexto no momento em que a equipe francesa divulgou a sua opinião: foi no primeiro semestre de 2017, época em que muito se falava das diversas explosões do Galaxy Note 7, que chegou até a ser banido de voos comerciais. Então, para a lógica do Inspetor Clouseau, foi uma questão de matemática:

“Telefones explodem” + “iPhone 6s na cabine” = “iPhone causou o acidente”

O fato é que não há indício algum que o iPhone tenha tido qualquer participação nas causas do acidente, além da informação dele estar apoiado no console antes do avião decolar. Especialistas em segurança aérea concordam em acreditar que é muito provável que o iPhone 6s e o iPad mini não tenham permanecido ali durante o voo, pois os pilotos sabem que qualquer objeto apoiado naquele local pode cair sobre eles no momento da decolagem.

Mesmo assim, um grupo de advogados se aproveitou da fragilidade dos parentes das vítimas para conseguir que eles entrassem na justiça contra a Apple, acusando-a de responsável pelo acidente. Mesmo com as investigações oficiais ainda em andamento.

Claro que as causas precisam ser apuradas e todas as hipóteses devem ser consideradas (inclusive a do iPhone ter sido o possível causador). Porém, já tentar processar a Apple por algo que não há evidências e com as investigações ainda não concluídas é se aproveitar de um momento de dor para ganhar dinheiro. O que estes advogados estão fazendo é desumano e desrespeitoso, pois estão usando as famílias das vítimas para conseguir projeção e possível recompensa financeira, pois seja ganhando ou perdendo a causa, eles serão remunerados. E a probabilidade é que percam enquanto não existirem evidências nas investigações.

Triste.

Fonte
Le ParisienTMZ
Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Estan Duarte

    Nada novo nesse mundao…

  • Leonardo Azevedo

    Entendo o blog ser fã da Apple e tal, mas aí culpar os advogados já é demais pra mim. Deixa a justiça decidir. Se eles não tiverem razão vão perder. Simples assim. Não precisa ficar aqui defendendo a Apple e acusando os advogados. Vai saber o que eles escreveram. Quais os argumentos e tal. Duvido que o blog tenha lido o processo. E se leu, muito provavelmente não compreendeu.

    • Aimoré Neto

      Concordo plenamente. Esse texto nem poderia ser chamado de notícia, e sim de opinião. É completamente irresponsável defender a Apple e culpar os advogados em um caso que cabe apenas à justiça resolver. Fora isso, prefiro mil vezes colocar a minha mão no fogo por pessoas do que por uma empresa que visa, como todas, compreensivelmente, ao lucro.

      • Leonardo Azevedo

        Pois é. Uma empresa que cobra R$ 7 mil por um iPhone tem dinheiro o suficiente pra se defender na justiça. Não precisa da legião de fans defendendo na internet sem conhecimento de causa.

  • Weber Bitencourt e Castro

    Eita! Acaso o iPhone comprou a passagem e fez o embarque por sim só?! Digamos que acidentes de transito como atropelamento, a culpa passar a ser do fabricante, a arma branca que fura seria culpa da Tramontina e assim vai… Um carro que é envolto em acidente como batidas por uso indevido de celulares, a culpa torna-se responsabilidade da SAMSUNG, NOKIA, APPLE e não do irresponsável dono! Sem noção!

    • Walter Cabalin Jr

      Claro Weber, todo copiloto é instruído a não levar exclusivos a bordo, muito menos colocar explosivos sobre o painel. Muito sem noção esse copiloto!

    • Victor

      você leu o artigo?!

      • Calebe Duarte Pimentel

        Deve ser piada esse comentário..”né possível!’’
        Kkkkkkkkk

        • Victor

          pior que não foi piada não.. acho que ele só leu até o segundo paragrafo e já deu sono!

    • Thiago

      kkkk q mico

    • Leonardo Herculano

      Aprende a ler a matéria toda antes de opinar, evitará passar vergonha cara!

  • Nelson

    Neste caso, acho que poderiam processar a empresa aérea e SE ficasse provado que o iPhone foi a causa do acidente, a empresa aérea poderia regressar contra a Apple, mas mesmo assim, não acho que a responsabilidade seria da Apple pelo fato do celular ter explodido no voo (se ele estava aonde não deveria estar naquele momento), como iriam provar que o celular super aqueceu… (além de uma prova pericial no próprio aparelho?).

  • Marcio Marques

    Oi? É sério isso? Os caras estão perdidos nisso aí.

  • JF

    Os Advogados não são os autores, representam os clientes, no caso familiares das vitimas… quem garante que não foram estas pessoas que procuraram eles para ajuizar o processo?
    No ponto de vista de alguns pode ser ganhar dinheiro, no deles pode ser buscar justiça, agilizar as investigações, etc.. teve acesso aos autos para saber o que estão requerendo?

  • Alan Alarcon

    De uma coisa eu tenho certeza: Não existem advogados no céu.